amizade e poesia

Alguém que faz você rir…Alguém que faz você acreditar em coisas boas…Alguém que convence você …De que existe uma porta destrancada…Só esperando para que você abra. Esta é a Amizade Para Sempre.

Archive for 4 de Fevereiro, 2009

Construtores da Vida

Posted by vidapura2 em Fevereiro 4, 2009

Por mais que gostemos da vida no corpo físico, um dia, todos morreremos, isto é fato.

 

Morrem os pobres e morrem também os ricos.

 

Foi assim que um dia aquele homem, que detinha poder e muitas posses, foi habitar o além.

 

Foi recebido pelo benfeitor, encarregado de conduzi-lo à sua nova residência.

 

Caminhavam calmamente por um lugar pitoresco, com ruas calmas, um gramado extenso e grande variedade de árvores e jardins.

 

Ao passarem por uma das casas, o benfeitor mostrou-a ao homem e lhe disse: “observe! Aquela é a casa de sua cozinheira.”

 

“Mas ela ainda não morreu”, respondeu o homem.

 

Sem dar nenhuma resposta, andaram por mais algum tempo e o orientador mostrou outra casinha graciosa e disse: “essa é a casa do seu jardineiro.”

 

Ambas eram casas muito agradáveis. Simples, mas aconchegantes.

 

Jardins com flores silvestres e pássaros voejando e cantando por entre as borboletas que pousavam de flor em flor.

 

Discretos regatos com águas cantantes e cristalinas cortavam os gramados verdes.

 

O homem estava muito animado, pois se seus empregados teriam moradias tão agradáveis, o que não estaria reservado a ele, um homem rico e poderoso?

 

Caminharam por mais algum tempo, quando o benfeitor parou diante de um barraco, localizado numa área menos clara e quase sem nenhum encanto.

 

Com um gesto gentil indicou ao homem sua nova residência.

 

O homem teve um sobressalto.

 

Indignado perguntou ao orientador: “como posso eu, um homem rico e possuidor de muitos bens, morar agora nesse barraco caindo aos pedaços? Sem dúvida deve ser uma brincadeira!”

 

“Infelizmente não é, meu filho”, falou amavelmente o benfeitor.

 

E acrescentou: “todas as construções são feitas com os materiais que vocês nos enviam diariamente enquanto estão na Terra. São materiais invisíveis aos olhos físicos, mas firmes o bastante para construir um recanto sólido aqui, nesse novo mundo. Cada gesto nobre, cada boa ação, cada trabalho realizado com honestidade e desinteresse, são matérias primas importantes aplicadas nos tesouros verdadeiros deste lado da vida.”

 

“Mas como saber disso, se ninguém me avisou enquanto estava na Terra?”, objetou o infortunado.

 

“Ora, meu filho, talvez você tenha esquecido, mas há mais de dois milênios se ouve falar de um Homem chamado Jesus, que orientou muito bem sobre essa questão, recomendando que se construíssem tesouros no céu, onde nem a traça come nem os ladrões roubam.”

 

Pensativo e sem argumentos, o homem adentrou seu mísero barraco, em busca de um mínimo de conforto para sua alma inquieta.

 

…………………………

 

A parábola nos conduz a riquíssimas reflexões.

 

Nossos maiores tesouros são as virtudes.

 

A compaixão, a fraternidade, a solidariedade, a ternura, o afeto, são elementos importantes na construção da beleza e da harmonia.

 

A honestidade, a dignidade, a humildade, a indulgência e a justiça, são virtudes essenciais para construções sólidas e indestrutíveis.

 

Assim sendo, vale a pena investir nesses tesouros desde hoje, pois a imortalidade não é uma proposta para ser pensada depois da morte, é uma realidade para ser vivida hoje.

Momento Espírita

Posted in AMIGOS | Leave a Comment »

Eu aprendi!

Posted by vidapura2 em Fevereiro 4, 2009

Eu aprendi,
que você não pode
fazer alguém amar você,
tudo que você pode fazer é
alguém ser amado por você.

  Eu aprendi,
que só por amor,
constrói a tua vida,
só por amor,
escolhe teu destino.

Eu aprendi,
que não importa
quanto eu me preocupe,
algumas pessoas não pensam
da mesma maneira.

Eu aprendi,
que só por amor
a tua vida merece ser ungida
pelas chances deste sentimento
único e total.

Eu aprendi,
que não é o que
você tem em sua vida,
mas quem você tem
em sua vida,
que conta.

Eu aprendi,
que só por amor,
entrega tuas mágoas ao teu sonho
e sai por ai rimando
a tua vida com felicidade,
verás que em cada esquina,
há um motivo novo para sorrir.

Eu aprendi,
que você deveria dizer sempre
palavras amorosas a quem você ama,
pode ser a última vez que você o veja.
Olhe o caminho que te espera,
se não o vês, imagine e sonhe,
o teu sonho pulveriza os espinhos
e só o teu medo,
este sim,
insensato,
pode te impedir de viver.

Eu aprendi,
que nós somos
responsáveis pelo
que nós fazemos,
não importa como fazemos.

Eu aprendi,
que só por amor semeia
tuas conseqüências,
nada paga um
carinho despretensioso,
imediato, espontâneo,
nada paga,
mas tem troco.

Eu aprendi,
que o troco,
contrariando todas
as lógicas matemáticas,
pode ser bem maior
que seu próprio ato.

Eu aprendi,
que você controla sua atitude
ou ela controla você,
uma orquestra
à espera de um maestro
e tu deve ser a maestrina
da tua própria vida,
ninguém tem o direito
de arrebatar das tuas mãos
a batuta que há de reger
a sinfonia da tua vida!

Tu é quem deve decidir.
E o que decidas,
seja por amor.

Angelo Sansivieri

Posted in poesia | Leave a Comment »

SE EU FOSSE VOCÊ

Posted by vidapura2 em Fevereiro 4, 2009

            Se eu fosse você
            Eu seria flor e lua,
            para sentir tua pele  na minha,
            espalhando minha cor
            no desejo teu …
            seguiria meu momento
            minha maneira de amar …

            Se eu fosse você
            seria meu espírito sereno,
            derramaria flores n’alma,
            coloriria minhas cores,
            já cansadas da solidão e dores …

            Se eu fosse você
            nasceria numa esplendorosa madrugada,
            e, com a doçura de minha pura essência,
            da harmonia no oculto da sinfonia em bemol,
            eu abrir-me-ia em suaves pétalas,
            renascendo num esplendoroso pôr-do-sol …

            Se eu fosse você
            reconheceria o imensurável amor em mim
            seria pura, cristalina, qual uma menina,
            que ama ser fada e criança …
            colecionaria  reluzentes estrelas,
            teceria criaturas fantásticas
            que guiar-nos-iam aquém e além …

            Se eu fosse você
            eu faria brilhante história,
            tendo sempre o amor em vitória,
             jamais deixando a alegria de viver,
            sorrindo sempre, para não
            deixar o Amor morrer …

            Se eu fosse você
            eu me amaria mais do que tudo,
            desenhando os bons sentimentos,
            suprindo os maus momentos,
            compartilhando apenas valores que agregam  …

            Se eu fosse você
            ah! se você eu fosse,
            em profusão acabar-me-ia tanto amar,
            adormeceria nas nuvens do meu sentir,
            jamais eu morreria de tédio,
            sendo o etéreo Amor nosso remédio,
            ressuscitarias uma solitária  fadinha
            de asinhas quebradas,
            quase a desfalecer por faltar-lhe
            o Amor.
 MariaRegina

Posted in poesia | 1 Comment »

Gotas de motivação

Posted by vidapura2 em Fevereiro 4, 2009

   Todos os dias damos
      um passo sempre à frente
      Todos os dias, caminhamos
      Um pouco mais na direção

      Do nosso Eldorado de sucesso
      Todos os dias, passo a passo,
      Construímos um mundo novo
      Se olhares para trás, veremos que deixamos, marcas

      Profundas nesta linda caminhada em busca da felicidade
      Estas marcas são na verdade uma conquista

      Após as, que juntas, se agregam na idéia de que,
      Para superarmos os obstáculos da vida,
      Precisamos colocar em nossa mente um ponto de chegada

      Uma meta real ou um objetivo bem concreto
      Devemos seguir em frente o tempo todo,

      Sem termos medo do futuro que nos espera
      De braços abertos e com um largo sorriso,

      Destinados às pessoas que acreditam que vencer
      Desta vida é muito mais que um sonho….
      É uma verdade …

Posted in AMIGOS | Leave a Comment »

O CISNE SOZINHO

Posted by vidapura2 em Fevereiro 4, 2009

      Coberto de plumas, tão brancas, como
      branca se deixa ver a neve, ante nosso
      olhar fascinado; corpo esbelto e sensual;
      olhos vermelhos; azul o bico, com um
      ponto amarelo, logo acima;

      desenhando círculos graciosos, na água;
      impulsionado por membranas, também
      elas vermelhas; ritmos melodiosos, como
      que nos presenteando, uma bela sinfonia;
      vai no lago o cisne, sem uma parceira.

      Embora só, de lavar-se não deixa, pena por
      pena, que, com o longo bico, uma a uma,
      se encarrega de alisar e de corrigir, urdindo
      aquela cor branca e lisa, que faz dele, um
      dos mais belos animais, a residir no parque.

      Apenas lhe falta uma companheira, para com
      ele, em ritmados movimentos, de cabeças e
      de pescoços, darem principio, a uma graciosa
      dança de acasalamento, que os juntará, para
      sempre, como num postal romântico, à noite.

      Jorge Humberto

Posted in poesia | Leave a Comment »

Quando chegar o amanhã

Posted by vidapura2 em Fevereiro 4, 2009

                                Me olhas
                                E o brilho dos teus olhos me ilumina todo
                                Me falas
                                E perguntas bem baixinho se te quero um pouco
                                Me abraças
                                E tuas palavras são

                                Quando o amanhã chegar vou te esperar sorrindo
                                Pra te dizer feliz que te desejo tanto
                                Amanhã quero te dar amor
                                Igual a uma rosa quando forte brilha
                                O sol

                                E eu te direi quase à meia-voz
                                Que o tempo nesta noite que é só nossa não demora a passar
                                Apaga essa luz que eu tenho tanto amor pra te dar
                                Despertas
                                E o teu riso é como o dia iluminando tudo
                                Me beijas
                                E a ternura de tuas mãos me acaricia todo
                                Perguntas
                                E eu te respondo então

                                Quando amanhã chegar vou te esperar sorrindo
                                Pra te dizer feliz que te desejo tanto
                                Amanhã quero te dar amor
                                Igual a uma rosa quando forte brilha
                                O sol

                                E eu te direi quase à meia-voz
                                Que o tempo nesta noite que é só nossa não demora a passar
                                Apaga essa luz que eu tenho tanto amor pra te dar
                                Leonardo Sullivan

Posted in poesia | Leave a Comment »

QUANDO O MATE É PRA NÓS DOIS

Posted by vidapura2 em Fevereiro 4, 2009

   Quando o sol no horizonte,
      prepara o descanso do dia,
      as flores exalam perfumes,
      os pássaros entoam canções,
      é o silêncio que se faz ouvir
      da natureza, a perfeita melodia.
      Em cada ser, o encantamento,
      da tarefa cumprida em harmonia,

      Nossos olhares se encontram,
      e nossas mãos se acariciam.
      Na entrega do entardecer,
      quando as flores, se banham.
      O campo, os pássaros sobrevoam.
      E a natureza, declara o anoitecer.
      Ainda vejo os últimos raios do sol.
      Contemplo a noite chegando.
      As estrelas, acendem o universo.
      E recebem a Lua, no céu iluminado.

      O espaço todo se prepara, para nós dois.
      O dia é findo, a tradição é nossa…
      E nós sabemos o que nos espera depois.
      O aconchego, a infusão do mate…
      Teu corpo, a cuia, tua mão…
      Na entrega, na partilha, no afeto.
      Meu corpo estremece, em nossas tradições.
      Onde curtidos, vamos verdear nossos corações.

      Sol Lua©

Posted in poesia | Leave a Comment »

QUANDO O MATE É PRA NÓS DOIS.

Posted by vidapura2 em Fevereiro 4, 2009

      Um canto afinado se escuta ao longe
      enquanto descamba o Sol no entardecer.
      Faz desenhos de sombra no campo
      prenunciando o anoitecer.
      A sinfonia afinada dos pássaros
      saúdam nossa charla ao fim do dia,
      cantam pra nós o som de amores
      extravasado na mais pura harmonia.

      O meu olhar procura o seu
      antes da prosa e do matear,
      na última réstia da luz do Sol
      até borboletas vem bailar,
      acariciar as pétalas perfumadas
      no jardim cheio de flor,
      igual meu afago em seus cabelos
      e passo um mate cheio de amor.

      Réstia de luz do Sol no adeus,
      prenúncio de noite recém chegada,
      céu bordado de estrelas
      e tão bonita a Lua prateada.
      O Universo é todo nosso
      e já sabemos o que virá depois:
      A comunhão de quem se ama
      quando o mate é pra nós dois…

     
      Ruben Alves Vieira

Posted in poesia | Leave a Comment »

Te esperare

Posted by vidapura2 em Fevereiro 4, 2009

      Te esperaré del lado del silencio.
      Entre las sombras de las lentas horas.
      Te esperaré en el fondo de mis sueños
      allí donde comienzan nuestras cosas.
      En ese después del tiempo
      donde podemos ser nosotros.
      Desnudos, al fin, para los besos
      más profundos y locos. Para la piel.
      Te esperaré en la espuma del mar
      interminable. Tú tocarás el aire
      con mi cuerpo. Siempre vas a cantar
      sabiendo que te espero.

      II

      Voy a morir contigo cualquier tarde.
      Después de ti no quiero a nadie.
      Todo el deseo del mundo claudica
      entre tus brazos. No hay más allá de ti,
      es el amor que nunca se reparte.
      Llegaste a ser mi pasión única.
      No somos una ilusión cobarde,
      si tú no luchas, no lucharé tampoco.
      Aceptaré que el tiempo te arranque
      de mi lado y moriré esta tarde.

      Renata Durán

Posted in poesia | Leave a Comment »

Sonho antigo

Posted by vidapura2 em Fevereiro 4, 2009

Sonhei ontem assim, do nosso jeito,
                                Que ultrapassou as raias do perfeito,
                                Na bela sinfonia à natureza…
                                Ouvia bem o som de passarinhos,
                                Que alegremente chegam nos seus ninhos,
                                Como quem nunca viu tanta riqueza!

                                Ao longe o marulhar de uma cascata,
                                Arrancava do peito, sem bravata,
                                Um verso antigo que não quis voar…
                                Você chegava bem devagarinho,
                                Beijando meus cabelos de mansinho,
                                Pedindo que o deixasse duetar.

                                Mas não nos versos, nesta vida linda,
                                Que a gente descobriu e foi bem-vinda,
                                Ocultos nesse abrigo de nós dois…
                                A tarde vinha então caindo mansa,
                                Como uma nuvem que no céu balança,
                                E tudo era tão lindo no depois…

                                No céu, o azul fazia grande festa,
                                A lua nos pedindo uma seresta,
                                E um querubim gritando: – O amor é lindo!
                                Seu riso misturava-se de leve,
                                Ao meu, que percebi, ficava breve,
                                Ao som da noite que já estava vindo.

                                Nos acordes finais da melodia,
                                Colhia um pouco mais dessa magia,
                                No ocaso que deitava sobre a serra…
                                Mas de repente eu vi que entristeceu,
                                O seu olhar, que eu sei, nunca foi meu,
                                E um anjo mau chutou-me para a Terra…

                                Naquele desespero ainda tentei,
                                Salvar do triste fim o que sonhei,
                                Mas não dei conta pois me faltou sorte…
                                Eu vi tombar meu sonho derrotado,
                                Tão triste, tão puído e amarrotado…
                                Quando nasceu pensei que era tão forte!

                                São tantas peças que a vida nos prega!
                                Pelas vielas onde se trafega,
                                E quase tudo morre de repente…
                                Em qualquer inventário do destino,
                                Resta-nos sempre o insano desatino,
                                Da bruxa que parece displicente…

                                Mas ela que se ocupe de outro alguém,
                                Porque sem ela eu vivo muito bem,
                                Dispenso a morte aqui na minha instância…
                                Volto a dormir sem medo de acordar,
                                E sei que novamente irei sonhar,
                                Desse meu jeito, como lá na infância…
Tere Penhabe

Posted in poesia | Leave a Comment »

MEU PIERROT

Posted by vidapura2 em Fevereiro 4, 2009

O carnaval já se aproxima
Animada vou cair na folia
Já escolhi até a fantasia
Para sambar na avenida
Estarei de Colombina
Ao lado do meu Pierrot.
 
Levarei muitas serpentinas
Confetes de todas as cores
Sem lágrimas de tristeza
Nos olhos do meu Pierrot
Vamos esquecer a saudade
E sambar até com alegria.
 
Se o Arlequim aparecer
Na certa não se atreverá
A atrapalhar a nossa festa
Meu Pierrot não é um sonho
Sempre foi minha realidade
E de todos me protegerá.
 
Mas o tal Arlequim atrevido
Ele sim, foi sempre fantasia
Escorregou, caiu e sumiu
No esquecimento na calçada.
 
E na avenida toda enfeitada
Quando os blocos de foliões
Já estiverem no seu desfile
Com toda cadência e energia
Entraremos no cordão a sorrir
Por todos seremos aplaudidos
Ao som das lindas marchinhas
Sassaricando de todo lado.
 
E a linda Chiquita Bacana
Aquela de lá da Martinica
Virá com sua famosa fantasia
“De casca de banana nanica”
Para animar toda a moçada.
 
“O que seu coração mandar”
Com certeza fará com vigor
Na avenida cantará melodias
Com a energia da foliã feliz
Ao meu lado e do meu Pierrot!
 
 Yara Nazaré

Posted in poesia | Leave a Comment »

Com Malícia…

Posted by vidapura2 em Fevereiro 4, 2009

 

Força do teu olhar???

Bastou…

Minha imaginação asas ganhou

O corpo despertou…

Mamilos enrijecidos, só em supor

receber o peso do teu amor…

enlouquecida desejando

teu delicado mordiscar,

e sem dor,

ser delineada com sabor…

Lábios umedecidos,  buscando os teus…

que chegam sedentos sobre os meus…

Coração disparado…

suas mãos provocantes…

minhas coxas mais distantes…

Esse mel, não deu pra controlar

adocicando o ar…

Loucura, me levando do inferno ao céu,

te vendo sorver esse coquetel…

O melhor de mim aflorando…

você, degustando…

Domada…

gemidos disfarçando…

meu gozo te entregando

Na força desse teu olhar

que,  profundamente,

 vai me penetrando…
Má Oliveira

Posted in poesia | Leave a Comment »

Construtores da Vida

Posted by vidapura2 em Fevereiro 4, 2009

Por mais que gostemos da vida no corpo físico, um dia, todos morreremos, isto é fato.

 

Morrem os pobres e morrem também os ricos.

 

Foi assim que um dia aquele homem, que detinha poder e muitas posses, foi habitar o além.

 

Foi recebido pelo benfeitor, encarregado de conduzi-lo à sua nova residência.

 

Caminhavam calmamente por um lugar pitoresco, com ruas calmas, um gramado extenso e grande variedade de árvores e jardins.

 

Ao passarem por uma das casas, o benfeitor mostrou-a ao homem e lhe disse: “observe! Aquela é a casa de sua cozinheira.”

 

“Mas ela ainda não morreu”, respondeu o homem.

 

Sem dar nenhuma resposta, andaram por mais algum tempo e o orientador mostrou outra casinha graciosa e disse: “essa é a casa do seu jardineiro.”

 

Ambas eram casas muito agradáveis. Simples, mas aconchegantes.

 

Jardins com flores silvestres e pássaros voejando e cantando por entre as borboletas que pousavam de flor em flor.

 

Discretos regatos com águas cantantes e cristalinas cortavam os gramados verdes.

 

O homem estava muito animado, pois se seus empregados teriam moradias tão agradáveis, o que não estaria reservado a ele, um homem rico e poderoso?

 

Caminharam por mais algum tempo, quando o benfeitor parou diante de um barraco, localizado numa área menos clara e quase sem nenhum encanto.

 

Com um gesto gentil indicou ao homem sua nova residência.

 

O homem teve um sobressalto.

 

Indignado perguntou ao orientador: “como posso eu, um homem rico e possuidor de muitos bens, morar agora nesse barraco caindo aos pedaços? Sem dúvida deve ser uma brincadeira!”

 

“Infelizmente não é, meu filho”, falou amavelmente o benfeitor.

 

E acrescentou: “todas as construções são feitas com os materiais que vocês nos enviam diariamente enquanto estão na Terra. São materiais invisíveis aos olhos físicos, mas firmes o bastante para construir um recanto sólido aqui, nesse novo mundo. Cada gesto nobre, cada boa ação, cada trabalho realizado com honestidade e desinteresse, são matérias primas importantes aplicadas nos tesouros verdadeiros deste lado da vida.”

 

“Mas como saber disso, se ninguém me avisou enquanto estava na Terra?”, objetou o infortunado.

 

“Ora, meu filho, talvez você tenha esquecido, mas há mais de dois milênios se ouve falar de um Homem chamado Jesus, que orientou muito bem sobre essa questão, recomendando que se construíssem tesouros no céu, onde nem a traça come nem os ladrões roubam.”
 

Pensativo e sem argumentos, o homem adentrou seu mísero barraco, em busca de um mínimo de conforto para sua alma inquieta.

 

…………………………

 

A parábola nos conduz a riquíssimas reflexões.

 

Nossos maiores tesouros são as virtudes.

 

A compaixão, a fraternidade, a solidariedade, a ternura, o afeto, são elementos importantes na construção da beleza e da harmonia.

 

A honestidade, a dignidade, a humildade, a indulgência e a justiça, são virtudes essenciais para construções sólidas e indestrutíveis.

 

Assim sendo, vale a pena investir nesses tesouros desde hoje, pois a imortalidade não é uma proposta para ser pensada depois da morte, é uma realidade para ser vivida hoje.

 

 

 

 

 

Momento Espírita.

Posted in AMIGOS | Leave a Comment »

Será meu fim

Posted by vidapura2 em Fevereiro 4, 2009

Teu amor se vai e de forma bruta me deixa…

Transforma-me de grande homem em pequeno menino,

Quantas noites de pensamentos? quantas lagrimas choradas

por ti?

Aos poucos fui te perdendo  e por baixo da ponte da ingratidão nosso amor, nosso tesão se foi, noites de prazer sonhado, pensamentos lindos apagados.

Quanta paixão! Quanto calor!

E sempre a geleira de tuas palavras e atos que adormeciam em mim o monstro do prazer…

Sonhar com teu beijo, com tua pele, com seu sussurro, com aquela sensação de estar entre as estrelas e viajar com você no infinito, percorrer com você os caminhos do amor que queima e que deixa marcas de saudades e, você sempre, sempre inerte, como se não percebesse tudo que sinto por ti.

Hoje, meu mundo que era de vulcão, de prazer incontinente se vai pelo ralo do esquecimento. Começar de novo sem ti ,talvez tarefa impossível.

De anjo me fizestes escravo das lagrimas e da recordação, e, agora, sua pele, seu cheiro não se fazem mais presente em meu corpo, e começa a ser retirado de minha alma.

Amor bandido que senti por ti, me fez sorrir e ver a graça de todo o explendor do prazer e ,agora ,me devolve tudo com tua frigidez e me trai em teus atos com outros corpos com silhueta melhor que o meu. Minha silhueta que te entreguei foi a do amor pleno e no lugar do carinho me destes o castigo da indiferença.

As palavras que esperava de ti cheias de mel vieram com o fel dos mesmos algozes da antiguidade, de símbolo de pureza e de encanto se transformastes em algoz da escuridão.

Ah! dor de meu peito será que um dia você se vai?

A marca de minha alma, será que um dia se apaga e me faz esquecer aquilo que vi naquela manha, que deveria ser de encanto?

Ah! amor sacana! que espera pra mim , em meus lençóis?

Você se foi e agora estou aqui velho, sozinho e nada mais espero, as palavras se vão, a dor vem, e ainda tenho que te ver, te desejar, mas não posso mais te tocar.

Ah dor… como você tem sido minha companheira e fazes de mim teu escravo!

Ah! amor cadê você? Onde estão aquelas noites de prazer, aquele sorriso doce, aquele beijo molhado, aqueles momentos de puro êxtase, onde estás e para onde você foi levado?Amor!… Amor!…

Eu grito por ti e ecoa no universo minha voz e volta como um eco para mim mesmo e mais uma vez sozinho vou percorrendo minha estrada, agora, sozinho e infeliz.

Hoje morri e agora me sepulto para sempre para o amor carnal, pois sem tua pele, seu cheiro, seu calor, nada…

nada mais busco….

 

 PAULO NUNES JUNIOR

Posted in poesia | Leave a Comment »

O pensamento é criador

Posted by vidapura2 em Fevereiro 4, 2009

Se você conhecer a verdade de que o pensamento é criador e que somente a ideia tem existência real, você deverá ter consciência de que o seu pensamento é uma arma poderosa e mais eficaz do que qualquer outro tipo de arma.

Assim sendo, jamais deverá ter pensamentos vis ou incorretos e tampouco deverá pensar em infelicidade, desgraça, doença, conflito ou desarmonia.
O seu pensamento deverá ser elevado, puro e sadio, pensando sempre na felicidade, saude, prosperidade, harmonia e paz.

Saiba que o seu destino é traçado pelos seus próprios pensamentos e não por alguma força material de fora.

O seu pensamento é aparecimento, no seu corpo e no seu meio ambiente, de tudo aquilo que você pensou.

Torne o seu pensamento mais elevado, mais puro, mais belo e mais próspero.

Masaharu Taniguchi

Posted in poesia | Leave a Comment »