amizade e poesia

Alguém que faz você rir…Alguém que faz você acreditar em coisas boas…Alguém que convence você …De que existe uma porta destrancada…Só esperando para que você abra. Esta é a Amizade Para Sempre.

Archive for 11 de Abril, 2008

VOCÊ SIMPLESMENTE!!

Posted by amizadepoesia em Abril 11, 2008

Você simplesmente é
A razão do meu viver
E a razão do meu sofrer.
És a minha dor
E o meu grande amor.
 
Não sei se me fazes sonhar
Ou se me fazes despertar.
Sei apenas que és o meu sorriso
Que deixas meu coração de sobreaviso.
Coitado! Está cansado de se magoar.
 
Sei que és meu sol,
Minha lua iluminada!
És minha estrela preferida
Que anda bastante sumida,
Por isso, estou me sentindo perdida.
 
Já não sei se és a minha verdade.
Sei que sinto muitas saudades
Vivo querendo você ao meu lado
Cobrindo-me com os seus carinhos .
 
Você simplesmente é
A minha vida e o meu tudo.
És a causa da minha dor
E dono do meu amor.
 
Sei que és a luz dos meus olhos
És o dono do meu coração
Por você perdi a noção
E toda a minha razão. 
 
 
 Catarina

Posted in poesia | Leave a Comment »

Botão de Amor

Posted by amizadepoesia em Abril 11, 2008

Pétalas cerradas em botão

Assim é como te vejo

mostrando a forte razão

de tudo o quanto desejo.

Nas falas prolongadas

de sussuros em devaneios

no sabor das madrugadas

aumentastes meus anseios.

Embora estejas distantes

sinto voce muito perto

na ansiada hora do amante

no quarto ainda deserto.

Mas há de chegar a hora

em que se abrirá o botão

Que não haja mais demora

 e a espera não tenha sido em vão.

Pelas pétalas entreabertas

na doçura de um longo beijo

Tu aos poucos me despertas

me deixando louca de desejo.

E no abraço firme e forte

sinto todo teu corpo vibrar

Nada há que mais conforte

que o prazer de contigo estar.

E todas as pétalas abertas

sinalizam um mar de paixão

que invadem o corpo incertas

de quanto durará a união.

Não importa se forem poucas

ou ainda tantas noites afora

Temos muitas idéias loucas

a desvelar no sabor das horas.

E até que murche a rosa

e tudo então se desvaneça

que a boca fique cheirosa

e da flor nunca se esqueça.

Guida Linhares

Posted in poesia | Leave a Comment »

Amor Secreto

Posted by amizadepoesia em Abril 11, 2008

O que é um amor secreto?… Proibido?
      Quem o proíbi? – Quem consegue evitar?
      Quanto mais proibido, mais lindo, intenso!
      Proíbam, vigiem; ele irá mais louco ficar!

      Há uma beleza no amor secreto,
      Que é pura insanidade, taquicardia!
      São mil sinos badalando. Entoando
      Promessas… Tantas juras vadias!
      
      Amor secreto é o canto de mil Arcanjos,
      De muitas fadas e muitos diabinhos…
      Unidos na dose certa dos desvarios.
      Dos doces e tão dementes carinhos!
      
      Quanto mais proibido e secreto…
      Mais ele voa, mais cresce, se agiganta!
      É aquele arrepio mavioso que se sente.
      É o coração chegando à garganta!
      
      Amor secreto é o amor verdadeiro,
      Que, por um azar, chegou atrasado.
      Mas com perfeito encaixe de corpo
      E alma. Na justa medida do pecado!
      
      Amor secreto… É um fogo infernal.
      É cruzar o horizonte… O paraíso!
      Critiquem… Julguem… Condenem…
      E ele seguirá radiante e sem juízo!…
      
      Vivendo do amor, toda a beleza e força!
      Contando a mais bela história do mundo,
      Causando uma inveja indisfarçável…
      Aos covardes… Mas seguirá fecundo!
      
      Porque o amor secreto… Faz-nos
      Sentir vivos, amados como nunca!
      Amor que vive tão-somente de amor.
      Da emoção e da alegria que abunda!
      
      Amor secreto é a voz que sussurra,
      Amo… Amo… Amo sim, e daí?
      Amor secreto é a ânsia de chegar…
      É gritar: – Amor cheguei, estou aqui!
      
      Amo… Amo… Amo sim, e daí?
      Mary Trujillo

Posted in poesia | 1 Comment »

“Amar”

Posted by amizadepoesia em Abril 11, 2008

Amar é transitar a noite entre a solidão
e a fome  !!!
Amar é perder o medo de ir
mais longe  !!!
Amar é mentir verdades para que o
segredo fique aceso  !!!
Amar é render-se ao aroma que um ilícito
desejo permite !!!
Amar é fazer autópsia das coisas que partiram !!!
Amar é policiar luares , esquecer a morte !!!
Amar é conhecer-me !!!
Amar é deixar nú o coração na indissolúvel
profundeza da alma  !!!
Amar é ser mar no amálgama de ondas
difusas e contidas !!!
O que é amar, senão nutrir a vida ? 

Posted in poesia | Leave a Comment »

NOSSO BEM-QUERER

Posted by amizadepoesia em Abril 11, 2008

Amor sem fronteiras tem toda a riqueza
      consigo nem a distância se pode aí valer
      pois que, ele, bate no coração, a certeza
      de duas pessoas unidas plo bem-querer.

      E inda que, a sensação de uma incerteza
      se sobreponha, vezes, ao vago verbo ter
      mais não é que uma indelicada destreza
      do tempo fortuito, que, tudo julga saber.

      Pois o nosso amor é bem real e está vivo
      contando a história bonita, de fidelidade
      que, levamos connosco, nosso ser cativo.

      E assim será, para o resto de nossos dias
      tu e eu, amando-nos em toda a verdade
      com carinho perpétuo, e muitas alegrias.

      Jorge Humberto

Posted in poesia | Leave a Comment »

MÃE ÁFRICA

Posted by amizadepoesia em Abril 11, 2008

É inadmissível o que se passa com os povos
                  de África, morrem por inanição, que, é filha
                  do descuido, Ocidental, são velhos, e novos
                  sem apoio nenhum, caídos aqui ali na trilha

                  vergonhosa. Tudo, pela ganância da riqueza
                  que o petróleo, as pedras preciosas, cuidam
                  de transformar as pessoas na sua pior vileza
                  e que maltratar os indígenas não descuidam

                  Há falta de comida, de remédios, mendigam
                  a quem passa, um pouco de dó e de piedade
                  ao qual, os turistas incautos, apenas cativam

                  o sorriso que a fotografia irá registar sempre
                  como algo, bem colorido, montra de vaidade
                  que nasce, num país, onde não viça semente
                  
                  Jorge Humberto

Posted in poesia | Leave a Comment »

O BONDE DA SAUDADE

Posted by amizadepoesia em Abril 11, 2008

Enquanto a chuva contrai minha alma,
      voam os pensamentos para algures,
      minhas mãos estendidas, frias palmas,
      à espera que, um dia, tu as cures.

      O bonde da saudade faz parada,
      bem defronte desta minha janela,
      tarde cinzenta, turvando a estrada,
      as luzes da rua, fracas, amarelas.

      Embarco, solitário, neste bonde,
      não há condutor, nem há bilheteiro,
      o ponto final é onde s’esconde

      o sol em seu mergulho derradeiro,
      onde as águas de um rio me respondem,
      que o amor é eterno luzeiro.
  Jorge Linhaça

Posted in poesia | Leave a Comment »

TU, EM MEUS BRAÇOS

Posted by amizadepoesia em Abril 11, 2008

Em meus braços descansas, exaurida,
      num estado de semi-consciência,
      unidos por divina providência,
      dois náufragos lutando pela vida.

      Na transparência desse teu vestido,
      revela-se o corpo enxarcado,
      teu lindo corpo, meu doce pecado,
      tantos dias e noites pretendido.

      Nesta praia, distantes das infâmias,
      da hipócrita moral, tão burguesa,
      expurgamos da mente a vil sizânia

      Renascemos no amor em pureza,
      a paixão, nossa nave capitânia,
      salva-nos desse mar de incertezas. 

Jorge Linhaça

Posted in poesia | Leave a Comment »

Quando o amor te encontrar

Posted by amizadepoesia em Abril 11, 2008

Voce passa o tempo sonhando encontrar
o amor da sua vida
e um dia voce vê, voce sente…
num toque, num contato ou num olhar

Que ali está o amor que voce sempre esteve a esperar
seu coração logo reconhece a palpitar
com alegria que ali está quem voce  vai amar
O amor que voce passou a vida a sonhar

Algo eletrizante que te faz arrepiar
sente o perfurme envolvente no ar
que emana daquela pele desejada
de quem voce não consegue o olhar desviar

O dia em sua vida que o amor vai te alvejar
toda espera, toda fantasia, tudo que estava a sonhar
ali, pertinho de voce, do sonho a realizar
as flechas de cupido no seu coração vão cravar

Da forte atração…
da louca paixão…
da doce sensação, da emoção…
do amor no fundo do seu coração…

Joe’A

Posted in poesia | Leave a Comment »

Aquilo que me falta

Posted by amizadepoesia em Abril 11, 2008

Na verdade, não sinto falta das formas da minha juventude,
nem do brilho que meus olhos possuíam …
Sequer reclamo dos fios prateados que tentam pintar meus cabelos
ou das marcas que o tempo desenhou nos traços do meu rosto …
Talvez eu busque um amanhecer mais azul do que o habitual,
uma fatia de lua cintilante, especial,
um sopro de brisa que embale os pequenos cachos de flores coloridas,
um bando de pássaros voando em direção às encostas floridas,
uma canção que faça meu coração bater descompassado,
uma emoção que mantenha meu sonho acordado,
uma inesgotável vontade de fazer acontecer …
Não …,
não é a juventude o que me falta agora !

É qualquer coisa de meu, que, em algum ponto do caminho,
eu deixei fugir do coração, e ir embora … .

**Mellíss**

Posted in poesia | Leave a Comment »

Sinto Tua Falta…

Posted by amizadepoesia em Abril 11, 2008

Sinto tua falta..
perto de mim muito terno,
com palavras meigas e doces
a dizer “amor vem cá” bem juntinho de mim.
Vamos esquecer o mundo. Ficar a sós, até que enfim!

Perto de ti…
me sentia leve igual borboleta dourada
perfumada igual a uma rubra rosa
risonha e sapeca igual à criança
que brincava feliz da vida,
em seu lúdico mundo.
Em tua doce guarida,
coloquei toda a minha vida.

Eras todo ternura, atenção e cuidados.
 O teu abraço muito festivo e protetor
sempre me envolvia soberano.
As batidas do teu coração
fortes e compassadas,
afagavam meu ser
em todas as horas.
Pura emoção!
.

Na saudade
que me invade,
a lembrança dos teus abraços.
 Intermináveis beijos doces e quentes.
Dos nossos volteios em sensual dança
de corpos plenos  de desejos
 prementes.

Sei que jamais,
em tempo algum voltarás atrás.
Nem que sofras amargurado na alma,
o frio invernal. Sei também que
nossos melhores momentos jamais
retornarão.

Nosso Amor
morreu afogado
num forte temporal.
Ventos sacudiram as paredes
do castelo dos contos de fadas.
Desfalecida a sua princesa,
pela partida do homem amado.
Nem o mais belo dos arco-íris
despontando no horizonte,
ressuscitará este Amor!  

Posted in poesia | 1 Comment »

Soneto Amoroso

Posted by amizadepoesia em Abril 11, 2008

Um coração pleno de ternura
      há de te levar a gozosos delírios.
      Alguém que te pegue pela cintura
      e te leve a voar em campos de lírios.

      Em seu olhar encontrarás o mundo
      em instantes carregados de ventura.
      Na sua doce voz a melodia de fundo
      te soará como a mais linda partitura.

      Inteiramente fascinado pelo sentimento,
      ele verá através dos teus olhos sinceros,
      a materialização de um sonho amoroso.

      E tu, encantada com devaneios singelos,
      encontrarás nele o companheiro caprichoso
      a te fazer sentir em soneto, todos os anelos.

Guida Linhares

Posted in poesia | Leave a Comment »

Triste Acalanto

Posted by amizadepoesia em Abril 11, 2008

As luzes do apartamento se apagam.
Chega a solitária hora de dormir.
Quatro travesseiros logo afagam,
um corpo em desespero de sentir…

sentir que as horas da madrugada
escoar-se-ão pelas paredes do quarto.
Consigo mesma, na alcova enluarada,
a insone mulher, em trabalho de parto…

parto dos vínculos que restaram,
das dores que a alma entreteceu.
De todos os sonhos só ficaram,
saudades que a vida empalideceu.

Mudos travesseiros circundam
um território vazio e angustiado.
Desejos descontrolados inundam,
um coração que palpita amargurado.

Na mente, um filme da memória passa.
Cenas de uma série de circunstâncias.
Tantos sonhos que sofreram a devassa
das ilusões em suas últimas instâncias. 

Chora então as lágrimas do desconsolo,
mordendo a ponta de um travesseiro.
O esquecer desejado, doce consolo,
já tarda muito a chegar em seu celeiro.

Desde cedo recorreu à melhor esperança.
De um novo querer a chegar de imediato,
em seu real cotidiano, trazendo a bonança.
Porém é difícil encontrar um amor de fato.

A mulher cansada de tamanha estiagem,
eleva à Deus uma prece de coração.
Que ilumine os caminhos desta viagem,
trazendo o doce bálsamo da consolação. 
Guida Linhares

Posted in poesia | Leave a Comment »

O que seria?

Posted by amizadepoesia em Abril 11, 2008

O que seria da minha alegria,
              Que nunca deixa a  vida ser sombria,
              Se eu não conhecesse a insana dor,
              Que rasga a minha alma em mil pedaços,
              E risca o coração com tantos traços,
              Quando por entre os dedos, foge o amor?
              
              O que seria desse meu sorriso,
              Feliz por tê-lo, pois tanto preciso,
              Se os olhos estranhassem a noção
              Do pranto que houve a inundar o rosto,
              Num misto de angústia e de desgosto,
              Quase sempre a brotar da ingratidão?
              
              O que seria desse amor que sinto,
              Que me inebria tal qual o absinto,
              Se o medo profanasse-me a coragem,
              Não me deixasse lembrar outra data,
              Onde a minh’alma seguia calada,
              Na viela que a levava à voragem?
              
              O que seria da felicidade,
              Se nunca houvesse em minha realidade,
              Momento tal qual esse, de tristeza,
              Onde o coração remói a solidão,
              E a alma sente, prostrada, a rejeição,
              Sem resquício sequer de sutileza?
              
              O que seria do sol, que hoje brilha,
              Se no mundo não houvesse essa partilha,
              De claridade e trevas, a saber:
              – Entre a alvorada e a escuridão –
               Onde ao luar, só resta a solução,
              Dormir no colo do dia a nascer?
              
              O que seria de tanta alquimia,
              Que o mundo usa em mim, à revelia,
              E me faz ver o que nunca acontece…
              Tamanha ternura que unge meus dias,
              Filosofando a Pedra e suas magias,
              Mera ilusão de óptica e de prece?
              
              O que seria de mim, sem tal falha,
              Que dói tanto como corte à navalha
              E que eu não me canso de cometer?
              O que seria de mim, sem amar…
              Sem jamais sofrer, por não ousar sonhar?
              Confesso: – Melhor seria morrer!
              
Tere Penhabe

Posted in poesia | Leave a Comment »

UM OUTRO MUNDO É POSSÍVEL

Posted by amizadepoesia em Abril 11, 2008

Sem guerras ou arbitrariedades,
        sem fome ou desigualdades,
        sem analfabetos de qualquer idade,
        sem ignorâncias ou covardia…

        Um outro mundo é possível;
        quando ricos deixam suas iguarias
        e dividem seu dinheiro, sua comida,
        evitando a morte de milhões…

        Sim, um outro mundo,
        que não se guie pela lógica dos patrões:
         ‘-  os povos do oriente são terroristas,’ dizem às multidões!
        E cometem outros holocaustos como na Palestina,

        no Afeganistão, no Iraque…
        Um mundo decente é aquele que gera empregos
        que evita o sangue
        e a violência urbana mais que surreal!

        Um planeta bem melhor,
        é onde Deus realmente é o bem que se expande,
        e a Estrela Dominante,
        reina nos corações e mentes, evitando a mal.

        Um outro mundo é possível,
        quando cada um faz a sua parte:
        estuda, pesquisa, não se deixa manipular
        pela imprensa ou politicalha…

        Chego a pensar: os animais são seres evoluídos
        e os humanos não!
        Pois eles são amigos, só matam para comer
        e amam os filhos paridos,

        quando há humanos que matam seus filhos,
         espancam como se educar fosse ser mau…
        …confundem rigor, exemplos,
        com a invasão dos templos de Deus…

        Um outro mundo será possível
        quando nos conectarmos com o Criador,
        quando a cordialidade, a paciência e a tolerância
        forem as armas do amor!

Margaret Pelicano

Posted in poesia | 1 Comment »