amizade e poesia

Alguém que faz você rir…Alguém que faz você acreditar em coisas boas…Alguém que convence você …De que existe uma porta destrancada…Só esperando para que você abra. Esta é a Amizade Para Sempre.

Archive for 25 de Junho, 2007

Flores do Campo

Posted by amizadepoesia em Junho 25, 2007

Agrestes, rebeldes, lindas e puras,

esparramadas no campo,

não temem o vento, ou o beijo

suave dos pássaros,

que retiram de sua seiva

o néctar doce de sua delicadeza.

Encantam a natureza, perfumando o ar,

que só a calmaria irradia;

não desconhecem a razão

da força que têm oculta em suas raizes,

provedoras dos sonhos arrojados,

que brotam entre os espinhos,

despontando a vitória nas lutas

travadas no curto destino.

Ainda que o tempo adverso

as estações mudem, e as orvalhe,

sua vida eclode com a essência da alma

para perfumar a eternidade,

exaltando, nas horas que passam,

todas as alegrias e a saudade.

Schyrlei Pinheiro

Posted in poesia | Leave a Comment »

Utopia

Posted by amizadepoesia em Junho 25, 2007

Olhar teus olhos no dia-a-dia,
Dia a dia, adorar o teu jeito,
Coração disparado no peito…
Diz pra mim que não é utopia!

Experimentar toda a alegria
De ter em ti a minha metade,
Viver toda essa felicidade…
Diz pra mim que não é utopia!

Sentir no nosso amor a magia
Que nos motiva para a vida
E que nos dá a mútua guarida…
Diz pra mim que não é utopia!

Tocar feliz tua pele macia,
Dizer-te odes de improviso
E vidrar no teu belo sorriso…
Diz pra mim que não é utopia!

Passar pro real a fantasia;
Depois do amor, dormir a teu lado;
Contigo, acordar reconfortado…
Diz pra mim que não é utopia!
Lorenzo Yucatán

Posted in poesia | Leave a Comment »

Vejo-te

Posted by amizadepoesia em Junho 25, 2007

Sem corpo, exalando perfume,
descobrindo-te em versos,
completamente envolvida
por minha fantasia,
vestida de sonhos transitórios,
que tornam o sentimento
imaginado, perfeito,
tirando o direito
do desejo carnal
provisório e imperfeito,
que morre no leito,
virando pó de ilusão.
Nosso amor não será saudade,
viveremos na eternidade,
trocando ternura
sem qualquer amargura,
dizendo te amo!
Schyrlei Pinheiro

Posted in poesia | Leave a Comment »

A teoria da incerteza

Posted by amizadepoesia em Junho 25, 2007

É apenas uma teoria
Difícil e complicada
A sua incerteza
É mais simples
Mas, não menos.
Complicada
O tempo passa
Rapidamente
A gente nem sente
Quando notamos
Já é tarde ele passou
O que você viveu
Nunca é suficiente
Pra fazer tudo que quer
E já não há mais tempo
Quanto tempo perdido
Na incerteza de ser
E fazer o que é certo
Mas o que é certo?
ABittar

Posted in Uncategorized | Leave a Comment »

Não sei

Posted by amizadepoesia em Junho 25, 2007

Por quanto tempo
Esperei por esse momento
E agora que ele chega
Não sei o que fazer
O que dizer
Só sei olhar
O seu olhar
A me fitar
Tira de cima de mim
Esse olhar de quero mais
Deixa-me pensar
Pra falar
Eu tenho tanto
Pra lhe dizer
De tudo que sofri
Todo esse tempo
Sem lhe ver
Mas, pra que falar.
Você sabe de tudo
Só com um simples olhar
ABittar

Posted in poesia | Leave a Comment »

EMPRENHEI MEU MUNDO

Posted by amizadepoesia em Junho 25, 2007

Emprenhei o meu mundo
com ares de pura utopia
criei a terra da fantasia
plena de amor profundo
Enchi de luz os meus dias
e no meu peito fecundo
plantei a rosa da alegria
meu barco assim seguia
tendo a paz por seu rumo.

Qual a cegonha da lenda
levava no bico os infantes:
o amor ao invés da contenda,
a caridade sempre serena,
o brilho dos olhos amantes.
Pois se a alma não é pequena
tudo há de valer a pena
como já dizia o poeta antes.

Imberbe mundo conceitual
envolto em brumas ideológicas
que ouso julgar poder ser real
desafiando da guerra a lógica
ainda que pareça bucólica
a paisagem do bem eternal.
Jorge Linhaça

Posted in poesia | Leave a Comment »

NA LINHA DE EQUILÍBRIO

Posted by amizadepoesia em Junho 25, 2007

Caminho na beira do mundo
controverso de meu âmago
entre as certezas e enganos
á beira do abismo profundo.

Entre a razão e a loucura,
entre o real e o imaginado,
tenuamente equilibrado,
entre o dia e noite escura.

Fantasias,visões, miragens,
entremeadas do racional ,
viajo assim a outras paragens

Num exercício semi-racional,
e me inspiram em loucas imagens
para poetar a vida afinal.
Jorge Linhaça

Posted in poesia | Leave a Comment »

QUANDO SE AMA

Posted by amizadepoesia em Junho 25, 2007

O que dizer quando se ama
E esse sentimento é chama
Que arde sem se ver,
O que dele emana e é prazer.

Porventura nem a palavra amar
Sabe bem definir esse manjar,
Que aos deuses é pertença
E em nós brava sentença.

E o que dizer da amizade aqui,
Sem ela o amor não existiria
E ficaríamos sós, bem assim

Num viver sem sentido nenhum,
Onde a noite procedia ao dia
E nós ao eterno e inflexível jejum.

Jorge Humberto

Posted in poesia | Leave a Comment »

TODO ESTO ES AMOR

Posted by amizadepoesia em Junho 25, 2007

Que estraño amor emana de ti,
Consumiéndome enteramente,
Como si, mirándome, partieras de mi,
Esa llama duradera y ardiente.

Estar contigo es revivir días felices,
Es estar a solas no estando sólo,
Y todas Las secuelas y cicatrices
Tomaran el rumbo de otro camino.

Ya no sé vivir si no es contigo
En mi vuelo alado e irregular,
Ilusionando el día en que esté conmigo:

Vértigo alucinante y muy deseado,
Cuando el que hay puede ser comparado,
Aquí con una historia bien arreglada.

Jorge Humberto

Posted in poesia | Leave a Comment »

TUDO ISTO É AMOR

Posted by amizadepoesia em Junho 25, 2007

Que estranho amor emana de ti,
Consumindo-me inteiramente,
Como se, olhando-me, partisse de mim,
Essa chama duradoira e ardente.

Estar contigo é reviver dias felizes,
É estar a sós não estando sozinho,
E todas as sequelas e cicatrizes
Tomassem o rumo de outro caminho.

Já não sei viver senão contigo,
No meu voo alado e desregrado,
Iludindo o dia em que serás comigo:

Vertigem alucinante e mui desejada,
Quando o que há pode ser comparado,
A uma história aqui bem concertada.

Jorge Humberto

Posted in poesia | Leave a Comment »

Por acaso

Posted by amizadepoesia em Junho 25, 2007

Moro no intervalo bem oblíquo.
De uma vontade pura na insanidade.
O momento o pêndulo ambíguo.
De um desejo tentando ser verdade.

Para persuadir o caso circunscrito,
Tímido no seu apego ao limite,
Do conceito que o torna convicto.
Ser por si prisioneiro do palpite.

Aonde a opinião não se importa.
De ser rígida com a tese da paixão.
Que sempre no delírio abre a porta.

Para excessos ocultos na sensação.
Vibrando com toda sua intensidade,
Fazendo doer por ti meu coração.

Gerson F. Filho.

Posted in poesia | Leave a Comment »

Amigos que seam para siempre

Posted by amizadepoesia em Junho 25, 2007

Deja que tus amigos
      hagan parte de tu vida.
      Dividiendo con ellos
      todos tus momentos
      sean de tristezas o alegrías
      pues ellos son los únicos bienes que valor realmente tienes
      durante toda tu vida,
      sea en la infancia
      sea en la adolecencia
      sea en la maioredad
      o en la tercera edad
      Todo en esta vida pasa
      nada de material permanece.
      Tudo cambia,
      el siempre presente y eterno cambio,
      pero los sentimentos permanecen
      los verdaderos amigos siempre se quedan
      y me da la impresión de que también permanence en el más allá,
      pues en la amistad hay amor
      y Amor es la única coisa que permanece
      desde el principio al final de todos los tiempos…

      Joe’A

Posted in poesia | Leave a Comment »

Amor, uma palavra?

Posted by amizadepoesia em Junho 25, 2007

O amor…
      Muitos podem pensar que
      que é apenas uma palavra que
      expressa um sentimento..
      um sentir…

      Sem amor nao se pode existir…
      Uma existencia
      sem amor é…
      simplesmente nao viver…

      O amor para a alma…
      significa toda uma vida
      formosa…

      É o sentimento mais
      precioso que existe no
      que chamamos vida..

      Amor que é visto por muitos
      somente como uma palavra …
       palavra!!! a qual…
        entrego minha vida
    

Tony 728

Posted in poesia | Leave a Comment »

Perdão no coração

Posted by amizadepoesia em Junho 25, 2007

A medida que a gente aprende a perdoar
A gente também aprende a se desculpar
E a gente também passa ao nosso erro reconhecer
É quando a gente começa a grande viagem do se conhecer

É quando a gente começa realmente da vida aprender
Porque a um erro reconhecer, o certo começa a saber
Ao errar sentimos as dores do sofrer
Ao reconhecer um erro, e se desculpar, de humildade começa a saber

Com o erro sofremos e fazemos outros sofrer
Com o reconhecimento e a desculpa, aliviamos o sofrimento
E o perdão vem como um linimento
Como um balsamo para o coração da gente

Se desculpar, não é se humilhar
Muito pelo contrario, é a alma dignificar
Ser perdoado não é ser rebaixado, não é ser depreciado
Mas sim por este ato ser respeitado e considerado

Saber perdoar é saber ser divino
Pedir perdão é consolar a alma
Desculpar é ser desprendido e generoso
Pedir desculpas é a modéstia em forma de amor

O ato de pedir perdão e perdoar
Enobrece a alma, dignifica o nome
Quem pede perdão considera a remissão
Quem concede perdão tem amor no coração

Joe’A

Posted in poesia | 5 Comments »