amizade e poesia

Alguém que faz você rir…Alguém que faz você acreditar em coisas boas…Alguém que convence você …De que existe uma porta destrancada…Só esperando para que você abra. Esta é a Amizade Para Sempre.

Archive for 28 de Agosto, 2009

Quando tudo parece impossível

Posted by vidapura2 em Agosto 28, 2009

Você pode imaginar como seria a sua vida, se tivesse nascido sem braços?

 

Uma pergunta para a qual talvez não tenhamos resposta, pois não ter os braços parece um desafio acima das nossas forças, já que braços e mãos são nossos instrumentos mais usados.

 

Agora imagine você sem braços e ainda assim dirigir um carro…

 

Mas não só isso: tocar guitarra também. Isso é impossível, você diz.

 

Pois essa é a realidade de José Antonio Meléndez Rodríguez, conhecido como Tony Meléndez.

 

Tony nasceu na Nicarágua e hoje é músico consagrado nos Estado Unidos, para onde se mudou com seus pais com um ano de idade, em busca de ajuda médica para corrigir um defeito num dos pés.

 

Na gravidez, sua mãe fez uso do medicamento talidomida, o que provocou a deformidade física.

 

Mas Tony não deixou que a falta dos braços o impedisse de viver. E viver com alegria.

 

Jamais permitiu que a limitação física lhe tirasse o prazer de cantar. Desde muito pequeno começou a tocar algumas notas musicais com os pés e logo descobriu que poderia afinar a guitarra de forma a atender sua necessidade.

 

Aos 18 anos Tony já tocava e cantava em eventos especiais, e fazia sucesso. Mas ele não canta, apenas. É compositor também.

 

Aos 25 anos, Tony teve a oportunidade de tocar sua guitarra com os pés e cantar para milhares de jovens, na presença do papa João Paulo II, na cidade de Los Ângeles, no ano de 1987.

 

Um disco giratório junto aos pedais do veículo também foi a solução para que Tony pudesse dirigir seu próprio automóvel, fazendo uso dos pés.

 

E é assim que Tony Meléndez supera suas limitações, fazendo o que muitos acham impossível, sempre com muito amor a Deus e a sua família: esposa e dois filhos adotivos.

 

Numa entrevista o jornalista lhe perguntou: “como tem sido sua vida sem suas mãos?”

 

E Tony respondeu, sempre bem-humorado: “eu não conheço as mãos, pois não as tive. Nunca tive esse dom de poder mover um dedo, de segurar um telefone, um lápis. Meus pés sempre foram meus dedos, minhas mãos”.

 

Ao final da entrevista, o jornalista lhe perguntou: “que mensagem você daria àqueles quem têm algum problema e que estão tristes?”

 

“Eu digo a mesma coisa para quem não tem e para quem tem tudo: não deixem a fé ir embora de seus corações, pois às vezes temos momentos em que ninguém pode nos ajudar.”

 

E para desafiar suas próprias potencialidades, Tony escreveu um livro autobiográfico, intitulado “A gift of hoppe” (um presente de esperança), e tem vários CD´s gravados, tendo se apresentado em 28 países.

 

Para finalizar, ouçamos alguns conselhos desse músico sem braços:

 

“Eu vejo uma pessoa como você que tem os braços, as pernas, que tem tudo, dizer: não posso, não posso.

 

Sim, pode; sim, pode!

 

Quando as pessoas me perguntam onde estão os milagres, eu sempre digo: eu vejo a mão. E quando alguém levanta a mão, para mim isso é um milagre.

 

Por favor, não me digam que não podem, não me digam que não podem porque vocês, vocês, podem fazer muito, muito mais.

 

Levantem-se e digam: eu quero, eu posso, eu vou seguir adiante.

 

Há um mundo inteiro só esperando a sua mão dizer sim.”

 

Pense nisso!

 

E, quando tudo parecer impossível, lembre-se que basta apenas dizer: “Eu quero! Eu posso, eu vou seguir adiante.”

Momento Espírita

Posted in AMIGOS | Leave a Comment »

Um dó danado…

Posted by vidapura2 em Agosto 28, 2009

Tadinho daquele moço,
      sozinho o dia todo,
      andando pela praia.
      Calor intenso, mormaço,
      mulherada só de tocaia.
      Coitado, sem camisa e descalço…
      Vem que te visto, te desfaço.
      Em gostoso e forte abraço

Maria Inês Simões

Posted in poesia | Leave a Comment »

Tanta pena.

Posted by vidapura2 em Agosto 28, 2009

      Que pena dessa garota
      Com a roupa toda rota
      quase que estava nuinha
      falando com meus botões
      emprestei-lhe os meus calções
      fiquem só em camisinha.

      Cândido

Posted in poesia | Leave a Comment »

TADINHO!

Posted by vidapura2 em Agosto 28, 2009

      Que charmoso esse mocinho,
      sem camisa e sentadinho
      na beira da minha estrada.
      Tirei logo os alfinetes,
      desfiz todos lacetes…
      Depois?
      Ah! Depois,
      levei-o à minha morada!

Eliana Ellinger

Posted in poesia | Leave a Comment »

DÓ?

Posted by vidapura2 em Agosto 28, 2009

Tô não…
      Como posso te agasalhar,
      Se tudo não estiver a faltar?
      Desse modinho, em desalinho,
      Vem meu dengo…
      Que comigo o frio não irá chegar.

      Prometo que irei só te vestir,
      Nem um tiquinho vou te sentir.

Nena Andrade

Posted in poesia | Leave a Comment »

Ô dó

Posted by vidapura2 em Agosto 28, 2009

Assim que o vi chegando,
      Coitadinho…
      Quantos músculos vinha carregando.
      Estava suado e maltratado…
      Coloquei -o na minha Hidro
      e dei-lhe um trato.
      Depois de limpo e cheiroso
      Na minha cama
      e fizemos um trato!
      Ufa..cansado…
      porém não fraco!

Candy Saad

Posted in poesia | Leave a Comment »

Peninha!!!

Posted by vidapura2 em Agosto 28, 2009

Lá vem o moço atlético
      sem camisa e com fome.
      Coitado, fiquei com dó!
      Como sou humana,
      Dou-lhe agasalho,
      comida quentinha,
      Em meus braços, também o faço,
      ser feliz em eterno laço.

Sol Lua©

Posted in poesia | Leave a Comment »

Posted by vidapura2 em Agosto 28, 2009

Pobre moço sem camisa,
      desprotegido logo de manhãzinha.
      Coitado, fiquei com dó!
      Como sou boazinha,
      sempre ajudo a quem precisa;
      dou-lhe meu abraço,
      enlaço seu corpo
      num só nó!

Anna Peralva

Posted in poesia | Leave a Comment »

COOPERAÇÃO PELA ARTE

Posted by vidapura2 em Agosto 28, 2009

Nada se faz sem cooperação,
      algo que vem do coração…
      Nessa cooperação, é preciso notar
      que todos devemos colaborar…
      Ninguém consegue fazer tudo sozinho,
      e o melhor caminho,
      é bem entender, que sempre alguém
      completará a obra de alguém…
      Poetas e formatadores,
      escritores e divulgadores,
      trabalhando em cooperação,
      em paz, e com o coração,
      fazem sempre maravilhas…
      Esses resultados são apreciados,
      nos lindos trabalhos executados…
      Todos devem ser respeitados,
      e seus méritos reconhecidos,
      cada qual fazendo sua parte,
      com um sucesso que se reparte…
      Existindo essa sadia cooperação,
      veremos que o fruto dessa união,
      com um abraço, um beijo, um aperto de mão,
      sempre fará bem ao coração…

      Marcial Salaverry

Posted in poesia | 3 Comments »

SENDO ASSIM…

Posted by vidapura2 em Agosto 28, 2009

Aquilo que penso e vivo
                                nada tem a ver com as palavras,
                                que estas estão num calhamaço
                                de páginas vazias de sentido e incruéis…
                                ou, nas  frases brandas
                                das folhas amarelecidas,
                                de tintas já sumidas,
                                onde estão as frases mais velhas!…
                                Sendo assim,
                                ou se escondem de mim,
                                ou me ocultam!…

                                A essência do que sou
                                deve estar escrita,
                                numa língua
                                que só eu posso traduzir.
                                Porém esse idioma
                                eu mesma desconheço.
                                Sendo assim,
                                ou sou estrangeira onde vim,
                                ou me exilam.

                                De qualquer forma
                                frases que se elaboram,
                                são-me tintas muito infiéis…
                                Não acertam a minha nuance.
                                Sendo assim,
                                ou me mostram nua,
                                ou me borram,
                                quando tentam me vestir…

Eme Paiva

Posted in poesia | Leave a Comment »

Noite maravilhosa

Posted by vidapura2 em Agosto 28, 2009

Quando anoitece,

      o sereno que chega,

      leva ao leito, os pássaros,

      as flores e os amantes.

      Cavalheiros e

      Damas das noites.

      Lançam seus perfumes,

      nos ares, nas alcovas.

      No céu a Lua encanta,

      em sua claridade…

      Desperta sentidos.

      Desejos, loucuras.

      Eternidade.

      “É tão calma a noite”.

      Para aqueles que amam.

      É tão leve a noite.

      Quando o toque

      sugere o prazer.

      É maravilhoso, o aconchego.

      Os braços que se enlaçam.

      As bocas que se unem.

      Nesta noite… De nós dois.

      Sol Lua©

Posted in poesia | Leave a Comment »

POEMA REALISTA

Posted by vidapura2 em Agosto 28, 2009

A felicidade mede-se pelo tamanho do
                                gesto, o gesto com o que cada um de nós for capaz de
                                levar aos outros, valorizando-os dessa forma e assim
                                potencializando, o que de bom há em cada
                                uma dessas pessoas.

                                Nem só de coisas más vive o mundo, existe
                                também um esforço e uma dedicação
                                (feita por pessoas anónimas e altruístas)
                                em prol dos demais, levando o amor
                                além-fronteiras e um sorriso nos lábios,
                                para com as crianças abandonadas à flor da sorte.

                                Fruto da terra o bem prolifera e instala-se
                                nas vontades de cada um e da raiz virá um dia
                                a semente, dos novos filhos da natureza
                                humana, dizendo não à violência e sim à fraternidade,
                                humildade e aceitação, entre as várias raças,
                                em tudo diferentes em toda a sua semelhança.

                                A felicidade está em sermos felizes nos outros.
                                A liberdade em aceitarmos a liberdade de cada um,
                                como a nossa própria liberdade.

                                Jorge Humberto

Posted in poesia | Leave a Comment »

EQUIDISTANTE

Posted by vidapura2 em Agosto 28, 2009

O que antes era um sorriso meu
      agora tornou-se escárnio,
      sempre que atrevo olhar-me no espelho.

      E há uma loucura latente em cada
      movimento, que ouso pôr em prática
      ou julgo ousar, em complacência para comigo.

      E o vómito acomete contra a minha
      figura desmesurada entre o absinto e
      os cigarros e os comprimidos.

      Onde raio a porta aberta? Onde, onde
      correndo para a liberdade,
      de ignorância e precipitação, deixei
      eu a porta descerrada, na pressa de crescer?

      E tu felicidade, que zombas de mim,
      equidistante, a todo o instante,
      deixa-me que te diga, ser feliz é contrariar a sorte!

      Por isso não és tu, para que saibas, quem me
      preocupa tanto assim.

      Jorge Humberto

Posted in poesia | Leave a Comment »

FILHOS DA LIRA

Posted by vidapura2 em Agosto 28, 2009

      Nos mais belos jardins que um homem
      em toda sua arte e sensibilidade soube
      pôr na terra e da terra vê-los colmar-se
      qual arco-íris de flores e mil fragrâncias

      Na resplandecência seus brilhos únicos
      próprios da natureza nascem miles sois
      e nós somos pedaços, de outros tantos
      pedaços, que unidos fizemos, com que

      da raiz mais profunda, de todos os rios
      ecoa-se fértil lirismo, por nosso nome.

      Jorge Humberto

Posted in poesia | Leave a Comment »

PRAIA DE CANELAS

Posted by vidapura2 em Agosto 28, 2009

                  Junto a um vulcão em extinção
                  está a praia de Canelas.
                  Pela manhã suas águas são frias e
                  o fundo não se deixa ver,
                  coberto que está por uma densa
                  camada de nevoeiro,
                  vestindo toda a praia de um branco
                  a perder-se de vista,
                  sem qualquer movimento quer
                  de ondas, quer de pessoas,
                  àquela hora matinal.

                  Rochas vulcanizadas caem aqui e
                  acolá, mais ou menos perto do vulcão
                  adormecido, pedaços que a natureza
                  em tempos ali deixou, criando novos
                  motivos de distracção, para os
                  veraneantes, principalmente as
                  crianças ávidas de novas aventuras.

                  No entanto é necessário muito cuidado
                  pois estas rochas cortam como o vidro
                  e há mexilhão cobrindo todo o espaço,
                  camuflado entre a negridão, da
                  própria pedra rochosa.

                  A montanha é íngreme e por todo o lado
                  pedras soltas não são o mais apropriado,
                  para ali se deitar uma toalha de praia.
                  O mais correcto é andar sempre calçado e
                  quando chegar a vontade de um banho no
                  mar, descer até ao fundo mais plano da falésia,
                  e aí, em cima de qualquer coisa, para não
                  magoar os pés, despirmo-nos para de
                  seguida entrar nas águas já mais apetecíveis.

                  De ilhotas se distribui o mapa desta zona
                  onde poderemos observar uma aldeia,
                  um tanto na distância. enquanto a meio
                  da manhã, o vulcão praia, se enche de
                  pessoas de todas as idades, abundando
                  as crianças.

                  Jorge Humberto

Posted in poesia | Leave a Comment »