amizade e poesia

Alguém que faz você rir…Alguém que faz você acreditar em coisas boas…Alguém que convence você …De que existe uma porta destrancada…Só esperando para que você abra. Esta é a Amizade Para Sempre.

Archive for 27 de Abril, 2008

LOUCURAS DE AMOR

Posted by amizadepoesia em Abril 27, 2008

Desejo ardentemente e cada vez mais
      nossas loucuras de amor!

      Que me beije suavemente
      como só você sabe…
      como só você sente…
      Vem…? Apresente-se!

      Cubra meu sonho e meu corpo
      tão carentes!

      Prometo retribuir, ser sua!
      Com a devassidão da lua
      sempre tão nua
      oferencendo-se ao sol!

      Entre gemidos e delírios
      chegaremos ao caos
      delicioso caos…
      que nos completa e sacia!

      Como conseguirei dormir,
      relembrando nossos prazeres?

      Vou lhe provocar
      para que volte depressa
      de novo me amar!

      Retribuirei seus carinhos com prazer!
      Nesse amor louco que vivemos,
      sempre renovando
      como se fosse a primeira vez…

      Constante é a nossa busca
      a busca do sem fim…
      mesmo quando nossos delírios
      saciam e comprazem
      a você e a mim…

      sem ponto final
      nas nossas loucuras de amor!

Ciducha

Posted in poesia | Leave a Comment »

LOUCOS POR AMOR…

Posted by amizadepoesia em Abril 27, 2008

Sorrateiro, abusado,
       sem propósito, o amor,
      como se fosse, dono do mundo,
      senhor de todas as vontades,
      chega despercebido
      e se instala no coração da gente,
      sem que para isso,
       tenhamos dado permissão…
      Como se não bastasse,
      vira obsessão…
      Passamos a querer
      sentir seus cheiros,
      seus sabores,
      desfrutar de suas emoções,
      com ele viver, cada segundo,
      com paixão…
      Nos tornamos escravos
      dessa deliciosa loucura!…
      Incapazes de dispensar,
      nem mesmo,
      as dores e dissabores
      que o acompanham…
      Como verdades dos
      loucos por amor!…
      Uma insanidade…

CARMEN CRISTAL

Posted in poesia | Leave a Comment »

Mulheres Possíveis

Posted by amizadepoesia em Abril 27, 2008

‘Eu não sirvo de exemplo para nada, mas, se você quer saber se isso é
possível, me ofereço como piloto de testes.

Sou a Miss Imperfeita, muito prazer.

Uma imperfeita que faz tudo o que precisa fazer, como boa profissional, mãe
e mulher que também sou:

trabalho todos os dias, ganho minha grana, vou ao supermercado três vezes
por semana, decido o cardápio das refeições, levo os filhos no colégio e
busco, almoço com eles, estudo com eles, telefono para minha mãe todas as
noites, procuro minhas amigas, namoro, viajo, vou ao cinema, pago minhas
contas, respondo a toneladas de e-mails, faço revisões no dentista,
mamografia, caminho meia hora diariamente, compro flores para casa,
providencio os consertos domésticos, participo de eventos e reuniões ligados
à minha profissão e ainda faço escova toda semana – e as unhas!

E, entre uma coisa e outra, leio livros.

Portanto, sou ocupada, mas não uma workaholic.

Por mais disciplinada e responsável que eu seja, aprendi duas coisinhas que
operam milagres.

Primeiro: a dizer NÃO.

Segundo: a não sentir um pingo de culpa por dizer NÃO.

Culpa por nada, aliás.

Existe a Coca Zero, o Fome Zero, o Recruta Zero.
Pois inclua na sua lista a Culpa Zero.

Quando você nasceu, nenhum profeta adentrou a sala da maternidade e lhe
apontou o dedo dizendo que a partir daquele momento você seria modelo para
os outros.

Seu pai e sua mãe, acredite, não tiveram essa expectativa: tudo o que
desejaram é que você não chorasse muito durante as madrugadas e mamasse
direitinho.

Você não é Nossa Senhora.
Você é, humildemente, uma mulher.

E, se não aprender a delegar, a priorizar e a se divertir, bye-bye vida
interessante.

Porque vida interessante não é ter a agenda lotada, não é ser sempre
politicamente correta, não é topar qualquer projeto por dinheiro, não é
atender a todos e criar para si a falsa impressão de ser indispensável.

É ter tempo.

Tempo para fazer nada.
Tempo para fazer tudo.

Tempo para dançar sozinha na sala.
Tempo para bisbilhotar uma loja de discos.
Tempo para sumir dois dias com seu amor.
Três dias.
 Cinco dias!
Tempo para uma massagem.
Tempo para ver a novela.
Tempo para receber aquela sua amiga que é consultora de produtos de beleza.
Tempo para fazer um trabalho voluntário.
Tempo para procurar um abajur novo para seu quarto.
Tempo para conhecer outras pessoas.
Voltar a estudar.
 Para engravidar.
Tempo para escrever um livro que você nem sabe se um dia será editado.
Tempo, principalmente, para descobrir que você pode ser perfeitamente
organizada e profissional sem deixar de existir.

Porque nossa existência não é contabilizada por um relógio de ponto ou pela
quantidade de memorandos virtuais que atolam nossa caixa postal.

Existir, a que será que se destina?
Destina-se a ter o tempo a favor, e não contra.
A mulher moderna anda muito antiga.

Acredita que, se não for super, se não for mega, se não for uma executiva
ISO 9000, não será bem avaliada.

Está tentando provar não-sei-o-quê para não-sei-quem.
Precisa respeitar o mosaico de si mesma, privilegiar cada pedacinho de si.

Se o trabalho é um pedação de sua vida, ótimo!

Nada é mais elegante, charmoso e inteligente do que ser independente.

Mulher que se sustenta fica muito mais sexy e muito mais livre para ir e
vir.

Desde que lembre de separar alguns bons momentos da semana para usufruir
essa independência, senão é escravidão, a mesma que nos mantinha
trancafiadas em casa, espiando a vida pela janela.
Desacelerar tem um custo.

Talvez seja preciso esquecer a bolsa Prada, o hotel decorado pelo Philippe
Starck e o batom da M.A.C.

Mas, se você precisa vender a alma ao diabo para ter tudo isso, francamente,
está precisando rever seus valores.

E descobrir que uma bolsa de palha, uma pousadinha rústica à beira-mar e o
rosto lavado (ok, esqueça o rosto lavado) podem ser prazeres cinco estrelas
e nos dar uma nova perspectiva sobre o que é, afinal, uma vida
interessante’.

Martha Medeiros

Posted in AMIGOS | Leave a Comment »

Cheiro de vida

Posted by amizadepoesia em Abril 27, 2008

Que cheiro bom tem a vida quando nos convida;
Rega de perfumes raros os momentos simples,
Tem um cheiro que entra pelos poros quando na lida
Faz as lembranças tenras volitarem em matizes.

De funestos perfumes estremeceu-me sem pudor
Quando o que mais queria era saborear esperanças.
Concedeu-me aromas de anjos, no mais escuro desamor,
Teceu-me ela uma mortalha perfumada de danças

Que pela vida carreguei entre o ócio e o labor.
Apresentando a muitos o lado doce da minha face
Algumas vezes desnudo pela irremediável dor.

Atrevida e envolta em cheiros que me marcaram;
Guardei de cada um uma recordação boa ou cruel,
Pois desses cheiros meus passos a vida sulcaram.

Abra sua conta . 
 
Angélica T. Almstadter

Posted in poesia | Leave a Comment »

PEITO ABERTO

Posted by amizadepoesia em Abril 27, 2008

Dependuro-me no céu, de peito aberto,
qual um paletó esquecido no armário.
Dentro de mim um velho trem, sem rumo certo,
apita nas curvas, a dor do meu fadário.

A estrada colorida trago comigo,
semeada de verdejante relva macia,
por ela caminha, em busca de abrigo,
uma musa doirada, d’encanto e magia.

D’entr’ as nuvens parte meu comboio voador,
salta-me fora do peito, ganha o espaço,
Nas mãos carrego um ramalhete em flor

sobre o mar de naufrágios e de sargaços.
viaja, o trem, procurando o meu amor,
para repousar no cabide dos seus braços.

Jorge Linhaça

Posted in poesia | Leave a Comment »

A HONRA TAMBÉM SE ENSINA

Posted by amizadepoesia em Abril 27, 2008

É comum, em nossos dias, ouvirmos reclamações por parte de pessoas que se
sentiram desrespeitadas em seus direitos.

É o médico que marca uma hora com o paciente e o deixa esperando por longo
tempo, sem dar satisfação.

É o advogado que assume uma causa e depois não lhe dá o encaminhamento
necessário, deixando o cliente em situação difícil.

É o contador que se compromete perante a empresa em providenciar todos os
documentos exigidos por lei e, passados alguns meses, a empresa é autuada
por irregularidades que este diz desconhecer.

É o engenheiro que toma a responsabilidade de uma obra, que mais tarde
começa a ruir, sem que este assuma a parte que lhe diz respeito.

É o político que promete mundos e fundos e, depois de eleito, ignora a
palavra empenhada juntos aos seus eleitores.

Esses e outros tantos casos acontecem com freqüência nos dias atuais.

É natural que as pessoas envolvidas em tais situações, exponham a sua
indignação junto à sociedade, e reclamem os seus direitos perante a justiça.

Todavia, vale a pena refletirmos um pouco sobre a origem dessa falta de
honradez por parte de alguns cidadãos.

Temos de convir que todos eles passaram pela infância e, em tese, podemos
dizer que não receberam as primeiras lições de honra como deveriam.

Quando os filhos são pequenos, não damosa devida atenção às suas más
inclinações ou, o que é pior, as incentivamos com o próprio exemplo

Se nosso filho desrespeita os horários estabelecidos, não costumamos cobrar
dele uma mudança de comportamento.

Se prometem alguma coisa e não cumprem, não lhes falamos sobre a importância
da palavra de honra.

Assim, a palavra empenhada não é cumprida, e nós não fazemos nada para que
seja.

Ademais, há pais que são os próprios exemplos de desonra. Prometem e não
cumprem. Dizem que vão fazer e não fazem. Falam, mas a sua palavra não tem o
peso que deveria.

É importante que pensemos a respeito das causas antes de reclamar dos
efeitos.

É imprescindível que passemos aos filhos lições de honradez.

Ensinar aos meninos que as irmãs dos outros devem ser respeitadas tanto
quando suas próprias irmãs.

Que a palavra sempre deve ser honrada por aquele que a empenha.

Ensinar o respeito aos semelhantes, não os fazendo esperar horas e horas
para só depois atender como que estivéssemos fazendo um grande favor.

Enfim, ensinar-lhes a fazer aos outros o que gostariam que os outros lhes
fizessem, conforme orientou Jesus.

Não há efeito sem causa. Todo efeito negativo, tem uma causa igualmente
negativa.

Por essa razão, antes de reclamar dos efeitos, devemos pensar se não estamos
contribuindo com as causas, direta ou indiretamente.

*
“Você é a canção que toca suavemente
* *em meu coração.”
Cora Coralina

Posted in AMIGOS | Leave a Comment »

O PERDÃO

Posted by amizadepoesia em Abril 27, 2008

O perdão faz parte do ensino Cristão!
É a disposição que oferece ao culpado
o sabor da remissão.
É a doação da misericórdia,
geradora natural da concórdia,
e que aprimora a civilização.

Para a maioria dos seres humanos,
É um ato de difícil execução,
mas se praticado, é o caminho
da tão desejada pacificação.

Perdão é medida de bom senso,
é terapêutico na sua realização.
É atitude que alivia o coração,
Resumindo tudo: é o Amor em ação.

Elio Mollo

Posted in poesia | Leave a Comment »

O EXERCÍCIO DO PERDÃO

Posted by amizadepoesia em Abril 27, 2008

O exercício do perdão,
faz tanto bem ao coração…
Quando a quem nos fez mal, perdoamos,
assim muito mais nos amamos…
Damos nova chance a quem nos prejudicou,
e que mal consigo mesmo ficou,
e damos nova chance a nosso coração,
de sentir essa gostosa ação do perdão…
Perdoando, melhoramos nossa alma,
que fica em paz e se acalma…
A raiva é má conselheira,
e nos induz a fazer besteira…

Marcial Salaverry

Posted in poesia | Leave a Comment »

A Vida está nos olhos de quem sabe ver

Posted by amizadepoesia em Abril 27, 2008

É preciso a certeza de que tudo vai mudar;
      É necessário abrir os olhos
      e perceber que as coisas boas estão dentro de nós:
      onde os sentimentos não precisam de motivos
      nem os desejos de razão.
      O importante é aproveitar o momento e
      aprender sua duração; 
      Pois a vida está nos olhos de quem sabe ver .
      Se não houve frutos, 
      valeu a beleza das flores.
      Se não houve flores, 
      valeu a sombra das folhas.
      Se não houve folhas, 
      valeu a intenção da semente. 
      Henfil

Posted in poesia | Leave a Comment »

Diga que me ama

Posted by amizadepoesia em Abril 27, 2008

Com o seu amor aberto,
enfeitando minha alma,
diga que me ama.

Pense nesta canção,
minhas palavras tocando sensibilidades,
elevando – te, em um só coração,
mas, diga que me ama.

Minhas mãos te querendo,
num sonho que clama,
saboreando tuas noites,
mas, diga que me ama.

Nada é em vão,
decerto, todo amanhã,
vou dizer – lhe,
eu te amo.

Angelo Sansivieri

Posted in poesia | Leave a Comment »

Rastros de Emoções

Posted by amizadepoesia em Abril 27, 2008

se a maré nervosa acordar
      há de vir devassar, afogar
      nossas lembranças no mar
      num vendaval de contradições
      misturando letras e emoções …
      os versos da areia dizem adeus
      o passado finca inteiro,eterno no peito
       o presente sem futuro de onda em onda
       some no perdido azul horizonte …

Maria Thereza Neves

Posted in poesia | Leave a Comment »

Trovas de Amor

Posted by amizadepoesia em Abril 27, 2008

 Esta menina querida
é meu pé, é minha mão
minha alegria na vida
meu arroz e meu feijão

ela é meu rio, meu lago
meu riacho, meu açude
ela é meu beijo e afago
não quero que ela mude

ela é meu dedo e anel
minha camisa de linho
minha garrafa de mel
meu consolo, meu carinho

se a carne mata a fome
o beijo mata a saudade
a tristeza me consome
eu quero é felicidade

me abraça bem abraçado
quero todo o teu carinho
sem teu abraço apertado
vou me perder no caminho

és água que mata a sede
és chuva no meu roçado
és punho na minha rede
és rima neste recado

essa menina adorada
essa menina querida
que alegria danada
ter ela na minha vida

Joseph E. de Sousa

Posted in poesia | 6 Comments »

O BEIJO

Posted by amizadepoesia em Abril 27, 2008

Quando me deste um beijo
Senti que te amaria
Mas, Maria
Amar-te-ei um dia
Por hora mera utopia
Do beijo que me deste
E que dar-te-ei
Um dia.

© Reginaldo Honorio da Silva

Posted in poesia | Leave a Comment »

NO MAR DA VIDA

Posted by amizadepoesia em Abril 27, 2008

Nesse mar, nada mais sou
que uma alma  desconhecida e antiga
 entre uma multidão de navegantes
que só almeja um dia, num cais aportar
com a pouca ousadia que lhe restou
 por ainda  no amor, piamente acreditar.
Neste compartilhado mar de viajantes
vou içando minhas velas quando o vento é favorável
levando ainda comigo resguardada
aquela verde e velha esperança
que me orienta o aportar
no tão procurado ancoradouro
acessível e agradável
onde sei, está a luz da minha alma.
Com as mãos em mudra
pois meu coração vai estar risonho
aportarei, descerei e libertarei
com toda a força o meu grande amor
sentindo a imensa certeza
de que lá, depois de tão longa espera
poderemos ainda nos amar

Aurea Abensur

Posted in poesia | Leave a Comment »

viver…

Posted by amizadepoesia em Abril 27, 2008

ah…viver parece magia
sonhar parece garantia
amar parece luz que principia
no som da melodia
no brilho do teu olhar
que me irradia
e me fascina
dia após dia…

ah…viver talvez seja
querer rever o caminho
e buscar no horizonte vazio
a saudade doída
o tempo perdido
a palavra engrandecida
o encontro reconhecido
como um momento
de carinho
jamais esquecido…

Márcia Dip

Posted in poesia | Leave a Comment »