amizade e poesia

Alguém que faz você rir…Alguém que faz você acreditar em coisas boas…Alguém que convence você …De que existe uma porta destrancada…Só esperando para que você abra. Esta é a Amizade Para Sempre.

Archive for 5 de Setembro, 2009

A crítica

Posted by vidapura2 em Setembro 5, 2009

Convidada a fazer uma preleção sobre a crítica, a conferencista compareceu ante o auditório superlotado, carregando pequeno fardo. Após cumprimentar os presentes, retirou os livros e a jarra de água de sobre a mesa, deixando somente a toalha branca.

 

Em silêncio, acendeu poderosa lâmpada, enfeitou a mesa com dezenas de pérolas que trouxera no embrulho e com várias dúzias de flores frescas e perfumadas.

 

Logo após, apanhou na sacola diversos enfeites de expressiva beleza, e enfileirou-os com graça.

 

Em seguida, colocou sobre a mesa um exemplar do Novo Testamento em capa dourada.

 

Depois, diante do assombro de todos, depositou em meio aos demais objetos pequenina lagartixa, num frasco de vidro.

 

Só então se dirigiu ao público perguntando:

 

O que é que os senhores estão vendo?

 

E a assembléia respondeu, em vozes discordantes:

 

Um bicho!

 

Um lagarto horrível!

 

Uma larva!

 

Um pequeno monstro!

 

Esgotados breves momentos de expectação, a expositora considerou:

 

Assim é o espírito da crítica destrutiva, meus amigos!

 

Os senhores não enxergaram o forro de seda alva, que recobre a mesa.

 

Não viram as flores, nem sentiram o seu perfume.

 

Não perceberam as pérolas, nem as outras preciosidades.

 

Não atentaram para o Novo Testamento, nem para a luz faiscante que acendi no início.

 

Mas não passou despercebida, aos olhos da maioria, a diminuta lagartixa…

 

E, sorridente, concluiu sua exposição esclarecendo:

 

Nada mais tenho a dizer…

 

* * *

 

Quantas vezes não nos temos feito cegos para as coisas e situações valorosas da vida.

 

Acostumados a ver somente os fatos que denigrem a sociedade humana, volvemos o olhar para os detritos morais das criaturas.

 

Assim, criticamos a mídia por enfatizar as misérias humanas, os desvalores, as fofocas e as intrigas, mas, em verdade, isso tudo só vem a lume porque ainda nos comprazem. Em última análise, é o que vende!

 

Não há espaço para uma mensagem edificante, e os que teimam em veicular coisas e situações nobres, o fazem sob o peso de enormes dificuldades.

 

É imperioso atentarmos para os nossos valores ou desvalores, antes de levantarmos a voz para criticar a sociedade e os meios de comunicação em geral.

 

É importante observarmos os nossos interesses pessoais antes de gritarmos contra os governantes, sem esquecer que eles só ocupam os cargos depois de eleitos por nós.

 

Enfim, é relevante atentarmos para os que buscam divulgar o bem e o belo e candidatarmo-nos a engrossar essas fileiras.

 

Assim, com a exaltação do bem, em detrimento do mal, com a evidência da paz, em vez da guerra, com a elevação do perfume sobre os odores fétidos, a sociedade logrará sobrepujar as misérias, evidenciando as belezas e os atos de essência superior, e encontrada será a felicidade perene.

 Momento Espírita

Posted in AMIGOS | Leave a Comment »

VOCÊ É MEU SUPERMAN

Posted by vidapura2 em Setembro 5, 2009

Você é meu Superman
      Que existe para o meu bem…
      É meu amigo…Amado….
      Amante….Companheiro…
      Meu eterno namorado!

      Encontrei você caminhando pela vida
      na esquina da Esperança Avenida…
      Cantando em pleno sol …
      Sorrindo para todos…
      Dançando como Fred Astaire…
      Fazendo da sua vida
      o mais lindo Carnaval…..

      Muito ousado declarou-me o seu amor…
      Corajoso entregou-me seu coração….
      Generoso me doou muito carinho…
      Inteligente compartilhou seu conhecer….

      Meu Superman querido
      Leve-me em seus braços
      para voar no Infinito…
      Onde tudo é certamente mais bonito….
      Leva-me para o seu palco de amor
      onde seus segredos terão novo sabor
      de um imenso e eterno querer…..

Penhah Castro

Posted in poesia | Leave a Comment »

SOMENTE VOCÊ SABE…

Posted by vidapura2 em Setembro 5, 2009

Somente você sabe
  do meu passado tristonho
  das perdas que me marcaram
  dos desafios enfrentados…

  
  Somente você  sabe
  dos sonhos das madrugadas
  quando acordava suada
  sabendo que eram sonhos
  do meu coração risonho…

  Somente você sabe
  das manhãs ensolaradas
  quando meus olhos choravam
  a sua ausência involuntária…

  Somente você sabe amor
  da ternura que me invade
  dos pensamentos que me assolam
  da felicidade prometida
  de amor por toda a vida…

Penhah Castro

Posted in poesia | Leave a Comment »

ACORDA MENINO…ACORDA MENINA..

Posted by vidapura2 em Setembro 5, 2009

Acorda gente amada
é tempo de seguir a estrada…
Vamos dar as mãos e cantar
a alegria de cada dia gozar…
Vamos juntos comungar
a felicidade merecida
que todos temos na vida…
Vamos juntos cantar
a melodia que vai ecoar
em todos os cantos da terra
levando esperança
levando alimento
para o espírito
fazendo o mundo
mais bonito…
Penhah Castro

Posted in poesia | Leave a Comment »

Oi princesa

Posted by vidapura2 em Setembro 5, 2009

        Oi princesa
        O que aconteceu?
        A cabeça  você perdeu?
        Que pena!
        Sempre torci por você…
        Mas sei que a cabeça você vai recuperar
        assim que souber que a quer encontrar…
        Bota sua emoção para funcionar…
        Usa a razão quando precisar….
        Mas todo este movimento
        é comandado por um cérebro gigante
        maravilhoso e fascinante…
        Nunca deixe o seu poder
        nas mãos de outro qualquer…
        Saiba da sua responsabilidade…
        Somente você pode comandar
        a linda arte de AMAR…

Penhah Castro

Posted in poesia | Leave a Comment »

AGRADECER…

Posted by vidapura2 em Setembro 5, 2009

Hoje vou levantar meus olhos
e AGRADECER…
Por esta vida!
Por cada segundo que estou vivendo…
Pelos pais que escolhi…
Por meus filhos que me escolheram…
Por meus netinhos amados…
Espíritos abençoados…
Por cada amigo muito amado,
declarado,ou escondido
e, aos que estão ao meu lado,
ou involuntáriamente separado
 neste caminho escolhido…
Por tudo que tenho…
Pelo que não possuo
mas que me ensinou
uma sutil lição…
Pela esperança constante
em meu coração…
Obrigada Meu Deus
Obrgada por cada segundo
dos dias meus

Posted in AMIGOS | Leave a Comment »

EU TE AMO MEU AMOR….

Posted by vidapura2 em Setembro 5, 2009

Eu te amo amor meu
      desde o dia em que meu coração
      o conheceu…
      Foi surpreendente eu o encontrar
      no barulho da noite
      e, docemente
      a olhar para o infinito
      senti encontrar o amor mais bonito…
      Tudo começou com um olhar…
      Um longo conversar…
      Uma fumaça nos envolveu
      e, no meu dela
      passou a existir somente
      VOCÊ & EU…
      O tempo foi rapidamente passando
      e, meu amor sedimentando…
      Uma palavra aqui
      um elogio ali…
      Um carinho escrito…
      Uma emoção  excitada…
      Um sentimento alimentado
      e, um amor renovado…

      Uma paixão foi surgindo
      como alimentando o sentimento…
      A imaginação entrou em ação
      e, o resultado foi esta explosão…
      Uma explosão de carinho,
      de beijos, de abraços,
      deitada no seu ninho…
      Não me pergunte amor…
      Não sei como , nem porque
      meu coração elegeu
      VOCÊ…

Penhah Castro

Posted in poesia | 1 Comment »

SOMOS TODOS ESPECIAIS

Posted by vidapura2 em Setembro 5, 2009

Quando as lágrimas brotarem nos seus olhos
deixe-as rolar,
cair,
se esgotar…
Uma lição você deve aprender
em cada emoção que seu corpo manifestar…
Quando uma tristeza o acometer
sinta-a profundamente
esvazie esta emoção
para dar alívio ao seu coração…
Procure, então, um sol no outro lado,
e, então você vai sorrir
porque o Universo vai lhe servir…

Você nunca estará sozinho
você é seu melhor amigo…

Mas Deus nunca o abandonará
e, sempre o apoiará
Você pode também contar
com sua grande força interior
aí é o seu grande lar…

Feche os olhos e, então você verá
as mãos de Deus estendidas para você
aumentando a sua esperança…
Seu amor será fortalecido
para enfrentar qualquer dor ou medo…

Acredite amigo você é muito importante…
Somos todos especiais….

Penhah Castro

Posted in poesia | Leave a Comment »

Migalhas

Posted by vidapura2 em Setembro 5, 2009

Mudar, quem sabe, a forma de sentir
O que na alma vibra e faz doer
Prouvera eu saiba, e se souber; prover;
um pouco de ventura ao meu porvir.

Talvez que o céu me ouça o desiderato
E que o tempo decorra e substancie
Uma energia nova que alivie
A mágoa que profana o meu recato.

E usando de Camões, a fantasia,
direi que é verde a cor do chão que piso
como o nume, que o verbo reverencía;

E assim, de esperança faço o paraíso
que em sonhos se promete, em rebeldia
À crueza da vida que é preciso.

Eugénio de Sá

Posted in poesia | Leave a Comment »

COMO FOLHA

Posted by vidapura2 em Setembro 5, 2009

Solta como folha
na curva das matas
assim estou a esperar
Vim correndo
furando as imensas portas
das escuras madrugadas
fugindo do frio
sem chorar, vim leve
louca pra te encontrar

Aurea Abensur

Posted in poesia | Leave a Comment »

REVISITANDO MEUS VERSOS

Posted by vidapura2 em Setembro 5, 2009

Por mais desertos onde me perder,
                  por mais jardins que ostente,
                  até hoje não houve semente,
                  que fizesse jus a todo este meu saber.

                  Como se uma bela flor a encontrasse
                  de seu jeito envergonhada,
                  vendo a luz ser-lhe negada,
                  por não ter enfim quem nela reparasse.

                  Pois só a indiferença lhe traz o vil algoz.
                  Ser quem é em si é e satisfaz.
                  E nada há que seja aqui capaz
                  de a um sentimento seu torná-lo atroz.

                  Muitos desejam a esta flor irresistível,
                  não julgando sua fragilidade.
                  Mais lhes importa a vaidade,
                  a cumprir agora e já com o exequível. 

                  Na solidão extra de minha extensa vida,
                  mergulhado em meu pensar,
                  imenso de dor e tenso penar
                  são meus dias por esta gente mal vivida.

                  Jorge Humberto

Posted in poesia | Leave a Comment »

ENQUANTO LIA

Posted by vidapura2 em Setembro 5, 2009

Quem desse que todas as aves dos céus
      à terra descessem
      e entre cantos e chilreios se passeassem
      por entre a terra molhada, depois de uma
      manhã acidental de chuva.

      Quem desse, quem desse, sem mostrar
      medo algum, viessem pousar perto de mim,
      curiosas por entender o que seria aquilo
      no regaço de minhas mãos, de capa
      colorida e letras esgarçadas, espaçadas.

      E conforme a manhã se foi instalando, assim
      as aves foram formando parelhas de casais,
      aqui e ali nas árvores e pousando em meu corpo,
      buscar-lhe a frescura, que umas rochas
      salientes a devida e merecida sombra aquietava.

      Jorge Humberto

Posted in poesia | Leave a Comment »

ABRE EL CORAZÓN

Posted by vidapura2 em Setembro 5, 2009

Abre el corazón
y sal a respirar afuera,
salta desde el borde de una estrella,
busca un rincón pequeño de la tierra
donde posar la huella de tus pasos.

La vida se va llenando de escamas,
de barcos anclados en la orilla del pasado,
de preciosos aeroplanos que no vuelan
pero se agitan como si fueran
vagones del metro suburbano.

¿Dónde se  puede encontrar a dios
si no es enterrado en el universo,
en la náusea infinita del azul
o en el horizonte sin límites de un verso?

A la sábana del tiempo
se le van cosiendo minutos,
sonrisas de seda y bramante
que estallan en la esfera del reloj,
viejos logaritmos huecos de tic-tacs
que nunca se resuelven.

Abre el corazón
y mira dentro
la agonía de la torre
derrotada en mitad
de la partida de ajedrez,
el enroque cobarde de la reina,
el jaque mate y asesino del abismo.
Mira dentro y verás que
el mundo, el futuro y el destino
jamás se declararán en tablas
al final de este delirio.

Fernando Luis Pérez Poza

Posted in poesia | Leave a Comment »

ESCUCHA

Posted by vidapura2 em Setembro 5, 2009

Escucha,
¿De dónde vienes?
¿Cuál es tu misterio?
¿En qué lugar desierto se forjaron
los ritmos frenéticos
que yo siento latir en mis huesos?

Las palabras estallan
como truenos profundos
en lo más hondo del corazón,
ruedan perdidas por el espacio
hasta romper la luz
y descender
por las escaleras del tiempo
para llenar de vértigo
el vacío seco y hueco
de esta soledad de piedra
que me late dentro.

Yo no sé nada de la vida,
ni el secreto que ocultan
las burbujas amarillas del sol,
ni los sueños infinitos que contiene
la chispa más pequeña de una estrella.

Yo no sé nada de la muerte,
ni del negro agujero de la nada
por donde se vierte
el acero fundido del abismo
y te muerde la fatalidad de la serpiente.

Yo no sé por qué ni para qué
me trajeron las aguas y los vientos
a chupar este amargo caramelo
al que no consigo quitar el papel.

Escucha,
¿No oyes la pregunta?
¿Adónde vamos?
¿Qué hay más allá del último horizonte?
¿Qué trenes circulan por el universo
y hacen de la muerte la única estación?
¿De qué están hechos los raíles de la eternidad?

Pasa la vida y no regresa,
se vuelven amarillas
las hojas del calendario,
se caen
            y vuelan a la deriva
en el impulso mágico del aire,
en la cola estremecida de un cometa,
en las luces desbocadas del otoño,
buscando el destino incierto
que destila el futuro,
ese viejo fantasma
                                                  que huye
y, a cada paso, se hace humo.

Escucha,
hoy suena una música
de ventanas rotas,
de balcones sin barandilla,
de horizontes ciegos,
y, también, de soledad sin fondo.
Se filtra por los huecos del alma
como si fuera humedad de musgo
adentrándose en la piedra.
Sube en espiral, remonta el vuelo
y se hace nube:
es la canoa blanca del infinito
donde navegan todas mis penas.

Escucha,
hoy tengo hambre de ternura,
de bancos encendidos en el parque
y manos que estallan sobre la piel,
de pechos firmes y redondos
galopando en círculo
la latitud exacta de mis dedos;
hoy tengo sed de trepar
por las colinas blancas
de unos muslos que saben
a delirio y caverna,
de hundirme
en la palpitante raíz de sus corales.

El mar lleno de sueños azules
apoya su larga frente en la arena,
derrumba sus viejos castillos de sal
en la espuma de las olas,
es una olla que hierve como el aceite
y evapora todas las distancias.

El aire sabe
a lágrimas heridas de campanas viejas,
a cristal salpicado de tinieblas,
a húmedo rocío de silencios,
y, también, a cóctel de marfiles negros.

Escucha,
¿Dónde está el centro de la nada?
¿En qué escollo naufragará mi vida?
¿En qué cenizas morirá mi fuego?
¿A qué distancia está el cielo?
¿Por qué las mariposas
no vuelan en invierno?

Manantial de preguntas que se desboca
y que siempre se quedan sin respuesta.

Fernando Luis Pérez Poza

Posted in poesia | Leave a Comment »

Primitivo, sofisticado

Posted by vidapura2 em Setembro 5, 2009

Seus olhos,suas vontades,suas lentes,sua voz
Sua cor,seus cabelos,seu corpo,seu caminhar
Seu coração,seus lábios,sua cultura,sua arte
Seu perfume,seus gestos,suas roupas,suas mãos
Sua silhueta,seus gritinhos,seu charme,suas pintinhas
Sua postura,seus sorriso,sua sombra,sua força
Suas tatuagens,seu rosto,suas marcas,seu controle
Sua tranquilidade,sua harmonia,sua calma,seu perfil
Seus dedos,seus remédios,suas unhas,seu penteado
Seus brincos,seus colares,seus anéis,seu relógio
Sua agenda,seu celular, seu baton, sua caneta
Sua bolsa,sua carteira,seu lenço,seu rg
Sua blusa,seu vestido,sua saia,sua sandalia
Seu tênis,seu sapato,sua liberdade,sua presença
Sua essência,sua música,seus juízo,suas pernas
Seu quadril,seus braços,seus seios,seu sexo
Sua profissão,sua coerência,suas manias,seu silêncio
Sua irritação,sua raiva,sua foto,seus retratos
Sua política,sua família,suas amizades,sua prima
Seu sutien,sua calcinha,sua alegria,seu ritmo
Sua terra,sua cachorrinha,seu gato,seus passarinhos
Seu lápis de olho,seu cio, seu pó,seu rimel
Seuas meias,suas joias,seu cartão,seus clientes
Seus pacientes,seus amantes,seus dentes,seu nariz
Suas orelhas,seu passaporte,seu cpf,seus pelos
Seu broche,sua calça,suas flores,suas botas
Seu mau humor,seus sonhos,seu desodorante,seu shampoo
Sua escova de dentes,seu algodão,seus cotonetes,seu modess
Seus delírios,seus sangue,suas lágrimas,suas loucuras
Seu quarto,sua cama,seu travesseiro,suas bonecas
Sua cadeira,seu espaço,sua objetividade,seu tempo
Suas luas,suas estrelas,suas noites,sua insônia
Sua criatividade,seus ossos,seus músculos,seu futebol
Seu bairro,sua cidade,seu país, seu mundo

Carlos Assis

Posted in poesia | Leave a Comment »