amizade e poesia

Alguém que faz você rir…Alguém que faz você acreditar em coisas boas…Alguém que convence você …De que existe uma porta destrancada…Só esperando para que você abra. Esta é a Amizade Para Sempre.

Archive for 14 de Maio, 2007

Mãe.

Posted by amizadepoesia em Maio 14, 2007

Mãe.
Toda mulher quando nasce é dotada do poder de gerar uma vida em seu próprio ventre. Para muitas mulheres ser mulher é ser mãe, para elas seria indissociável a condição de ser mulher da dádiva de ser mãe.
Minha mãe é como essas mulheres, a vida dela toda foi ser mãe. Mas há mulheres que ainda não se tornaram mães, há mulheres que não querem ser mães e há ainda aquelas que foram mães mas que não desenvolveram o instinto de mãe.
Não há na condição humana situação de maior entrega do que o amor que uma mãe que possui o instinto materno correndo em suas veias sente.
Mãe é um sorriso orgulhoso, um choro desesperado, um olhar cioso e um abraço apertado.Todos nós temos como genitoras uma mãe, mas nem toda mãe é uma mãe de verdade. Algumas mães não sentem o tal instinto, o tal carinho, a tal entrega. Simplesmente são mães biológicas, mas ainda assim mães. Quantas mães adotivas existem no mundo que amam seus filhos com todas as fibras do seu coração justamente porque esses são seus filhos que foram gerados dentro de seus corações e não em seus úteros. E seus filhos adotivos são tão filhos quanto seus filhos gestados.
Mãe verdadeira não sente inveja dos filhos, não compete pelo amor deles com o pai ou com qualquer outra pessoa, mãe verdadeira não rouba dos filhos e nem quer o mal deles.Mãe não é perfeita, ela tem muitos defeitos, mas mãe é algo tão sagrado, algo tão da gente que parece que elas são as guardiãs não só dos nossos segredos e das nossas lágrimas, mas são guardiãs da nossa alma.Por isso guarde todos os seus perdões para sua mãe, por isso dê de presente pra ela hoje e sempre não só um presente comprado em lojas, em joalherias ou em qualquer comércio, dê de presente todo o reconhecimento a gratidão que elas merecem. Dê de presente o seu sorriso mais sincero, o perdão mais do que necessário. Dê de presente a sua presença e o seu carinho. E se ela não estiver aqui agora, certamente onde ela estiver vai sentir o seu carinho, mãe transcende o tempo e o espaço, mãe é de todos os pra sempre o mais eterno de todos…
Não há presente maior pra uma mãe do que um filho agradecido dizendo olhando pro fundo dos olhos dela: TE AMO MINHA MÃE!

Andre Luis Aquino

Anúncios

Posted in AMIGOS | Leave a Comment »

Mãe

Posted by amizadepoesia em Maio 14, 2007

Deus desenhou um poema…
pontilhou-o com a magia das estrelas,
a solicitude dos ventos
e o calor de todos os sóis.

Modelou-o e esqueceu-o
no aconchego do seu coração.

Por fim, insuflou-lhe o espírito do Amor
que não conhece hora nem limites.

Havia desenhado o Poema-Mãe
( Sergio J. de Souza)

Para as mães, mães do coração, vós-mães,
tias-mães, filhas-mães, pães (pais-mães)…
um dia de muito amor e paz
para todos
Beijos no coração

Shir.byRio

Posted in poesia | Leave a Comment »

RECONSTRUA SUA HISTÓRIA

Posted by amizadepoesia em Maio 14, 2007

Não se omita,
e nem permita,
que lhe ultrapassem
nesta disputa…
Vá à luta…
Siga em frente,
e de repente
o sucesso surgirá,
e na vida você não perderá…
O tempo não para,
e para não quebrar a cara,
é preciso ter criatividade,
e aproveitar a criativa idade…
Sempre querendo algo melhorar,
e jamais esperando o tempo parar…

Marcial Salaverry

Posted in poesia | Leave a Comment »

Mulher-Mãe!

Posted by amizadepoesia em Maio 14, 2007

Sempre que encontrar uma casa

em que todos riem felizes e se confraternizam no amor,

tenha absoluta certeza de que ali está morando uma mulher

dedicada ao cultivo do amor que colhe a paz, a harmonia e a felicidade.

Essa mulher que se esquece para não esquecer os que dela dependem;

essa mulher que só se alimenta quando todos estão bem alimentados;

essa, que não dorme, enquanto alguém está acordado – só pode ser…

uma Mãe !

Minuto de Sabedoria

Posted in poesia | 2 Comments »

“Ah! Essas Mães!”

Posted by amizadepoesia em Maio 14, 2007

Fazer de todas mães um poema
Não é tarefa tão simples – nos renasceres –
Do calor do útero ao mar de pedras e rosas
Existirá sempre há falta da noção do que virá
Crescer com dignidade entre martírios e o Amor
Num mundo repleto de desigualdades – lutas de classe –
Quem sorri para uma Mãe agradece os aprendizados na Vida

Rosangela_Aliberti

Posted in poesia | Leave a Comment »

O pontão

Posted by amizadepoesia em Maio 14, 2007

O pontão
A piscininha
O pinico

O mar
Lambendo
O rochedo

A espera
Do pinico se encher
Para dentro dele
Mergulhar

Arpoador
Pesca de polvo
Apenas a bicheira na mão

Um pé de pato
Em cada pé
Sobre uma sapatilha “tigger”
De nylon azul bem leve

Ou sobre
Uma alpargata
De corda
Da Ródia

Tempo bom
Que voltar
Não volta não
ABittar

Posted in poesia | Leave a Comment »

Eu me amo

Posted by amizadepoesia em Maio 14, 2007

E é muito
O amor que tenho
Por mim mesmo

Sendo assim
Posso dar esse amor
A quem eu desejar

E no momento
Quero dar a você

Que eu acho linda

Particularmente
Eu acho você muito linda

Tão ou mais linda
Que o desabrochar
De uma linda rosa

Tão ou mais linda
Que o acordar da aurora
A dona dos dedos rosados
Quando o dia começa amanhecer

Sua beleza
Entrou em meus olhos
E alojou-se
Em meu coração

Não há salvação
Estou perdidamente
Apaixonado por você

Venha urgentemente
Visitar-me preciso de você

Sem você vou morrer

ABittar

Posted in poesia | 2 Comments »

Sou um grão

Posted by amizadepoesia em Maio 14, 2007

E todos os outros grãos
Estão contidos em mim

Não que eu seja
Todos os outros grãos
Mas a essência deles
Existe em mim

Sou um grão
Que tem que germinar
Nasci para me multiplicar

Se não o fizer
Não estarei cumprindo
Minha missão
Que é me multiplicar

A minha missão
Eu sinto é esta
Então a cumpro
Com muito prazer
ABittar

Posted in poesia | Leave a Comment »

DEIXEI A VIDA ESCAPAR

Posted by amizadepoesia em Maio 14, 2007

Muitas vezes já deixei a vida me escapar pelos dedos
Como a areia fina que se esvai ao vento
Muitas vezes o mundo já me fechou as portas
Muitas vezes fui ao encontro do tudo
E encontrei o nada…

Muitas vezes tentei sorrir da desgraça
Enganando a mim mesma, com pensamentos vazios
Não senti emoção, nem amor
Nada me agradou, apenas, fingi gostar…

Muitas vezes até sonhei
Muitas vezes até vivi
Mas muito tempo gastei em vão
Por alguém que nunca me quis.”

(Zany Lopes)

Posted in poesia | Leave a Comment »