amizade e poesia

Alguém que faz você rir…Alguém que faz você acreditar em coisas boas…Alguém que convence você …De que existe uma porta destrancada…Só esperando para que você abra. Esta é a Amizade Para Sempre.

Archive for Setembro, 2007

RENOVAÇÃO

Posted by amizadepoesia em Setembro 30, 2007

Fui criada simples e ignorante,
Mas destinada à perfeição;
Por isso, caminho sempre avante
Com a Centelha Divina no coração.
 
Para dirigir meus passos inseguros,
Tenho Jesus como meu guia e modelo,
E se às vezes me vejo em apuros,
Rogo Sua proteção num sentido apelo…
 
A cada vitória, um degrau vou subir
Na escala evolutiva em que estou inserida;
Mas se errar, não irei sucumbir:
Posso rever meus atos e retomar a marcha interrompida.
 
Para reconhecer nossas falhas é preciso humildade,
Porque sempre dói a derrota em nosso peito;
Mas sem esse exercício de consciência e verdade,
Somente encontraremos em nós, da perfeição, o conceito!…
 
A tarefa proposta pela reencarnação
É o trabalho constante e o servir com amor,
Buscando na nossa íntima e contínua renovação
A libertação de todo sofrimento e toda dor.

Daniela Melo

Anúncios

Posted in poesia | Leave a Comment »

RENOVAÇÃO

Posted by amizadepoesia em Setembro 30, 2007

Renovar, nascer de novo,
Aprimoramento gradativo,
Reajuste sucessivo,
Na busca do progresso decisivo.

Às mudanças comportamentais,
Renovação significa
Mudanças na vida,
É na realidade, transformação.
Para mudar no meio de relação.

Modificar, concertar,
é a vida renovar,
para tudo melhorar
e a felicidade encontrar.

Elio Mollo

Posted in poesia | Leave a Comment »

UM MOMENTO DE REFLEXÃO

Posted by amizadepoesia em Setembro 30, 2007

Na vida tudo tem um preço,
é assim mesmo, 
quando o preço é alto, 
podemos pedir um desconto…
E assim, nos perguntamos,
o que podemos querer fazer
com nossa vida.
Pode ser hora de algo mudar,
de nossa vida renovar.
Por causa de certas dúvidas,
precisamos manter a cabeça fria
e, com um tempo para reflexão,
pensamos numa renovação…
Algo reinventar,
vemos que tal atitude tomar
sempre será muito útil,
sempre nos fazendo ponderar
e as coisas certas falar.
Um velho ditado,
diz que cautela e caldo de galinha,
não fazem mal a ninguém.

Marcial Salaverry

Posted in poesia | 4 Comments »

Muitas em mim…

Posted by amizadepoesia em Setembro 30, 2007

Quem me acompanha nesta noite?
                                Quem está do lado de fora de mim…
                                Quem está dentro do meu peito?…
                                Quem irá curar esta tristeza sem fim?
                                
                                Alegrias e emoções tão confusas…
                                Saudade penetrando os ossos…
                                Decepções tão devastadoras…
                                Que carregar… já não posso…
                                
                                Quem sou eu… – Quem sou afinal?
                                Procuro tanto e não me encontro…
                                Tantas fustigam a minha memória,
                                Muitas faleceram no vil confronto…
                                
                                Quem é esta do espelho…- Quem é?
                                Não reconheço esta pessoa, seu olhar…
                                Ela não se parece comigo… em nada…
                                Já não sorri, só traz lágrimas a bailar…
                                
                                Quantas mais irão morrer aqui dentro?
                                Que comédia ou drama irei representar?
                                Chega… basta… de dores… de solidão…
                                De nuvens negras, quero dormir e sonhar!
                                
                                Sonhar que posso, que tudo é perfeito,
                                Que a ternura existe, que o amor é real,
                                Que toda a maldade será da terra banida,
                                E poderei ser feliz como qualquer mortal!…
                                © Mary Trujillo

Posted in poesia | Leave a Comment »

MEU ANJO DE AMOR

Posted by amizadepoesia em Setembro 30, 2007

Com o coração aberto
acolho teu sentimento
que excede todo e qualquer entendimento …

Não há precisão de palavras.
A emoção se encarrega de falar por nós
enquanto juntos,
anjo meu, poetamos …

Minh´alma vibra
 no mesmo compasso
do silencio que nos rodeia …

 Sensações  e surpresas constantes,
 dividimos a cada encontro,
 partilhados em todos os instantes …

Estamos repletos de espírito de Amor
para nos propiciar
maior e melhor felicidade …

Aguardo o momento certo
em que me suprirás de novo alento
como se asas protetoras de querubins nos envolvessem.

Por fim, pensativa, porém decidida,
afável e serenamente, aconchego-me a ti,
 meu querido e prossigo o caminho,
sustentada
pela força do teu amor …

Nídia Vargas Potsch

Posted in poesia | Leave a Comment »

GENERACIÓN PERDIDA

Posted by amizadepoesia em Setembro 30, 2007

No puedo huir a lo que fuí ni a lo que
      Soy; mi pasado habla por mí y calla;
      Sé que sufrí, pero de que me sirve si,
      Sufriendo, no viví, enfatizando la palabra.

      Moradas venas, como varices, esculpen
      Mis brazos; muchos fueron los daños;
      Pero ¿que puedo decir? disculpenme,
      Si yo tenía, solo, catorze años…

      Jorge Humberto

Posted in poesia | Leave a Comment »

FICOU-ME O AMOR

Posted by amizadepoesia em Setembro 30, 2007

Sobressai de mim amor incomensurável,
      É como se todas as fogueiras ardessem aqui,
      Levando onda solidária e imensurável,
      Aos que se acercam prontos, junto de mim.

      Da vida que levei julgue-se o presto e imutável,
      Que de tudo o que me levou poupou-me assim,
      O amor que me cerca, de todos inolvidável,
      Que me deu um principio, um meio e um fim.

      Imaginar tantas estradas, que percorri sozinho,
      Tê-las nas minhas mãos, inoperantes,
      Quando me julguei breve, tão pequenininho,

      Custa-me a acreditar, que tenha mantido o amor,
      Como algo comum, palavra régia de levante,
      Onde queima em sossego, enfim, todo este calor.

      Jorge Humberto

Posted in poesia | Leave a Comment »

QUANDO…

Posted by amizadepoesia em Setembro 30, 2007

Quando nas horas de íntimo desgosto o desalento te invadir a alma, e as lágrimas te aflorarem aos olhos, busca-Me: Eu sou Aquele que sabe sufocar o pranto e estancar as lágrimas.

Quando te julgares incompreendido dos que te circundam, e vires que em torno de ti há indiferença, aproxima-te de Mim: Eu sou a Luz sob cujos raios se aclaram a pureza de tuas intenções e a nobreza de teus sentimentos.

Quando diminuir o ânimo e te achares na iminência de desfalecer, chama-Me: Eu sou a Força capaz de remover as pedras do caminho e sobrepor-te as adversidades do mundo.

Quando, inclementes, te açoitarem os vendavais da vida, e já não souberes onde reclinar a cabeça, corre para junto de Mim: Eu sou o Refúgio em cujo seio encontrarás guarida para teu corpo e tranqüilidade para teu espírito.

Quando te faltar a calma, nos momentos de maior aflição, e te considerares incapaz de conservar a serenidade, invoca-Me: Eu sou a Paciência que te faz vencer os transes mais dolorosos, e triunfar nas situações mais difíceis.

Quando te debateres nos porquês da dor, e tiveres a alma machucada pelos espinhos, grita por Mim: Eu sou o Bálsamo que cicatriza as chagas e te diminui os padecimentos.

Quando o mundo te iludir com suas promessas falazes, e perceberes que ninguém pode inspirar-te confiança, vem a Mim: Eu sou a Sinceridade que sabe corresponder à fraqueza de tuas atitudes e à plenitude de teus ideais.

Quando a tristeza e a melancolia te povoarem o coração, e tudo te causar aborrecimento, chama por Mim: Eu sou a Alegria que insufla alento novo e te faz conhecer os encantos do teu mundo interior.

Quando, um a um, te fenecerem os mais belos sonhos, e te sentires no auge do desespero, apela por Mim: Eu sou a Esperança que te robustece a fé e te acalenta os ideais.

Quando a impiedade recusar-se a relevar-te as faltas, e experimentares a dureza do coração humano, procura-Me: Eu sou o Perdão que te levanta o ânimo e promove a reabilitação do teu espírito.

Quando duvidares de tudo, até de tuas próprias convicções, e o ceticismo te inundar a mente, recorre a Mim: Eu sou a Crença que te completa de luz e entendimento, e te habilita para a conquista da felicidade.

Quando já não provares a sublimidade de uma afeição terna e sincera, e te desiludires do sentimento de teu semelhante, aproxima-te de Mim: Eu sou a Renúncia que te ensina a esquecer a ingratidão dos homens, e a esquecer a incompreensão do mundo.

E quando, enfim, quiseres saber quem sou, pergunta ao riacho que murmura e ao pássaro que canto, à flor que desabrocha e à estrela que cintila, ao moço que espera e ao velho que recorda. Chamo-Me Amor, o remédio para todos os males que te atormentam o espírito. EU SOU JESUS!

Autor: RUBENS ROMANELLI

Posted in poesia | 2 Comments »

A un pesimista

Posted by amizadepoesia em Setembro 30, 2007

Con los años que te gano,
y alguna huella que dejo,
voy a rimarte un consejo
sencillo, sincero y sano.

Para ver a las estrellas,
mejor verlas desde abajo;
ahorrarás así el trabajo
de subir donde están ellas.

Y sin envidiar sus brillos,
aprende en sus esplendores,
que ellas no se creen mejores;
se contentan con lucirlos.

Lo que cada uno tiene,
lo acomode a su medida;
cada cual viva su vida
lo mejor que le conviene.

¿Qué uno mide uno noventa,
y tú uno sesenta y tres?
Mírate como te ves.
Una cuarta no se inventa.

Si sólo para dar cuatro
te hizo la naturaleza,
a dar esos cuatro empieza,
y no te hagas más teatro
rompiéndote la cabeza.

Astor Brime

Posted in poesia | Leave a Comment »

A Maestrina

Posted by amizadepoesia em Setembro 30, 2007

A orquestra executava os acordes
ao movimento da maestrina
que, combinando com a melodia,
tornavam a música divina.

Regia as notas musicais
com um vigor exuberante
e abraçava a harmonia
quando a canção lhe pedia.

Num ritmo suave,
conduzia o compasso plangente,
como um choro comovente
do coração da regente.

Eu ficaria ali enlevada
ouvindo aquela maestrina,
ornando com seus gestos
uma arte que me fascina.

Marise Ribeiro

Posted in poesia | Leave a Comment »

VERDADEIRO AMOR

Posted by amizadepoesia em Setembro 30, 2007

Quem no peito traz
      Amor verdadeiro,
      Sabe que é capaz
      De se doar por inteiro
      
      Mas sabe também
      Que não há dono de ninguém
      Fidelidade é um pacto
      Entre os dois, no ato
      De amor total.
      
      Fidelidade existe
      No coração que ama
      E não fica triste
      Porque também é amado.
      
      Fidelidade é criação
      Da mente humana
      E ela às vezes nos engana…
      
      Tire essa idéia de pecado
      Que só existe se não tiver amado…
      Sexo apenas por desejo
      É um grande ensejo
      Pra infelicidade maior…
      E insatisfação pior.
      
      Quando dois se amam
      Juntos amor proclamam
      Juntos sabem repartir
      Alegrias, tristezas e conferir
      As decepções causadas…
      
      Quando se ama e se é amado,
      E disso se está assegurado,
      A confiança é o bem maior
      Ela e o amor incondicional
      São o que há de melhor
      Para uma vivência ideal.
      
      Portanto, antes de cobrar,
      Assegure-se que soube dar
      Ao par a necessária segurança,
      Para que ele criasse confiança
      No teu amor, e pudesse se entregar
      Sem medo nenhum de te amar!

      Livia Garcia

Posted in poesia | 6 Comments »

SOLIDÃO

Posted by amizadepoesia em Setembro 30, 2007

Não quero solidão
      já passei por ela…em vão
      sei o meu caminho
      como também não estou sózinho

      Vou seguindo levando a PAZ
      sei que sou capaz
      nada mais procuro
      “ELE” é meu porto seguro

      Empecilhos? vou enfrentar
      tudo…vou superar
      só quero amor dar
      a quem encontrar

      Seguirei esta proposição
      com fé e disposição
      “ELE” está comigo
      “NELE” tenho abrigo

      Quem estiver comigo
      Venha…temos abrigo
      Ouça a “canção”
      E venha…meu “irmão”

      Vamos unir nossa fé
      Com o amigo de “Nazaré”
      Ouça seu coração
      Vem…pegue minha mão!!!

JRonaldo-JR

Posted in poesia | Leave a Comment »

Casinha Pequenina

Posted by amizadepoesia em Setembro 30, 2007

Era ali no pé da serra, que morava
 a felicidade por nós dois acalentada,
entre os vôos da libélula encantada,
com tanta paixão que então reinava.

Sob o crepitar do fogo na lareira,
sentíamos aquecer nossos corações.
Foram tantos momentos e emoções.
Pareciam eternos, para a vida inteira.

Daquele piano, teu enérgico dedilhar,
desvelava das teclas todo o esplendor
das canções que refletiam nosso amor,
de tantos anos juntos, a compartilhar.

Um café quentinho, fumegante, delicioso,
fazia das nossas noites, uma suave ponte,
entre o delírio do dia e a linha do horizonte,
onde nela eu vislumbrava teu olhar guloso.

Nestes sutis instantes, o xale abandonado,
no banco lá da sala, refletia a doce alcova,
num encantado ritual que era toda a prova,
de que jamais nosso amor estaria terminado. 

Não percebi os sinais, quando ele começou a  morrer. 
Foi numa tarde de setembro, que em lugar da tua rosa,
deixaste uma triste carta selando o fim e eu chorosa,
implorei a Deus a tua volta. Sem você, não saberia viver!

Guida Linhares

Posted in poesia | Leave a Comment »

NOTURNOS

Posted by amizadepoesia em Setembro 30, 2007

A noite desce vagarosamente,
por entre as brancas nuvens de algodão.
Lá de cima espia os homens que saem das lidas,
derramando neles o brilho das estrelas.
São os longos cabelos da noite,
fios tênues de sublime tentação,
evocando nos humanos, desejos de delícias,
sob o olhar da sentinela lua,
que se reveste de seu lado crescente,
aumentando o poder da sedução.
Deusa da fertilidade,
símbolo mágico a despertar paixão,
a lua vaga pelo espaço cósmico,
despertando o branco corcel,
abrigado no coração dos homens.
Ávidos por sentir afagos e toques,
se atiram ao mar das ondas ilusórias,
cavalgando embriagados de sonhos.
Noturnos são os homens!
Talvez precisassem fechar os olhos,
ao som de um piano, se deixando levar
ao mar da tranquilidade,
flutuando nas doces notas do  Noturno* de Chopin!

Guida Linhares

Posted in poesia | Leave a Comment »

Além dos sonhos….

Posted by amizadepoesia em Setembro 30, 2007

O que nos restará,
além de todos os nossos sonhos?
Passamos uma vida,
construindo tantas coisas,
um grande amor,
um lugar ao sol, um lar doce lar.
Formamos família,
cuidamos com amor e limites,
atenção desdobrada, noites mal dormidas.
Mas vale tanto a pena,
curtir cada instante de casa cheia,
mesmo que às vezes pareça cansativo.
Há tanto riso e a alegria
se desvela em cada rosto, em cada palavra.
No tempo, vamos marcando as páginas
de um livro escrito com lágrimas e sorrisos.
Se a profissão nos chama lá fora,
com energia cumprimos as tarefas.
Se há estudos, leituras em boa hora,
a tudo se atende, no movimento incessante,
da roda da vida, que  nos impele para frente.
Mas os anos chegam e também o balanço da vida,
e tantas vezes o cansaço.
Contudo nem queremos pensar em parar..
o ninho vazio ficou enorme demais,
para caber um coração cheio de lembranças.
É preciso o embriagar de novas sensações,
tomar o fôlego para outros sonhares.
É preciso plantar novas sementes,
começando um novo canteiro.
Ainda que o jardineiro já não seja o mesmo,
e prefira preguiçosamente se balançar na rede,
nas frescas tardes de outono,
morto de saudades das antigas primaveras,
mesmo assim é preciso que desperte…
afinal ainda contém da vida, o sopro
que o mantém de pé e olhos abertos;
Que jamais desanime e baixe o olhar para o chão.
Precisa buscar a linha do horizonte e voltar a sonhar.
Ainda precisa plantar, cuidar e esperar pacientemente,
as flores do campo surgirem coloridas e alegres,
para encantar a outros tantos olhares.
Afinal a grande missão,
de espalhar amor e alegria aos outros,
está além dos sonhos de cada um de nós…

guidalinhares

Posted in poesia | Leave a Comment »