amizade e poesia

Alguém que faz você rir…Alguém que faz você acreditar em coisas boas…Alguém que convence você …De que existe uma porta destrancada…Só esperando para que você abra. Esta é a Amizade Para Sempre.

Archive for 1 de Fevereiro, 2008

CONTANDO ESTRELAS

Posted by amizadepoesia em Fevereiro 1, 2008

Esse tempo não pára,
 nesse caminhar rumo ao que se quer.
Então sigo  e vou, contando estrelas.
Deixando o meu sinal, aqui, acolá.
 
Percorrendo a atmosfera,
recontando todas elas, a procura daquela,
que o universo escondeu entre as mil eras.

Marlene Constantino

Posted in poesia | Leave a Comment »

AMOR PROIBIDO

Posted by amizadepoesia em Fevereiro 1, 2008

Tanto tempo
de medos e fugas,
não nos pertenceu
nossa vida sonhada.
Tanto nos afligia
as horas desejadas,
o silêncio sufocando,
o ocaso espreitando
nossas fantasias,
que somente os rabiscos
tatuaram este muro
que nos separou.
Carícias ilusórias, escritas
em tintas, que desbotam
em margens duvidosas.

Marlene Constantino

Posted in poesia | Leave a Comment »

Cartas lançadas

Posted by amizadepoesia em Fevereiro 1, 2008

Enfim o encontro.
 As horas passam, aproxima-se o momento em que vou tocar-te,
 Sentir teu cheiro, a beleza de teus olhos, a caricia de tua pele,
o sabor de teus lábios.
Este encontro, a tanto esperado, se dará e dele nossa resposta.
Somos o marco de uma historia linda de amor ou
 fomos tal como as chuvas de verão.
Este senhor, chamado tempo, tem a resposta.
 Como sempre, tem a tudo, mas nem eu consigo decifrar
o que este guarda consigo.
Você, com teu jeito me moleque, gestos de homem,
 amante, criança, sedutor, meigo, carinhoso
 foi aos poucos, mesmo com a distancia imposta
 pela terra,cativando-me e agora vens como um guerreiro,
 cheio de coragem.
 Este é o teu diferencial de muitos outros que prometiam tanto,
 mas uma mera distancia já lhes era empecilho….
Mas, você ai esta, perto de mim e pouco falta, talvez,
para entrar em definitivo e tomar posse de meu universo,
 porque quero possuir-te e ser possuído por ti;
quero ser teu, só teu e te quero, só meu.
 Vem, guerreiro sedutor!
 Vem!
 
Cristal Solitário

Posted in poesia | Leave a Comment »

É o momento…

Posted by amizadepoesia em Fevereiro 1, 2008

Quando estamos rodeados
de amizades, amor, entetenimento,
comodidades, saúde, trabalho,
mais ainda de tranquilidade.
 
Nossa vida é boa,
mas não o notamos, sobretudo
se há paz mental
espiritual e sentimental,
 
Mas quando algo perturba
esta situação e alguns de
seus componentes falta,
então é que estranhamos
sua presença.
 
E então nos damos
conta do bem que estavamos
e começamos a queixarnos e
a maldizer nossa sorte.
 
Desafortunadamente,
parece ser, que a
unica forma pela qual aprendamos
a ser agradecidos.
 
Porque quando tivemos tudo,
nos creiamos merecedores até da juventude
e sempre exigimos mais e mais,
 ignorando que inclusive esta também passa.
 
Na proxima vez quando tudo
estiver bem, nao o esqueça.
 
Ser agradecido pelo que
és e pelo que tens.
 
A vida detesta os mal agradecidos!

Sergio Pérez Castañeda

Posted in poesia | Leave a Comment »

Vicio o pasión?

Posted by amizadepoesia em Fevereiro 1, 2008

No sé por que Dios te colocó
en mi camino
No se por que tu dejaste
que te amase como te amo
 
Talvez, quién sabe, para castigarme
Y hacerme sufrir tanto
¿Como me dejé enamorar
Por alguien que no quería amarme?
 
Con tantas mujeres en esta vida
Justo contigo me involucré
Con este amor complicado me enredé
Un amor que nunca me dejó seguro
 
Un amor que el corazón ocupó
y del cual nunca tomé posesión.
Un amor intensamente vivido
pero sin complicidad
 
Un amor de fuerte atracción
de emoción, de sensación
pero un amor sin unión
Un amor de dolor y pasión
 
¿Que hago Dios mío,
para olvidarla
Para de ella apartarme?,
No quiero sufrir más
 
Pero es un amor más fuerte que yo
que me involucra, que me domina
Que me esclaviza, que yo necesito
hasta más que de respirar
 
Es más que amor, es un vicio
Entorpecente, de él soy dependiente
Un vicio del que no quero librarme
Aún muriendo,…estando agonizando…
 
 Joe’A

Posted in poesia | Leave a Comment »

Otimismo.

Posted by amizadepoesia em Fevereiro 1, 2008

Otimismo …sonoro, bom de se ouvir
melhor ainda ser e se sentir
Otimista… Fé, auto-confiança, segurança?
Ter olhos para olhar, ter ouvidos para ouvir?
 
Desprezar as tristezas, as inseguranças
, não ser omisso, parado não  ficar
correr atrás do sonho, correr riscos
tentar, sempre tentar seu sonho realizar
 
Sempre com a certeza dentro do peito
sempre com a confiança nos meios
lutar, persistentemente lutar
sempre para a luz olhar
 
Com os erros aprender, melhorar
não somente competir, mas desejar ganhar
nunca a preguiça ou ao desanimo se entregar
sempre a todos com alegria contagiar
 
Do pior o melhor esperar
do ruim o bom tirar
da derrota sempre levantar
se der um tempo, é só para descansar
 
Otimista é quem sabe o amor cultivar
quem tem fé dentro do peito
quem não sabe somente plantar
sabe tambem cultivar
 
Quem sempre tem uma mão para dar
quem sabe ajudar, consolar
quem tem a energia do bem para contagiar
Com alegria, determinação e paixão.
 
Joe’A

Posted in poesia | Leave a Comment »

BUENOS VECINOS

Posted by amizadepoesia em Fevereiro 1, 2008

Mucha persistencia es necesaria aqui
                  Para alcanzarnos allí el tan anhelado,
                  En una conducta cerradísima sin fin
                  Tendremos entonces en manos lo deseado.

                  Y que es lo deseado aquí sino amor
                  Mucha comprensión y además sentido,
                  Al otro, vecino, jamás  sobreponerse
                  Movimiento flexible, en nada es tenso.

                  Y en un apretón de manos sellaremos tan
                  Indiscutible conquista esclarecedora
                  Como el rito fuerte, de nuestro corazón.

                  Armas rendidas en un canto cualquiera
                  El Hombre mostrando enternecedora
                  Ductilidad, eh ahí la forma para vencer.

                  Jorge Humberto

Posted in poesia | Leave a Comment »

Você tem tanto medo

Posted by amizadepoesia em Fevereiro 1, 2008

Você tem tanto medo
Do mundo
Das desgraças climáticas
Dos acidentes
Do que as pessoas podem fazer
Todos sofrem
Todos sangram
Será que tudo o que quiz
Era mesmo impossível
Ou não satisfez a sua vontade

Tanto que leu
Tanto que viu
Tanto que andou
Tanto que sonhou
Tanto que brigou

Você tem tanto medo
De morrer
Que acredita em qualquer coisa
Que lhe disserem
Seja em outra vida
Seja em reencarnação
Seja em paraisos e infernos
Não vê que Deus julga
Do mesmo modo
Bons e maus

Tanto que perdou
Tanto que rezou
Tanto que acreditou
Tanto que julgou
Tanto que condenou

Você tem tanto medo
De viver
Que luta desperadamente
Para sobreviver dignamente
Estuda
Trabalha
Ajuda as pessoas
Esquece que isto só vale
Para uma consciência tranquila
Para o orgulho próprio

Tanto cantou
Tanto chorou
Tanto sorriu
Tanto beijou
Tanto odiou

Você tem tanto medo
De amar
Que fecha os olhos
Para não lembrar
As loucuras que fez
O que teve de suportar
Sem razão
Lágrimas derramadas sobre os lençóis
Tudo foi em vão,nada restou
Até as flores secaram

Carlos Assis

Posted in poesia | Leave a Comment »

Folia, Máscara e Mistério

Posted by amizadepoesia em Fevereiro 1, 2008

Chega a hora da festa tão esperada,
      Amigos e inimigos se encontram,
      Uns com o rosto descoberto,
      Outros,  escondidos e mascarados.
      Não se sabe o que  está atrás desse aparato,
      Talvez, Tristezas, dúvidas e  até mesmo disfarces.
      Mas o que há  de verdadeiro ali?
      Que mistérios há atrás dessas máscaras?
      Perguntas sem soluções surgem a todo instante
      Dúvidas vão surgindo também .
      Só quem as usa poderia responder,
      Mas  eles se esquivam e nada têm a declarar.
      Usam-na para esconderem-se, enganarem-se,
      Ou melhor para disfarçarem-se.
      E a pergunta sem resposta sempre continua,
      Sempre haverá  a espera de alguém,
      Que num momento qualquer,
      Esse mistério possa revelar.
      O momento acaba. A festa vai terminar.
      O aparato será tirado, o segredo incógnito será outra vez guardado.
      Sabe-se que outras ocasiões irão chegar,
      E a dúvida sempre irá  continuar.
      Alguém vai usar de novo  e o mistério nunca desvendar.
      Portanto, a nossa certeza é somente esta :
      Que a Folia irá recomeçar e  um outro mascarado se  aproximar .

      José Ernesto Ferraresso

Posted in poesia | Leave a Comment »

PRESSÁGIO

Posted by amizadepoesia em Fevereiro 1, 2008

Algo me diz que existo, seja por movimento
                    Irreflectido, gesto meu então comprometido
                    Seja pela inércia dos aqui dúcteis membros
                    Sem locução nem preensão, nos apêndices 

                    Mas, se existo, quem é o que fala por mim?
                    Quem me pensa, se pensar é meu destino?
                    Durmo meus sonhos à beira de uma árvore,
                    E sou só aquele, que tem a palavra consigo

                    Jorge Humberto

Posted in poesia | Leave a Comment »

Otimismo.

Posted by amizadepoesia em Fevereiro 1, 2008

Otimismo …sonoro, bom de se ouvir
melhor ainda ser e se sentir
Otimista… Fé, auto-confiança, segurança?
Ter olhos para olhar, ter ouvidos para ouvir?

Desprezar as tristezas, as inseguranças
, não ser omisso, parado não  ficar
correr atrás do sonho, correr riscos
tentar, sempre tentar seu sonho realizar

Sempre com a certeza dentro do peito
sempre com a confiança nos meios
lutar, persistentemente lutar
sempre para a luz olhar

Com os erros aprender, melhorar
não somente competir, mas desejar ganhar
nunca a preguiça ou ao desanimo se entregar
sempre a todos com alegria contagiar

Do pior o melhor esperar
do ruim o bom tirar
da derrota sempre levantar
se der um tempo, é só para descansar

Otimista é quem sabe o amor cultivar
quem tem fé dentro do peito
quem não sabe somente plantar
sabe tambem cultivar

Quem sempre tem uma mão para dar
quem sabe ajudar, consolar
quem tem a energia do bem para contagiar
Com alegria, determinação e paixão.

Joe’A

Posted in poesia | Leave a Comment »

O Vento na Ilha

Posted by amizadepoesia em Fevereiro 1, 2008

O vento é um cavalo
Ouça como ele corre
Pelo mar, pelo céu.
Quer me levar: escuta
como recorre ao mundo
para me levar para longe.

Me esconde em teus braços
por somente esta noite,
enquanto a chuva rompe
contra o mar e a terra
sua boca inumerável.

Escuta como o vento
me chama galopando
para me levar para longe.

Com tua frente a minha frente,
com tua boca em minha boca,
atados nossos corpos
ao amor que nos queima,
deixa que o vento passe
sem que possa me levar.

Deixa que o vento corra
coroado de espuma,
que me chame e me busque
galopando na sombra,
entretanto eu, emergido
debaixo teus grandes olhos,
por somente esta noite
descansarei, amor meu.
  
  Pablo Neruda

Posted in poesia | Leave a Comment »

Lacre

Posted by amizadepoesia em Fevereiro 1, 2008

Beijo-te por força do hábito
hálito de manjericão
menção ao  fluíco-ácido
tácito rito e passagem,
ágio pouco de tanta de emoção.

Beijo-te  hábito espargir do hálito
bicarbonato, hortelã
manhã de sol rouco, oco, plácido.
 
Máximo é  luzir  em teus braços
  lassos em lacre de abraços.
 
Elane Tomich

Posted in poesia | Leave a Comment »

À MULHER DE MINHA VIDA

Posted by amizadepoesia em Fevereiro 1, 2008

E não há amor como o teu, bem o vejo
                    Quem bem o toma, nos braços adormece
                    Todo o seu carinho num futuro que revejo
                    Cheiinho de paz, quem o tem, não carece

                    De ficar sozinho, ao som dum belo solfejo
                    Como quando caminhar, tudo ali enaltece
                    E eu sou a pessoa mais feliz, e aí prevejo
                    O nascer do sol, que mil cores estremece.

                    Ah! ser tão belo assim, em braços o tomei
                    Para todo o sempre co mui preserverança
                    E amizade, pois que a saudade já vinguei.

                    E quando te virem passar, na rua, garante
                    De beleza e bom carácter, serás a aliança
                    Num mundo exacto, pra dar-se doravante.

                    Jorge Humberto

Posted in poesia | Leave a Comment »

Pássaro liberto

Posted by amizadepoesia em Fevereiro 1, 2008

      Rasgo o peito,

      retiro minhas frustrações… 

      Cada partícula de mágoa,

       de ressentimento,

      eu jogo no poço do esquecimento! 

      Procuro o vale do perdão

       e, lá, deposito tudo,

      que me fora feito de mal,

      por aqueles que abusaram de mim…

      Lanço-me nestes vales infinitos,

       a fim de livre e de alma límpida

       buscar a minha felicidade…

       Meu amor que a minha espera estará!

      E, como um pássaro liberto,

       abro as portas d’onde estava aprisionado,

       à espera de que você recobrasse

      a memória de nosso amor…

       E tomo distância,

      sepultando de vez tua lembrança,

       que, agora, já não faz mais coro

      com os novos rumos, a mim apresentados…

      Quero voar, gritar, sorrir, brincar!

      Sei lá, quero amar, aqui, acolá…

      Quero levar o sorriso ao rosto triste;

       dar as mãos a meus irmãos;

       andar sem medos…

       Liberto-me desta escravidão

      e das amarras que colocaste

      em meu coração…

      Fica, agora, tu aí no seu mundinho

      “de faz de conta”…

      Continua a mentir a ti mesma

      e a quem contigo está…

       Porque, em meu novo mundo,

      tu já não cabes mais…

       Agora, sou liberto deste sentimento,

       que me corroía, a quem entreguei

       juventude, vida e que me deu

       como troco a mentira e a traição…

      Agora, sou liberdade,

       voando sem rumo,

      a seguir a brisa da felicidade…

      O sol da alegria, a lua dos apaixonados,

      as estrelas da esperança,

      que me apresentaram meu novo amor.

      Vai, sai da minha frente:

       quero voar!

      

      Paulo Nunes Junior

Posted in poesia | Leave a Comment »