amizade e poesia

Alguém que faz você rir…Alguém que faz você acreditar em coisas boas…Alguém que convence você …De que existe uma porta destrancada…Só esperando para que você abra. Esta é a Amizade Para Sempre.

Archive for 16 de Fevereiro, 2009

Olhos

Posted by vidapura2 em Fevereiro 16, 2009

      Nos apontamentos do evangelista Mateus, encontramos as seguintes palavras proferidas pelo Mestre de Nazaré: Se os teus olhos forem bons, todo o teu corpo terá luz.

      

      A frase nos levou a meditar acerca desse patrimônio de todos, que são os olhos.

      No mundo encontramos olhos muito diferentes, não somente em formatos e cores, mas em qualidades íntimas.

       

      Encontramos os olhos que veem os quadros da vida pelo prisma da malícia, deturpando tudo que alcançam.

       

      Existem os olhos de ciúme, que despejam chispas de ódio, ante a possibilidade mínima de perderem o que consideram objeto de sua posse.

      

      Há os olhos que ferem, capazes de intimidar subalternos e criaturas de condição social inferior. Olhos de agressão que censuram sem palavras e agridem sem pestanejar.

      

      Olhos de frieza que observam a dor, a desesperança, a miséria sem se comoverem. Despejam tal gelo que impedem o necessitado de estender a mão em súplica ou a expressar o próprio infortúnio em palavras.

      

      Olhos que perturbam quando encaram a outrem e chegam a desencorajar os que estejam tentando realizar algo de bom, e se mostram ainda tímidos.

      

      Olhos de desespero que olham o panorama que os circunda e somente conseguem enxergar aflição e abandono. Levantam o olhar no sentido do firmamento e não percebem as estrelas que iluminam a noite escura, com seus raios brilhantes.

       

      Olhos capazes de registrar os males alheios, desconsiderando as virtudes que se ocultam em todo ser humano.

       

      Olhos de irritação que expressam seu desagrado ante a balbúrdia infantil que extravasa sua alegria de viver, as vozes dos animais que dizem da sua vitalidade, o pequeno  esbarrão involuntário na rua, no mercado, na condução urbana.

       

      Olhos de crueldade que ferem a quem atingem, que fazem o animal se encolher a um canto, a criança calar em constrangimento e a própria natureza estabelecer uma pausa no seu concerto constante.

       

      Como serão os nossos olhos?

       

      Se desejamos enobrecer os recursos da visão que nos enriquecem a vida, amemos e ajudemos, aprendamos a perdoar sempre, cultivemos o bem em nós, pois a expressão do nosso olhar fala do que nos vai na intimidade e nos alimenta a alma.

      

      Cada um vê a paisagem que observa conforme a cor das lentes que tem sobre os olhos. Isto equivale a dizer que os tristes veem panoramas desoladores, enquanto os otimistas descobrem cores vibrantes e alegria em toda parte.

       

      Somos responsáveis pela forma como utilizamos os nossos olhos, desde que eles são um dos talentos que Deus nos concede para instrumento de progresso.

       

       Momento Espírita

Posted in AMIGOS | Leave a Comment »

Felicidade

Posted by vidapura2 em Fevereiro 16, 2009

      Sou feliz,
      Sou amada,
      Sinto-me mulher completa…
      Fêmea…
      Sem medo de ser feliz!
      Gozo ao meio dia,
      Em plena luz do dia,
      Sem hora e nem lugar…
      Fazemos amor
      Ao amanhecer, ouvindo os pássaros;
      Ao entardecer,
      Vendo o sol se recolher;
      Ao anoitecer, vendo a lua.
      Feliz por nos ver…
      Na madrugada fria… Só para aquecer!
      Sei que me ama assim…
      Sou laciva, ardilosa;
      Mio como gata no cio;
      Sou manhosa,
      Sou amante,
      Sou amada,
      Invejada,
      Ousada,
      Vadia!
      Sou feliz,
      Sou sua
      Mulher!

 CandySaad

Posted in poesia | Leave a Comment »

Harpa

Posted by vidapura2 em Fevereiro 16, 2009

Naquela tarde melancólica
caminhava divagando lembranças
do meu amado distante
Uma amor verdadeiro que não me saia do coração
Não via ninguém ao meu redor,
apenas um rosto em meu pensamento
Tudo me lembrava aquele amor
De repente ouvi um som…
como que hipnotizada segui buscando de onde vinha
Uma Harpa…um som divino
Algo celestial…
Parei e perguntei a um  menino;
de onde vem esse som?
– Da casa de meu pai ele respondeu
e mostrou-me a casa de Deus.

Candy Saad

Posted in poesia | Leave a Comment »

SONETO AO MEU NAMORADO

Posted by vidapura2 em Fevereiro 16, 2009

      Jamais pensei voltar a ser amada

      Nem amar eu com tal intensidade

      Dum grande amor vivia na saudade

      E de tédio minh’alma era assombrada

      

      Chegaste, meu amor, e eu me extasio

      Perante o sacro milagre inesperado

      Que te trouxe  a mim como anjo alado

      Calor d’asa que agasalhou meu frio

      

      És terno e gentil, meu bem-amado

      Mente sã, coração apaixonado

      Poeta altivo que em versos me dás cor

      

      Sem ti… Seria a poeta esmaecida

      A mulher de desejo desprovida

      Não me deixes, por Deus, sem teu amor!

   Carmo Vasconcelos

Posted in poesia | Leave a Comment »

AQUELE SONHO IMPOSSIVEL

Posted by vidapura2 em Fevereiro 16, 2009

                                Por um sonho impossível,
                                
                                algo que seja realmente incrível,
                                
                                valerá a pena sonhar?
                                
                                Se não se realizar,
                                
                                como será o despertar?
                                
                                Sonhos podem ser projetos de vida,
                                
                                ou simplesmente, sonhos, delírios…
                                
                                É preciso saber direcioná-los…
                                
                                Os sonhos nos motivam a viver,
                                
                                nos impulsionam para a frente,
                                
                                pois nascem dentro de nosso coração,
                                
                                e passam para o cérebro,
                                
                                que comanda a vida de nosso corpo…
                                
                                Portanto… Sonhar ajuda a viver…
                                
                                Sonhar objetivamente,
                                
                                e não sonhar doidamente…
                                
                                Sonhar com um objetivo,
                                
                                que possa ser realizado, definitivo…
                                
                                E que não seja “aquele sonho impossível…”

 Marcial Salaverry

Posted in poesia | Leave a Comment »

Para Sempre é Muito Pouco Para Amar!

Posted by vidapura2 em Fevereiro 16, 2009

                                Para sempre…
                                Nos dissemos… para sempre
                                E não foi bastante!
                                Tu te foste de mim…Me excluindo de ti.
                                Aprendemos tão pouco, um do outro, ou quase nada!
                                Onde aportamos nossos sonhos?
                                Onde foi que separou-se a nossa estrada?
                                Nos deixando à mercê da sorte.
                                Sorte?
                                Sorte… Morte… Nada mais importa!
                                minha cabeça é trovoada.
                                Para sempre…
                                Nos dissemos para sempre e não foi bastante…
                                Bastou um instante. Um instante apenas
                                e tudo ruiu à nossa volta.

                                Eu me queria contigo e te queria comigo
                                para sempre, e… onde estamos?
                                Sozinhos!
                                E eu queria viver
                                Mas só me sinto morrer
                                A cada minuto…
                                Sem ti, amor!
                                Para sempre…
                                nos dissemos para sempre
                                e não foi bastante…
                                E… como é grande esta dor!
                                que me esfola a face
                                deixando-a sem brilho e sem cor…
                                Para sempre…
                                Nos dissemos para sempre…
                                E não foi bastante.
                                Para sempre…
                                Foi muito pouco…
                                Para o Nosso Amor!

Cida Valadares

Posted in poesia | Leave a Comment »

Porta para Fantasmas

Posted by vidapura2 em Fevereiro 16, 2009

Nasci e cresci rapidamente
Mas não sei se fui um bom filho
Eu não sei ser filho de alguém
Estudei num colégio salesiano
Mas não sei ser um bom estudante
Eu não fui para a faculdade de alguém
Namorei e casei na igreja e no cartório
Mas não sei se fui um bom marido
Eu não sei ser marido de alguém
Fiz amor e sexo sem camisinha
Mas não sei se fui um bom pai
Eu não sei ser pai de alguém
Briguei e me separei na justiça
Mas eu não sei se fui um bom ex
Eu não sei ser um ex de alguém
Trabalho de domingo a domingo
Mas nunca tive um patrão
Eu não sei ser um empregado de alguém
Esperei e me apaixonei
Mas não sei se fui um bom homem
Eu não sei ser um homem de alguém
As palavras estão ausentes
Chove na cidade
A vida passa
Tudo vem por cima da gente
O tempo é o mesmo
Para os vivos e para os mortos

Carlos Assis

Posted in poesia | Leave a Comment »

CÁ ENTRE NÓS

Posted by vidapura2 em Fevereiro 16, 2009

      Quero que você saiba que esta amizade que nasceu, cresceu e se fortificou entre nós,
      sempre será lembrada por mim.

      Eu aqui, e você do outro lado, não importando a distância, pois sabemos e sentimos que estamos próximos, que nossas almas estão conectadas…

      Sabemos que as palavras digitadas quando chegam na nossa telinha, chegam carregadas de emoções, de sentimentos, com boas ou más vibrações…

      Isto é verdade e incontestável.

      Sendo assim, não podemos deixar cair no esquecimento que aqui dividimos nossos sonhos, compartilhamos alegrias e tristezas, suprimos carências, trocamos segredos, e prá escanteio jogamos muitas vezes a danada da solidão.

      Se não podemos mudar o mundo em que vivemos,
      podemos melhorar este que construímos juntos.

      Um mundo virtual sim, mas construído em bases sólidas, em terreno fértil, adubado com amor, respeito e solidariedade.

      (Minha homenagem aos amigos virtuais que entraram em minha vida e a tornaram melhor, pois com eles aprendi muito.

      Aprendi que amigos são aqueles que ao se despedirem, antecipam em nós a dor de uma saudade.

      Obrigada à você que acabou de ler esta mensagem

Regina Bertoccelli

Posted in AMIGOS, amizade | Leave a Comment »

RESGATAR UM POUCO DA EUROPA

Posted by vidapura2 em Fevereiro 16, 2009

                  Em meu divagar, por essa Europa,
                  dizer, que fome passei, mas que
                  também vi monumentos grandiosos,
                  nascidos das mãos, de seus Mestres.

                  Lindos rios, com barcos, de recreio,
                  levando os turistas, enquanto eu,
                  em sítio ameno, procurava o silêncio,
                  eram singeleza, para os meus olhos.

                  Justo serei, que, nem todos os povos,
                  se cingiam ao preconceito, tão pouco,
                  à xenofobia, dirigindo-se a mim, com
                  respeito, dando-me comida, dinheiro.

                  Meu encanto maior, era perder-me, a
                  meio de jardins, belas esculturas, que
                  faziam, de qualquer cidade, com seus
                  repuxos de água, líricas obras de arte.

                  Sentir o sol no corpo, assemelhava-se
                  a um grande bem-estar, vendo ruas
                  cheias de gente, e, usufruindo rotinas,
                  respeitosamente, doando meu sorriso.

                  A nenhum negava cumprimento, fosse
                  qual fosse, a língua, do país em causa.
                  E assim foi que algumas amizades criei,
                  naturalmente, decifrando hieróglifos.

                  E subindo montes, visitando planícies
                  e castelos, belos cavalos, povoavam
                  verde espaço, e, já eu, escutando rios
                  através da rude selva, buscava-os.

                  De tudo,  vi um pouco, desde cidades
                  a florestas; conhecendo pessoas, que,
                  em ambos os sítios, nada me negaram,
                  como beber leite, acabado de colher.

                  Incapaz entanto, de estar muito tempo,
                  num único país, de correr estradas, era
                  minha vida, e, logo, mochila nas costas,
                  à boleia, fazia caminho, de novas terras.

                  Jorge Humberto

Posted in poesia | Leave a Comment »

Quem é

Posted by vidapura2 em Fevereiro 16, 2009

      Quem é
      Que lhe cobre de beijos
       Satisfaz seus desejos
       E que muito lhe quer?
      Quem é
      Que esforços não mede
      Quando você lhe pede
       Uma coisa qualquer?
       Quem é
       Que de você tem ciúmes
      Quem é
       Que lhe ouve os queixumes
       Quem é
       Que lhe cobre de beijos…
      Quem é
      Que lhe cobre de beijos
      Satisfaz seus desejos
      E que muito lhe quer?
      Quem é
      Que esforços não mede
      Quando você lhe pede
      Uma coisa qualquer?
      Quem é
      Que de você tem ciúmes
      Quem é
      Que lhe ouve os queixumes
      Quem é
      Que lhe cobre de beijos…

 Osmar Navarro

Posted in amizade | Leave a Comment »

SENTIR..

Posted by vidapura2 em Fevereiro 16, 2009

      Sentir teu corpo junto ao meu
      nesta noite fria que rola calma
      é tudo que desejo agora…
      Tangível e receptiva minha boca
      aguarda sentir a tua…
      Tomá-la com loucura e sentir teu gosto
      se espalhando dentro de mim…
      Sentir teu corpo trêmulo,
      agitado, descontrolado.
      Sentir você me dedilhando…
      Detalhando…
      Molhando….

 Naidaterra

Posted in poesia | Leave a Comment »

Cena comovente

Posted by vidapura2 em Fevereiro 16, 2009

                  Eu vi passar na tela de repente,
                  A cena que seria comovente,
                  Caso eu pudesse algum dia alcançar.
                  E veio com o nome de tristeza,
                  Porém não há tristeza na nobreza,
                  E é nobre o amor eterno cultivar.

                  Pois mesmo quando um deles vai na frente,
                  Levado pela morte impertinente,
                  Não se separa nunca do que fica…
                  Sentada numa praça, tão sozinha,
                  Não imagina aquela senhorinha,
                  Que o seu amor ao lado a glorifica.

                  Banhada pelo olhar embevecido,
                  De alguém amado que foi seu marido,
                  Talvez seu pensamento seja igual…
                  Ao dele, torturado de saudade,
                  Querendo defendê-la da maldade,
                  Do mundo insano que cultiva o mal.

                  E um dia estarão juntos novamente,
                  Dentro do abraço forte e tão contente,
                  O coração irá se enternecer…
                  Por terem-no poupado nesta vida,
                  Vivendo a unicidade pretendida,
                  Do verdadeiro amor bom de se ver.

                  Então eu me pergunto:- Aonde estará?
                  Quem do meu lado um dia ficará,
                  Velando o meu sossego e a minha paz?
                  Terei direito à dádiva bendita,
                  A essa graça que é tão infinita,
                  Que só o amor, de fato, é capaz?

                  Direito todos temos, com certeza!
                  Somos filhos de Deus, Sua grandeza,
                  A ninguém determina, que a injustiça,
                  Abrace-lhe os seus dias cá na Terra.
                  Porém se é justo o mundo ter a guerra,
                  À solidão de alguns, chamo justiça.

                  E sei que entenderemos algum dia,
                  E pode ser até, com mais magia,
                  Possamos descobrir, estupefatos,
                  Que o tempo todo em que estivemos sós,
                  Do nosso lado, bem perto de nós,
                  Olhos tão dóceis tentavam contatos.

   Tere Penhabe

Posted in poesia | Leave a Comment »

UM DOCE DESATINO

Posted by vidapura2 em Fevereiro 16, 2009

      Arrastou-me para
      os teus braços…
      Teus lábios tão
      perto dos meus
      e o inevitável…
      Colamos nossos lábios,
      unidas nossas bocas
      num abraço apertado,
      nos beijamos alucinados…
      Quem éramos?
      Um pedaço do sol,
      da lua,
      das estrelas…
      Pura sintonia,
      um doce desatino…

Naidaterra

Posted in poesia | Leave a Comment »

Um Poema Para A Dor

Posted by vidapura2 em Fevereiro 16, 2009

                                Ah, como dói esta dor de alma,
                                que pouco, ou nada mais pode fazer,
                                que suspira uma vontade… calma,
                                de ter de volta o que não se pode ter.

                                

                                E a dor, aos poucos vai roendo,
                                com a fúria mansa de um manso furacão,
                                de todos os jeitos, mais e mais doendo,
                                falindo as forças do meu coração.

                                

                                E esta alma poetiza como fase,
                                da lua que nem sequer apareceu,
                                sentindo falta do brilho em minha face
                                e de saber para onde fui… onde estou eu?

                                

                                Talvez entregue às mãos de uma saudade,
                                transparente e fina, como fina flor,
                                decorando, cada palavra, cada frase…
                                Para compor… um poema para a dor!
Cida Valadares

Posted in poesia | Leave a Comment »

Velha e Cansada

Posted by vidapura2 em Fevereiro 16, 2009

      Estou ficando velha e cansada
      Sinto os sintomas alarmantes
      Dessa enfermidade fatal,
      Que me levará um dia…
      Meu nome???
      Civilização ou Humanidade
      Venho de uma Era, em que conheci
      O grande Salvador do Mundo
      Contudo não fui capaz de seguir
      Os exemplos pregados por Ele.
      Tropecei na minha vaidade, no meu orgulho,
      No poder, na irracionalidade, na avareza,
      No Ter.

      Mas, uma Nova Aliança
      uma nova Era se aproxima…
      Seu nome??
      Humanitarismo
      Ela virá para construir um novo mundo.
      Para libertar do individualismo
      No coração de cada  Humanitarista
      está encerrado uma única idéia…
      O AMOR.
      Não existe lugar tão encantador,
      Tão magnífico, tão consolador
      como o próprio coração de cada um.
      Ali, cada um pode expressar a perfeição
      que cada um é capaz.
      É tempo de luz!
      De enxergar a luz e a perfeição
      de todos

      Embora venha sofrer modificações substâncias,
      Será o fim dessa civilização.
      Na nova Era…
      A igualdade, a fraternidade, liberdade
      tornarão uma realidade concreta, não mais
      uma utopia, como no meio dessa civilização.

      É tempo de mudanças
      De descobertas de um poder e sabedoria
      infinita no âmago da criatura humana.
      Tempo de acreditar na Palavra Sagrada,
      através da prática vivenciada
      É tempo de começar do fundo da escadaria
      do amor
      Em apreciar cada degrau e não
      pular por cima  com orgulho.
      É tempo de manter uma fé inabalável
      De orações, da alma.
      Das mulheres,
      Da pureza que gera, da constância,
      da absoluta paz, da fé.
      É tempo de Maria!
      Espelho de todas as mulheres.
      Através Dela, veio Cristo.
      É tempo de comandar a Humanidade
      com AMOR.
      E com tantas mulheres, com o coração
      transbordando de amor
      A elevação espiritual será eloquente.

      “Só o amor faz evoluir”
      Nelim Monti

Posted in poesia | Leave a Comment »