amizade e poesia

Alguém que faz você rir…Alguém que faz você acreditar em coisas boas…Alguém que convence você …De que existe uma porta destrancada…Só esperando para que você abra. Esta é a Amizade Para Sempre.

Archive for 19 de Setembro, 2007

LUA CHEIA

Posted by amizadepoesia em Setembro 19, 2007

A lua cheia passeava por entre as nuvens
            brilhosa, cheia de prosa por brilhar sozinha,
            nem as estrelas estavam lá…
            parecia que tinham medo de competir com brilho da lua
            e não apareceram no céu..
            A maré estava agitada…
            como fica sempre que tem lua cheia
            as ondas se jogavam do lado fazendo rodamoinho na areia,
            era noite de lua cheia……
            Eu ali parada, observando o espetáculo
            pensando em você…
            Será que no amor também a lua cheia influencia,
            será que o amor fica mais quente?
            ah, melhor não pensar…
            porque você não está aqui
            para meus sonhos realizar,
            melhor ficar na incerteza
            de um amor beleza…
            Melhor deixar a lua se entender com o mar… 

  Faffi..

Anúncios

Posted in poesia | Leave a Comment »

LUA CHEIA

Posted by amizadepoesia em Setembro 19, 2007

Ontem a lua, estava dourada,
            só parte dela.
             Estava linda, encantadora, mágica
            Desfilava no espaço,
            seu brilho encantava…
            Trazendo lembranças…
            Momentos felizes, inesquecíveis…
            Com a lua, eu senti sua presença,
             isso me deixa feliz!
            Sua beleza é maior,
            que o brilho das estrelas
            reluzindo no céu,
            Mostrando a imensidão desta paixão…
            Da felicidade que é ficar
            olhando o céu em noite lua cheia…
            Vem a sua imagem,
            seu sorriso encantador,
            Seus olhos brilham intensamente
            como as estrelas,
            Seu corpo desfila, em minha mente
            deslizo pelas curvas do seu corpo
            Coração dispara, desejo de amar…
Fafá Lima

Posted in poesia | 3 Comments »

Lua

Posted by amizadepoesia em Setembro 19, 2007

Lua, prateada lua,
      Olha o teu dourado
      Que enfeita o louro
      Dos cabelos brancos
      Me deixa alucinada com o prateado
      Que embaça o branco daqueles cabelos
      Que entre meus dedos bailam estonteados
      E, lânguidos, escorre, para o lado.

      Lua, dourada lua,
      O azul do céu fica mais bonito
      E todas estrelas que te rodeiam
      Piscam de alegria,
      Como se aplaudissem
      Aquela cena sob o firmamento.

      Lilia Machado

Posted in poesia | Leave a Comment »

Não sei não

Posted by amizadepoesia em Setembro 19, 2007

Quanta ilusão..

Plantou arroz, flores

e pensou cultivar o chão!

Olha um céu cinzento

e vê o mundo se abstendo

diante da situação..

A história se repete,

quem sabe

 para que a humanidade,

desta vez acerte,

mas não sei não..
rivkahcohen

Posted in poesia | Leave a Comment »

RAMIFICACIONES DE UN IMITADOR

Posted by amizadepoesia em Setembro 19, 2007

      Quién se sirve del trabajo ajeno,
      No recoje fruto alguno; ser banal,
      Que se aprovecha del sinuoso medio,
      Haciendose valer de todo mal.

      Robando de los otros toda la maestría,
      En ladrón se transforma su conducta;
      Sin notar, no entanto, que había,
      De los otros, un fácil cambio.

      Así libres de todo mal, copian,
      Sin ningún pudor, lo que es de los otros;
      Con su arrogancia letras difundían.

      Pero lo que ellos no saben, a nadie
      Falta; ni la humildad ne de  otros
      La ciencia; regalo exclusivo de alguien. 

      Jorge Humberto

Posted in poesia | Leave a Comment »

SIN TU AMOR

Posted by amizadepoesia em Setembro 19, 2007

Cuando no estás hay en mí tal soledad,
      Que no hay nombre para expresarla,
      Es como una llaga abierta en mi corazón,
      O como el vértigo doloroso de una herida.

      Intento llenar tu ausencia con la poesía,
      Pero las palabras se hacen incoherentes,
      Y yo ansío de corazón que venga el día,
      Para juntos vivir nuestros repentes,

      Entregados a la pasión dúctil y desenfrenada,
      Que solo dos corazones apasionados
      Pueden vivir, en la noche más callada.

      ¿Donde estás tú, mi amor, que no te veo?
      ¿Por que calles y callejuelas nos perdimos,
      Que, pensar en tí, es todo lo que preveo?

      Jorge Humberto

Posted in poesia | Leave a Comment »

CUANDO. PERDIDO EN MI

Posted by amizadepoesia em Setembro 19, 2007

Mi ser, destituído de alforria,
      Encuentra, en la naturaleza, encanto
      Tal que, mixtura, noche con el día,
      y sonrisa, con lástima y llanto.

      Percibir porque soy yo así,
      Váyase  allá a saber, si me conozco,
      me desconozco en el final,
      y ni a mi mismo pertenezco.

      Ebrios caminos disolventes,
      Taquicardias y otros espasmos,
      Amalgamas de cosas incoherentes.

      Y yo sigo, sin calle que llevar.
      Raros e imprevisibles son los rasgos,
      Que, por si sólo, me hacen amar.

      Jorge Humberto

Posted in poesia | Leave a Comment »

*céu sobre Kishinev*

Posted by amizadepoesia em Setembro 19, 2007

Lanço-me no céu sobre Kishinev.
Sentado num campanário dourado, com a minha armadura ferrugenta.
Inquieta fronteira entre a Europa Latina e Eslava.
Rios de automóveis esforçam-se através dos meandros da cidade.
Uma babuska tenta barganhar um cachorro.
Uma parede delapidada grita “Dniestr livre”.
Um jovem soldado sonha com o autocarro para Bucareste.

Silenciosamente um anjo senta-se a meu lado.
Um velho conhecido: o céu sobre Berlim.
Nunca aprendemos a extinguir o amor.
A quebrar as grilhetas do fascismo emocional.
Sempre abençoados por uma vida sem tempo,
Perenemente amaldiçoados por uma eternidade sem vida.

Interrogamo-nos sobre as cores do mundo.
A que sabem as nuvens?
Qual é a fragrância da chuva?
Existe dor em sorrir?
As árvores têm memória?
As montanhas cantam?
Os golfinhos choram?
  M.Daedalus

Posted in poesia | 1 Comment »

CABALLITOS

Posted by amizadepoesia em Setembro 19, 2007

Soy como la flor del jardín
Que todos quieren cuidar
Aparentemente soy así
Algo de buén guardar.
 
Soy como un cristal bonito
Que a la vista es precioso
Solo que no se ve lo que está escrito
Porque el cristal está roto.
 
Niiño dulce y apasionado
Siempre inquieto en el querer
¿Es loco, o desajustado?
Que le importa eso saber!
 
Que le importa eso saber
Es cuestión fundamental
Pasa los días escribiendo
Que escribir no viene mal.
 
Y es así como peonza
Gira que gira sin parar
Que quié paga es el corazón
Sin tener como pagar.
 
 
Jorge Humberto

Posted in poesia | Leave a Comment »

BOM DIA MEUS AMORES

Posted by amizadepoesia em Setembro 19, 2007

Sobrevoei um mundo de trevas densas

Habitado por seres de mil crenças

Aturdidos. Desesperados.

Conturbados. Despidos.

Corpos chagados. Doenças.

Olhos fechados. Ouvidos tapados.

Caminhando, tropeçando alucinados.

Numa só direção

De encontro a um paredão.

                                                                      

      Enviei até eles meus amigos para avisá-los.

Ouvidos tapados não ouviram.

  Lancei sobre eles a minha luz.

     Olhos fechados não a viram.

Desci para ajudá-los.

Pregaram-me numa cruz.

  (Paulo Kronemberger)

Posted in AMIGOS | Leave a Comment »

Bom dia

Posted by amizadepoesia em Setembro 19, 2007

“Seja você quem for, seja qual for a
      posição social que você tenha na vida,
      a mais alta ou a mais baixa, tenha
      sempre como meta muita força,
      muita determinação e sempre
      faça tudo com muito amor e com
      muita fé em Deus, que um
      dia você chega lá. De
      alguma maneira você chega lá.”
      Ayrton Senna

Posted in poesia | Leave a Comment »

ANSIEDAD

Posted by amizadepoesia em Setembro 19, 2007

Ansiedad de tenerte en mis brazos
musitando palabras de amor,
 ansiedad de tener tus encantos
y en la boca volverte a besar.

Ansiedad de tenerte en mis brazos
musitando palabras de amor,
 ansiedad de tener tus encantos
y en la boca volverte a besar.

Tal vez esté llorando mis pensamientos;
mis lágrimas son perlas que caen al mar
y el eco adormecido de este lamento,
hace que estés presente en mi soñar.

Quizás estés llorando al recordarme
y estreches mi retrato con frenesí
y hasta tu oído llegue la melodía salvaje
y el eco de la pena de estar sin ti.

Ansiedad de tenerte en mis brazos
musitando palabras de amor,
ansiedad de tener tus encantos
y en la boca volverte a besar.

Tal vez esté llorando mis pensamientos;
mis lágrimas son perlas que caen al mar
y el eco adormecido de este lamento,
hace que estés presente en mi soñar.

Quizás estés llorando al recordarme
y estreches mi retrato con frenesí
y hasta tu oído llegue la melodía salvaje
del eco de la pena de estar sin ti
 De J.E.Saravia y Roberto (Tito) Mendoza

Posted in poesia | Leave a Comment »

Amizade

Posted by amizadepoesia em Setembro 19, 2007

Quem não precisa de um Amigo,
      de alguém para partilhar suas coisas?
      Ter amigos e ter a melhor relação
      com o mundo, é jamais pensar
      que se está só, sem ninguém.
      Quem tem Amigos na verdade
      possui tesouros, mas devemos
      tratá-los com o devido cuidado,
      como se fosse uma jóia preciosa
      de grande valor que não
      encontramos em todo lugar.
      A você o meu muito obrigado por tudo.
      Quem tem um Amigo nunca está só,
      está em boa companhia.
      Eu tenho você uma grande pessoa,
      uma grande amizade.
      Você é a honestidade, a sinceridade e
      o carinho que traça o perfil
      de uma amizade completa.
      Obrigada por sua amizade!

      (Autor : Rogério)

Posted in AMIGOS, amizade, poesia | Leave a Comment »

Que coisa linda!!

Posted by amizadepoesia em Setembro 19, 2007

Coisa gostosa
      é sopro na orelha
      palavra maliciosa
      lobo na pele de ovelha.

      Coisa maluca
      é lingua no umbigo
      quanto mais cutuca
      maior o perigo.

      Coisa sem par
      é o olhar
      mesmo sem luar
      escolhe o seu lugar.

      Coisa linda
      é dizer:
      Te amo ainda
      Sem pesar
      apesar
      Caso que não finda

  Rosa Pena

Posted in poesia | Leave a Comment »

AMOR MADURO

Posted by amizadepoesia em Setembro 19, 2007

Ainda que no tempo demores a chegar,
estarei sempre te esperando, aqui nesta janela,
que por enquanto é a nossa mágica ponte.

O inverno em breve, cederá espaço à primavera.
A natureza vai explodir em cores e formas,
deliciando os olhares, alegrando os corações.

Mas nós estaremos muito distantes físicamente
e nem sabemos quando nos veremos de novo.
quando desfrutaremos deste sonhar amoroso .

Mas sabemos que o amor assim como os frutos,
tem as suas variações naturais, antes do seu ápice.
Um amor ainda verde, representa doce promessa,
até o momento em que desvelar-se amadurecido.

Então seus doces pomos trarão as delícias do prazer
a ser compartilhado por corações que se comprazem
em fazer a felicidade um do outro. Um tesouro valioso
descoberto, que traz quietude interior e paz de espírito.

  Guida Linhares

Posted in poesia | Leave a Comment »