amizade e poesia

Alguém que faz você rir…Alguém que faz você acreditar em coisas boas…Alguém que convence você …De que existe uma porta destrancada…Só esperando para que você abra. Esta é a Amizade Para Sempre.

Archive for 20 de Fevereiro, 2009

PAIXÃO!… AH PAIXÃO…

Posted by vidapura2 em Fevereiro 20, 2009

Olhei para o sol e me senti mais forte que ele,

      Olhei para os oceanos e me senti dono dele,

      Voltei meu olhar para a Lua e me senti senhor dela,

      Voltei-me às estrelas e pude ver que o brilho

      de meu sorriso era maior que o delas,

      

       Corri em busca dos vulcões

       e me senti mais poderoso que eles,

      Deparei-me com maremotos e dentro de mim

      existia algo além do impacto deles,

      Percorri os jardins e era a flor mais bela,

      Entre os desertos me tornei o oásis…

      

      Assim me senti no dia que meus olhos

       encontraram os teus,a minha pele com a sua,

      e a ti entreguei-me por inteiro sem temer a nada.

      Num turbilhão desconhecido de ser dono do universo…

      

      Que me fez sorrir diante dos obstáculos a minha frente,

      na sensação de entrega aos teus desejos mais profundos,

      Um deus grego entre tantos a comandar estas forças,

      neste instante tornei-me alguém sem medo de nada.

      

      Combati a tristeza com nosso amor e,

      com este sentimento que tomou-me a alma,

       percorri meus dias.

      

      Por um instante cai…

      Senti-me perante o universo sem forças…

      Nesses instantes,

      Que ao gritar por você minha voz ecoava

      pelos vales do desespero,percorrendo sem achá-la…

      

      Mas, logo os anjos te trouxeram de volta

       e minhas forças retornaram…

      Refazendo este homem que hoje pode acreditar

       na felicidade, no amor pela eternidade.

      Assim é a paixão semente que se instala

      dentro de nosso peito e

      faz crescer algo robusto e forte,

       inatingível, chamado AMOR.

      Paulo Nunes Junior

Posted in AMIGOS | Leave a Comment »

A DISTÂNCIA APROXIMA O AMOR

Posted by vidapura2 em Fevereiro 20, 2009

      Caminhando, ao sabor da brisa nocturna,
      com minhas roupas, emitindo um estranho
      bailado, pés descalços,
      percorrem serenamente, uma velha ponte
      de madeira, entrando rio adentro.

      Amarrado à ponte, há um pequeno barco,
      para não mais, de duas pessoas.

      E conforme, a ondulação, vai e vem, assim
      ele se comporta, indo bater, de
      quando em vez, num dos postes,
      de há muito refúgio, para crustáceos. 

      Indiferente, ao som surdo, que tal impacto,
      provoca na madeira,
      propagando-se pela noite, sem qualquer
      hesitação, continuas teu caminho.

      Até onde a ponte se encontra, com as águas
      do rio, em destino.

      Aí chegando, sentindo o ranger, da madeira
      antiga, pelo facto, de nela te teres sentado,
      deslizas teus pés,
      mergulhando-os suavemente, nas águas.

      Uma figura, atrás de ti, parece observar-te,
      de longe.

      E teu coração, sabe bem quem é, e que, não
      são só recordações nem ilusões, o que a
      lua te traz, na sua meia luz.

      Resistindo à tentação, de espreitares, por
      cima de teu ombro, chamas seu nome
      baixinho, enquanto vais aguardando, que,
      nova manhã, se faça.

      E nos braços, um do outro, se voltem
      a amar.

      Jorge Humberto

Posted in poesia | Leave a Comment »

Posted by vidapura2 em Fevereiro 20, 2009

no muro das lamentações

ou se realimentam pesadelos

genuflexos

ou se alinhavam novos sonhos

 

no muro das lamentações…

recolho o pó das estrelas

(isto sim cheira poesia)

o restante nas cinzas

é catarse, infelizmente.

 

Rosangela_Aliberti

Posted in poesia | Leave a Comment »

Instante

Posted by vidapura2 em Fevereiro 20, 2009

O sonho embala a alma

e o tempo esquece o caminho

enquanto a Lua acolhe o sonhador

Priscila de Loureiro Coelho

Posted in poesia | Leave a Comment »

LEGITIMIDADE

Posted by vidapura2 em Fevereiro 20, 2009

Quem
eu sou?

Seria esta construção

existencial e abrupta

a essência irascível

de meu ser?

Tantas dúvidas

que habitam em mim

que quase sofro

por existir…

Algo que se faz diferente,

inerente e inconsciente

faz-me pensar,

e pensando,

não estaria, eu, traindo

o que eu penso ser?

Antes eu soubesse

algo que me faça

algum sentido,

alguma diferença,

alguma explicação

que justifique toda a minha ilegitimidade

em ser um ser não compreendido.

Algo que seria,

no entanto, verdadeiro

e não só uma mera verdade.

Amar,
comer, dormir,

Beber,
cantar com fervor o porvir,

No
entanto, morrer.

Seria
isto, talvez, a verdade?

Sofro
de uma ignota realidade

A que
me desconheço

E nela,
existo mesmo sem

Saber
a minha total existência.

O que
anda no coração?

O que
estou pensando

Quase
me entristece

Por
não ter motivos,

E se
talvez, descobrisse,

Reconhecesse
tal sentido,

Tal
sentimento,

Talvez
ainda, fizesse sentido

Ou
talvez, não fizesse diferença

Porque
falta uma parte de mim.

Só,
no entanto, agora

Sei
que existo

Para
que algo em mim

Justifique
a vontade de existir.

Esta
é a legitimidade do ser!

Davys Sousa

Posted in poesia | Leave a Comment »

Pasión en efervescencia

Posted by vidapura2 em Fevereiro 20, 2009

Cuando estamos abrazados
      acariciandonos, acariñandonos
      una ola de calor me toma
      envolviendome de deseo y amor

      Saboreando la dulzura de tus besos
      la suavidad de tus labios
      tu lengua entrelazando la mía
      el jugo de la tuya nuestras bocas sorber

      Tu respiración deseo exalar
      un olor que me quita el aire
      perdemos la razón el pudor
      en caricias íntimas apalpándonos

      Manos percorriendo, la piél en escalofrío
      mutuamente desnudandonos
      llevandonos a la entrega
      estimulando todos los sentidos

      las sensaciones instalandose
      el corazón acelerado
      respiración jadeante
      secreciones brotando

      de ellas embriagarnos
      lamer, beber, sorber
      solamente gemidos en el aire
      deseos incendidandose

      cuerpos, secreciones en fusión
      en dulce ondular, cuerpos excitados
      ganas, taras, penetración
      cuerpos acoplados, entrelazados

      Enloquecidas animaciones
      movimientos compuestos
      distintos abrasivos
      solamente la libido tiene noción

      En las brisas de las emociones
      flotamos en las sensaciones
      cariño, caricias, locuras
      orgasmos, pasión en profusión

      Joe’A

Posted in poesia | Leave a Comment »

Paixão em ebulição

Posted by vidapura2 em Fevereiro 20, 2009

      Quando estamos abraçados
      a carinhos nos dar, a namorar
      uma onda de calor parece me tomar
      me envolvendo de desejo e amor

      Saboreando a doçura dos teus beijos
      a maciez dos seus lábios
      sua língua a minha entrelaçar
      o sumo da sua nossas bocas sugar

      Sua respiração desejo exalar
      um cheiro que me tira do ar
      perdemos a razão o pudor
      em caricias intimas a apalpar

      Mãos a percorrer, a pele arrepiar
      mutuamente a nos desnudar
      a entrega nos levar
      estimulando todos sentidos

      as sensações nos tomar
      o coração acelerar
      ofegante respiração
      secreções a brotar

      delas nos embriagar
      lamber, beber, sugar
      somente gemidos nos dar
      desejos de tesão incendiar

      corpos, secreções em fusão
      em doce ondular, corpos excitados
      ganas, taras, penetração
      corpos acoplados, entrelaçados

      Ensandecidas animações
      movimentos compostos
      distintos abrasivos
      somente a libido tem noção

      Nas brisas da emoções
      flutuamos nas sensações
      carinhos, caricias, loucuras
      orgasmos, paixão em profusão

      Joe’A

Posted in poesia | Leave a Comment »

TODO-NADA

Posted by vidapura2 em Fevereiro 20, 2009

 Todo tengo
      y sin embargo,
      no tengo nada.
      Nada tengo
      y sin embargo,
      lo tengo todo.
      Todo o nada:
      me da igual.
      Siempre tengo
      de todo un poco
      y algo de nada.

      ©SKORPIONA

Posted in poesia | Leave a Comment »

Na Santidade do dia

Posted by vidapura2 em Fevereiro 20, 2009

    A manhã ficou inesquecível
       Quando veio pelos teus passos,
       Arrastando o bailado das andorinhas
       E a alegria dos pastores.

       Poderia ser uma manhã
       Assim como as outras.
       Corriqueiras como as manhãs
       Tão cheias de flores,
       Faltando um olhar trêmulo
       E suave mão para tocá-las.

       Veio diferente, pelos seus tropeços
       E uma timidez que apenas murmurava:
       Me abrace de olhos fechados,
       Que eu não devo cair.
       Não me exponha assim tão frágil
       Em tuas varandas!

       Me protege das alfazemas
       E dos lençóis, por enquanto
       Preciso de um compasso de mulher,
       Para compassar o momento
       Do coração.

       Preciso de musica apenas,
       E de silêncios.
       O meu amor declamará
       Em hora certa!

       Brincamos como crianças
       Límpidas, de orvalho matinal
       Esperando a canção dos lençóis.

       Risos em filigramas,
       Na santidade do dia!
      
João das Flores

Posted in poesia | Leave a Comment »

O PODER DO BEM

Posted by vidapura2 em Fevereiro 20, 2009

Armando Pires efetuava os últimos arranjos no carro, para conduzir seu amigo Jorge Bretas à estância de repouso que distava quarenta quilômetros.

Nesse justo momento, o diálogo entre eles, em torno da lei de causa e efeito, se detinha em curioso ápice.

– Mas você não acredita mesmo que a justiça possa ser modificada pela misericórdia?
– Não.

– Acaso, não admite que o destino, assim como é reparável a toda hora, é suscetível de ser renovado todos os dias?
– Não.

– Não crê que as ações do amor desfazem as cadeias do ódio?
– Não.

– Você não aceita a possibilidade de transformar os problemas de alguém que chora, dando a esse alguém uma parcela de alegria ou de esperança?
– Não.

– Não reconhece você que se um irmão em prova é intimado pelas leis do Universo ao sofrimento, para ressarcir as faltas que haja cometido em outras existências, nós, igualmente, somos levados a conhecer-lhe a dor, pelas mesmas Leis Divinas, de maneira a prestar-lhe o auxílio possível, em resgate das nossas?
– Não.

– Não tem você por certo o princípio de que o bem dissolve o mal, assim como o reequilíbrio extingue a perturbação? não concorda que um ato nobre redundará sempre na justiça, em favor de quem o pratica?
– Não.

– Porquê?
– Porque a justiça deve ser a justiça e cada qual de nós pagará pelos próprios erros.

– Céus! Mas você não aceita a idéia de que migalhas de amor são capazes de funcionar em lugar da dor, ante os Foros Celestes, assim como as pequenas prestações, na base da equidade e diligéncia, podem evitar que uma dívida venha a ser cobrada pela força de um tribunal?
– Não.

Em seguida, os dois se aboletaram no automóvel e o carro chispou.

Tarde chuvosa, cinzenta…

Alguns quilômetros, para além da arrancada, um buraco no asfalto, sobre alta rampa, e forte saudidela agitou os viajores.

Bretas lembrou, assustado:

Lance perigoso! Convém parar… Tapemos o buraco ou coloquemos aqui algum sinal de alarme, pelo menos alguns ramos de arvoredo que advirtam quem passe…

– Nada disso! – protestou Armando, decidido – a obrigação é da turma de conserva… Os outros motoristas que se danem. Não somos empregados de ninguém.

Atingidos o local de destino, Bretas recolheu-se ao hotel, agradecendo o obséquio, e Armando regressou pelo mesmo caminho.

Entretanto, justamente no ponto da rodovia onde o amigo desejara auxiliar outros motoristas com socorro oportuno, Pires, em grande velocidade, dentro da noite, encontrou a cova profundamente alargada pelo aguaceiro e o carro capotou, de modo espetacular, projetando-se barranco abaixo…

Depois do acidente, em companhia de alguns amigos fui visitá-lo num hospital de emergência… Achamo-lo de rosto enfaixado, sob a atenciosa assistência de abnegado ortopedista, que lhe engessava a perna esquerda em frangalhos.

Pires não falava, mas pensava… E pensava exatamente nos delicados meandros da lei de causa e efeito, chegando à conclusão de que o mal não precisa ser resgatado pelo mal, onde o bem chega antes…
Irmão X/Francisco Cândido Xavier

Posted in AMIGOS, amizade | Leave a Comment »

O meu socorro vem do Senhor!

Posted by vidapura2 em Fevereiro 20, 2009

Tem momentos em nossas vidas em que passamos por dias difíceis e tenebrosos.
 
Ficamos sem rumo e sem direção. Não sabemos para onde ir e que rumo tomar.
 
Nestas horas temos o consolo da Palavra de Deus, que é a nossa única regra de fé – infalível!
 
Ela nos diz: “Elevo os meus olhos para os montes, de onde me virá o socorro? O meu socorro vem do Senhor que fez os céus e a terra.!
 
Dou graças a Deus sempre, pois temos a Ele e Sua Palavra para nos socorrer em todos os momentos. Ele é nosso socorro sempre presente..
 
Que Deus os abençoe muito é o meu desejo e oração!

Posted in AMIGOS, amizade, oração | 1 Comment »

COMEÇANDO O DIA

Posted by vidapura2 em Fevereiro 20, 2009

Começo o alvorecer dentro do meu silêncio
busco a luz necessária
iluminando focalizando minha esperança
onde meu espírito possa encontrar a paz. 
 
Deus em sua infinita bondade
seja meu estímulo físico
magnétismo motor
fonte geradora com energia ao bem comum
onde a melodia adentre com suavidade
em meu coração relacionando-me reciprocamente
apresentando organização rítmica
entre convivência e respeito
ter como principal alimento
meu conceito com dignidade
que eu seja humana em mente
espírito e pensamento
com a máxima sentença vivendo
cada momento
sem esquecer que minha consciência
será sempre a soma do meu dia-a dia
 
Lucia Trigueiro

Posted in poesia | Leave a Comment »

O NOSSO POR DO SOL

Posted by vidapura2 em Fevereiro 20, 2009

Com toda a certeza, devemos considerar o por do sol um dos mais belos espetáculos que o Amigão nos proporciona, e ele nada nos custa, podendo ser apreciado por todos, desde que se disponham a bem apreciar uma verdadeira obra de arte, feita pelo nosso Arquiteto do Universo.

 

O incrível colorido que o céu assume no arrebol é algo que extasia qualquer pessoa com um mínimo de sensibilidade.

 

Também é a hora em que as aves voltam para os ninhais,  sempre fazendo belíssimas evoluções no céu, como que se despedindo do dia. Quem já apreciou as revoadas das aves no cair da tarde, sabe bem do que estou falando, pois é algo deslumbrante.

 

É quando nos preparamos para o descanso, embora alguns comecem a se preparar para mais uma noite de trabalho, ou de diversão.  É apenas uma questão de opção de vida, ou de adequação às suas necessidades.

 

Li  uma mensagem muito interessante sobre o por do sol, de autoria de L’Inconnu. Vejam:

“Contemplar, com os olhos da alma a plenitude do por do sol qualquer um pode fazê-lo, mas poucos, porém, voltam-se para a grandeza divina ali manifestada.”

 

Realmente, todos podemos apreciar a beleza do astro-rei se pondo, basta que tenhamos a disposição para encher nossos olhos e nossa alma com o espetáculo, e que saibamos apreciar o que na realidade é uma obra de arte.

 

Basta nos quedarmos em silêncio, apreciando a descida do sol na linha do horizonte, sendo substituído pela escuridão da noite, e nossa alma poderá sentir como Deus sabe das coisas.

 

Basta imaginarmos o que realmente pode representar essa noite surgindo.  Podemos meditar e pensar que pode ser algo como um pequeno filme de nossa vida, representada pelo dia que está findando.

 

Nesse dia de sol, tivemos a parte da manhã, algo como que nossa infância, pois temos mais energia, sempre fazemos mais coisas e temos mais disposição na parte da manhã.

 

Na parte da tarde, podemos considerar como sendo nossa juventude, pois ainda temos boa disposição para as atividades do dia a dia, mas a energia já é um pouco menor, e  já começamos a pensar no repouso que a noite nos trará.

 

O por do sol, é como a divisão entre a juventude e a maturidade, a energia já é menor. Nossa atividade normalmente se reduz no fim do dia.

 

Quando os últimos raios do sol cedem lugar para a noite, normalmente estamos cansados das intensas atividades do dia, e já nos encontramos em preparativos para descansar, como acontece com nossa vida.

 

Após todas as atividades que exercemos durante nossa existencia, queremos aproveitar a noite para fazer coisas que nos tragam mais prazer, como se buscássemos uma compensação por tudo aquilo que fizemos durante o dia de nossa vida.

 

Então é lícito esperar que possamos ter uma noite tranquila. Afinal, por tudo o que fizemos durante o dia todo, merecemos um certo repouso. Nosso corpo pede por isso.

 

A noite avança, e vai terminar na madrugada, para tudo recomeçar quando o sol nascer de novo, como se voltássemos em outra vida.

 

É exatamente por isso que devemos aproveitar bem o dia de nossa vida, e como melhor passarmos esse dia, evitando certos vícios que poderão abreviá-lo, trazendo mais cedo a escuridão total da noite.

 

O ideal é sempre arranjarmos um “horário de verão”, prolongando o dia o mais possível.

 

Claro que  isto é uma analogia, pois  existem pessoas que exercem suas atividades na parte da noite, apenas provocando uma inversão das coisas.  Para elas, o que é visto como o nascer do sol, será por do sol… Simples questão de ponto de vista, e não precisamos criar polêmica a este respeito.

 

Então, exatamente por isto, e em todos os sentidos, desejo a todos UM LINDO DIA.

 

 

        Marcial Salaverry

Posted in poesia | Leave a Comment »

AMAR UM ANJO

Posted by vidapura2 em Fevereiro 20, 2009

Como seria amar um anjo?

Seria tudo de bom…

Anjos são raros…

Se o encontrar segure firme…

Pegue-o com suas duas mãos

e leve-o junto ao seu coração.

Sinta que seu anjo difere de todos…

Seu anjo é puro…

É doce…

É suave ternura…

Do céu tem muito…

Sabe amar de verdade e

não esconde sua felicidade.

Encontre seu anjo…

Eu, o meu, já encontrei…

Seja feliz com ele.

Saiba valorizar o que DEUS lhe deu.

A vida fez de você uma pessoa privilegiada.

Esse amar um anjo…

É minha loucura!

PS: EU TE AMO

 

Vera Hernandez

Posted in poesia | Leave a Comment »

MOMENTOS DA VIDA

Posted by vidapura2 em Fevereiro 20, 2009

Sua imagem ainda refletida,
sua presença ainda sentida,
mesmo depois da partida,
dizendo ser com passagem apenas de ida…
Mas são coisas da vida…
São momentos que não se pode esquecer,
por mais tempo que se vá viver…
Mas houve um contratempo,
então é preciso dar um tempo,
é preciso esperar
que a alma pare de sangrar…
As coisas de antes poderão voltar…
Apenas é preciso um pouco de paciência…
Não se deixar levar pela impaciência…
Saber bem viver é a ciência…
O amor ainda existe,
o sentimento persiste,
mas o coração resiste…
Foi ferido,
e tudo precisa ser conferido…

 Marcial Salaverry

Posted in poesia | Leave a Comment »