amizade e poesia

Alguém que faz você rir…Alguém que faz você acreditar em coisas boas…Alguém que convence você …De que existe uma porta destrancada…Só esperando para que você abra. Esta é a Amizade Para Sempre.

Archive for 5 de Dezembro, 2008

Adversidades

Posted by vidapura2 em Dezembro 5, 2008

Ela era uma garota que vivia a se queixar da vida. Tudo lhe parecia difícil e se dizia cansada de lutar e combater.

 

Seu pai, que era um excelente cozinheiro, a convidou, certo dia, para uma experiência na cozinha.

 

Tomou três panelas, encheu-as com água e colocou cenouras em uma, ovos em outra e pó de café na terceira.

 

Deixou que tudo fervesse, sem nada dizer. A moça suspirou longamente, imaginando o que é que seu pai estava fazendo com toda aquela encenação.

 

Depois de tudo fervido, o pai colocou as cenouras e os ovos em uma tigela e o café em outra.

 

O que você está vendo?, perguntou.

 

Cenouras, ovos e café, respondeu ela.

 

Ele a trouxe mais perto e pediu-lhe para experimentar as cenouras. Ela notou como as cenouras estavam macias.

 

Tomando um dos ovos, quebrou a casca e percebeu que estava duro. Provando um gole de café, a garota sentiu o sabor delicioso. Voltou-se para o pai, sorriu e indagou: O que significa tudo isto, papai?

 

É simples, minha filha. As cenouras, os ovos e o café ao enfrentarem a mesma adversidade, a água fervendo, reagiram de formas diferentes.

 

A cenoura entrou na água firme e inflexível. Ao ser submetida à fervura, amoleceu e se tornou frágil. O ovo era frágil. A casca fina protegia o líquido interior. Com a água fervendo, se tornou duro. O pó de café, por sua vez, é incomparável. Colocado na água fervente, ele mudou a água.

 

Voltando-se para a filha, perguntou o homem experiente:

 

Como é você, minha filha? Quando a adversidade bate à sua porta, você reage como a cenoura, o ovo ou o café?

 

Você é uma pessoa forte e decidida que, com a dor e as dificuldades se torna frágil, vulnerável, sem forças? Ou você é como o ovo? Delicada, maleável, casca fina, que, com facilidade se rompe. Ao receber as notícias do desemprego, de uma falência, da morte de um ser querido, do divórcio, se torna dura, inflexível?

 

Quanto mais sofre, mais obstinada fica, mais amarga se torna, encerrada em si mesma? Ou você é como o café, que muda a água fervente, motivo da dor, para conseguir o máximo de seu sabor, a cem graus centígrados?

 

Quanto mais quente a água mais gostoso se torna o café, deliciando as pessoas com o seu aroma e sabor.

 

Se você é como o pó de café, quando as coisas vão ficando piores, você se torna melhor e faz com que as coisas em torno de você também se tornem melhores.

 

A dor, em você, tem o condão de a tornar mais doce, gentil, com mais capacidade de entender a dor alheia.

 

Afinal de contas, minha filha, como é que você enfrenta a adversidade?

 

………………………………

 

A dor pode ser comparada ao instrumental de um hábil escultor.

 

Com destreza e precisão técnica, ele toma de uma pedra dura como o mármore, por exemplo, e pacientemente a transforma em uma obra de arte, para encanto das criaturas.

 

A beleza da pedra só aparecerá aos golpes duros do cinzel, na monotonia das horas intermináveis de esforço e trabalho.

 

Assim como a pedra se submete à lapidação das formas para se tornar digna de admiração, somente os corações que permitem à dor esculpir sua intimidade, adquirem o fulgor das estrelas e o brilho sereno da lua.

Momento Espírita

Anúncios

Posted in poesia | Leave a Comment »

El Amor Vencedor

Posted by vidapura2 em Dezembro 5, 2008

      Si el cielo rasgase
      Si la Tierra se fundiese
      Si el mar se abriese
      Si el aire incendiase

      Si Dios me  pidiese
      Si yo negase
      La Apocalipsis me prometiese
      Y la muerte me tomase

      Para que mi pasión dejase
      para que mi amor matase
      Aunque o nirvana me prometiese
      Que el paraíso vislumbrase

      Con la eternidad me premiase
      Un reino estrellar me diese
      La inmortalidad me garantice
      Y con la felicidad me presentase

      Aunque  así  no desistiría de ti
      Pues el amor a todo vence
      A todo soporta, a todo resiste
      Pues El lo creó, al Amor, para ser vencedor

      Joe’A

Posted in poesia | Leave a Comment »

Para tu amor

Posted by vidapura2 em Dezembro 5, 2008

Para tu amor, o tenho tudo
Desde meu sangue, até a essencia do meu ser
E para tu amor, que é meu tesouro
Tenho minha vida ,toda, inteira a teus pés
E tenho também
Um coração, que morre para dar amor
E que não conhece o fim
Um coração ,que bate por vós

Para tu amor,não existe despedidas
Para tu amor eu somente tenho a eternidade
E para tu amor que me ilumina
Tenho uma lua, um arco iris e um cravo
E tenho tambem
Um coração, que morre para dar amor
E que não conhece o fim
Um coração ,que bate por vós

Por isso eu te quero tanto, que não sei explicar o que sinto
Eu te quero, porque tua dor é minha dor
E não há duvidas
Eu te quero ,com a alma e com o coração  te venero
Hoje e sempre dou graças e eu dou a ti meu amor
Por existir

Para teu amor tenho tudo
tenho tudo e o que nãop tenho também
o conseguirei
para teu amor que é meu tesouro

Tenho minha vida inteira a teus pés
E tenho também
Um coração, que morre para dar amor
E que não conhece o fim
Um coração ,que bate por vós

Por isso eu te quero tanto, que não sei explicar o que sinto
Eu te quero, porque tua dor é minha dor
E não há duvidas
Eu te quero ,com a alma e com o coração  te venero
Hoje e sempre dou graças e eu dou a ti meu amor
Por existir
Juan Esteban

Posted in poesia | Leave a Comment »

Meu presente…voce

Posted by vidapura2 em Dezembro 5, 2008

Eu quero gritar para o mundo
em alto e bom som
para todos ouvirem, saberem
o quanto amo voce

Que voce é o presente
que Deus deu para mim
um presente para sempre…
eu me dando completamente para voce

Voce é um presente no meu presente
que será no futuro, a cada dia
um renovado presente
embalado com todo nosso amor
Joe’A

Posted in poesia | 1 Comment »

Senhora do meu coração

Posted by vidapura2 em Dezembro 5, 2008

            Esse teu amor
            tem algo de enlouquecedor
            que me domina por completo
            que transborda pelo meu peito
            Essa tua paixão
            me alucina, me transtorna
            do teu cheiro, do seu toque
            do seu corpo me torna cativo
            Que carícia é essa
            que ferve meu sangue
            aquece meu coração
            que me enche de tesão
            Que carinho é esse
            que me faz servo do teu amor
            que me enleva
            prisioneiro do aconchego
            do teu peito
            Teu amor, tua paixão,
            tuas caricia,
            teus carinho…
            Minha perdição que te tornou 
            senhora do meu coração

            Joe’A

Posted in poesia | Leave a Comment »

Quando esquenta o sol

Posted by vidapura2 em Dezembro 5, 2008

                    Quando esquenta o sol aqui na praia,
                    sinto teu corpo vibrar perto de mim,
                    é teu palpitar,  é tua face ,é teu cabelo, são teus beijos,
                    estremeço… ouoo.
                    Quando esquenta o sol …

                    Quando esquenta o sol aqui na praia,
                    sinto teu corpo vibrar perto de mim,
                    é teu palpitar, tua lembrança , minha loucura, meu delirio,
                    estremeço ouoo.
                    quando esquenta o sol

                    armó con amor

Eileen

Posted in poesia | Leave a Comment »

Posted by vidapura2 em Dezembro 5, 2008

            É assim que te quero amor,

            assim amor, é que eu gosto de ti,
            tal como te vestes
            e como arranjas os cabelos

            e como a tua boca sorri,

             ágil como a água
            da fonte sobre as pedras puras,
            é assim que te quero, amada,
            Ao pão não peço que me ensine,
            mas antes que não me falte
            em cada dia que passa.
            Da luz nada sei, nem donde
            vem nem para onde vai,
            apenas quero que a luz alumie,
            e também não peço à noite explicações,
            espero-a e envolve-me,
            e assim teu pão e luz
            e sombra és.
            Chegastes à minha vida
            com o que trazias,
            feita de luz e pão e sombra,

            eu te esperava,

            e é assim que preciso de ti,
            assim que te amo,
            e os que amanhã quiserem ouvir
            o que não lhes direi, que o leiam aqui
            e retrocedam hoje porque é cedo
            para tais argumentos.
            Amanhã dar-lhes-emos apenas
            uma folha da árvore do nosso amor,

            uma folha que há de cair sobre a terra

            como se a tivessem produzido os nosso lábios,
            como um beijo caído
            das nossas alturas invencíveis
            para mostrar o fogo e a ternura
            de um amor verdadeiro.

 Pablo Neruda

Posted in poesia | Leave a Comment »

Meu renascer…

Posted by vidapura2 em Dezembro 5, 2008

Voce nao pode imaginar o bem que me faz
Aos meus dias, a minha vida
Voce me deu a mão no meu caminho errante
dando sentido, promovendo em mim objetivos

Para caminhos ferteis,
ganhando distancia dos estéreis,
sem sonhos sonhados
nem quando acordado.

Me fez ver as estrelas
no meu antes céu sempre nublado
Me afastou do sorvedor das minhas energias
Do mundo dos livres condenados

Onde o sol nem brilho tinha
somente réstias de penumbra,
sobras de calor,
muito menos migalhas de amor.

E com voce a luz se fez
o brilho chegou
saindo das sombras, o calor chegou
Com seu devido valor, meu coração vicejou

E a paixão se fez presente,
ressuscitando a auto estima
renascendo das cinzas
e voando com as asas do seu amor

Joe’A….

Posted in poesia | Leave a Comment »

Aguenta coração…

Posted by vidapura2 em Dezembro 5, 2008

As luzes se apagam
no meu quarto em solidão
acendendo a saudade
abraçada pelas lembranças
dos nossos  momentos.
Desejos sufocados, desejos
por beijos
por corpo
por amor,
torturas da distancia
ansias das fantasias
companhia das insonias
nos travesseiros das ilusões
no cobertor sem calor
vazios da ausencia…em dor
Tesões estéreis
angustiando o coração,
maltratado pela falta
dos seus carinhos,
que por toda noite
pede sua presença
pura aflição…
Aguenta coração…

Joe”A

Posted in poesia | Leave a Comment »

Cuando amo

Posted by vidapura2 em Dezembro 5, 2008

      Cuando estoy amando
      La vida parece que se viste de vida
      Con ropajes vivas
      Y tan coloridas

      Veo tanta vida adonde no había
      Ninguna vida
      Mi corazón infla,palpita y canta
      Mis sentimentos versan
      Mis sentidos rimas
      Y todo mi yo con poesía se parece
      Siento perfumes que nunca percibía
      Oigo sonidos que nunca oía
      Mis ojos y cara brillan

      Todo combina,
      Armónicamente
      como una sinfonía
      extasiante…

      Cuando amo, me siento vivo
      Siento el latir de tu corazón dentro de mi
      Tu corres por mis venas
      alimentando todo mi Ser
      plenamente
      Con tu amor
      Joe’A

Posted in poesia | Leave a Comment »

Ondas indiferentes

Posted by vidapura2 em Dezembro 5, 2008

                    Amanhece, a vida pede
                    que o corpo acorde,
                    se levante para levar
                    a vida adiante

                    Diante da labuta perene
                    do suor no sol inclemente
                    do fervilhar da mente
                    a cuidar da vida exigente

                    Nessa vida da gente
                    a carregar o oportuno instante
                    que se faz sempre presente
                    pelo destino sempre surpreendente

                    Coitado dos planos da gente
                    nos roldões das ondas indiferentes
                    aos sentimentos e sonhos da gente
                    tudo mudando inesperadamente

                    As vezes aconchegadamente
                    outras cruelmente
                    nos domesticando compulsoriamente
                    sujeitos ao rio da vida corrente

                    parcimoniosamente…

                    Joe’A

Posted in poesia | Leave a Comment »

CANSEI!

Posted by vidapura2 em Dezembro 5, 2008

        Nada mais quero com você!
        Entrega-me somente
        a mim mesma…
        Tome minha boca pela
        última vez e sopre a minha alma
        que está dentro de você…
        Não posso mais viver sem ela,
        já que não tenho você…
Naidaterra

Posted in poesia | Leave a Comment »

Cansei

Posted by vidapura2 em Dezembro 5, 2008

        Cansei de ser sempre “amiga”
        Cansei de ser confiável
        Cansei de sempre entender
        Cansei de esquecer de mim
        Cansei de dizer sim
        Cansei de deixar pra amanhã
        Cansei de dizer tudo bem

        Vou lutar pelo que quero e acredito
        Vou dizer quero sem medo de ser importuna
        Vou dizer não com a firmeza de um ditador
        Vou fazer escolhas… Vou escolher a mim

        Cansei de esperar
        Cansei de sempre dá…
        Cansei de esquecer sem querer
        Cansei de fingir que esta tudo bem
        Cansei de segurar as lágrimas
        Cansei de calar
        Cansei de ser  ” se ”

        Vou viver toda alegria que tenho
        explodindo em mim
        Vou sorrir sem medo de ser exagerada
        Vou correr, dançar, brincar
        sem medo de ser infantil
        Vou te abraçar, beijar, segurar sua mão
        sem medo de ser vulgar
        Vou começar … Por me amar

        Iza Mota

Posted in poesia | 2 Comments »

Cansei!

Posted by vidapura2 em Dezembro 5, 2008

       Cansei de te ouvir…

        _ “Amor… Meu amor!”

        Antes, uma expressão sentida.

        Hoje, palavras distorcidas!

        Definitivamente!  Não sou seu amor!

        Seu amor, não é meu.

        Vida de ilusão,

        Não faz bem ao coração…

        

        Nosso sonho de amor fluiu mansamente…

        Pouco durou.

        Foi musica solo. Deslizou docemente.

        Acabou!

        _ Amor… Meu amor!

        Não me chames assim.

        Fica longe de mim…

        Cansei!

 Gildina Roriz

Posted in poesia | Leave a Comment »

Indecisão

Posted by vidapura2 em Dezembro 5, 2008

      Sinto-me desprotegida sem teus braços,
      Indecisa sem saber o melhor caminho para nós…
      Meu amigo ,amante,cúmplice e bom ouvinte,
      Fico  sem chão ao  pensar em viver sem ti…

      Teu colo confortante nos dias de carência…
      Seus conselhos racionais e inteligentes,
      Deixavam-me segura diante das dificuldades,
      Sabias ouvir e participar da minha vida.

      Nossas noite quentes de amor…
      Quanta sintonia ,quanto desejo um pelo outro,
      Explodíamos de tanto prazer e queríamos mais…
      Queríamos parar o tempo para juntinhos ficar.

      Hoje a indecisão se alojou em meu ser…
      Não sei se quero o amor,o amigo ou o prazer…
      Mas de uma coisa tenho certeza…
      Sem ti não sei mais viver!

Candy Saad

Posted in poesia | Leave a Comment »