amizade e poesia

Alguém que faz você rir…Alguém que faz você acreditar em coisas boas…Alguém que convence você …De que existe uma porta destrancada…Só esperando para que você abra. Esta é a Amizade Para Sempre.

Archive for 10 de Fevereiro, 2009

A Ausente

Posted by vidapura2 em Fevereiro 10, 2009

      Há várias espécies de dores capazes de atingir os corações humanos.

      

      Qual a mais intensa?

      

      Parece-nos ser aquela que estamos sentindo no momento.

      

      Temos o costume de esquecer o passado e valorizar o sentimento presente como se nada de pior já tivesse acontecido, ou pudesse vir a acontecer.

      

      Isso é uma tendência muito natural do ser humano.

      

      Mesmo assim, existem sofrimentos que se distinguem dos outros, e assumem perante a maioria das criaturas uma condição de maior gravidade.

      

      A morte de um ser querido, por exemplo.

      

      Não há quem não se comova, sofra, sinta verdadeiramente quando um ser amado abandona o envoltório corporal e parte para outro plano da vida.

      

      Pouco importa se a desencarnação foi repentina, ou não; se foi violenta, ou serena.

      

      Não interessa se aquele que partiu já contava com avançada idade, ou se ainda era jovem.

      

      Não há como mensurar essa espécie de dor.

      

      E cada um a sente, e reage a ela, de forma diversa.

      

      Há aqueles que se entregam, blasfemam e se revoltam.

      

      Há outros que choram, mas que aceitam, envolvendo suas dores no bálsamo da prece e da fé.

      

      Há, ainda, os que buscam modos nobres e belos para render novas homenagens àqueles que já se foram.

      

      Assim parece-nos ter agido o poeta Augusto Frederico Schmidt, que toca nossos corações com os seguintes versos:

      

      “Os que se vão, vão depressa,

      

      Ontem, ainda, sorria na espreguiçadeira.

      

      Ontem dizia adeus, ainda da janela.

      

      Ontem vestia, ainda, o vestido tão leve cor-de-rosa.

      

      Os que se vão, vão depressa.

      

      Seus olhos grandes e pretos, há pouco, brilhavam.

      

      Sua voz doce e firme faz pouco ainda falava.

      

      Suas mãos morenas tinham gestos de bênçãos.

      

      No entanto hoje, na festa, ela não estava.

      

      Nem um vestígio dela, sequer.

      

      Decerto sua lembrança nem chegou, como os convidados,

      

      Alguns, quase todos, indiferentes e desconhecidos.

      

      Os que se vão, vão depressa

      

      Mais depressa que os pássaros que passam no céu,

      

      Mais depressa que o próprio tempo,

      

      Mais depressa que a bondade dos homens,

      

      Mais depressa que os trens correndo, nas noites escuras,

      

      Mais depressa que a estrela fugitiva que mal faz traço no céu.

      

      Os que se vão, vão depressa.

      

      Só no coração do poeta, que é diferente dos outros corações,

      

      Só no coração sempre ferido do poeta

      

      É que não vão depressa os que se vão.

      

      Ontem ainda sorria na espreguiçadeira,

      

      E seu coração era grande e infeliz.

      

      Hoje, na festa ela não estava, nem sua lembrança.

      

      Vão depressa, tão depressa os que se vão …”

      

      ………………………..

      

      Não permita que sua dor, seja ela causada pelo motivo que for, o impeça de perceber a beleza de cada momento.

      

      Não deixe que suas lágrimas, por mais sentidas e justas que sejam, turvem sua visão, impossibilitando que seus olhos vejam a vida com clareza e serenidade.

      

      Dedique aos amores que partiram pensamentos otimistas e repletos de confiança no reencontro futuro, sem desespero nem revolta.

      

      Se hoje, na sua rotina, pareceu-lhe que ninguém notou a dor que lhe invadia intensamente o peito, saiba que nada, nem mesmo nossas angústias, passam despercebidas ao pai.

      

      Confie, persista e prossiga, sempre.
 Momento Espírita

Posted in AMIGOS | Leave a Comment »

DOCE AMOR

Posted by vidapura2 em Fevereiro 10, 2009

      Corpos entrelaçados,

      lençóis caídos,

      O nosso amor em todos os cantos

      nosso ninho de amor,

      rolamos como dois malucos,

      dias, tardes, noites insaciáveis de prazer contínuo ,

      beijos, carícias, confidências, promessas…

      

      Almas entrelaçadas em amor doce,

      doce instrumento de minha vida,

      tomando-me a razão, a alma.

      Você entra em meu coração de fininho

      teu jeito manhosa comanda meus sentidos.

      

      Agora tu fizeste a razão de meu viver,

      durmo na ânsia de despertar, e vê-la,

      corro em busca de teu corpo,

      contigo transformo-me vulcão ,

      em teu beijo sinto o néctar das flores mais belas,

      como beija-flor quero permanecer sentindo teu sabor.

      

      Você agora toma-me por completo,

      nada sou sem a tua presença,

      pois agora estás em mim,

      senti-la em tudo faz parte de meus dias,

      se olho para o sol;

      lembro-me do calor que vem de nossos corpos,

      se vejo a lua, lembro-me de nossos olhos.

      Se olho para os oceanos;

      lembro-me da dimensão de nosso amor….

      

      Você é meu doce amor,

      contigo sou estrela ,

      sem ti…faço-me carvão

      um carvão a tua espera sempre

      E pronto a

           Tocar-te e voltar a ser a grande brasa de amor…

      

      vem vamos nos amar feche as janelas

      apague as luzes!…

      acende as velas…

      vamos viver nosso doce amor!

      

      Paulo Nunes Junior

Posted in poesia | Leave a Comment »

Descobri!

Posted by vidapura2 em Fevereiro 10, 2009

 Ah…quantas noites mal dormidas,

      Quantos sonhos interrompidos,

      Quanto acordei de sobressaltos…

      

      E, lá me deparava com você a me perseguir.

      Palavras jogadas ao vento, acusações sem provas,

      Mentiras plantadas, mensagens falsas,

      personagens criadas,

      envolvendo-me sempre em uma rede de intrigas…

      

      Eu aqui frágil…meio perdido,

      novo nestes caminhos. E você ai já toda poderosa…

      Fazendo-se de soberana e absoluta,

      Plantando nos corações inverdades sobre mim…

      Eu, que apenas deseja passar entre muitos,

      Levar meu carinho com respeito nos caminhos percorridos…

      

      E, lá vinha você…

      às vezes, acompanhada de ‘seres estranhos’

      que falavam de justiça, de hipocrisia, de máscaras…

      Com uma técnica tão grande, que só mais tarde,

      Pude perceber que assim falavam –

      – Pois, eram os ‘professores’ do tema.

      

      Ah!…Quanto me perguntei o porquê de seu ódio?

      Sua hipocrisia com meus amigos e amigas,

      (que você fez de tudo para separá-los de mim),

      alguns se foram…

      Outros, por um só instante, depois voltaram…

      Assim são os amigos…

      Tesouros que mesmo que roubados voltam pelas mãos do tempo,

      Pois este, sempre lhes apresenta a verdade…

      

      Oras querida!? Sou humilde sim,

      por mais que me chames de fidalgo,

      minha maior riqueza certamente

      são todos aqueles a quem amo,

      e isto ninguém me tira!

      

      Tantas vezes com suas chantagens emocionais se dizia partindo, ‘indo embora’…

      Mas ficava às escondidas,

       tramando e esperando que todos lhe pedissem:

       – “Não, não vá, fique! Você é a maior!”…

      Mas grandioso mesmo só Deus!

      Falta mesmo…Só daqueles

      que fazem de sua trajetória um caminho de amor,

       de carinho, de respeito, de afeto.

      

      Sempre busquei a resposta do porquê de tudo isto?

      E agora, frente ao mar, refletindo, descobri…

      Agora sei que tu me amas!

      E, é por isto que sai pelos cantos versejando com os homens…

      Afim de que me chames à atenção.

      Mas, sinto muito! Existem duas coisas impossíveis:

      – Nosso amor e meu ódio por você!

      

      Paulo Nunes Junior

Posted in poesia | Leave a Comment »

Chove, chuva!

Posted by vidapura2 em Fevereiro 10, 2009

  Chove lá fora
                  uma chuva fina
                  que me embala.
                  A quietude do meu lar,
                  meu coração acalma
                  e feliz me faz.
                  Porque nela minha alma
                  sempre repousa em paz.
   Maria Regina Moura Ribeiro

Posted in poesia | Leave a Comment »

A CHUVA

Posted by vidapura2 em Fevereiro 10, 2009

                  A noite está escura, esconderam-se
                  as estrelas e o luar foi visitar
                  o lado de lá… longe…
                  Faz-me companhia a escuridão
                  e a chuva que persiste em ficar,
                  bate no telhado impulsiva,
                  parece, estar competindo com
                  as batidas travessas do
                  meu coração…
                  A chuva balança as folhagens
                  e o cheiro de terra molhada
                  me lembra nosso tapete
                  quimérico onde tudo era
                  possível, tudo era exatamente
                  nós dois… somente nós…

  Naidaterra

Posted in poesia | Leave a Comment »

A Chuva.

Posted by vidapura2 em Fevereiro 10, 2009

  Na bucólica paisagem antevejo

                  A chuva, lenitivo à minha dor.

                  Ouvindo ao longe o som de um realejo,

                  Relembro, emocionada, o nosso Amor.

                   

                  Vejo a fogueira em sua luz bruxuleante…

                  Sob um céu de nuvens tempestuosas,

                  O teu perfume ressurge, inebriante,

                  E a saudade retorna, dolorosa!

                   

                  E a chuva molha os campos, de mansinho…

                  Molhando a relva verde do caminho.

                  É a natureza solidária à minha dor!

                   

                  Porém, o sol ressurge, orgulhoso!

                  Zombando deste amor tão desditoso!

                  Banhando de luz a minha dor!

                   

                   Nilda Dias Tavares.

Posted in poesia | Leave a Comment »

Bem-me-quer, mal-me-quer

Posted by vidapura2 em Fevereiro 10, 2009

                  Hoje não houve prosa, nem versos, nem poesia,
                  Passou-se mais um dia como um outro qualquer.
                  Ouviu-se só canto da chuva que na noite fria,
                  Dizia-me, zombando, bem-me-quer, mal-me-quer.

                  Hoje nada pra brindar, nem que fosse à fantasia,
                  Já que tudo, uma vez mais, pareceu tão silente.
                  Não houveram olhares, sorrisos, nem a simpatia,
                  Nem os beijos que outrora haviam entre a gente.

                  Hoje foi mais um dia como outro dia qualquer,
                  Que não me inspirou versos, nem de nostalgia.
                  Ouvia-se apenas os, bem-me-quer, mal-me-quer,
                  Na voz tristonha da chuva, que na noite caía.

   Luiz Antonio Schimanski

Posted in poesia | Leave a Comment »

Dicas para se proteger das energias negativas.

Posted by vidapura2 em Fevereiro 10, 2009

“Todos nós sabemos as energias negativas são uma das maiores preocupações do ser humano.

 

Procurar fugir delas é besteira. Ela nos alcança em qualquer lugar do planeta. Mas, podemos nos defender, começando a tomar uma série de atitudes e providências.Abaixo segue seis dicas pessoais para começar a combatê-las.

 

1. NÃO TEMER NINGUÉM Uma das armas mais eficazes na subjugação de um ser é impingir-lhe o medo. Sentimento capaz de uma profunda perturbação interior, vindo até a provocar verdadeiros rombos na aura, deixando o indivíduo vulnerável a todos os ataques. Temer alguém significa colocar-se em posição inferior, temer significa não acreditar em si mesmo e em seus potenciais, temer  significa falta de fé.O medo faz com que baixemos o nosso campo vibracional, tornando-nos assim vulneráveis as forças externas.Sentir medo de alguém é dar um atestado de que ele é mais forte e poderoso.Quanto mais você der força ao opressor, mais ele se fortalecerá.

 

2. NÃO SINTA CULPA Assim como o medo, a culpa é um dos piores estados de espírito que existem. Ela altera nosso campo vibracional, deixando nossa aura (campo de força) vulnerável ao agressor.A culpa enfraquece nosso sistema imunológico e fecha os caminhos para a prosperidade.Um dos maiores recursos utilizados pelos invejosos é fazer com que nos sintamos culpados pelas nossas conquistas.Não faça o jogo deles e saiba que o seu sucesso é merecido.Sustente as suas vitórias sempre!

 

3. ADOTE UMA POSTURA ATIVA Nem sempre adotar uma postura defensiva é o melhor negócio. Enfrente a situação.Lembre-se sempre do exemplo do

cachorro: quem tem medo do animal e sai correndo, será perseguido e mordido. Já quem mantém a calma e contorna a situação pode sair ileso. Ao invés de pensar que alguém pode influenciá-lo negativamente, por que não se adiantar e influenciá-lo beneficamente?Ou será que o mal dele é mais forte que o seu bem?Por que será que nós sempre nos colocamos numa atitude passiva de vítimas?Antes que o outro o alcance com sua maldade, atinja-o antecipadamente com muita luz e pensamentos de paz, compaixão e amor.

 

4. FIQUE SEMPRE DO SEU LADO A maior causa dos problemas de relacionamentos humanos é a “Auto-Obsessão”.A influência negativa de uma pessoa sobre outra sempre existirá enquanto houver uma idéia de dominação, de desigualdade humana,  enquanto um se achar mais e outro menos, enquanto nossas relações não forem pautadas pelo respeito mútuo.Mas grande parte dos problemas existe porque não nos  relacionamos bem com nós mesmos.’Auto-Obsessão’ significa não se gostar,  não se apoiar, se autoboicotar, se  desvalorizar, não satisfazer suasnecessidades pessoais e dar força ao outro, permitindo que ele influencie sua vida, achar que os outros merecem mais do que nós.Auto-obsediar-se é não ouvir a voz da nossa alma, é dar mais valor à opinião dos outros.Os que enveredam por esse caminho acabam perdendo sua força pessoal e abrem as portas para toda sorte de pessoas dominadoras  e energias de baixo nível.A força interior é nossa maior defesa.

 

5. SUBA PARA POSIÇÕES ELEVADASAs flechas não alcançam o céu.Coloque-se sempre em posições elevadas com bons pensamentos, palavras, ações e sentimentos nobres e maduros.Uma atmosfera de pensamentos e sentimentos de alto nível faz com que as energias do mal,  que têm pequeno alcance, não o atinjam.Essa é a melhor forma de criar ‘incompatibilidade’

com as forças do mal e energias incompatíveis não se misturam.

 

6. FECHE-SE ÀS INFLUÊNCIAS NEGATIVASAs vias de acesso pelas quais as influências negativas podem entrar em nosso campo  são as portas que levam à nossa alma, ou seja, a ‘mente e o ‘coração’.Além de manter o coração e mente sempre resguardados das energias dos maus pensamentos e sentimentos, fuja das conversas negativas, maldosas e depressivas.Evite lugares densos e de baixo nível.Quando não  puder ajudar, afasta-se de pessoas que não lhe acrescentam nada e só o puxam para o lado negativo da vida.O mesmo vale para as leituras, programas de televisão, filmes, músicas e passatempos de

baixo nível.”

Posted in AMIGOS | Leave a Comment »

Flor da Pele

Posted by vidapura2 em Fevereiro 10, 2009

Teu olhar me aquece,
Teu toque me arrepia,
Teus beijos me deixam febril…
Vem, amor…
Me faz perder  a razão,
Seduz meu corpo
E ganha meu coração!
Estou ardendo,
Peito arfante de tesão…
Quero mergulhar nesse amor,
Tirar meus pés do chão,
Viver essa emoção…
Com a alma leve e nua,
Dar-te todo meu amor
Sem nada temer!
Absorver todo o teu eu em mim,
Desvendar os segredos do amor,
Para sempre te amar!

Candy Saad

Posted in poesia | Leave a Comment »

Ode ao vazio

Posted by vidapura2 em Fevereiro 10, 2009

      Meus olhos percorrem
      nas lembranças de nós…
      Sutil perfume quase esquecido…
      Lutei para manter acesa a chama,
      procurei teu corpo em minha cama…
      Tentei agarrar esse amor,
      com todas minhas forças…
      O silencio!
      A ausência…
       Não havia mais nada
      Restou a dor…
      O desencanto…
      Coração em lagrimas,
      Um grande vazio,
      mais nada!

      Candy Saad

Posted in poesia | Leave a Comment »

Aonde está você… onde?

Posted by vidapura2 em Fevereiro 10, 2009

De mala cheia você se foi,

      deixando-me sozinho…

      De mala pronta você se foi,

      sem me dar adeus…

      De mala feita você se foi,

      sem deixar nada…

      De mala organizada você se foi,

       sem dizer nada…

      Aonde você está…

      não sei e ninguém sabe,

      somente Deus.

      Mas se soubesse aonde você está,

      iria aí só para dizer adeus!

Bruno Holtz

Posted in poesia | Leave a Comment »

Devorador de Olhos

Posted by vidapura2 em Fevereiro 10, 2009

Por dentro da alma
Abrir as portas da carne
Emoções a contaminar
Sorrisos e flores

Vive-se o poema
Abraçar as palavras
Soprar nuvens e nevóas
Rimas adormecidas

Lebres furtivas/ligeras
Nos campos da imaginação
Vales verdes a esperar
Os passos do amor

A lua brilha nas nuvens
Mão a cantar
Luz e esperanças
Pecados descontrolados

O que vem
O que vai
O que se tem
O que é sentido

Nada do que ler
Vai lhe salvar ou lhe servir
Se não for aceito
Integramente pelo coração

Carlos Assis

Posted in poesia | Leave a Comment »

Faco um poema para voce

Posted by vidapura2 em Fevereiro 10, 2009

      Tudo foge ao mesmo tempo
      Sangue pulsa na pele
      Um nome me atormenta
      Queria ser dono de mim
      Junto amor com outras palavras
      Para ver o resultado
      Deixo as mãos
      O trabalho
      De costurar
      Remendos da paixão

      Se nada for feito
      A vida continua
      Talvez não seja direito
      Mexer com o destino
      Misturar sentimento
      Com poesia concreta
      Não me pergunte
      Mas o modernismo acabou!

      Faco um poema para voce

carlos assis

Posted in poesia | Leave a Comment »

NO CIMO DA ARCAICA ARCADA

Posted by vidapura2 em Fevereiro 10, 2009

      Erguendo-se, talvez, do alto de uma
      montanha, como protecção, de
      tempos mais agitados, de outrora,
      uma arcada perfeita, de pedras bem
      unidas, revela-nos, que o tempo e a
      beleza, não têm idade.

      Todo o conjunto, ainda hoje em dia,
      se mantém, em perfeita
      sincronização, com a paisagem, que,
      qualquer pessoa, pode observar,
      pousando braços na pedra de vigia.

      Da janela, em forma de arco romano,
      na devida distância proporcional,
      que nos deixa perceber, quão longe ou
      perto, estamos do objecto, que
      visualizamos, uma mesma mancha,
      toda verde, resplandece lá em baixo,
      como em tempos idos.

      E como antigamente, um pouco para
      lá da floresta, donde ainda agora,
      desfrutá-la podemos, estas pedras,
      em forma de abóbada, continuam a
      receber e a dar-nos, o prazer e o
      fascínio impar,
      de um sempre colorido, pôr-do-sol.

      Jorge Humberto

Posted in poesia | Leave a Comment »

Provocante

Posted by vidapura2 em Fevereiro 10, 2009

Sinto que me procuras
                                com teus olhos desejosos…
                                Encontramos nossos olhares,
                                passo a língua em minha boca…
                                A saliva quente…
                                Lábios Provocantes…
                                Chamando ao amor
                                Mãos errantes,
                                Vagueiam minhas formas voluptuosas,
                                Arranca suspiros… 
                                gemidos famintos…
                                Sede de amor…
                                A dança sensual da minha boca em ti;
                                hipnotizando-te
                                Viciando-te
                                Provocando-te
                                Para mais um sonho de prazer.
      CandySaad

Posted in poesia | Leave a Comment »