amizade e poesia

Alguém que faz você rir…Alguém que faz você acreditar em coisas boas…Alguém que convence você …De que existe uma porta destrancada…Só esperando para que você abra. Esta é a Amizade Para Sempre.

Archive for 6 de Abril, 2009

Salva- me !

Posted by vidapura2 em Abril 6, 2009

      Destas trevas,

       que consumiam minha alma…

      Liberto-me das falsas palavras de carinho,

      embaladas em juras de amor eterno,

        que o vento levou,

      para as ruínas da traição…

      Agora, liberto,

       busco entre os pedaços lançados

      ao meio do caminho de nossa história,

      o que carregava o amor,

       que sentia por ti.

      Avanço, em busca das lágrimas,

      que derramei por ti,

      de cada presente,

      de cada noite mal dormida,

       pensando em ver-te reinando sobre tudo…

       De cada manhã,

      tarde e noite de entrega…

      De cada instante, que dediquei a alguém,

      que acreditava ser luz,

      mas era treva.

      E deste passado surjo,

       frente a este novo mundo,

      que, agora, me é apresentado…

      E grito por alguém,

       que me ajude a ser salvo de tuas garras,

       que já se aproximam,

       com sua sedução,

       com este seu envolvimento,

       que se faz a “conta gotas”,

       mas que bem conheço.

      Tu és letal à alma, ao coração,

      porque tu és a mentira

      disfarçada de amor…

      De bondade, de charme e de sedução…

      Cansa-se logo dos teus escolhidos

      e deles se vê livre.

      Se de teus olhos, um dia,

      fiz meu mundo, agora,

       deles faço a tranca de meu coração

      a teus investes…

      Se de teu corpo fiz minha essência,

       hoje, o repugno,

       buscando novas fontes

      de revigoramento…

      Se de ti fiz minha vida,

       hoje, te sepulto

      e lanço-me, meio à viuvez medonha,

      que chora embalada pela mentira,

       que te domina a alma…

      Ficas tu com tua escolha mundana;

      ficas tu com o prazer da silhueta,

      porque isto é efêmero

      e qualquer brisa leva…

      Eu busco e quero o amor!

      Se para isto tiver

      que percorrer continentes,

      atravessar oceanos,

      enfrentar o deserto,

      o farei com a certeza

      de que chego vitorioso…

      Se meu pecado foi amar-te,

      agora, me entrego

      ao purgatório do esquecimento,

      a fim de redimir-me comigo mesmo…

       E com isto fazer

      com que minha dignidade

      sempre esteja acima de tudo.

      

      

      PAULO NUNES JUNIOR

Anúncios

Posted in AMIGOS | Leave a Comment »

Rompido o destino

Posted by vidapura2 em Abril 6, 2009

      O destino não me contou seu plano.
      No meio do caminho,
      Derrapei no meu engano.

      Abracei a causa
      Pela certeza de segurança,
       Fio da esperança.

      Escolhi o jardim
      Sem ouvir os gemidos,
      Do coração.

      Cultivei flores
      Fiz apagar de dentro de mim,
      Outros amores.

      Segui uma direção
      Sangrei meu coração
      Em meio às turbulências da vida.

      O destino não me contou seu plano.
      No meio do caminho,
      Derrapei no meu engano.

      Hoje meu coração cansado
      Se encolheu num cantinho,
      Desconsolado.

      Sentir e querer já não é nada.
      Diante da vida
      Que se esvaiu pela estrada.

      Chegando o final da caminhada,
       Uma tristeza abusada,
       Me sucumbe aos poucos,
      Deixando-me descontrolada.

      O destino não se fez cumprir,
      O que não era combinado.
      Rompeu-se o elo
      Sem nunca ter sido acoplado.

      Esperança partiu para distante.
      Fiquei aqui com meus ais.
      Relembrando apenas o filme de antes,
      Com sabor de quero mais.

Vanderli Granatto

Posted in poesia | Leave a Comment »

EL GAUCHO CHAVÓN

Posted by vidapura2 em Abril 6, 2009

      Temeroso se esconde en su morada
      debajo de su ruma de palabras
      por ser irrespetuosas y macabras
      merece ser linchado en la alborada.

      Se escuchan a lo lejos las palmadas:
      ¡enciérrenlo al chavón junto a las cabras
      que se trague una a una sus palabras!
      gritando está la gente alborotada.

      Cobarde el jovenzuelo mira al cielo
      busca escapar inflado como un globo
      mas su ego se revienta y cae al suelo.

      Tirado yace junto al algarrobo
      cubierto tiene el rostro con un velo:
      ¿el mundo habrá perdido un hombre probo?

      ©SKORPIONA

Posted in poesia | Leave a Comment »

Perdão… Meu amor…

Posted by vidapura2 em Abril 6, 2009

            Perdão, meu amor, perdão minha vida!
            Magoei-te tanto, mas foi sem querer!
            Perdi o limite… A paz… A calma…
            Errei sem notar… Sem perceber!
            
            Perdão, meu doce amor…  Querido meu,
            Foi um anjo revoltado que passou…
            Fez estripulias… Fez-nos sofrer tanto,
            Depois sorridente bateu asas e voou!
            
            Perdão, meu amor… Perdão eu peço.
            Bota um sorriso nesse rosto amado.
            Abre os braços para o nosso abraço,
            Com um beijo doce e cheio de pecado.
            
            Não fomos nós os culpados. Foi o amor
            Enorme que gritou e se desesperou…
            Agora tudo acabou… A paz retornou…
            Foi embora o anjo mal que nos arreliou!
            
            Perdão, querido meu… Perdão meu amado!
            Se eu te feri profundamente ou maltratei…
            Quem ama sempre releva, sempre perdoa,
            Não te esquecas… Que sempre te amei…
            
            Perdão, meu adorado… Perdão, perdão!
            Mostra-me outra vez teu riso lindo!
            Deixa fluir toda a emoção, todo o arrepio…
            Um beijo apenas, e tudo estará esquecido!
            Mary Trujillo

Posted in poesia | Leave a Comment »

Quien soy yo?…

Posted by vidapura2 em Abril 6, 2009

No intento agradar,
    No temo tentar,
    Errar, arrepentirme…
    La vida es una ampolla
    se hincha, estalla…
    Soy la que desentona…
    Que hace versos al azar…
    Que gusta de la noche,
    Y de la fina garúa…
    Nadie me aprisiona,
    Escribo por placer, hasta
     en las amarguras.
    No temo desagradar…
    Tanto me da, si me critican o me elogian,
     Mi paciencia,
    Pende siempre de un hilo…
    Entrega es locura,
    Cae en un inmenso vacío…
    Soy mitad amor, dulzura,
    Mitad rebeldía, amargura…
    Soy sentimientos confusos,
    Canto, silencio, clausura…
    Risas y lágrimas…
    Tempestad y calma…
    Soy yo viviendo,
    Con mi rebelde alma.
    Quien soy yo? – Mujer, un
    Ángel o un vendaval?
    Soy algo inaceptable,
    Yo soy yo y punto final…
    Mary Trujillo

Posted in poesia | Leave a Comment »

Quem sou eu?…

Posted by vidapura2 em Abril 6, 2009

    Não tento agradar,
    Não temo tentar,
    Errar, me arrepender…
    A vida é uma bolha
    Enche o saco, estoura…
    Sou aquela que destoa…
    Que faz versos à toa…
    Que gosta da noite,
    E da fina garoa…
    Não tenho preso o rabo,
    Escrevo por prazer, ainda
    Que com um travo amargo.
    Não temo desagradar…
    Tanto faz, me criticar ou elogiar,
    Minha paciência,
    Sempre anda por um fio…
    Entrega é loucura,
    Cai num imenso vazio…
    Sou metade amor, doçura,
    Metade revolta, amargura…
    Sou sentimentos confusos,
    Canto, silêncio, clausura…
    Sorrisos e lágrimas…
    Tempestade e calma…
    Sou eu morando,
    Com minha rebelde alma.
    Quem sou eu? – Mulher, um
    Anjo ou um vendaval?
    Eu sou algo inaceitável,
    Eu sou eu e ponto final…
    Mary Trujillo

Posted in poesia | Leave a Comment »

Amar-te

Posted by vidapura2 em Abril 6, 2009

      Amar-te…  É mais que uma expressão…
      É mais do que viver apenas… É religião.
      Sentir vibrar a alma como um címbalo…
      Ter o coração entregue em tuas mãos…
      
      É viver… Querendo-te em mil loucuras…
      Ter-te toda hora e querer-te sempre mais…
      Meu… Tão meu… Tão lindo… Tão intenso!
      Sentir tua respiração aportar no meu cais…
      
      Amar-te… É o ontem, o hoje… O amanhã.
      É sentir a vida jorrar em todos os poros…
      Deslizando por meu corpo como um céu…
      É repetir em teu ouvido… Que te adoro!…
      
      Amar-te… Vai muito além deste mundo,
      Vai às profundezas do ser e do sentir…
      Na voz emudecida do desesperado beijo.
      E pouco importar o que estará por vir!…
      
      Amar-te… É a mais bela das demências,
      Viagem pelo astral só de ida, sem volta!
      É oferecer-te meu corpo como alimento…
      E não ver mais nada além daquela porta!
      
      Amar-te, é a doença que não quero curar!
      É a agonia gostosa que me ateia fogo!
      É a lágrima…  E o sorriso contagiante…
      O querer mais, porque sempre é pouco!
      
      Amar-te… É deixar-me enclausurar…
      Nos teus abraços doces e amorosos…
      Os dois, num grito surdo e apaixonado.
      É mirar-me em teus olhos bondosos!
      
      Amar-te… É toda a minha história…
      É toda a minha existência agora…
      Meu caminho de luz… Minha aurora!
      Meu mais rico tesouro… Minha glória!
      
      Amar-te… É tomar posse do universo,
      É acreditar que tudo iremos vencer…
      Unidos por esta força interior e divina!
      Amar-te é, a cada dia, morrer e renascer!
      Mary Trujillo

Posted in poesia | Leave a Comment »

Decepção…

Posted by vidapura2 em Abril 6, 2009

 Decepção… Afinal, o que é a decepção?
      É quando a esperança se sente acuada,
      E todos os rostos são sem expressão …
      Confundidos no nebuloso pó da estrada!…
      
      Decepção… Ah, a decepção é devastadora,
      Tem a força de mil tigres, de mil furacões!…
      Sua negatividade é terrível…  Avassaladora!
      Estilhaça vidas… Destrói lindos corações!
      
      Ter decepção… É o mesmo que morrer…
      É um vazio dolorido circundando a alma.
      Sem notar que um lindo dia irá nascer…
      Sem querer ver o sol que se espalma…
      
      Ter uma grande decepção é mais nada sentir,
      Nada mais nos empolga… Nem extasia!…
      A alegria, o rumor das ruas só nos faz afligir,
      E a vida teima em nos fazer companhia!…
      
      Decepção… É uma punhalada certeira…
      Daquele que egoisticamente por nós passou.
      Vendo todos do alto da sua eterna geleira…
      Pouco importando quem ele feriu ou matou!…
      Mary Trujillo

Posted in poesia | Leave a Comment »

Oh… Pobre egoísta!

Posted by vidapura2 em Abril 6, 2009

Quem tu pensas ser? … Oh fera enjaulada!
  Que diz o teu coração nas horas mortas?
  Aonde te levará esta sede de poder?
  Estás acima de tudo? – Só a mentira importa!
  
  Arde em tuas veias um fogo abrasador…
  Queres ser o dono de todos… O centro de tudo!
  Buscas a luz… A atenção… O endeusamento…
  Mas é a noite que povoa teu absurdo mundo!
  
  Tua soberba é o pesado troféu que carregas!
  Dando-te a conhecer… Fazendo de ti uma caricatura
  Abestalhada… Digna de piedade e gargalhadas…
  Há muita diferença… Entre sabedoria e cultura!
  
  É teu sono inquieto e teus pesadelos são muitos…
  Uma besta de mil chifres… Dorme contigo…
  Teus vassalos são alguns poucos paquidermes,
  E por certo… Nenhum deles é teu amigo!…
  
  Mas até quando… Oh… Egoísta insano?
  Até quando irão eles te apoiar… E aplaudir?
  Senta no teu trono e espera calmamente…
  As bestas famintas… Irão te engolir!…
  Mary Trujillo

Posted in poesia | Leave a Comment »

NO SILÊNCIO DA NOITE I

Posted by vidapura2 em Abril 6, 2009

                  Entre beijos e carícias, no silêncio da noite,
                  trocamos confidências, aos ouvidos, um
                  do outro.

                  São coisas só nossas, bastando um olhar
                  sequer, para que logo, entendamos, a sua
                  profunda dialéctica.

                  Toca o relógio de cuco… mia o gato.
                  E em perfeita afeição, nos entregamos,
                  entre o calor, de nossos corpos apaixonados.

                  Como uma só pessoa, a tudo, que nos rodeia,
                  indiferente, sensivelmente, passo os meus
                  dedos, pelos teus olhos fechados.

                  E sentindo o cheiro, de teu corpo, aberto em
                  flor, tua beleza deitada, em total abandono,
                  chama por mim.

                  E deitando-me a teu lado, olhos nos olhos,
                  sorrimos, deixando escapar a palavra: amor!

                  Jorge Humberto

Posted in poesia | Leave a Comment »

UM PAÍS CHAMADO ZIMBABUÉ

Posted by vidapura2 em Abril 6, 2009

                  Quem saiba o que se passa no Zimbabué,
                  África Austral, não mais pode esconder,
                  na concha de suas mãos, a triste realidade,
                  de um país, onde a cegueira dos ricos,
                  insiste a tudo responder, com um simples
                  abandonar de braços.

                  A cada minuto, crianças inocentes, de
                  abdómen inchado, pernas e braços, em
                  pele e osso, morrem, nas poucas tendas de
                  campanha, da cruz vermelha ou dos
                  médicos sem fronteiras.

                  Na terra árida, sem água, tão pouco,
                  saneamento básico, vivendo entre poças infestadas
                  de mil doenças, putrificadas, algumas
                  crianças brincam, esperando pela morte, que,
                  virá reclamar, seus pequenos corpos, inermes.

                  
                  Por entre o mato seco e o sol impiedoso,
                  ecoa no ar, um grito de ajuda, que ninguém parece
                  escutar, ou, pior ainda, ignora por completo.

                  Precisamos ouvir, deste lado, o seu chamado,
                  por parte dos médicos zelosos, para que sejam
                  enviadas vitaminas e todo o tipo, de
                  medicamentos, tão necessários, num país,
                  de nome Zimbabué, medicamentos esses que
                  abundam, sobremaneira, no Ocidente.

                  E a comida e a água, tão precisas, assim como
                  a construção de casas habitáveis, seria algo a
                  que se devia pôr mão, enviando soldados,
                  pois que são treinados para isso. Levando consigo,
                  algo que não se pode esquecer e é muito
                  importante: esperança, alegria e carinho sem fim.

                  O Zimbabué está doente. Se nada fizermos, pois,
                  levaremos connosco, aqueles belos e redondos
                  olhos, de uma criança africana. E, os seus carrascos,
                  que descansem, que chegará a noite,
                  de todos os pesadelos e suores frios.

                  Jorge Humberto

Posted in poesia | Leave a Comment »

EM VOZ ALTA

Posted by vidapura2 em Abril 6, 2009

            Que o pensamento incomoda muito gente.
            Que as novas ideias, qual tempo do obscurantismo,
            sejam largadas à fogueira, da ignorância e do medo.

            Que o Homem, em novos antros, de falsas crenças,
            se auto flagele, perdida a personalidade e o orgulho.
            Que todos os valores, a nada nem a ninguém signifiquem.

            Que a ciência seja desacreditada, como coisa do inferno.
            Que se caminhe a passo de outros, quais bonecos sem vida.
            Rosto enterrado no lodo, sem ter porque ser ou haver.

            Que a igreja, como em todos os tempos, nos regateia.
            Entregando aos inimigos, suas ovelhas e cordeiros.
            Que a pedofilia, brutal realidade, dos padres vil quinhão.

            Que as crianças tenham perdido toda a sua inocência.
            E a liberdade, há muito, deixasse de ser uma brincadeira.
            Que reine a desconfiança, até no mais simples do gesto.

            Que a credibilidade, refazer da confiança, leve seu tempo.
            Que o Homem persista nesta tão necessária demanda.
            E não deixe de se dignificar e honrar, pelo trabalho.

            Que a droga e o álcool, atinja quer a jovens quer a velhos.
            Alucinados nas suas próprias desventuras, a tudo alheios.
            Que a ilusão é presente, em cada sorriso pateta.

            Tudo isto, por todos nós, é deveras mais do que sabido.
            Que nada se faz nem sequer alguma vez se veio a fazer,
            sem o assentimento de nossas mãos, por nosso pensamento.

            Jorge Humberto

Posted in poesia | Leave a Comment »

À ESPERA DELA

Posted by vidapura2 em Abril 6, 2009

      Se te sonho, se te espero e desespero,
      Maior é a minha vontade
      De te ter, nos meus braços, como
      Se a manhã
      Fosse uma simples consequência de nosso amor.

      Mas nada nem ninguém pode aqui supor,
      A bem da verdade e dos factos,
      O tamanho de nosso amor.

      E, embora
      Separados, por este oceano, que nos frustra e
      Sustenta, dia após dia, na convulsão de
      Nossos desejos mais íntimos, é ele que nos eleva
      A outros patamares, que muitos teimam em negar.

      Verdade porém se diga que já não posso passar
      Sem ti.

      E é com o teu rosto
      Que brinco, vendo-me outra vez menino,
      À espera dela, à espera dela.

      Jorge Humberto

Posted in poesia | Leave a Comment »

Eles Confessam!

Posted by vidapura2 em Abril 6, 2009

Sim, nós vamos continuar
sob qualquer nome, título,partido,
nós vamos continuar!
O que é proibido, para nós é permitido!
Nós temos a cúpula
Nós fazemos as alianças
Nós temos o poder
Vocês nos deram
e continuarão dando!
Vocês não nos alcançarão, nem punirão
exterminaremos quem ousar
Já estamos fazendo e
nem com seus próprios filhos mortos percebem
São nossos reféns.

Sim, nós vamos continuar
apertando as mãos
tocando nas bundas
dizendo ser chic
enganando  com promessas
criando projetos ilusórios
montando planos e mais planos
estamos nos divertindo
entre CPIs
até nosso plano final

Sim nós vamos continuar
Matando mulheres
Abusando das crianças
Exterminando adolescentes
Vamos viciar seus filhos
Vamos oferecer festas e mais festas
Fumarão das nossas pedras
Distribuiremos  o sexo devasso
Os hiponitizamos com suas próprias bundas
Pobre tolos, nem nos amaldiçoam para seus deuses
Dançam sobre seus cadáveres

Sim, nós vamos continuar,
construindo castelos
Nos hospedando no luxo
Fretando jatinhos
Desviando o dinheiro dos tolos
Criando cargos e mais cargos
Armando nossa corja

Sim, nós vamos continuar
Reformando palácios
Compactuando com ditadores
Nos aliando aos traficantes
Ampliando o narcotráfico,
permitindo que os cerquem
Batendo o martelo em suas caras
usando de seus próprios artigos
Pobres tolos do cruzeiro

Sim, nós vamos continuar
Deixando-os famintos,
sem teto,sem proteção
Deixando-os ignorantes
Os chamando de loucos
Queremos que se matem
Queremos rebeliões em presídios
Queremos invadir as terras
Vamos dividir esta terra entre nós

Sim , nós vamos continuar
Separando os olhos azuis,
dando mais olhos roxos nas mulheres
Tirando  penas dos cocares
Fortalecendo os coloridos
Destruindo cruzes, estrelas, hinos e ritmos
Queremos o caos!
Tiramos suas armas, todas elas,tolos!
Não tem como se protegerem
Estão indefesos em nossas mãos
Em seus guetos condomínios vigiados por nós
Em seus divertimentos nos shopping murados
Dentro de seus carros pouco blindados contra nossa força

Sim, nós vamos continuar
Os cercamos, não perceberam ainda que não podem nem ir, nem vir?
Contentem-se no momento com as Bolsas
Em breve se tornarão bolsas de sangue, de vocês!
Vamos controlar o mundinho virtual
Não escreverão duas linhas sem que os identifiquemos
Tolos, tolos, tolos

Sim, sim nós vamos continuar
Nos divertindo com seus medos
Com suas denúncias nos programinhas de noticias
Com seus linkizinhos de protestos
Nós temos as cores nas bandeiras
que movem paixões e idealismo fajuto
nossa isca para os ingênuos.
Verde e amarelo nem na farda
Não permitiremos
e repetimos, nós os desarmamos

Sim nós vamos continuar
criando maremotos
Chamando de marolas
Os atordoaremos com nossos atos
enquanto remam, investigam.
os deixaremos tentando sobreviver
não se enganem, naufragarão

Sim, nós vamos continuar
Bloquearemos suas vozes
Atemorizaremos os grupos
Os queremos famintos, desabrigados, alagados
Os queremos ignorantes, aterrorizados, desunidos
Os queremos invadidos por pestes, pragas, doenças
Os queremos escravos do nosso poder no meio do esgoto

Sim, nós vamos continuar!

Ana Maria C.Bruni

Posted in AMIGOS | Leave a Comment »

SEM DOR

Posted by vidapura2 em Abril 6, 2009

Num mar feito de silencio

As ondas que quebram na areia

Estão todas sem som

Ás vezes é preciso que se creia

Porque o que antes era imaginação

Ao ser tocado pela mão

Torna-se real

Ao invés de te dar uma flor

Plantei pra ti um jardim

Hoje é o nosso dia de sim

Porque agora te quero sem dor
 Andre Luis Aquino

Posted in poesia | Leave a Comment »