amizade e poesia

Alguém que faz você rir…Alguém que faz você acreditar em coisas boas…Alguém que convence você …De que existe uma porta destrancada…Só esperando para que você abra. Esta é a Amizade Para Sempre.

Archive for 6 de Fevereiro, 2009

Ouvindo Corações

Posted by vidapura2 em Fevereiro 6, 2009

Grande sabedoria é saber olhar a vida com olhos de ver. Enxergar as coisas de maneira diversa da habitual. Ir além das aparências.

 

Nós não somos apenas ossos, músculos, tendões, unhas, cabelos, sangue. Somos tudo isso e mais a essência, o espírito.

 

É essa essência que nos faz ficar doentes ou recuperar a saúde de uma doença sem bons prognósticos.

 

Assim, não se pode imaginar medicina sem os remédios, bisturis, equipamentos, poções. Mas, a essência não pode ser esquecida.

 

Dr. Josh era um talentoso cirurgião oncológico. Depois de alguns anos, começara a ter problemas.

 

Mal conseguia se levantar da cama todas as manhãs porque sabia que iria ouvir as mesmas queixas, dia após dia.

 

De tanto ouvir falar de dores e assistir ao sofrimento, deixara de se importar.

 

Para que tudo aquilo, afinal? Muitos pacientes ele nem conseguia que se recuperassem.

 

Então, uma amiga lhe observou que ele precisava ter novos olhos. O importante não era mudar de hospital, de atividade. Era ele olhar o mesmo cenário, de forma diferente.

 

E lhe sugeriu que, a cada dia, durante 15 minutos, ele rememorasse os acontecimentos e respondesse a si mesmo: “o que me surpreendeu hoje? O que me perturbou ou me emocionou hoje? O que me inspirou hoje?”

 

Ele ficou em dúvida, mas tentou. Três dias depois, a única resposta que conseguia dar para as três questões era nada, nada, nada.

 

A amiga lhe sugeriu que ele olhasse as pessoas ao seu redor como se fosse um escritor, um jornalista, ou quem sabe, um poeta. Procurasse histórias.

 

Seis semanas depois, Josh encontrou-se com ela outra vez e lhe falou das suas experiências. Estava mudado. Sereno.

 

Nos primeiros dias, a única coisa que o surpreendera tinha sido o tumor de algum paciente que diminuía ou regredira poucos centímetros.

 

O mais inspirador, uma droga nova, ainda em experiência, a ser ministrada aos pacientes.

 

Certo dia, observando uma mulher de apenas 38 anos, que ele havia operado de um câncer no ovário, tudo mudou.

 

Ela estava muito debilitada pela quimioterapia. Sentada em uma cadeira, tinha ao seu lado as filhas de quatro e seis anos. As duas meninas estavam bem arrumadas, felizes e amadas. “Como ela fazia aquilo?”

 

Aproximou-se e lhe disse que a achava uma mulher maravilhosa, uma mãe fora do comum. Mesmo depois de tudo o que havia passado, ele observava que havia dentro dela algo muito forte. Uma força que a estava curando.

 

A partir daí, ele começou a perguntar aos pacientes o que lhes dava forças na sua luta contra a doença.

 

As respostas eram muito diversas. O importante é que ele descobriu que tinha interesse em ouvir.

 

Se antes já era um excelente cirurgião, deu-se conta de que agora, e somente agora, as pessoas vinham lhe agradecer pela cirurgia. Algumas até lhe davam presentes.

 

Mudou o seu relacionamento com os doentes. Contando tudo isso para a amiga, ele retirou do bolso um estetoscópio com seu nome gravado e o mostrou, comovido. Presente de um paciente.

 

Quando a amiga lhe perguntou o que é que iria fazer com aquilo, ele sorriu e respondeu: “Ouvir os corações, Rachel. Ouvir os corações.”

 

……………………………………

 

Todas as vidas têm um significado. Encontrar o sentido das coisas nem sempre é fazer algo diferente. Por vezes, é somente enxergar o cotidiano, a rotina de uma forma diferente.

 

A vida pode ser vista de várias maneiras: com os olhos, com a mente, com a intuição.

 

Mas a vida só é verdadeiramente conhecida por aqueles que falam e ouvem a linguagem do coração.
Momento Espírita

Posted in AMIGOS, amizade | Leave a Comment »

RENASCER EM MIM

Posted by vidapura2 em Fevereiro 6, 2009

        Sinto renascer em mim

        a mulher que ontem morreu.

        Decepções, mágoas, perdas,

        tudo se reverte em algo bom para amadurecer.

        Impregnadas na alma estão as fortes lembranças.

        Das boas vou esculpindo em mim o que vai renovar

        Minha forma para bem viver e assim poder caminhar

        Esculpindo a mim mesma com muitos detalhes

        Na bagagem levo uma nova roupagem

        A forte certeza de um novo amanhecer

        Novo dia está chegando para amor dar e receber.

        

        Sou escultora de mim mesma.

        Posso montar esse quebra-cabeças

        Que todo o mistério me faz instigar

        O que de melhor terei a dar.

        A tantos corações com quem convivo

        Nessa nova jornada… não há inimigos.

        Doçura, candura, gestos de amor

        A natureza clama forte é tempo de renovar.

        Isso tudo é o que levamos para outras vidas

        E assim …

        Seguir essa com devoção e  muito amor.

        

        Nanci Laurino

Posted in poesia | Leave a Comment »

SONHEI COM VOCÊ

Posted by vidapura2 em Fevereiro 6, 2009

        Parecia tão real, tocava minha face, beijava meu rosto

        Gesto de amor que se eterniza agora em minha lembrança.

        A saudade aumentou, e no sonho você falou.

        Poucas palavras, soaram depois ao longe…

        Nada mais pode dizer, o silêncio imperou!

        

        Quisera eu contigo estar,

        Mas Alguém… Luz… Força, a levou…

        Em seus fortes braços te carregou…

        

        Sonho lembrança, sonho esperança,

        De um dia ir ao seu encontro

        E tão forte abraço poder dar,

        Minha face receber seu beijo

        Seu rosto de amor a me acalentar

        E nos seus braços ternos e maternos

        Irei me entregar!

        

        Nanci Laurino

Posted in AMIGOS, poesia | Leave a Comment »

Aceitação

Posted by vidapura2 em Fevereiro 6, 2009

      São tantos os caminhos, tantas provações,
      vivemos a cada dia, sem saber o que virá.
      Se a felicidade, ou sofrimentos são as missões,
      temos que seguir em frente, e aceitar o que será.

      Perder o que se tem, no plano material,
      não é fácil para quem a vida toda lutou.
      Um mal negócio, uma aplicação irreal,
      consegue acabar, com tudo que se sonhou.

      Que fazer, se não há como escapar.
      Que fazer, se não há forças para lutar.
      Que fazer, se a vida é puro cansaço.
      Que fazer da caminhada, se falta um passo.

      Aceitar…

      O que a vida nos dá… Como se fossem lições.
      Pois, Deus nosso grande Mestre, sabe o que faz.
      E o que Ele escreveu, é nossa missão…
      Aprender, resignar… Traz para a alma a paz.

      Na história temos muitos exemplos de fé.
      Vencer ou ser vencido, é a grande questão.
      Seres humanos, valorosos da plebe a Santa-Sé,
      Sofreram mas venceram, ouvindo o coração.

      Tudo nesta vida é passageiro e ilusão.
      Pode-se dormir, tanto na rua quanto na mansão.
      O importante é sempre recomeçar e acreditar…
      Que com fé, amor, a vida sempre irá melhorar.

      Dizem e eu acredito, em outra vida, outra morada.
      Onde a felicidade será eterna, não existirá a dor.
      Não haverá sofrimento, e vencerá o amor…
      As lutas serão esquecidas, nesta terra passada.

      Quem tem esperança, possui o maior do tesouro.
      Pois acredita, em um mundo novo vindouro…
      Vale a pena acreditar, viver o hoje com o que se tem
      Para aceitar o amanhã, e com a vida… Ir além.

      Sol Lua©

Posted in poesia | Leave a Comment »

Aceitação

Posted by vidapura2 em Fevereiro 6, 2009

      São tantas perdas que sofremos nessa vida
      Tanta dor nos momentos de desenlaces
      Que parecem que podaram um pedaço da gente
      arrancaram, lascaram, sem anestesiar

      E fica aquele vazio no peito da gente
      No corpo, na alma aquela dor,
      aquela falta sem cessar, lesado no corpo no coração
      Sentimos que nem o tempo vai curar, tal mutilação

      Que fazer, se não há como a falta sanar
      Que fazer, se não há como remediar
      Que fazer, se não há como ressuscitar
      Que fazer, se não há como o coração consolar

      Somente os desígnios da vida e de Deus aceitar
      Pois a vida vai que continuar
      A parte que se foi, vamos aprender a conciliar
      O que morreu, sua parte cumpriu, e a nossa vida vai continuar

      A nossa parte deve chegar ao fim, devidamente completada
      Nascemos já sentenciados, com uma micção a ser cumprida
      Não sabemos exatamente, nem quando, nem de que nem onde
      Muito menos a missão a ser constituída, parte da condenação

      Esta vai depender do seu livre arbítrio
      das escolhas de sua vida
      Se você alimenta mais o Bem ou o Mal
      Dependendo de você, os atenuantes e os agravantes

      De nada adianta reclamar, se lastimar
      Muito menos sentir pena de si
      Porque a vida, o tempo não vai parar para te esperar
      A vida vai continuar, se não luta, seu suplicio só vai aumentar

      Que fazer então? Se resignar, se consolar, aceitar?
      Parece ser este o caminho, o da Aceitação
      Com Amor, Fé e esperança no coração
      Pois é o único caminho para paz, e a alegria da reconciliação

      Aceitar a vida como ela nos é dada
      Estar para as mudanças que são eternas
      Prevenido, preparado, dando sentido a sua vida
      Pois o maior sentido ela, é viver, e sua parte fazer.

      Joe’A

Posted in poesia | Leave a Comment »

Eu Vivi E Sei

Posted by vidapura2 em Fevereiro 6, 2009

Eu vivi e sei
 que o amor é um sentimento parceiro,
não se enraíza sem um companheiro
que partilhe à altura, seus sentimentos!

Eu vivi e sei
que a natureza não falha!
Por amor, os habitantes da fauna constroem seus ninhos,
seus abrigos, e simplesmente se acasalam!

 Não acontecemos num simples acasalamento!
Não somos como os pássaros,
somos muito mais!
Nem mesmo assim, regemos nosso destino!

Podemos nos doar de corpo e alma,
dia e noite, em busca da realização
de nossos sonhos…
Porém se não houver sintonia cósmica
interagindo a nosso favor, não colheremos
os frutos, das sementes que plantamos!

Eu vivi e sei,
que a preocupação não nos leva à nada,
havendo paz em nossa alma, os problemas
se resolvem por si mesmos!

Eu vivi e sei,
que a pureza do amor verdadeiro
dispensa a unção dos corpos,
porque deles irradia um fulgor
que eleva suas almas!

Eu vivi e sei,
que de nada me valeria tudo o que tenho,
se não tivesse amor, e sua constante presença
a meu lado.

Eu vivi e sei,
que o amor jamais me levará à magoas…
Entrego em tuas mãos, minhas rimas,
meus sonhos, meus sorrisos,
minha felicidade!

Eu vivi e sei,
que o amor faz brotar de nossas bocas
palavras prazerosas…
 Não haverá em nossa vida a tristeza de uma última vez!
Não há caminhos a minha espera!
Não mudarei meu rumo, escolhi o caminho certo!
Sinto-me amparada e segura em tuas mãos,
não sei o que é medo, nem tédio!

Eu vivi e sei,
que somos responsáveis pelos nossos atos,
mas se praticados por amor,
não haverá necessidade de cuidados!

Eu vivi e sei,
que colhemos o que semeamos!
Quando amamos tudo é espontando…
Nada se paga, não esperamos troco!

Eu vivi e sei,
que ninguém sabe a razão do amor!
Mas se somarmos e dividirmos
nossos sentimentos, provaremos a lógica
da ciência exata!

Eu vivi e sei,
que o respeito mútuo é imprescindível,
mesmo entre dois ser e que se adoram,
para liberar o espaço que precisamos
ao ir ao encontro de nossos sonhos…
Como aves, migramos e voltamos
aos braços do amor que ficou à nossa espera!

Eu vivi e sei
que cada pessoa é única!
Porém, se foi a força do amor Divino que as uniu,
suas vidas e destinos estão traçados!

Iracema Zanetti

Posted in poesia | Leave a Comment »

Eu aprendi!

Posted by vidapura2 em Fevereiro 6, 2009

Eu aprendi,
que você não pode
fazer alguém amar você,
tudo que você pode fazer é
alguém ser amado por você.

  Eu aprendi,
que só por amor,
constrói a tua vida,
só por amor,
escolhe teu destino.

Eu aprendi,
que não importa
quanto eu me preocupe,
algumas pessoas não pensam
da mesma maneira.

Eu aprendi,
que só por amor
a tua vida merece ser ungida
pelas chances deste sentimento
único e total.

Eu aprendi,
que não é o que
você tem em sua vida,
mas quem você tem
em sua vida,
que conta.

Eu aprendi,
que só por amor,
entrega tuas mágoas ao teu sonho
e sai por ai rimando
a tua vida com felicidade,
verás que em cada esquina,
há um motivo novo para sorrir.

Eu aprendi,
que você deveria dizer sempre
palavras amorosas a quem você ama,
pode ser a última vez que você o veja.
Olhe o caminho que te espera,
se não o vês, imagine e sonhe,
o teu sonho pulveriza os espinhos
e só o teu medo,
este sim,
insensato,
pode te impedir de viver.

Eu aprendi,
que nós somos
responsáveis pelo
que nós fazemos,
não importa como fazemos.

Eu aprendi,
que só por amor semeia
tuas conseqüências,
nada paga um
carinho despretensioso,
imediato, espontâneo,
nada paga,
mas tem troco.

Eu aprendi,
que o troco,
contrariando todas
as lógicas matemáticas,
pode ser bem maior
que seu próprio ato.

Eu aprendi,
que você controla sua atitude
ou ela controla você,
uma orquestra
à espera de um maestro
e tu deve ser a maestrina
da tua própria vida,
ninguém tem o direito
de arrebatar das tuas mãos
a batuta que há de reger
a sinfonia da tua vida!

Tu é quem deve decidir.
E o que decidas,
seja por amor.

Angelo Sansivieri

Posted in poesia | Leave a Comment »

COMO SOMBRA

Posted by vidapura2 em Fevereiro 6, 2009

            Desenlaçou os fios da meada,

            lutou em batalhas inexistentes.

            Qual ilha, na vastidão do nada,

            rodeou-se de muralhas,

            num medo incoerente

            e irracional.

            Bloqueou a entrada

            principal…

            

            Na inquietude do abandono,

            esqueceu a magia do sonho

            entre correntes.

            Na masmorra dos pesadelos,

            desembainhou a espada

            e qual soberano prepotente,

            ascendeu ao trono

            dos incoerentes.

            Perdeu a noção do real

            e vestiu-se de insensatez…

            

            Esqueceu o pobre mortal

            que sem amor, nada faz sentido.

            Zombou de tantos sentimentos,

            questionou a existência Divina

            até sentir-se ateu!

            Agrilhoou o ser emocional

            e na solidão escolhida,

            brincava com o tempo

            que lento se arrastava,

            em fase terminal…

            

            Isolado qual animal,

            murchará na sede do deserto,

            alma calada em águas profundas,

            profusa em dúvidas e mágoas.

            Não sente, não vê,

            não entende o sinal.

            No corpo, as marcas dos anos,

            traçando um  ponto final,

            outra vez…

            

            No vento frio do engano,

            palavras borbulham

            aqui, ali, além…

            Farfalham

            incompletas, desconexas.

            Secas palhas que espalham

            o oculto sentir não prescrito.

            E cega um olhar peregrino

            na seca fonte do orvalhar.

            Tudo fica mais além

            e discordante…

            

            Enfim, enxergou-se só…

            Emudeceu o grito,

            acolheu a desdita,

            aceitou o livro do destino,

            onde nada havia escrito.

            Não se rende à realidade,

            absorve as mentiras,

            mas não desperta do sono…

            Tomba o ser humano

            qual infértil figueira.

            Na fina transparência

            da veracidade,

            a derradeira fuga:

            sempre da luz distante

            esgueira-se,

            como sombra sem dono,

            um proscrito…
Anna Peralva

Posted in poesia | Leave a Comment »

CÍRCULO VICIOSO

Posted by vidapura2 em Fevereiro 6, 2009

      Esquinas assimétricas,
      alinhavando prédios, onde impera
      o mau gosto e a indiferença,
      quer pelo corte inestético, quer
      por uma falta total, de sensibilidade,
      erguem-se, aqui e ali,
      formando novas cidades.

      Com suas cores aberrantes e
      excessivas, logo se percebe, que
      algo está fora de seu contexto,
      ao vistoriar estes novíssimos edifícios,
      onde insectos voltejam, tontos
      de janelas, que preenchem, por
      inteiro, fachadas irregulares.

      Em seu desenho original, existe
      uma imensidão, de varandas e de degraus,
      de onde emergem, paredes conspurcadas.

      
      Ambulantes vícios,
      isentam-se do cimento, indo
      instalar-se, onde predomine o fétido,
      do «não» humano, do «não» vida,
      numa aniquilação sem retorno.

      Ali tudo se compra e se vende,
      enquanto as chuvas, formam poças,
      de águas mortas, para uso futuro.

      Soam gritos, noite dentro;
      e, as ruas, insensíveis, são testemunhas,
      de mais um corpo sem vida, caído no chão.

      Jorge Humberto

Posted in poesia | Leave a Comment »

Clari(ce)dade

Posted by vidapura2 em Fevereiro 6, 2009

Clarice, Clarice o que está por detrás do pensamento Clarice… Responda-me agora que você não é mais ela é it.

 

Nesta madrugada, você sondava o tempo, observava a chuva e conversávamos em silêncio. “Amanhã será dia de sol?”.

No instante conversávamos. Espera!!! Já não é mais o instante. É o instante depois do instante, depois do instante… 

Você ri é? Agora sei obre o instante, Então vamos rir juntas… Seu riso ecoa em meu riso, porque eu ainda sou ela, enquanto vc já é it.

E a culpa e a glória é do instante, que já não é mais instante é assim como você.

 

Enquanto me observava, eu tentava descobrir o que está por detrás do pensamento.

Parei de pensar… Adormeci. Por detrás do pensamento, com certeza também estão os sonhos, o que mais estiver é segredo, neste instante.

Sonhei com você, e foi por detrás do pensamento.

Você ria, não um riso doido de ela… Mas um riso calmo, daqueles que com o olhar transmitem a sabedoria de se ser em instantes eternos.

 

Maria Inês Simões

Posted in poesia | Leave a Comment »

OLHAR SEGURO

Posted by vidapura2 em Fevereiro 6, 2009

Nunca me olhas,
Como mulher desesperada,
Que estás prestes a desistir,
Sente-se forte e não desanimas,
Sempre é altiva, segura,
Mulher guerreira que não se abala,
Olha com muita vivacidade, é autoritária,
Qualidade que faz parte de sua vida,
Porque nunca se entrega,
Sempre vai à luta e acredita,
Nunca diz não, para a vida,
Sempre está de bem com ela,
Nunca carrega pensamentos negativos,
Mostra sempre neste seu olhar,
A força e o carinho para nos dar.

José Ernesto Ferrareso

Posted in poesia | Leave a Comment »

Liberdade

Posted by vidapura2 em Fevereiro 6, 2009

      Nos olhos mansos mora a liberdade,
      A qual ronda meus passos pela vida,
      Dando aos meus dias tanta qualidade,
      Que me faz vê-la sempre mais querida.

      Cavalga no alazão de uma saudade,
      Sem lamentar a trilha já vencida.
      Lembrança existe e não é novidade,
      Um dia vem mas logo é esquecida.

      Fica o prazer de ver os prados verdes,
      Nas mãos em concha, água cristalina,
      A saciar a sede de viver!

      Não foge a liberdade a quem amar.
      Aos pares ela pode persistir…
      Mas não persiste se um dos dois trair!

 Tere Penhabe

Posted in poesia | Leave a Comment »

Os Sapatos

Posted by vidapura2 em Fevereiro 6, 2009

Toda a nossa caminhada neste mundo irá depender de como olhamos os desafios que estão adiante.

Conhecemos bem a história do otimista e do pessimista diante de um copo com água pela metade: o primeiro acha que está meio cheio, o segundo afirma que está meio vazio.

T. Farias conta outra versão do mesmo tema:

Uma empresa de calçados americana manda dois representantes a determinado país da África para estudar a possibilidade de construir uma fábrica ali. E recebe os dois relatórios:

“Aqui ninguém usa sapatos”, escreve o primeiro representante. “Se instalarmos uma fábrica, teremos prejuízo”.

“Aqui ninguém tem sapatos”, escreve o segundo. “Se instalarmos uma fábrica, venderemos tudo”.

Paulo Coelho

Posted in AMIGOS | Leave a Comment »

POETA APRENDIZ OU APRENDIZ DE POETA?

Posted by vidapura2 em Fevereiro 6, 2009

      Por mais semelhantes que sejam os dois termos, e pareçam dizer a mesma coisa , existe uma diferença sensível entre um “aprendiz de poeta” e um “poeta aprendiz”.

      O “aprendiz de poeta” dá, talvez, os primeiros passos na arte da composição poética, aprendendo a rimar “lé com cré” ou mesmo a expor em versos brancos os seus sentimentos.

       ( Há os que nunca se deixam avançar desta fase rudimentar da poesia, mantendo ao longo dos anos as mesmas rimas paralelas e insipientes presas a “um ou dois” temas somente, repetidos à exaustão).

      O “poeta aprendiz” está sempre em busca de novos caminhos, de adquirir conhecimento, de aperfeiçoar a sua poesia através do estudo, da pesquisa, da observação dos fatos cotidianos, transpondo as barreiras do real e da fantasia.

      O poeta aprendiz

       Não tem medo de errar…experimenta…
      Não se perde entre críticas e elogios…prossegue
      Não se acomoda na vulgaridade dos versos…
      busca a originalidade
      Não foge da realidade…esmiúça os fatos.
      Não teme a polêmica…mostra a cara
      Não generaliza… pontua

      O poeta aprendiz aprende a cada dia
      nunca está satisfeito com o já realizado

      Vive na busca contumaz de um “algo mais”

      Desfila roupagens diferentes , às vezes “fashion”
      às vezes casuais, às vezes propositalmente chocantes.

      Não tem medo de transpor a linha do tempo,
      de travestir-se de barroco ou futurista.

      Aprender e apreender conhecimento é o que o motiva a prosseguir.

      Quem dera que todo aprendiz de poeta
      se tornasse enfim, um poeta aprendiz.

Jorge Linhaça

Posted in AMIGOS, poesia | Leave a Comment »

Rasgado

Posted by vidapura2 em Fevereiro 6, 2009

A palavra atinge a todos
Trovões silenciosos
Chuva tempestuosa
Água escorre no rosto
Cabelos molhados

A poesia caminha
Dentro do peito
Costura a dor
Panos morenos
Pontos pretos

Cada dia preciso mais
E quando não estiver por aqui
No azul profundo
Então necessitarei ainda mais
Do seu amor

Carlos Assis

Posted in poesia | Leave a Comment »