amizade e poesia

Alguém que faz você rir…Alguém que faz você acreditar em coisas boas…Alguém que convence você …De que existe uma porta destrancada…Só esperando para que você abra. Esta é a Amizade Para Sempre.

Archive for 4 de Abril, 2008

Enfim

Posted by amizadepoesia em Abril 4, 2008

Enfim
O sol
Traz o dia
Enfim
O sono
Acabou
Enfim
Lembrei
Que sonhei
Enfim
Você
Voltou
ABittar

Posted in poesia | Leave a Comment »

Menina

Posted by amizadepoesia em Abril 4, 2008

Você não vai acreditar
  Mas eu vou contar
  O tempo passa
  E passando
  Um dia essa beleza toda
  Vai acabar
  Calma
  Muita calma nessa hora
  Vai de leve
  Pega leve
  Nada dura
  Para sempre
  E a lei da gravidade
  É cruel
  Não perdoa
  Faz cair
  Murchar
  Secar
  Lei implacável
  Você ri
  Tudo bem
  Tire uma foto agora
  Manda enquadrar
  Pra depois, lembrar.
  Comparar
  Menina
  Você não vai acreditar
  Tudo bem
  Se der
  A gente se vê
  Um dia
  Quem sabe
  Quando
  O tempo passa
  E passando
  A beleza leva
  ABittar

Posted in poesia | Leave a Comment »

VELHA SENHORA

Posted by amizadepoesia em Abril 4, 2008

Com brincos de vírgulas

ela se enfeitava para a página

mas nunca usava o traço-de-união.

 

O pó compacto dos adjetivos

encobria algumas rugas

teimosas em aparecer após

o banho substantivo.

 

Ela não se sabia evanescente

mas apenas tênue silhueta

em espiral nas suas aparições.

 

Aos seus olhos aparecia

mas nunca na visada

de janelas vizinhas.

 

Era como se não existisse.

 

No entanto estava ali olhava-se ali

úmida de orvalho

brilhando ao sol de sua sintaxe.

Este espartilho

apertado

tentando esconder

os excessos da cintura

 

Deu-se então

o sonho

a levitação heautoscópica

a lâmina fragmentada:

caleidoscópio.

 

E se mirou sozinha

concreta

delgada

estrela que se bastava

elevada do leito das palavras:

P O E S I A

 

Anibal Beça

Posted in poesia | Leave a Comment »

Eu Fiz um Poema

Posted by amizadepoesia em Abril 4, 2008

Eu fiz um poema belo

e alto

como um girassol de Van Gogh

como um copo de chope sobre o mármore

de um bar

que um raio de sol atravessa

eu fiz um poema belo como um vitral

claro como um adro…

Agora

Não sei que chuva o escorreu

Suas palavras estão apagadas

Alheias uma à outra como as palavras de um dicionário

Eu sou como um arqueólogo decifrando as cinzas de uma

                                                            cidade morta.

O vulto de um velho arqueólogo curvado sobre a terra…

Em que estrela, amor, o teu riso estará cantando?

 

Mario Quintana

Posted in poesia | Leave a Comment »

Momento de Reflexão

Posted by amizadepoesia em Abril 4, 2008

Muitas vêzes nos questionamos,por que a felicidade não bate à nossa
porta.Nem por que passamos

por momentos de dor e martirios,que ferem nosso

coração, tingem de nuvens pretas a nossa vida.

Mas quantas vezes vivemos

momentos cheios de flores e brisas suaves, e nos esque-

cemos de agradecer à Deus?

Porque quando o seu dia começa com o sol brilhando

no céu azul, ou você consegue

alcançar o que tanto queria,como a compra do carro preferido, a casa dos
seus devaneios, a viagem tão sonhada,estamos tão ocupados em gozarmos nossa
felicidade,que esqecemos de agradecer as bençãos recebidas.

Só sabemos e disso nunca nos esquecemos, de reclamar

de chorar, blasfemar, quando

as coisas para o nosso lado não vão muito bem…

Temos que mudar, fazer mudanças é um caminho dificil, árduo, mas temos que

praticar todos os dias.

Quando compramos algo num supermercado, numa florista, não dizemos obrigado!

Então, por que não agradecermos o simples fato

de estarmos vivos, com saúde,com emprego, em plena vitalidade.

Não sou fanática por religião,

mas não saio de casa sem agradecer a noite conciliadora

de sono, o frescor da juventude que ainda sinto

dentro de mim.

Ouço, os amigos dizerem,

você sempre tem “sorte”,

alcança sempre seus objetivos, tudo é fácil para você…para mim tudo é
dificil, impossível…

Nem respondo, finjo que não escutei,é melhor….

È tão simples o caminho para nos sentirmos felizes,

estarmos sempre em paz com nossa consciência,

respeitarmos os limites,

aceitarmos as pessoas como ela são, sem julga-las,

antes de tudo, aprender-

mos a nos perdoar, a sermos

mais tolerantes, pacientes,

saber ouvir.

Se alguém pedir sua opinião, pense em como você agiria

no lugar dele, depois responda…nunca se intrometa senão for interpelado.

Por exemplo, uma amiga gastou uma fortuna num vestido, que não ficou bem
nela. Você não deve

dizer não gostei, não lhe caiu

bem, afinal o gosto é dela,e devemos aprender respeitar, ao invés de
magoarmos,

sem motivo algum.

Eu sempre ensinei aos meus filhos e hoje ensino aos meus

netinhos, saber ouvir é uma dádiva divina, procurar

ajudar sem atrapalhar é uma graça obtida.

Sorrir ao acordar e ver sua

imagem refletida no espelho, é o grande momento que você tem para render
graças por mais um dia,

agradecer ao colocar os sapatos para ir trabalhar, mesmo que eles estejam
precisando de uma boa meia sola, lembre-se você tem seu emprego, e quem luta
e nada consegue?

Somos especiais,agradeçamos pois por sermos especiais e

pratique a espiritualidade que existe dentro de você.

Nunca exite em procurar ajuda, a humildade é um dos principios básicos, para
a realização de sua felicidade.

 

Tenham um dia alegre,sinta o perfume das rosas que meu coração, enviou ao
seu, e sinta o abraço espiritual que

estou lhe enviando, junto

as minhas melhores e harmoniosas energias positivas, que estão sempre dentro
de mim, porque

EU SOU MUITO FELIZ!!!!

Eu sinto a paz  desse momento e deixo-a com você,porque eu lhe amo!

 
Arneyde T. Marcheschi

Posted in poesia | 3 Comments »

Sobrevivendo à Razão

Posted by amizadepoesia em Abril 4, 2008

Não me procure na ilusão.
      Sou pó, sou vida, sou razão,
      certa que meu amor
      não morrerá;
      ele renasce a todo instante,
      e se multiplica antes de evaporar no ar,
       como a fumaça desaparece,
      mas não esquece a brasa viva,
      que continua a queimar
      o certo e o errado,
      que eu faço e refaço,
      sem ter medo de amar.
     
                   
Schyrlei Pinheiro

Posted in poesia | Leave a Comment »

ABRE OS PORTÕES DO TEU JARDIM

Posted by amizadepoesia em Abril 4, 2008

Entre muros nos cercamos, fenecem as flores;
      jardins vazios de vida escondem nossas dores;
      o que temos é de libertar, das ervas daninhas,
      e mostrar só o verde vivo das frágeis ervinhas.

      De que me vale, ter jardins, pintados em cores
      vivas, se me escondo por trás de sem sabores.
      Se te acreditas, nas árvores tão sossegadinhas,
      nascerão, como da natureza, muitas folhinhas.

      Então aí poderás abrir os portões do teu jardim
      e mostrar a todos as belezas que ele lá encerra;
      rosas, cravos, crisântemos, jarros e até jasmim.

      Nunca escondas quem és e mostra só o melhor
      que tens dentro de ti, o resto consome a terra;
      E não esqueças que isto é um exercício d´amor.

      Jorge Humberto

Posted in poesia | Leave a Comment »

Chantagista do Amor

Posted by amizadepoesia em Abril 4, 2008

Sim chantagista do amor, é o que ele é!
            Faz chantagem virá a mesa, chora por meu amor
            e sempre ganha o que ele quer!
            Eu sempre boba no amor, como toda mulher…
            Diz adeus,  jura  não mais voltar,
            Me arrenpendo,
            Também choro e que nada… ele ali está!
            Promete não ter ciúme, faz mil queixumes,
            Nem percebo o seu jogo
            Embriagada com seu charme e seu perfume!
            Chantagista do amor, é o que ele é!
            Mais um dia que amanhece, sua cisma
            me condena…  ele desaparece…
            Pinto e bordo , juro dessa vez não voltar!
            Sua voz macia, diz me amar como uma prece…
            Afinal o que ele quer?
            Chantagista do amor, é o que ele é!
            Ah, meu chantagista… moleque dengoso
             e teimoso, aqui estou aos seus pés!
            Já perdida com o seu carinho e o seu beijo…
            Chantagista do amor é o que você é!…

            Mary Trujillo

Posted in poesia | Leave a Comment »

Veneno

Posted by amizadepoesia em Abril 4, 2008

Veneno… Nosso amor é um veneno
      Que furiosamente, nos come por dentro.
      Louco… Desvairado… Perturbado!…
      É a inquieta força de um rebento!
      
      Ansiedade de pernas, bocas, braços…
      Inconseqüência total em nossas veias.
      Prova de fogo… Emoção e mil beijos…
      Que todas as demências desencadeia!
      
      Veneno… Nosso amor é um veneno!
      Loucos! –  Somos dois loucos!…
      Esquecidos de tudo… Do mundo!
      Perdidos entre abraços e arroubos!
      
      Veneno… Nosso amor é um veneno!
      Agridoce, potente, vigoroso, tão quente!…
      Fatal… Letal… Grandioso, fenomenal!
      Sequer nota a morte, e morre contente!
      
      Sim… Querido meu… Amado meu!
      Nosso amor é um veneno gostoso!
      Que arrelia nossos dias, nossas vidas…
      Já viciamos nesse veneno saboroso!
      
      Somos prazerosamente dependentes…
      Sem medo de morrer, sem cuidado.
      Dele… Fartamos-nos noite após noite…
      Completamente embriagados. Viciados!
      Mary Trujillo

Posted in poesia | Leave a Comment »

Libertação

Posted by amizadepoesia em Abril 4, 2008

Esse olhar medroso, fugidio
Agredido com o mundo
Interior sombrio
E corpo roto
Ante a violência crua
Mundos
Pessoas
instituições
Arrepia-se

Sente frio
Diz sim, trêmulo
Querendo dizer não
Abafa seu grito de libertação.

m.s. cardoso xavier

Posted in poesia | Leave a Comment »

SAPIÊNCIA DE JUVENTUDE

Posted by amizadepoesia em Abril 4, 2008

 Há tanta mais verdade numa criança
                  quanta simplicidade, ao Homem traz
                  o seu gesto fortuito destro e incapaz
                  e faça algo aqui chamado esperança

                  Falta ao Homem, servir-se da aliança
                  que, todo o petiz tem e é bem capaz
                  de repartir, co os outros, lhe satisfaz
                  que assim seja, em toda sua pujança

                  E, se uma criança ocupasse estatuto
                  neste mundo certo muitos ensinaria
                  aí comportarem-se, como um grupo

                  Mas se insistem, denegrir um jovem
                  pela tenra idade tal acto de cobardia
                  vos será pago, e não restará Homem

                  Jorge Humberto

Posted in poesia | Leave a Comment »

E F É M E R O

Posted by amizadepoesia em Abril 4, 2008

 Sorriste, um sorriso doce,
                  abriu-se o teu coração,
                  e eu pensei que já fosse,
                  amor, ao invés de paixão.

                  Apagou-se o teu sorriso,
                  primavera fez-se inverno,
                  eu que via o paraíso,
                  hoje peno no inferno.

Jorge Linhaça

Posted in poesia | Leave a Comment »

E F É M E R O

Posted by amizadepoesia em Abril 4, 2008

Passaste a correr
                  foi um instante.
                  Bateu o coração
                  apenas uma vez.

                  Essa paixão eterna
                  tão ardente
                  durou só um momento
                  e em cinzas se desfez.

 Orlando Caetano

Posted in poesia | Leave a Comment »

PAIXÃO & VIDA…

Posted by amizadepoesia em Abril 4, 2008

  Porque me olhas assim?…
      Não vês que estou sufocando?
      Que já não posso mais suportar
      essa carga que a vida me impõe,
      não sou tão forte assim!…
      São muitos os anos
      em que carrego comigo esse fardo;
      uma insatisfação insuportável,
      o querer viver,
      amar com intensidade…
      E não encontro parceria…
      Alguém
      que sinta como eu,
      seja como eu,
      amante do amor,
      tenha a paixão na alma,
      veja a vida em cores fortes,
      os sentimentos como vulcões,
      o compartilhar
      como uma necessidade vital…
      Seja e viva o sonho,
      sem esquecer de ser real!…
      Não me olhes, como se eu fosse
      uma aberração!…
      Sou apenas alguém
      que deseja sentir a vida
      correndo nas veias…
      Sem reservas,
      saborear cada segundo,
      como se fosse o último…
      Porque me olhas assim?…
      Se não podes me entender,
      me deixa morrer…

Carmen Cristal

Posted in poesia | Leave a Comment »

Você tem meu coração…

Posted by amizadepoesia em Abril 4, 2008

Meu amado, encanto das horas
      Me enfeitiças com a tua doçura
      Quando chegas e dizes sem demora
      Amor estou ardendo em só ternura
      E me chamas pra sentar juntinho
      Com mil dengos e afagos me cercas
      Não resistirei mais ao teu carinho.
      Do meu amor espero não te percas.
      É claro querido, que estou feliz!
      Porque me perderia de ti agora?
      Há tanto tempo busco a tua raiz
      teu orvalho, teu ser, tua aurora.
      Agora que afinal nos encontramos,
      você passou a ser o meu Romeu.
      Realizando tudo o que sonhamos
      me resta concluir amado meu:
      – O nosso destino já estava traçado!
      Trazes na mão antigo caduceu,
      de vidas passadas ao meu lado.
      Almas complementares atraídas
      pelo imã dos registros akásicos*
      quando essências foram abstraídas
      de nossos sonhos mais básicos
      De sermos para sempre felizes
      até que nos separe a morte
      Ou talvez nos junte como matrizes
      de um ressurgir que nos comporte.
      Assim nada mais quero da vida…
      cesso aqui por completo a busca!
      Ter em teus braços a doce guarida
      é a sorte minha que nada e ninguém ofusca.
      Com teu olhar deveras envolvente,
      despertaste a adormecida paixão
      Fazendo vibrar a chama ardente,
      uma vez que tens o meu coração.

Guida Linhares

Posted in poesia | Leave a Comment »