amizade e poesia

Alguém que faz você rir…Alguém que faz você acreditar em coisas boas…Alguém que convence você …De que existe uma porta destrancada…Só esperando para que você abra. Esta é a Amizade Para Sempre.

Archive for 3 de Abril, 2008

O brilho

Posted by amizadepoesia em Abril 3, 2008

Da estrela brilhou
  Nos meus olhos
  Pra mim ela piscou
  Depois se apagou
  Mas eu vi
  O seu brilhar
  E o seu apagar
  Na memória gravei
  E nunca esquecerei
  A noite
  Que a estrela brilhou
  E se apagou
  Nunca mais
  Nunca mais esquecerei
  Eu vi e registrei
  ABittar

Posted in poesia | Leave a Comment »

Terras Bravias

Posted by amizadepoesia em Abril 3, 2008

Há um odor a pão nos dias breves
na caleira do tempo na escuridão
da macieza do estilo popular
em campos regadios de luar

Que fecunda a raiz da madrugada:
do calor de sabor alentejano
por trigais doridos em escarpas
na plenitude do trabalho

Inflama a luz como fornalha acesa
de dias tresmalhados
na secura de terrenos prenhes
de homens na fortaleza macia

No corpo da manhã  o pão crescendo
de terras fertéis nas planícies
de suor e pesadelos conhecidos
na imensidão das culturas amarelecidas

pelo vento suão no amanhecer de um povo.

Pedro Valdoy

Posted in poesia | Leave a Comment »

ESPAÇO

Posted by amizadepoesia em Abril 3, 2008

Esquadro e compasso,
            Seguir passo a passo,
            Deixando em traço
            Vitória ou fracasso.

            Findo o espaço,
            Se rei ou palhaço,
            Se santo ou devasso,
            Se culto ou crasso,
            Repousa o cansaço,
            No frio abraço
            Da mãe derradeira. 

    Lêda Mello

Posted in poesia | Leave a Comment »

UM DEUS QUE NOS AMA!…

Posted by amizadepoesia em Abril 3, 2008

Quantas noites se passaram,
depois daquele triste dia !
Quanto pranto derramei!…
Quantas horas na lentidão do tempo,
em que me vi só,
sem ninguém para me ouvir?!…
Alguém que entendesse meu lamento,
que secasse minhas lágrimas,
percebesse minha sede de vida,
meu desejo de amar…
Não!…Não tinha ninguém….
Vivi reclusa por um longo tempo,
impossível de determinar!…
Esquecida, esqueci de tudo,
até mesmo de contar as horas…
Meu mundo desmoronara.
Esqueci da alegria!…
Perdi a vontade de viver…
Ferida por aquele
a quem eu mais amara,
as razões se perderam.
As emoções se tornaram frias
e, como um fantoche,
me deixei levar pelo destino,
descrente, acreditanto no fim,
apagara da memória até mesmo
de como Deus conduz nossos caminhos!…
Por tanta dor, perdera a esperança…
Então, em um dado momento
da minha triste vida,
vi em meio à escuridão daquela noite
uma luz de brilho intenso,
iluminando o futuro,
um calor singular
aquecendo minh’alma,
me fazendo sorrir novamente…
Difícil acreditar,
mas estava acontecendo!
Eram teus olhos a me guiar,
teus braços a me aquecer,
teu amor a me alegrar…
Eu estava renovada!…
Por Deus, um Anjo!…
Alguém para me fazer amar,
saber que Deus está sempre atento,
jamais irá nos desamparar…
Ele sim!…
Sabe o que é melhor para nós
e preencherá nossos corações de amor,
nossas vidas de sabor…
Nos dará a felicidade plena…
Sempre uma segunda chance
para ser feliz…

Carmen Cristal

Posted in poesia | Leave a Comment »

Calçada de sol

Posted by amizadepoesia em Abril 3, 2008

Prefiro caminhar com quem caminha
      ufano de seu passo a cada passo
      que leva o bom o humor na mochila,
      talvez um a muleto, ainda que se por acaso.

      Prefiro caminhar com quem não  mente
      porque sempre é escura a mentira
      como uma picada de serpente
      como o equilibrio da  ira.

      Prefiro caminhar com o sorriso
      espontáneo fulgor da esperança
      que voa por si só e nao  precisa
      de reparos, censuras nem fianças.

      Prefiro caminhar com os valentes
      heróicos na paz, e não na guerra
      que lutam uma luta diferente
      a luta do amor sobre a terra

      Prefiro caminhar com tua ternura
      essa fonte de luz que me ilumina
      me sacia como o pão,  a levedura
      me alegra como o ar, um aconchego.

      Prefiro caminhar com o acessivel,
      a mesa com toalha e meus vizinhos
      o fogo na lar e a inefável
      nobreza de uma taça de vinho.

      Em uma calçada de sol
      nos vamos encontrar….amigo
      Em uma calçada de sol
      quisera caminar contigo.

      Alberto Cortez

Posted in poesia | Leave a Comment »

ESPERANÇA DE SER FELIZ

Posted by amizadepoesia em Abril 3, 2008

Juíza de mim mesma,

condeno-me a viver

sem defesa aos teus olhos,

 não por ter pecado,

mas, por te amar com  tanta paixão.

Apoderei-me ilegalmente do teu coração,

e ousei retirar, deste, todos os direitos

que qualquer outro teria

 de pulsar em liberdade.

Por amor, eu o acorrentei ao meu,

tornando-o objeto de meu desejo,

 exigindo retribuição.

Mesmo sem ferir a tua carne,

sem arrependimento,

 confesso  que, deliberadamente,

enveneno teus pensamentos

a cada instante que sorrio.

Entre afagos,

eu advogo em causa própria,

ciente de tudo que faço,

com muito prazer,

 desejando ao teu lado ser feliz…

Não confesso, pedindo para ser perdoada;

quero ser eternamente condenada

pela esperança de, também,

ver-te feliz.

a te amar e ser feliz

Schyrlei Pinheiro

Posted in poesia | Leave a Comment »

TÃO LONGE E TÃO PERTO DE MIM

Posted by amizadepoesia em Abril 3, 2008

 É quando mais preciso de ti que sozinho
                              não me deixas, exaltando aqui o carinho
                              com que, presenteias, os dias de solidão
                              se, as horas vagas, teimam, e não se vão

                              Porém não te vendo bebo do bom vinho
                              casta co que tu me ofertas, devagarinho
                              para eu deglutir com toda rica satisfação
                              o que vem, bem lá de dentro do coração

                              E, todo o manancial, de prazeres é lauto
                              pois estar contigo é quase sobrenatural
                              Eis dancemos à lua, e gritemos bem alto

                              o que vai dentro de nós, quando juntos
                              Somos um e só ser, como não tem igual
                              e é em conjunto, que urdimos assuntos

                              jorge Humberto

Posted in poesia | Leave a Comment »

EU, NEFELIN

Posted by amizadepoesia em Abril 3, 2008

 Asas abertas, ganho o espaço,
      viajo mundos sem ver as fronteiras,
      transponho mares e as cordilheiras,
      para enfim, ir pousar nos teus braços.

      Nefelin ensandecido, de paixão!
      Nem anjo, nem homem, sou um híbrido,
      entre dois mundos, voando perdido
      querendo o amor, enfrentando a razão.

      Se os arcanjos conspiram comigo,
      e os caídos são meus ascendentes,
      só nos teus braços encontro abrigo.

      Só tua boca, teu corpo envolvente,
      me fazem correr riscos e perigos,
      quando estás, ao meu lado, tão presente.

Jorge Linhaça

Posted in poesia | Leave a Comment »

GUANTANAMO

Posted by amizadepoesia em Abril 3, 2008

O que só há superfície vemos, em Guantanamo
      é para o mundo livre, esclarecido um escândalo
      Aí prisioneiros vivem abaixo de cão maniatados
      dos pés às mãos, e mais plo pescoço amarrados

      Claro que, a justiça, tem de fazer sentir sua mão
      mas, se se tratam, os prisioneiros, sem condição
      que liberdade então apregoa o ignóbil executor
      quando, maltrata o cativo, da mais estúpida dor

      Todas as guerras são sujas, a ninguém, o direito
      de ficar com seus espojos, e de violar inocentes
      que fogem em demanda, assim erga meu preito

      Mas se infligimos aos outros verdadeira derrota
      não admira que, vingança se faça aqui presente
      como quem abrisse e não fechasse uma porta.

      Jorge Humberto

Posted in poesia | Leave a Comment »

CALMARIA

Posted by amizadepoesia em Abril 3, 2008

 Vem chegando a calmaria!

      Dias difíceis se passaram…

      Hoje sinto a esperança.

      Dominante, ela avança.

      Dia após dia….

      Com a certeza da vitória!

      Cada um tem sua história

      E que nunca seja inglória!

      

      Seremos fortes, fiéis

      Viver uma vida sadia…

      Possa ela,ter mais dias!

      Para nossa total alegria.

      E a Vida assim, sorria!

      Nanci Laurino

Posted in poesia | Leave a Comment »

EM TUAS MÃOS

Posted by amizadepoesia em Abril 3, 2008

Naveg’ o barco de meu sentimento,
      nas palmas de tuas mãos molhadas.
      Vai a nau.. pelos ventos açoitada,
      viajando em sonhos, na madrugada,
      buscando estrelas, no teu firmamento.

      Sobem as vagas, já encapeladas,
      resiste minha nau no mar do tempo,
      ( no altar do amor queimo incensos),
      endireito as velas ao barlavento,
      busco teu porto. minha doce amada.

Jorge Linhaça

Posted in poesia | Leave a Comment »

Pontes Partidas

Posted by amizadepoesia em Abril 3, 2008

Na entrada desta ponte
      ficamos os dois a pensar…
      atravessar o horizonte,
      ou deixar o tempo passar?
      Eu me calo, não respondes,
      perdidos no nosso olhar…
      O sol, logo se esconde,
      pássaros no céu a voar.

      Ah! Nobre ponte querida,
      servida de nossos passos..
      Dos passos de nossa vida,
      extirpa todo o cansaço.

      “Dá-me a mão, vem comigo…
      atravessemos, agora!
      Deixa-me ser teu abrigo,
      abraça-me, ó senhora,
      enfrentemos os perigos,
      busquemos nossa vitória.
      Cantem anjos, em seus hinos,
      ao nosso amor toda a glória.”

      Ah! Nobre ponte querida,
      servida de nossos passos..
      Dos passos de nossa vida,
      extirpa todo o cansaço.

      – Quisera eu, dar-te as mãos,
      seguir nessa travessia,
      render-me a esta paixão,
      Ah, meu bem, como eu queria!
      Obedecer ao coração,
      acreditar nessa magia,
      mas vem a voz da razão,
      e me deixa em agonia…

      Ah! Nobre ponte querida,
      servida de nossos passos..
      Dos passos de nossa vida,
      extirpa todo o cansaço.

      “Enfrentemos nossos medos,
      andemos juntos , avante,
      aprendamos os segredos,
      seja, o amor, triunfante.”

      – Ó, amado, da-me um beijo,
      vou contigo doravante…
      paixão, amor e desejo,
      vivendo a cada instante.
      
      Ah! Nobre ponte querida,
      servida de nossos passos..
      Dos passos de nossa vida,
      extirpa todo o cansaço.

  Jorge Linhaça

Posted in poesia | Leave a Comment »

Uma postura elegante

Posted by amizadepoesia em Abril 3, 2008

Implorar, jamais! Tampouco mendigar
o amor de quem quer que seja.
Amizade e amor não se pedem.
Conquistam-se.
Mendigar afetos depõe contra seu
amor-próprio; depõe contra sua
auto-estima. Assuma sempre uma
postura elegante, sóbria, diante de
situações complicadas de afetividade
ou de qualquer outra natureza.
Uma postura diferente!
A vida, por ser vida, prega de vez em
quando algumas de suas peças,
aplicando surpresas e armadilhas…
Se você, por exemplo, apaixonar-se
por alguém, pode declarar-se ou não!
Se quiser abrir o coração sobre seus
sentimentos, tudo bem! Mas, não
mendigue, não se arraste, se os
sentimentos da outra pessoa não
são os mesmos que os seus.
Você é grande. E seu coração,
maior ainda. Capaz de amar, sem
esperar nada em troca.
Vicente Carvalho

Posted in poesia | 2 Comments »

Acendedor de desejos

Posted by amizadepoesia em Abril 3, 2008

Quando percorres meu corpo
      com as tuas mãos sedosas e quentes
      é como se mil toques maviosos
      de uma canção de amor silente
      dedilhassem todos os seus meandros
      e cada pedaçinho percorrido
      aumenta mais o forte desejo
      da entrega total sem pejo.
        
      Quando sugas o mel que te ofereço
      flutuo no éter descompensada
      pelo desejo de te dar prazer
      ao mesmo tempo em que
      usufruo da delícia que
      somente tu sabes proporcionar.

      Quando invades meu monte de Vênus
      como só um cavaleiro audaz e  viril
      sabe fazer com sua lança dourada
      me sinto arrebatada em plena paixão
      de me sentir possuida totalmente
      pelo teu especial poder de sedução.

      Nesta paisagem em que descansas
      teu olhar e nela transcendes o meu desejar,
      em que a mão no peito esconde a saudade
      do sentir que estarás  para sempre distante,
      apenas me resta o consolo amargo
      de ao me tocar com frênesi
      imaginar-te assim ao meu lado,
      na fantasia e volúpia dos amantes!
      

      Guida Linhares

Posted in poesia | Leave a Comment »

O que se pode falar de um amigo?

Posted by amizadepoesia em Abril 3, 2008

Que é uma pessoa que está sempre presente
      quando se precisa dele; que tem a palavra certa para os momentos incertos; que sabe dar o estímulo necessário para
      que se possa deslanchar em algumas coisas que às vezes parecem meio emperradas. Talvez a sua própria trajetória de vida,
      em que debateu-se entre alegrias e dores, o tenha tornado
      mais fortalecido para os embates e então quando fala algo, a sua propriedade em dizer as coisas é muito mais concreta
      e toca fundo no coração da gente.
      Assim como a alegria embala nossos melhores momentos,
      o sofrimento também apara arestas e fortalece as pessoas,
      que desenvolvem um sentido mais aguçado para o sofrimento alheio
      e são muito solidárias, conquistando pela empatia, que é o colocar-se no lugar do outro.
      Assim nosso amigo detém em si mesmo estas ferramentas
      e as utiliza de maneira ampla, geral e irrestrita a todos os seus amigos e amigas do coração.
      

      Guida Linhares

Posted in poesia | 23 Comments »