amizade e poesia

Alguém que faz você rir…Alguém que faz você acreditar em coisas boas…Alguém que convence você …De que existe uma porta destrancada…Só esperando para que você abra. Esta é a Amizade Para Sempre.

Archive for 6 de Maio, 2008

E HOJE EU VI O MAR

Posted by amizadepoesia em Maio 6, 2008

Tão Imenso, tão intenso!
            Ao longe céu une-se a ele,
            Numa profundidade,
            sons, cores, brisas.
            Mar que tanto amo!!!
            É você quem me distancia
            do meu amor…
            Mas, também é você quem
            me inspira,
            Enche de esperanças
            meu coração.
            Que cada onda leve
            e ao meu amor revele
            Essa minha doce ternura,
            Meu Homem Poema,
            Paixão em mim!

            Nanci Laurino

Posted in poesia | Leave a Comment »

Eu vi… juro que vi!…

Posted by amizadepoesia em Maio 6, 2008

Não é só político que é safado não!
Já fui em enterro onde cada um disputava
o defunto para mostrar quem era
o mais íntimo do finado…
Marquei bobeira…
Ora… – Sobrou pra mim meu irmão!
Já vi a Dona coisinha fofocar da fulaninha,
Depois as duas meterem o pau na vizinha…
Já vi, em corrente de oração, tirarem meu
Nome para anunciar a dor em primeira mão!
Já vi o rei momo, o rei do gado e o rei bobão!
Falando em poesia, sempre tem uma confusão,
É uma zueira, uma gritaria, pega ladrão!
Eu vi… Eu vi… Juro que vi… O homem da paz
Passar mil vezes no meu monitor…
Outra vez tiraram meu nome,
Faça-me o favor!!!
Falam em nome da amizade,
Da sinceridade, com rima ou não,
E tome fofoca,
Meu nome sai até no Estadão!
Eu vi… Juro que vi!…
Mas quer saber minha opinião?
Não tenho medo de nada,
Não devo nada pra ninguém
Nem vivo do mensalão!
Levo a vida numa boa, rindo até
de má notícia,
Morro de rir e não entro em depressão!
Segura essa que vou buscar outra
Meu irmão!
 Mary Trujillo

Posted in poesia | Leave a Comment »

FECHA OS OLHOS

Posted by amizadepoesia em Maio 6, 2008

Fecha os olhos, assim de mansinho,
      vem aqui, isso, mais pertinho,
      não tenhas medo…nós dois vendados,
      nada de olhares, só o toque…
      o cheiro, o gosto…a audição…
      A expectativa do próximo passo…
      mãos e bocas que deslizam corpos,
      sopros suaves pelo corpo suado de amor.

      O som dos gemidos abafados…
      o aroma do desejo atiçado…
      o sabor dos corpos em erupção.

      Vem, devagar…não tenhas pressa,
      temos todo o tempo do mundo.
      Somos exploradores cegos de amor
      a desvendar , em braile , a geografia
      de nossos corpos sedentos de paixão.

Jorge Linhaça

Posted in poesia | Leave a Comment »

FILHOS REJEITADOS

Posted by amizadepoesia em Maio 6, 2008

Porque tantos sacrifícios meu amor
            àquela, que apenas algoz desdenha
            e, do ressentimento, acentua favor
            que lhe deves sufocando tua senha

            Ah, minha querida, vide sem temor
            o que o falso amigo, bem empenha
            querendo despoletar em ti o rancor
            desvirtuando, quem te acompanha

            Ser filho, não desejado, é tormenta
            pela vida fora; enraíza junto à porta
            do nosso bem querer, e aí alimenta

            sua pérfida natureza e a sua altivez
            Então, meu amor, isso não importa
            mas quem tu és, honra e, sensatez

            Jorge Humberto

Posted in poesia | Leave a Comment »

Flor da Felicidade

Posted by amizadepoesia em Maio 6, 2008

Por onde anda a Felicidade
              que condicionamos a tantas pretensões
              a prêmios, a amores, a sentimentos ou a ocupações
              será que fomos  realmente felizes com alguns ganhos,

              Alguns deles realizados em diversas situações.
              Será que não ficamos apenas eufóricos ou alegres
              nestes por breves momentos
              Será que com isso ficamos de fato felizes?

              A Felicidade pode está dentro de você
              por ser um estado de espírito
              a harmonia entre o Ter e o Ser
              Nos extratos sedimentados do Saber

              Na busca interior pelo auto-conhecer
              Na descoberta dos seus talentos
              No conhecimento dos seus limites
              Sem viver nos limites, sem conflitos

              Sabiamente com seu viver
              Conhecer e respeitar o perceber
              Do ouvir, do tocar, do cheirar , do paladar ou do ver
              Sem julgamentos emitir, nem opiniões como verdades proferir

              Se aceitar, e na paz interior viver
              Nos jardins da alegria cultivar
              Nos perfumes da convivência harmonizar
              Que a Flor da Felicidade desabrochará

              Joe’A

Posted in poesia | Leave a Comment »

SE FEZ LUZ!

Posted by amizadepoesia em Maio 6, 2008

Afastado o amargo da morte
            Que tudo dissipa, varre, invade…
            Se fez luz em meu viver!
            Confiantes na fé que tudo pode,
            Entregamos nossos problemas
            nas mãos do Pai Maior!
            Ele nos indica o melhor caminho.
            E quando a desesperança
            Em seu peito quiser alojar
            Não dê morada!
            Pois que sem suas forças
            Ela não é nada!!

            Nanci Laurino

Posted in poesia | Leave a Comment »

HÁ GENTE E GENTE

Posted by amizadepoesia em Maio 6, 2008

 Se escrevo não tenho pudor nem calo
      o mal que grassa no mundo, aqui e ali
      E eis que, não cinjo único tema, e falo
      de tudo que a meu ver, devo-o a mim

      Porque, me preocupo, vergo e entalo
      a cruel palavra refastelada co dó de si
      E tudo isso, faz-me parecer um cavalo
      que, tresloucado, sossegasse, por fim

      Porém esta é uma luta sem omissões
      que, bem sei, a poucos traz interesse
      acostumadas pessoas, sem ambições

      Mas não podemos virar a cara e dizer
      tudo está bem, eis, que, me pertence
      a vida, aos outros, não meu, seu viver

      Jorge Humberto

Posted in poesia | Leave a Comment »

Leva-me…

Posted by amizadepoesia em Maio 6, 2008

Noite linda, convidativa. Leva-me inteira,
            Para aquelas paragens, hum… aquelas….
            Voando para seus braços, seu louco querer.
            Deixa-me viver tudo, as mais loucas quimeras…

            Quero beber, me embriagar na taça do amor,
            Sorvendo tudo, devagarinho, até a última gota…
            Num paraíso de ilusão, molhada de paixão,
            E que o dia chegue e me encontre em sua boca.

            Leva-me aos seus braços como ré… cativa,
            Prisioneira, condenada, malabarista, artista…
            Como algema, cofre, chave, segredo, cadeado…
            Deitada na relva orvalhada, na noite, na pista…

            Faz-me dele como pele, veia, coração…
            Seu violão, sua fada, seu sorriso e sangue…
            Bruxinha, bailarina bailando em seu corpo
            Que a vida se faça e o desejo se estanque!

            Mari Trujillo

Posted in poesia | Leave a Comment »

Mais que paixão

Posted by amizadepoesia em Maio 6, 2008

Que amor é esse

que me tomou de assalto

que já não sei direito o que faço

que me tirou do compasso

 

que amor é esse

que me enlouquece

descompensou minha pressão

revolucionou meu coração

 

que amor é esse

que parece

que me acalma,

me embala a alma

 

que amor é esse

que me tira a razão

tem a mente tomada pela paixão

tem o coração que é só emoção

 

que amor é esse

que esta virando minha vida

de cabeça para baixo

e sinto que é esse meu caminho

 

Minha única opção

pois minha vida sem ela

não tem razão…encontro..? perdição..?

É o amor de minha vida…mais que paixão

Joe ‘A

Posted in poesia | 2 Comments »

PROCURA-SE UM AMIGO VIRTUAL

Posted by amizadepoesia em Maio 6, 2008

Estou sempre a procura
De um amigo virtual.
Não importa
De onde ele é e nem para onde irá.
Para mim pouco importa
Se é alto ou baixo.
Gordo ou magro.
Feio ou bonito.
Se mora na capital ou no interior
Se sabe o escrever corretamente
Se precisa de óculos
Para poder digitar.
Meu amigo virtual,
Pode ser assim como eu,
Que nada entende de computadors
Mas que saiba enviar um e-mail
Com palavras de amizade e carinho
E com muito amor no coração.
Não sei se estou sendo exigente
Mas quero que meu amigo virtual
Também responda aos meus e-mails
Compartilhando comigo
Alegrias e tristezas…
Meu amigo virtual
Tem que ser gente como eu
Tem que ser real
E ter um grande coração…
Meu amigo não pode
Ter vergonha de dizer
“Amigo preciso de você”
Só assim terei a certeza
Que esse meu amigo virtual
Tem um coração e é real.

Catarina

Posted in poesia | 99 Comments »

REPHORMA ORTOGRÁPHICA

Posted by amizadepoesia em Maio 6, 2008

Nesta confusão, taparam a boca do trema !
Porque inventaram ,eis a grande questão!
Os acentos de vôo também no tira-teima
E os poetas do mundo nesta desolação !

O hífen incorpora ao alfabeto as letras k, w e y
Só falta misturar os hieróglifos nesta história,
Perdidos ficaremos no espaço ,night and day
Em rodas quadradas,cegas da pré-história .

Oito paises que hablam português discutiram ,
Bateram o martelo e PT saudações …
 O povão que nada sabia, nada mais falariam …

Não há dia marcado,decreto entrar em vigor.
Aproveitem agora mesmo com indigestão ,
Escrevam  de montão seu horror e dissabor  !
Maria Thereza Neves

Posted in poesia | Leave a Comment »

DELÍRIOS DE AMOR

Posted by amizadepoesia em Maio 6, 2008

 Na noite ouço a suave melodia,
      me deixo levar  em idílios mil,
      assola-me o peito a nostalgia,
      mescla-se à mais pura alegria,
      tingindo meus sonhos de azul anil.

      Em meus devaneios vejo-te chegar,
      vestida de noite, trajando estrelas,
      tão bela como o azul do mar,
      teus olhos em luz a me convidar,
      pra tua boca, macia, vermelha.

      Na partitura desta sinfonia,
      escrita no pentagrama dos corpos,
      passo minha noite em fantasia,
      sonhando-te até romper o dia,
      e, só assim, tua ausência suporto. 

Jorge Linhaça

Posted in poesia | Leave a Comment »

CONTIGO NA CHUVA

Posted by amizadepoesia em Maio 6, 2008

Contigo na chuva
gotas de amor
a mão e a luva
o jardim e a  flor.

corpo molhado
o riso aberto
doce pecado
o meu predileto.

Samba minh’alma
de pura alegria
teu riso espalma
a tua magia.

Em nosso chorinho
seca-se o pranto
bem devagarinho
renasce o encanto.

Jorge Linhaça

Posted in poesia | Leave a Comment »

CAIS DA PAIXÃO

Posted by amizadepoesia em Maio 6, 2008

Adentra o rio, nosso cais,
a levar-nos rio adentro,
vai fluindo o sentimento,
trazendo-nos a paz.

O céu, doirado, tingido,
nas cores do sol poente,
impulsiona nossas mentes
para o amor consentido.

Inebriados de emoção,
coração no peito a bater,
a fazer do cais da paixão,
a razão do nosso viver.

Ao som do sax, moroso
nós dois, alí, abraçados,
para sempre eternizados,
nesse amor silencioso.

Vem estrelas a luzir,
salpicando o firmanento,
augúrios de um bom tempo
para nosso amor eclodir.

 
Inebriados de emoção,
coração no peito a bater,
a fazer do cais da paixão,
a razão do nosso viver.

Jorge Linhaça

Posted in poesia | Leave a Comment »

ASSIM COMO AS ONDAS DO MAR

Posted by amizadepoesia em Maio 6, 2008

As ondas do mar erguem-se encapeladas,
      assustam de imediato ao navegante,
      mas o temor não dura mais que um instante,
      tantas já foram as marés desafiadas.

      Rebentam na praia, as ondas elevadas,
      os surfistas comemoram ondas gigantes,
      o desafio, a adrenalina constante,
      a prancha e o homem, o tudo ou o nada.

      As ondas da vida são assim semelhantes,
      erguem-se fortes ao seguirmos a estrada,
      são as ondas de tudo o que vivemos antes,

      São a ressaca de nossas ações passadas,
      sobre elas podemos surfar triunfantes,
      ou naufragar os sonhos da nossa jornada.

Jorge Linhaça

Posted in poesia | Leave a Comment »