amizade e poesia

Alguém que faz você rir…Alguém que faz você acreditar em coisas boas…Alguém que convence você …De que existe uma porta destrancada…Só esperando para que você abra. Esta é a Amizade Para Sempre.

Archive for 29 de Março, 2008

Entreatos

Posted by amizadepoesia em Março 29, 2008

 termina o acto, cai o pano
        morrem as luzes
        definham os corpos
        pergunta o palco:
        onde estão os actores?
        ponto, contraponto, vazio
        murmura o silencio:
        onde está a harmonia?
        canto, contracanto, pausa
        refina a audição:
        som!… onde está o som?
        penumbra, escuridão
        desliza uma sombra:
        luz!… onde está a luz?
        dúvida, dilema, quietude
        gestos suspensos:
        onde estão as mãos?
        vagueiam olhares
        pergunta a ilusão:
        onde estão os corpos?
        Vida, movimento, acção
        pergunta a solidão:
        quem me acompanha?
        sobe o palco… rampa… degraus
        com licença, quero subir
        preciso de espaço

        tempo, contratempo, final!
        não esperem cachet, oh actores
        termina o drama, a encenação!

        a companhia é um palco virtual
        eu prefiro acima: o primeiro balcão.
        que seja proscrito o cativeiro!
        o divórcio é uma graduação!

        a minha liberdade é a minha dignidade.

        © Copyright Sara Rafael

Anúncios

Posted in poesia | Leave a Comment »

AMOR PERDIDO

Posted by amizadepoesia em Março 29, 2008

   Nas margens do rio
                chorei a dor da partida.
                Foram tempos de frio,
                com a traição dolorida.

                Mas o tempo amigo,
                curou toda a ferida.
                Agora proseio contigo,
                sem a canção antiga.

                Me falas de tristeza,
                de abandono e solidão.
                Mas veja a natureza,
                há belezura inté no sertão.

                Do amor perdido,
                não se olha para trás.
                Da vida, um novo sentido,
                nos faz humanos demais.

                Se esta rua fosse minha,
                mandaria interditar.
                Não serei a tua rainha,
                outra ocupa o meu lugar.

                Mas nas tardes o arrebol,
                me faz sentir saudades.
                De uma doce morada do sol,
                onde brilhou a felicidade.

Guida Linhares

Posted in poesia | Leave a Comment »

AMOR PERDIDO

Posted by amizadepoesia em Março 29, 2008

Onde perdi o meu amor ?
                Nas curvas da solidão!
                Vivemos tanto calor,
                mas esfriou a paixão.

                Onde anda ela agora?
                No lugar que a deixei!
                Não queria vir embora,
                mas sua vontade respeitei.

                Perdeu-se nas brumas frias,
                Deixou o sol se escurecer.
                Viveu suas fantasias,
                desistiu de me querer.

                Mas existe a curva do tempo,
                a vida em ondas de mar,
                quem sabe se o sentimento
                volte um dia para ficar.

  Jorge Linhaça

Posted in poesia | Leave a Comment »

AMOR PERDIDO

Posted by amizadepoesia em Março 29, 2008

Tenho um amor perdido
                Nas curvas d’um raio de sol
                Que se ocupa entretido
                Com a mansidão do arrebol
                
                Ao chegar da noite calma
                Espreita uma estrela no céu
                Sente o fôlego da alma
                Que se esconde atrás do véu
                
                Amor perdido achando os dias
                Ouvindo o gorjeio dos passarinhos
                Que ao cantar fazem poesias
                E fazem amor armando ninhos
                
                Não sei quando encontrará
                O seu amor puro escondido
                Algum dia na certa viverá
                O que quase havia esquecido
                
                Que os pássaros cantam eu sei bem
                Que estrelas brilham enquanto sonho
                Isto é claro que eu sei também
                Mas meu amor eu já não sei onde ponho.

  ©WalterBRios

Posted in poesia | Leave a Comment »

BRINDA POR MIM

Posted by amizadepoesia em Março 29, 2008

Hoje levo comigo

        o ligeiro ardor que me produz o verde de teus olhos

        no labirinto de minha mente.

        Não é nada de mal: sempre se entremeia com o

        salitre do ar marinho

        e com essa impertinente lágrima.

        que a cada manhã cai nas rugas qeu começam a aparecer em meu rosto

        É que percebo em teu olhar, ainda qeu seja por alguns instantes

        A evoco quando se apartas de mim tuas pupilas para leva-las a voar sobre as ondas do mar,

        com alguma gaivota que sutilmente roça a espuma da praia.

        Na realidade, estranho tudo de ti.

        Não posso viver sem que não estejas.

        e,

        sem duvida , o faço.

        —

        (Por mais que o tente não lograr falar de ti em remotos verbos que evocam pretéritos!)

        —

        Não sei como, mas inventei este remédio de existencia junto a praia

        e curiosamente até se torna suportável.

         É como uma borbulha de abulia amortecendo o pesar.

        E aqui me tens: caminhando pela praia.

        com uma taça e uma garrafa, esperando que caia a noite e brindar…

        Simplesmente para cumprir o rito que te impus

        esta manhã quando falei contigo por teu aniversário

        e te pedi,

         como ultimo tributo a nosso amor:

        “brinda por mim,

        Querida, brinda por mim”

        —

        As ondas estão cada vez mais cinzas.

        (c)© Juan José Mestre.

Posted in poesia | Leave a Comment »

Amar… com Paixao no coração

Posted by amizadepoesia em Março 29, 2008

Tem coisas na vida
                  que a gente nao sabe bem definir
                  como o frio, como o calor
                  como uma mágoa ou como um amor.

                  Se voce fosse o firmamento
                  Eu seria o Sol para lhe dar cor e calor
                  Um azul, numa tonalidade tão profunda
                  para sua vaidade encantar

                  Por completo te afagar com meu calor
                  Aquecendo todo seu corpo
                  Acariciando toda sua pele
                  Ardentemente beijando seus lábios

                  Ou seria uma ilha encantada no meu mar
                  por completo envolvida
                  minhas aguas suas praias beijar
                  minhas ondas e espumas compondo para você.

                  Ou um estuario de um mar
                  com minhas aguas de rio em voce desaguar
                  nos misturar, um só liquido formar
                  como uma solução, como paixao no coração

                  Nunca mais nos separar
                  Isso é que é amar!…

                  Joe’A

Posted in poesia | Leave a Comment »

SOL E TEMPORAL

Posted by amizadepoesia em Março 29, 2008

Pode ser que o vento traga o fim
      Vez em quando traz uma saudade
      Que faz sol ou mesmo temporal
      Mas esse amor que existe em mim
      Resiste ao vento, vence o temporal
      E faz o sol ficar de bem com o mar
      E se chega a dor do fim
      Se o pra sempre acabar
      Eu não vou te esquecer por nada…
      Mas eu vim aqui pra te dizer
      Que eu te amo e vou te amar
      A vida inteira
      Mesmo sem você
      Mesmo sem querer…

Amizade Verdadeira

Posted in poesia | Leave a Comment »

A FLOR DA PALMA

Posted by amizadepoesia em Março 29, 2008

 Entr’os espinhos: tão pontiagudos,
      da palma, …eternal fonte da vida,
      pro sertanejo, perdido no mundo,
      desabrocham as flores: Belas e Lindas!

      A palma é, na miséria, alimento,
      pro gado e pro sertanejo sofrido.
      A beleza das flores é o alento,
      sopro divino ao povo esquecido.

      Na seca d’alma, pisamos espinhos,
      comemos palmas, nos desidratamos,
      passamos fome, de beijos, carinhos

      Passam os dias, os meses, os anos…
      até que um dia, em nossos caminhos,
      a flor da palma,  vamos encontrando.

Jorge Linhaça

Posted in poesia | Leave a Comment »

TEU INTENTO

Posted by amizadepoesia em Março 29, 2008

Barracão de flores enfeitado!
      Vislumbro luzes das tuas quimeras,
      piscando em palco iluminado.  

   Guida Linhares

Posted in poesia | Leave a Comment »

MEU INTENTO

Posted by amizadepoesia em Março 29, 2008

Quisera que em todas as minhas quimeras,
      te encontrasse da forma que sempre
      idealizei, bela, deleitosa, mulher…

Wilson de Oliveira Carvalho

Posted in poesia | Leave a Comment »

SABEMOS

Posted by amizadepoesia em Março 29, 2008

Sim,  amor,
        eu sei que a ausência
        do ser amado
        é dor sentida…

         Não desejada,
        nem consentida…

        Eu sei, que sem aquele
         a quem amamos,
        o vazio de sentimentos,
        de emoções e de prazeres,
        a nossa volta,
        não é satisfeito
        e nem preenchido…

        Pois o que desejamos,
         ao nosso lado,
        é a presença e a volta do ser amado!

        E, não há o que dizer
        e nem como explicar
        o que sentimos…

        Pois ambos sabemos que,
        nos braços um do outro,
        deveríamos, ainda, estar…

        Mas saiba que o nosso lugar está guardado…

        E que os nossos corpos
         e os nossos corações novamente estarão juntos…

        Pois eles, tantas vezes,
         se encontraram,
        em tempo e em espaço, não certos nem definidos…

        Sim. amada, o amor não responde a nenhuma lei humana mas, sim, apenas, ao próprio amor…

        E passem os dias
         e os momentos,
        se tiver que ser,
         o passado se fará presente…

        Pois recordações
        e lembranças,
        um do outro, estão vivas
        e preservadas…

        E elas são muito mais
         que retratos,
        de um passado recente…

        São histórias de um mágico amor…

        E, amor, minha querida,
        quando real e verdadeiro,
        não morre e nem se esquece jamais!

 ROBERTO ROMANELLI MAIA

Posted in poesia | Leave a Comment »

Vejo Você

Posted by amizadepoesia em Março 29, 2008

Vejo você em todos os lugares.
      Vejo você no meu caminho que trilho.
      Vejo você em cada brisa que bate em meu rosto.
      Vejo você em cada canto nos menores, ou grandes.
      Vejo você numa flor.
      Vejo você num sorriso de criança.
      Vejo você nua na cama me esperando.
      Vejo você em cada dia de luar.
      Vejo você nos raios do sol que brilham.
      Vejo você dentro de mim.
      Sabe porque a vejo em tudo?
      porque está sempre presente em mim.
      Você é uma mulher que cheira amor, que vem com o vento
      Você brilha como as noites de luar,
      Me aquece como os dias ensolarados.
      faz com que nunca me esqueça de você.
      Vejo e sinto sua presença em mim.
      se estou caminhando só eu!…não me sinto só!
      porque sei que você esta ao meu lado.
      agora nesse momento..e mesmo sozinho de novo.sinto e.vejo você.

José Eduardo C.. Trefiglio

Posted in poesia | Leave a Comment »

Apesar…

Posted by amizadepoesia em Março 29, 2008

Apesar…
… de tão forte embargo
da dor para ser feliz
sinto-me_como se diz?_
_com certa  falta do encargo
da saudade da saudade
de um tango, Soletude
qu’ em fuga à imparidade
busca e busco completude.

Elane Tomich

Posted in poesia | Leave a Comment »

MEU AMOR, MINHA SAUDADE

Posted by amizadepoesia em Março 29, 2008

Quanto encanto havia no mundo,
as flores cantavam, as estrelas dançavam,
a lua espiava ciumenta,
nosso amor era exemplo de beleza
e nós, como donos do mundo,
nem nos importávamos,
éramos crianças entre as crianças…
Tudo era possível, o sonho, as ilusões,
eu e tu e nossas loucuras,
nada parecia poder interferir
no que parecia ser perfeito;
sabíamos o que fazíamos,
sabiamos o que queríamos,
era tanta cumplicidade,
tanto amor!… Belezas do coração
que acreditávamos ser inatingíveis;
mas os enganos se fazem
e um dia, sem esperarmos,
a tempestade caiu sobre nós
e tudo destruiu…
tu calado, eu chorosa,
vimos nosso mundo ruir,
tudo terminar…
O previsto pela inveja acontecia…
Partimos sem volta,
cada um por um caminho estranho,
diferente…
Hoje, ainda choro, de ti não sei mais nada;
só sei que foste tu meu único amor,
aquele que me fez ver o mundo colorido,
me fez viver com intensidade e paixão;
aquele de quem jamais esquecerei,
meu amor real,
vivido no irreal do sonho…

Carmen Cristal

Posted in poesia | Leave a Comment »

NO IRREAL DO SONHO…

Posted by amizadepoesia em Março 29, 2008

Tantos são os amigos reais e virtuais…
Mas foste tu único amante de minha alma,
Perdida em noites frias, impessoais…
Onde tua palavra me enleva e acalma.

Envolve meu ser na paixão de quem ama
E, mesmo no irreal do sonho, ouve meus ais!
Fazendo meu coração pulsar em chama,
Meu corpo tremer de emoções carnais.

Doces palavras que ao céu me eleva,
Onde o sonho vivo, em emoções reais.
Louca paixão onde o amor nos cega
Em turbilhões que não findam mais!

Não negues, amor único, singular!
De bênçãos se torna exuberante
E num arrebatar alucinante, ímpar,
Tu és real por um fugaz instante.

Em tudo, a confusão do ter
E do viver a vida num instante;
Sem existir, tocar ou ver,
Na alma o sentir e te fazer amante.

Mãos nervosas, trêmulas, sentimento insano,
Todo meu ser ao sonho se transporta,
A tentar, além do irreal, maldoso engano,
Viver, sentir, através de uma matéria morta.

Fazer-te ver quanto me fazes viva,
Em belos sonhos, amor inconseqüente…
Nosso! Como dois seres a sorver a vida.
Únicos! Vorazes em chamas envolventes.

Fazes nascer em mim e em tudo o irreal,
O irracional, o êxtase do sentimento;
Único em pureza, do próprio Deus o amor,
O viver, sonhar, em nosso singular momento.

Em teus braços o único abandono;
No sentir, além da gélida noite fria;
No aconchego do meu único senhor e dono,
Que trouxe à vida minha alma um dia.

E no sentir além do ser, real,
De ser… Humano em racional virtude,
Apenas tu, que Deus fez especial,
Para ofertar-me da vida a plenitude.

Carmen Cristal

Posted in poesia | Leave a Comment »