amizade e poesia

Alguém que faz você rir…Alguém que faz você acreditar em coisas boas…Alguém que convence você …De que existe uma porta destrancada…Só esperando para que você abra. Esta é a Amizade Para Sempre.

Archive for 19 de Abril, 2008

Me ame…

Posted by amizadepoesia em Abril 19, 2008

pelo que os meus olhos lhe dizem
pelo que os meus lábios te suplicam
pelo meu coração que te venera
pela minha alma que te implora
cada suspiro do seu amor.

Pepita Benetti

Posted in poesia | Leave a Comment »

Mando para você uma flor

Posted by amizadepoesia em Abril 19, 2008

Como são belas as flores,
              a rosa, é para os amores, a alegria
              das inesperadas surpresas.

              Ela é o despertar da latência das dúvidas
              o renascer da emoção
              e a esperança da volta de um distante amor…

              A rosa tem a sutileza de um carinho,
              ela faz relembrar o amor distante
              e a fragância da saudade…

              Que seriam dos casais enamorados
              sem a presença das flores!
              Na distância não se acariciariam os amores…

              Mando para você uma flor,
              sinto de você doídas lembranças,
              receba-a como símbolo do meu amor…

              Tarcísio Ribeiro Costa

Posted in poesia | Leave a Comment »

MOMENTOS A DOIS

Posted by amizadepoesia em Abril 19, 2008

Momentos a dois, dividindo os lençóis!
      Sinto teus toques a abrir meu coração,
      Nossas libidos entram em convulsão,
      Nos entrelaçamos qual dois caracóis.

      Explica-me:… De qual estrela tu vieste?
      Na arte de amar, a ti ninguém supera…
      O que te deixa tão “sexy” à minha espera?
      De onde tu trazes essa magia inconteste?

      Eu vou às nuvens quando tuas fantasias
      Se materializam à minha presença,
      És tu dotada de uma volúpia imensa,
      Bem mais forte do que mostras nas poesias.

      No auge do amor, bem nos momentos a dois,
      Vejo tua anatômica nudez, frenética;
      Tão linda, nos moldes de tua nudez poética…
      E não deixo ficar nada pra depois.

      Momentos a dois, após o ato de amor…
      Teu rosto dócil repousando em meu peito,
      Carinhos mútuos nas delícias do leito,
      Beijo ao final… e sono reparador.

      Lorenzo Yucatán

Posted in poesia | Leave a Comment »

Eu Voltarei

Posted by amizadepoesia em Abril 19, 2008

Meu companheiro de vida será um homem corajoso de trabalho,
servidor do próximo,
honesto e simples, de pensamentos limpos.

Seremos padeiros e teremos padarias.
Muitos filhos à nossa volta.
Cada nascer de um filho
será marcado com o plantio de uma árvore simbólica.
A árvore de Paulo, a árvore de Manoel,
a árvore de Ruth, a árvorede Roseta.

Seremos alegres e estaremos sempre a cantar.
Nossas panificadoras terão feixes de trigo enfeitando suas portas,
teremos uma fazenda e um Horto Florestal.
Plantaremos o mogno, o jacarandá,
o pau-ferro, o pau-brasil, a aroeira, o cedro.
Plantarei árvores para as gerações futuras.

Meus filhos plantarão o trigo e o milho, e serão padeiros.
Terão moinhos e serrarias e panificadoras.
Deixarei no mundo uma vasta descendência de homens
e mulheres, ligados profundamente
ao trabalho e à terra que os ensinarei a amar.

E eu morrerei tranqüilamente dentro de um campo de trigo ou
milharal, ouvindo ao longe o cântico alegre dos ceifeiros.
Eu voltarei…
A pedra do meu túmulo
será enfeitada de espigas de trigo
e cereais quebrados
minha oferta póstuma às formigas
que têm suas casinhas subterra
e aos pássaros cantores
que têm seus ninhos nas altas e floridas
frondes.

Eu voltarei…

Cora Coralina

Posted in poesia | Leave a Comment »

A vida vai te tratar, como voce tratar a vida

Posted by amizadepoesia em Abril 19, 2008

Tudo no universo é interativo
      desde um simples átomo
      até os confins do infinito
      tudo tem uma razão e ser
      tudo tem um propósito
      que geram um espectro
      de ações e reações
      em todas suas vibrações
      E a maior parte delas não sabemos
      muito menos imaginamos
      Há mais mistérios que podemos supor
      De qualquer ordem, de qualquer natureza
      Mas como afirmam os místicos
      o que existe aqui em baixo
      existe também lá em cima
      Como por exemplo a máxima
      Que toda ação gera uma reação
      Igual e contrária, sem confundir isso com Karma
      Mas a toda gama, material, vibracional ou espiritual
      É assim na nossa vida também
      Uma ação do Bem, recebe como reação o Bem
      Uma ação do Mal, recebe como reação o Mal
      A vida vai te tratar, como você tratar a vida
      Reflita bem, quanto amor você pode receber
      Se você tem muito amor para dar
      Amizade
      Fraternidade
      Solidariedade
      Humildade
      Generosidade
      Compaixão
      E muitas outras formas de Amor
      É muito mais prazeroso dar que receber
      Se seu coração brilhar, a muitos você vai iluminar
      Se você deixar o Mal te tomar
      essa chama vai se apagar
      E todos de você vão se afastar
      somente as trevas vão te acompanhar
      Sem uma Lua para seu coração afagar
      Sem um Sol para seu corpo alimentar…
      Apenas a reação da ação
      A opção está na sua razão e no seu coração
      Todos desejamos plenitude, realização
      E todas as respostas estão no seu interior
      Cultive o auto conhecimento
      O conhecimento, com humildade
      dos seus talentos, de suas limitações
      Com os ensinamentos do Amor
      Você colhera da ação que plantou, cuidou,
      A Esperança, a Paz, a Felicidade, a Prosperidade,
      em todos os campos que seu coração semeou

      Joe’A

Posted in poesia | Leave a Comment »

MEU GAROTO MAROTO

Posted by amizadepoesia em Abril 19, 2008

Os meus olhos  pousaram
Sobre aquele rapaz
Que passou, deixando o seu perfume
E o todo o seu encanto.
 
Rapaz que acabou me enfeitiçou
Com seu olhar maroto
Fez meu sangue ferver
Como calda de caramelo no fogo.
 
Atrás dele irei
Não há como resistir a aquele olhar.
Aquela boca carnuda
Atiçou meus desejos…
Boca sedutora que se foi
Levada por uma onda…
Ascendeu em meu peito
Relâmpagos de desejo e ador.
 
Atrás dele irei
Mesmo que seja distante
Preciso do seu olhar a todo instante
Preciso dos seus beijos e do seu calor
Preciso tentar conquistar o seu coração
E todo seu amor…
Rapaz moreno e belo
Para mim és mais belo e formoso
Ès todo feito de ouro,
Prata e diamantes…
És feito inteirinho pra mim…
És feito para aconchegar em meus braços
Ser beijado pelos meus lábios…
És feito somente para me amar!
 
 Catarina

Posted in poesia | Leave a Comment »

MINHA MAIS QUE TUDO

Posted by amizadepoesia em Abril 19, 2008

Argênteo tornou-se o dia em que te vi
de ouro se pintaram os jardins, lá fora
na praça milenar, e o sol veio até mim
co, suas flamejantes luzes, de outrora

Tudo reluzia à nossa volta, olhei pra ti
e tu para mim, e teu riso sem demora
e toda precisão disse-me então assim
vem, meu amor e, partamos vida fora

Olhamo-nos uma última vez, partimos
de mãos dadas, e coração aí apertado
porque, enfim nosso amor redimimos

Oh, minha mais que tudo, o quão feliz
sou, por ter-te ser, sempre a meu lado
que, assim dita, nosso amor e o perdiz

Jorge Humberto

Posted in poesia | 1 Comment »

POBRES DE ESPÍRITO

Posted by amizadepoesia em Abril 19, 2008

Quem rouba uma arte doutrem, de antemão
se dá a esse exercício, que é senão um ladrão
sem vergonha ou bom senso ou credibilidade
e, em tudo que põe mão, seu nome falsidade

Pior quando diante das evidências julga razão
defendendo o iníquo nome  com a indignação
dos falsos profetas, omitindo aí toda verdade
pois palavra rarefeita é, o que usa, iniquidade

Gentinha assim, não carece doutros o perdão
mas pena e indiferença, a quem co dignidade
leva adiante, sua vida régia, sem contestação

Então temos de lutar, contra a escamoteação
eis sujeitos estamos, a toda a podre realidade
e, que anda, de boca em boca, de todo o vilão

Jorge Humberto

Posted in poesia | Leave a Comment »

O AMOR

Posted by amizadepoesia em Abril 19, 2008

 Sentado na areia
      com o bafejar das ondas
      sentia algo de inédito
      talvez estranho

      Uma fada certamente do amor
      sorriu para mim
      autêntica princesa do mar
      fez estremecer meu coração

      Sentou-se ao meu lado
      com seu sorriso sensual
      de uma beleza fascinante
      com seus seios côr do céu

      O fascínio era grande
      a tentação cheia de flores
      nossos corpos se uniram
      numa languidez sonhadora

      O deus do amor sorria
      e a loucura endoidecia
      aqueles corpos
      esquecidos do tempo

      O desejo levou-nos à loucura
      com tal ansiedade
      enquanto ela entoava o canto
      com o arfar de um amor extremo. 

Pedro Valdoy

Posted in poesia | Leave a Comment »

O AMOR

Posted by amizadepoesia em Abril 19, 2008

E quando ele chega
      cessa tudo quanto se busca
      E quando ele abre suas asas
      que o silêncio se faça
      E quando despertares
      agradeça a Deus numa prece
      Este sagrado relicário
      do Amor a te bafejar
      E quando os raios do sol
      aquecerem a tua alma
      E o vento sussurrar
      em teus sedentos ouvidos
      Te amo, te amo, te amo!
      Que sejam como a doce sinfonia
      a ecoar nos quatro cantos,
      loas ao bem maior,
      O Amor que chegou,
      mansamente, docemente
      em teu coração  já cansado
      de tanto esperar!

  Guida Linhares

Posted in poesia | Leave a Comment »

Assintomático.

Posted by amizadepoesia em Abril 19, 2008

Deitado em discrepâncias,
Dedico-me a tua ausência.
Na usura das recordações.
 
Durmo entre contrastes,
Ultraje denso ao senso.
De um intenso diletante,
Da arte de me escrever.
 
Diluído em filigranas.
Que cobrem este papel,
Entre bazófias e letras.
 
Pobre esteta em estase.
Sem estema e sem fase.
Por não saber mais amar;
Cantilena de um coração.
 
Onde o borrifar do texto,
Sem jeito no contexto.
Supera a borda da ocasião.
 
Então, nem tudo foi em vão.
Poesia, utopia e pitadas de ilusão.
 
Gerson F. Filho.

Posted in poesia | Leave a Comment »

Índios de cera

Posted by amizadepoesia em Abril 19, 2008

Cai à noite tão faminta e cinzenta e risonha,

      despejando a feia fumaça da boca medonha,

      no seio doentio dos filhos dessa terra violada,

      avivando a fogueira na dança fria e macabra.

      

      

      O céu, igual ao relento embriagado em ódio,

      chora, desbotando a nativa e morta aquarela,

      descolorando o corpo do último pele amarela

      que morreu infectado pela febre do vil nióbio.

      

      

      Naquele canto, jaz um índio sólido e branco,

      estendendo a sua mortalha para a lua divina,

      a criança tristonha vê uma tribo de parafina,

      enquanto o lobo-guará, extinto, cai em pranto.

      

      

      No museu, a irrisão em um espetáculo cruel,

      encena-se a vida duma arara-azul de papel,

      o amor da seringueira, chora à sangradeira,

      e do cachimbo sem paz, ri o cacique de cera.

      

      

      O pau-rosa asperge o seu aroma sarcástico,

      e empalhado no galho o mico-leão-dourado

      ouve o sussurro do pálido menino assustado,

      orando a Tupã numa Amazônia de plástico.

      
Sandra Ravanini

Posted in poesia | Leave a Comment »

Importâncias

Posted by amizadepoesia em Abril 19, 2008

Poderia falar o meu nome,

mas ninguém ia saber quem sou,

as letras são as mesmas de outros nomes,

os sentidos os mesmo de outras vidas.

 

 

Poderia caminhar até dar volta ao mundo,

diriam, que importa isso?

O sol dá voltas todos os dias e você não é nada,

nem muros têm a sua volta para protegê-lo.

 

 

Poderia ser pedra, areia, a cal do fosso,

gritar meus horrores, os piores pesadelos

e na manhã seguinte ninguém ia saber,

é, continuaria o mesmo desconhecido.

 

 

Poderia então escrever meu nome nas ruas,

candidatar-me a rei, a uma majestade qualquer

ou cantar em bares noturnos,

andar sujo, sem brilho, sem roupa talvez?

 

 

Poderia fazer tudo e ainda assim ninguém saberia,

importaria-se com meu sentimento, meu prazer,

com a vida que me carrega ou eu a ela.

Importa-me somente viver minha vida.
Caio Lucas

Posted in poesia | Leave a Comment »

Infinito…

Posted by amizadepoesia em Abril 19, 2008

 Infinito são os caminhos
      são as trilhas de nossas vidas.
      Infinito são os obstáculos
      que se interpõe entre eu e você…

      Infinito são os questionamentos
      que tomam conta do meu pensamento
      quando na madrugada fria,
      coberta pela colcha de retalhos
      de minhas tênues recordações
      fotografo nossos caminhos passados
      e vejo tudo em preto e branco,
      apenas sombras….sem vida,sem emoções.

      Infinito são meus temores
      de que ao trocarmos nossa estrada,
      passamos a andar na contra mão
      e nosso amor, seja atropelado
      pôr uma inevitável colisão.

       Mas é Infinito  esse  meu amor que
      resiste a todas intempéries da vida,
      vencendo e transcendendo
      os labirintos escuros que
      tentaram me aprisionar.

      Superados os tempos difíceis,
       a calmaria que hoje reina em
      cada amanhecer,me dá a cada dia
      mais e mais a certeza verdadeira
      de que fomos feitos um para o outro
      e que nossas almas gêmeas se preparam
      para um novo reencontro
      dessa vez definitivo
      celebrar no infinito…

      Acredite, na vida tudo é infinito…

   Arneyde T. Marcheschi

Posted in poesia | Leave a Comment »

Meu Sonho Ecantado

Posted by amizadepoesia em Abril 19, 2008

És  meu amanhecer, meu aconchego
  A saudade que mora em mim
Ès minha razão, meu viver
 Ès meu querer…
 Meu desejo sonhado…
Meu amor esperado,meu amado…
  Adoro  tua voz sussurrando em meu ouvido
que me ama , que me deseja que sou tua
tua voz que desperta em mim
    sensações  tão diversas…
Sinto meu coração  bater forte
 minha emoção falando por mim
Sinto  que te quero com loucura
             Meus olhos refletem alegria…
Meu corpo desejo, meu coração amor
te amo,sem espera , sem distâncias…
Sem cobranças …Sem medo , sem barreira
Apenas te amo …

CliciaPavan

Posted in poesia | Leave a Comment »