amizade e poesia

Alguém que faz você rir…Alguém que faz você acreditar em coisas boas…Alguém que convence você …De que existe uma porta destrancada…Só esperando para que você abra. Esta é a Amizade Para Sempre.

Archive for 17 de Abril, 2008

DOCE MORANGO

Posted by amizadepoesia em Abril 17, 2008

Vinha cansada da vida,
      de tudo quanto me rodeava.
      Queria me esconder em algum canto,
      não ver mais nada nem sonhar.
      Chegaste como quem nada quer,
      e trazias um doce morango
      que recebi com um prazer
      indescritível.
      E foram dias e dias
      de intensa prosa e alegria.
      Parecia que um túnel
      havia se aberto e a luz
      penetrava toda a atmosfera
      desenrolando sonhares
      ativando a imaginação
      e mil sensações
      percorriam o nosso coração.
      Foram tempos curtos,
      porém memoráveis!
      Mas de repente,
      nos desentendemos…
      e depois de novo..
      e mais uma vez!
      Agora estamos
      no mais completo silêncio.
      Não haverão mais passos,
      a serem dados
      um na direção do outro.
      Vou indo
      cansada da vida
      de tudo quanto me rodeia.
      Quero me esconder em algum canto
      não ver mais nada nem sonhar,
      com doces morangos
      enfeitiçando 
      alma
      corpo
      coração!
Guida Linhares

Posted in poesia | Leave a Comment »

JURA DE FLOR

Posted by amizadepoesia em Abril 17, 2008

De repente chegaste tão bela
a enfeitar o meu cantinho.
Trazias a cor amarela
no centro e nos miolinhos.

Tuas pétalas tão branquinhas
eram quase transparentes.
Tinhas a elegância das rainhas,
em seu reino sempre contentes.

Atravessastes o meu caminho,
convidando-me à contemplação.
Juraste amizade e carinho,
mas depois retiraste a mão.

Fiquei assim tão desolada,
com lágrimas a escorrer pela face.
Nem sei como foi a derrocada,
que veio premente em ruim desenlace.

Agora passo meus dias a ouvir
Boccelli cantar o JURAME!
Penso que mudaste o teu sentir,
e jamais ouvirei de você: AMA-ME.

Guida Linhares

Posted in poesia | Leave a Comment »

O AMOR

Posted by amizadepoesia em Abril 17, 2008

E quando ele chega
      cessa tudo quanto se busca
      E quando ele abre suas asas
      que o silêncio se faça
      E quando despertares
      agradeça a Deus numa prece
      Este sagrado relicário
      do Amor a te bafejar
      E quando os raios do sol
      aquecerem a tua alma
      E o vento sussurrar
      em teus sedentos ouvidos
      Te amo, te amo, te amo!
      Que sejam como a doce sinfonia
      a ecoar nos quatro cantos,
      loas ao bem maior,
      O Amor que chegou,
      mansamente, docemente
      em teu coração  já cansado
      de tanto esperar!

Guida Linhares

Posted in poesia | Leave a Comment »

FEL N’ALMA

Posted by amizadepoesia em Abril 17, 2008

   O corpo e a alma
                  Entre o amor e o ódio
                  Em absoluta reticência…
                  Vagueiam os pensamentos
                  Sem conformismo do momento.
                  
                  Coração serve-se da teimosia
                  Entrega-se à cegueira
                  do amor que dominante
                  dilacera, queima, maltrata.
                  Corpo inerte, caminha apenas,
                  Alma vazia…
                  Derrotado é o amor…
                  Corpo sem alma,
                  como fel amarga…
                  Na fronteira… amor e ódio
                  Se misturam… nada acalenta
                  Nada acalma.
                  Fel n’alma

NANCI LAURINO

Posted in poesia | Leave a Comment »

Brisa que passa

Posted by amizadepoesia em Abril 17, 2008

 A brisa suave que passa
        embala os ramos
        alinha a folhagem
        pentia a relva
        arrepia as aguas do lago
        faz marolas nas ondas do mar
        brinca com os graos de areia
        refresca o calor do sol
        ou acaricia o manto da lua
        balança as palhas dos coqueiros
        assobra nos telhados dos sobrados
        afaga os cabelos das meninas
        brinca com seus vestidos rendados
        leva o perfume das flores
        leva o polen e as sementes
        para germinar em outro lugar
        suaviza o voos das aves
        espalha Paz e Tranquilidade no ar
        beija a face sofrida
        suaviza a felicidade
        areja a tranquilidade
        a brisa que passa
        que traz uma canção de longe
        que perfuma as lembranças
        enche o coração de esperanças
        A brisa que é uma doce criança
        que macia  na sua face passa
        que sua alma acalma
        que no coração o Amor repassa.

        Joe’A

Posted in poesia | Leave a Comment »

Homem das mesmas noites

Posted by amizadepoesia em Abril 17, 2008

Meu caminho é minha sombra,
            nunca a encontrarei antes do pôr-do-sol,
            não sou filho da noite, pergunto, imploro,
            tentei inúmeras vezes me libertar,
            nem ao menos um som como resposta.

            

            

            Esqueci o que quisera me dizer,
            se foi amor, não sei…
            estou insano, minha paixão dói,
            penso nos pés cansados da procura;
            desanimado, volto da metade do caminho.

            

            

            Meus sonhos se misturam ao sangue e neve,
            meu corpo desperta gelado por dentro,
            falta-me a mão aquecida do destino,
            os olhos que me fazem enxergar o futuro,
            a pele quente cobrindo meu corpo.

            

            

            Estou completamente nu,
            meus sonhos sem cores, absolutamente nada,
            as vontades foram esfarrapadas pelo tempo,
            alguns estranhos pensamentos me invadem a alma,
            observo o mundo e me esqueço no meio.

            

            

            Tenho muros ao redor de meu corpo,
            minhas pernas me carregam por corredores vazios,
            nenhuma estrela se atreve a penetrar sua luz,
            poderia dizer, até gritar meus sentimentos,
            aguardo uma esperança, como fazem os amantes.

            

            

            Posso ainda creditar amor aos meus desejos.
            Libertá-los da inércia? Não saberia como,
            se não podem mostrar amor, não existem,
            tento em vão compreender este certo gostar,
            tento então suavizar os gestos das minhas sombras.

            

            

            Sua vida, como cores, muda de tempos em tempos,
            os sonhos são como névoa à espera da umidade,
            nos olhos um porcelanizado, parecendo estrelas nuas,
            reflete nos cabelos uma flor brilhante que deixa perfume,
            talvez agora entenda um pouco, não é uma mulher comum.

            

            

            Liberte-me da solidão bruta e estúpida,
            um dia um sorriso na boca e ela vai me ouvir,
            não tentarei lhe dizer dos desejos que não compreendo,
            deixo-a livre para ir e vir, quando quiser, assim como sou,
            até que minha insanidade volte, lembro você aqui.

            

            Voltarei mais uma noite, sem sombras, sem passados,
            deixarei meus olhos fechados para a escuridão,
            minha alma lhe entregarei em uma bandeja simbólica,
            olhe pelo meu destino, ainda sou o mesmo amante,
            o homem das mesmas noites, o amor da mesma cama.

            
Caio Lucas

Posted in poesia | 1 Comment »

LUTANDO

Posted by amizadepoesia em Abril 17, 2008

Em seu leito de dor

                  Passa dias, horas

                  A implorar ao Criador…

                  Que lhe seja dada Vida.

                  Vida sem dor!

                  

                  E nessa luta, força, clama

                  Não desiste, nada reclama,

                  Apenas pede mais dias

                  Aqui na Terra, onde espia

                  Momentos de amargor.

                  

                  Suas entranhas percorrem

                  Minando toda a sorte

                  Lutando contra a Morte…

                  Confia!

                  Amigos vibram,

                  Imploram Cura.

                  Não deixe de lutar…

                  Não desista da vida.

                  Insista!

                  

                  Piedade Pai

                  Piedade.

                   

                  Nanci Laurino

Posted in poesia | Leave a Comment »

UM AMOR QUE CHEGOU PARA FICAR

Posted by amizadepoesia em Abril 17, 2008

Quando você, minha amada, chegou
                  a minha vida mudou…
                  E tudo quanto eu busquei, numa mulher,
                  em você encontrei!
                  E os nossos corpos e as nossas almas,
                  ao se encontrarem,
                  diante de tão mágica paixão
                  e deste sublime amor,
                   gritaram, em silencio,
                  aos quatro ventos
                  nós nos amamos…
                  E com o nosso grito do silencio
                  despertaram os Deuses do Olimpo
                  que, logo, souberam se manifestar…
                  Através dos raios de sol
                  que surgiram para aquecer
                   os nossos corpos e as nossas almas…
                  E de um vento, irresistível,
                   que arrastou todos os prazeres
                  para que nós não deixassemos nenhum
                   sem sentir nem experimentar…
                  E de lá, no céu onde todos moram,
                  ouviu-se uma voz que,
                  como uma doce sinfonia,
                  ecoava por toda a Terra…
                  Eles se amam!
                  Eles se amam!
                  Pois, até eles, cansados de esperar,
                   viram que o amor,
                   para nós, finalmente, tinha chegado!
                  E chegado para ficar!

ROBERTO ROMANELLI MAIA

Posted in poesia | Leave a Comment »

O AMOR

Posted by amizadepoesia em Abril 17, 2008

 E quando ele chega
      cessa tudo quanto se busca
      E quando ele abre suas asas
      que o silêncio se faça
      E quando despertares
      agradeça a Deus numa prece
      Este sagrado relicário
      do Amor a te bafejar
      E quando os raios do sol
      aquecerem a tua alma
      E o vento sussurrar
      em teus sedentos ouvidos
      Te amo, te amo, te amo!
      Que sejam como a doce sinfonia
      a ecoar nos quatro cantos,
      loas ao bem maior,
      O Amor que chegou,
      mansamente, docemente
      em teu coração  já cansado
      de tanto esperar!

Guida Linhares

Posted in poesia | Leave a Comment »

VERÃO BEM-VINDO

Posted by amizadepoesia em Abril 17, 2008

Nos banhamos nas águas do amor
depois do longo beijo a selar o sonho
testemunhado por conchas e estrelas do mar,
que se aqueciam sob o sol, em seu esplendor .

Naquele bem-vindo verão ardente.
juntinhos, sentados na areia fofa
foi tanto riso e palavras encantadoras,
que impossível esquecer tudo de repente.

Tuas mãos enlaçavam-me docemente.
E a tua boca, de carnudos lábios foi o convite
para a revelação de um mágico momento.
Em teu olhar, a promessa de uma estrela cadente.

Mas as estações se sucedem e termina o verão.
As folhas secas de outono tingem o chão e a alma.
Sentimentos se desencontram, esvaziam-se do encanto
e o frio invernal sepulta sob a neve, mais uma paixão.

Guida Linhares

Posted in poesia | Leave a Comment »

ELEGIA AMOROSA

Posted by amizadepoesia em Abril 17, 2008

 Emerjo das profundezas do mar
      para declarar meu amor por ti.
      Simplesmente cansei de esperar.
      Seja o que Deus quiser, refleti!

      Contudo a recíproca não espero.
      Acho que gostas de ser solitário.
      Apenas te amar é o que mais quero.
      Mas não me prendas no teu aquário.

      Dizer “EU TE AMO” preso no peito.
      Ver teus olhos sorrirem de alegria.
      Porém na vida nem tudo é perfeito,
      guardarás contigo a doce elegia ** .

      Desvelada declaração de Amor,
      por todos os planetas do universo.
      Saturno e Marte brindarão com ardor
      a plenitude do singelo verso.

      Poema de plena amorosidade.
      Um só coração em mentes distantes.
      Chegamos à porta da Felicidade.
      Nela seremos eternos Amantes.

      Deixa que eu te ame simplesmente,
      sem pensar na continuidade.
      Assim o coração ficará contente,
      vivendo ondas de felicidade.

Guida Linhares

Posted in poesia | Leave a Comment »

MEU UNIVERSO ÉS TU

Posted by amizadepoesia em Abril 17, 2008

Se no firmamento da alma me busco,
só me encontro, encontrando-te ali..
Se as estrelas brilham em lusco fusco,
piscam, elas,  de ciúmes de ti.

Viajando, errante, pelo éter,
só em ti tenho um porto seguro.
Entraste em minhas veias qual catéter,
sem ti , meu universo é escuro.

No tanger das cordas do violino,
corro o espaço, cantando meus versos,
na cauda de um cometa purpurino.

Junto os sentimentos polidispersos,
com a certeza com que eu assino.
És tu, sómente tu, meu universo.

Jorge linhaça

Posted in poesia | Leave a Comment »

MENINO TRAQUINAS

Posted by amizadepoesia em Abril 17, 2008

Sou um menino traquinas, digo o que penso
      às vezes sem nem me aperceber que injusto
      possa estar a ser co alguém pois sou intenso
      sem no entanto ter maldade; e, sei ser justo

      na devida medida que aí percebo e repenso
      o gesto tido. E, é aí, que entendo sem custo
      que agi mui mal principalmente se pertenço
      à vida dessa pessoa,provocando-lhe o susto

      Resquícios de rua, que sei, só o mal passado
      no passado, que não vivi, me poderá clarear
      as ideias e sentidos, pra fugir, de seu legado

      Então devo aprender, a ser sempre humilde
      e,  plos fantasmas de outrora não me deixar
      levar, pois tenho um amor que em mim vive

      Jorge Humberto

Posted in poesia | Leave a Comment »

SOBREVIVER PARA AMAR

Posted by amizadepoesia em Abril 17, 2008

Amar e ser amado faz parte de todos nós
como qualquer coisa, que, é bem natural
pois amar ser amado é não estarmos sós
e, falarmos, quando o fazemos, no plural

E toda a minha vida, sempre feita de nós
apenas me propôs aí o possível eventual
de vir a acontecer; e, pego a vida, plo cós
nem assim, me mostrou o ser-se triunfal

Contudo eu sobrevivi, para sempre amar
e ser amado; e tenho hoje quem comigo
está, para pela vida fora, eu me recordar

que, valeu a pena lutar, sofrer para viver
este amor tão lindo; e, não mais sozinho
caminhos árduos e fugazes hei percorrer

Jorge Humberto

Posted in poesia | Leave a Comment »

AMOR DE HOMEM

Posted by amizadepoesia em Abril 17, 2008

Amor de homem
que alucina
fascina
ilumina
quer

E delicia
acarinha
seduz
Ousado
vem

Homem
que projeta assim
a sombra lunar
alumiada esfera
Sentinela lua
“caliente” na madrugada
desencontrada
de si mesma

Some a razão
pra bem longe
fiel
aos apelos
dos corações

Tão sábia
quanto a natureza
que a compôs,
cede espaço
a mais pura emoção

Homem
Em teus braços
o fogo arde
o desejo explode
a boca pede
o desafogo
em profundos beijos

São mãos que visitam
territórios;
são dedos que exploram
a caverna do prazer
e a coluna no templo viril
toda afagada
acariciada
beijada
sugada
atada
dada

Some a razão
pra bem longe
fiel
aos apelos
 dos corações

Tão sábia
quanto a natureza
que a compôs,
cede espaço
a mais pura emoção

Homem e mulher
Tesão a mil
requebros de quadril
Dos corpos
em sensual bailado
envoltos no véu mágico
da paixão descontrolada
Até que
todas as fantasias
sejam desveladas
O nu se revela
à alma que vela
para que ambos
se encontrem a si mesmos,
no êxtase total
Orgasmos de luzes,
energias que se deslocam
pelo espaço sideral,
Corações que disparam
as flechas da conjugação final
na mais completa fusão,
metamorfoses unificadas,
nem mais o homem,
nem mais a mulher..
Um único ser
numa androginia metafórica
prestando o preito
de consagração à Vida e ao Amor!
Guida Linhares

Posted in poesia | Leave a Comment »