amizade e poesia

Alguém que faz você rir…Alguém que faz você acreditar em coisas boas…Alguém que convence você …De que existe uma porta destrancada…Só esperando para que você abra. Esta é a Amizade Para Sempre.

Archive for 7 de Abril, 2010

O livro da vida

Posted by vidapura2 em Abril 7, 2010

Benjamin Franklin, inteligência privilegiada do século 18, mais conhecido entre nós pela sugestão do uso de pára-raios em grandes edifícios, escreveu certa vez:

 

“Quando vejo que nada é aniquilado nos trabalhos de Deus, e nem uma gota d’água é desperdiçada, não posso acreditar que exista o aniquilamento das almas.

 

Também não posso acreditar que Deus queira suportar o esbanjamento de milhões de mentes já feitas, que agora existem, e dar-se ao contínuo trabalho de fazer outras, novas.

 

Assim, vendo que existo no mundo, acredito que, sob uma forma ou outra, sempre existirei.

 

E, com todos os inconvenientes que a vida humana tende a oferecer, não farei objeções a uma nova edição da minha.

 

Espero, contudo, que a errata da última seja corrigida.”

 

Possivelmente em um momento de bom humor, mas firme nesse seu ponto de vista, Franklin escreveu seu próprio epitáfio:

 

“O corpo de Benjamin Franklin, impressor, como a capa de um livro velho, seu conteúdo despedaçado e despido de seu título e de seus dourados aqui jaz.

 

Alimento para os vermes. Mas o trabalho não será perdido.

 

Pois, como ele acredita, aparecerá mais uma vez, em nova e mais elegante edição, revista e corrigida pelo autor.”

 

Vemos que o grande cientista acreditava, não somente na imortalidade da alma, mas também na reencarnação.

 

E, como ele, podemos dizer que a nossa vida é um livro que estamos escrevendo e estudando todos os dias.

 

Os nossos atos vão compondo novas páginas, os nossos pensamentos vão nele sendo impressos. Cada capítulo que concluímos, pela maturidade que vamos alcançando, é mais rico.

 

Nenhum capítulo é somente dor. Como nenhum é de total êxtase. Lágrimas e dores se confundem, tornando a obra um best-seller.

 

Cada vida é um livro inédito, sem igual.

 

É bom lembrar, no entanto, que, quando um autor lança um livro pede a alguém competente no assunto que faça a apreciação do seu trabalho.

 

Essa apreciação passa a constar como prefácio da obra.

 

De outras vezes, é o autor mesmo que apresenta a sua obra. No prefácio ele oferece ao leitor dados sobre o conteúdo, razão e finalidade dos seus escritos.

 

As pessoas quase sempre deixam de ler essa parte e começam a ler o assunto principal.

 

Justamente por essa forma errada de ler, menosprezando as explicações do autor ou do prefaciador, muito do conteúdo poderá ficar sem um bom entendimento.

 

O livro da nossa vida também possui um prefácio. É nele que anotamos os projetos e falamos dos nossos objetivos na presente existência.

 

É no prefácio que assinalamos as diretrizes que deveremos seguir.

 

Por essa razão, pelo menos uma vez por ano devemos reler o prefácio do livro da nossa vida.

 

Isto para termos refrescada a memória sobre o que desejamos fazer da nossa existência.

 

Porque viver não é somente respirar, saciar as necessidades básicas de alimentação, repouso e lazer.

 

Viver é oportunidade de crescimento, de progresso.

 

Ninguém nasce para ser um fracassado, derrotado. Cada qual nasce para um grande objetivo: se tornar melhor, subir um degrau na evolução.

 

Relendo o prefácio do livro da nossa vida, recordando porque nos encontramos aqui, poderemos realizar as correções devidas para aproveitar esta oportunidade, de forma ampla.

 

Poderemos lembrar de retornar àquele curso que começamos e desistimos. Ou talvez que devamos retornar ao seio da família que um dia largamos, em algum lugar.

 

Possivelmente nessa lida do prefácio, recordaremos da intensa necessidade de Deus, da religião.

 

Talvez, em algum momento, reguemos com lágrimas as páginas do prefácio, enquanto a memória reavivada nos remete ao doce aconchego da prece.

 

Pensemos nisso! Será hoje o momento de proceder à leitura do prefácio do livro da nossa vida?

 
Momento Espírita

Anúncios

Posted in AMIGOS | Leave a Comment »

PERDAS

Posted by vidapura2 em Abril 7, 2010

                              Perder quem amamos é de imensa dor,
                              O que nos acalenta é a esperança,
                              Um reencontro de almas que se amam.
                              Pessoas que são direções em nossas vidas,
                              Ao partirem deixam um vazio sem medida.

                              Que minhas letras cheguem até tua nova morada,
                              Em forma de amor, energia de paz.
                              Que minha oração traga mais luz na imensidão desse céu.
                              E que as estrelas levem o que meu coração ditar,
                              Nessas entrelinhas de amor a falar.

                            Nanci Laurino

Posted in poesia | Leave a Comment »

PAI

Posted by vidapura2 em Abril 7, 2010

     A saudade corta o peito,

      Ainda doída, grita!

      Mais um ano se passou,

      Ausência marcante ficou.

      Tuas palavras de Pai eternizam,

      O imenso amor por nós.

      Como bálsamos soam,

      Tua ternura em nos ensinar.

      És farol te sigo …

      Porto seguro em meu Lar.

      Meu saudoso Pai,

      Deus é contigo!

      Meu amor por ti vai além daqui,

      Meu Pai,  meu eterno amigo!

Nanci Laurino

Posted in poesia | Leave a Comment »

BEBENDO DO TEU NÉCTAR

Posted by vidapura2 em Abril 7, 2010

      Beijo teus lábios de céus e de mar
      encanta-me a sua suave brisa
      que eles encerram semicerrados
      ao encontro do fortuito beijo
      enquanto eu fecho os olhos
      e lhe tomo o gosto agridoce.

      Subindo um pouco mais beijo-te
      a fina testa em sinal de respeito
      como pequenos estalidos
      que lá perdurassem
      deixados pelos meus lábios
      e aí permanecessem recordando.

      Por agora descendo beijo a
      tua nuca, afastando o cabelo farto
      e numa volta redonda
      achego-me ao pescoço
      e aí permaneço brincando
      de menino embevecido.

      Sou sombra que escorrega pelos
      teus seios
      e levando meus lábios até eles
      me perco nos seus sentidos
      apurados e aprumados
      que o desejo se encarregou de deixar.

      E quanto mais desço mais me
      aproximo de ti
      primeiro arredondando o umbigo
      com a ponta da língua
      e chegando enfim à tua estrela
      é dela o néctar que beberei.

      Jorge Humberto

Posted in poesia | Leave a Comment »

DESENHO NA AREIA

Posted by vidapura2 em Abril 7, 2010

      Desenho na areia meu nome e o teu,
      Em um coração está guardado
      Assim como dentro do meu!

      O sol aquece a água que banha,
      Levando em ondas esse nosso amor.

      Na aurora do tempo,
      vamos em pensamentos
      Sentir a ternura a nos envolver,
      E o amor a nos acolher.

Nanci Laurino

Posted in poesia | Leave a Comment »

Quem Diria?…

Posted by vidapura2 em Abril 7, 2010

  Onde estão as suas flores?…
  As flores que juntos buscamos?
  Nossas gargalhadas inocentes…
  Os sonhos que juntos idealizamos?

  O que aconteceu com o seu coração?
  Éramos tão unidos… tão parecidos…
  Hoje, não o reconheço, não o encontro…
  Esquecidos estão os caminhos percorridos..

  Calo a palavra adeus… deixo no ar a dor…
  Para que dizer do que feriu, se de nada valeu?
  Se as misérias do mundo atingiram seu coração,
  Batendo forte em quem a mão lhe estendeu…

  Será impossível esquecer nossa infância…
  Os passeios, o cinema, o doce da padaria…
  Mas, o tempo impiedoso… leva tudo embora,
  Ele hoje está nos separando… – Quem diria?

  No céu… uma estrela deixou de brilhar…
  No coração ferido, um pedacinho irá faltar,
  Mas a vida tem dessas coisas, entendo…
  Agora somos adultos. Não podemos brincar!
  Mary Trujillo

Posted in poesia | Leave a Comment »

JARDIM DA VIDA

Posted by vidapura2 em Abril 7, 2010

Primavera,
jardim da vida.
Jubilo suave e eterno,
és divina, espelhando
aos nossos olhos suas flores
de cores e formas  formosas;
umas exalando perfumes,
outras exprimindo a beleza,
sejam estas também crianças, 
que tanto nos encantam,
ou estrelas, brilhando no universo,
 repleto de fantasias
todas lindas,
perfeitas na sua fragrancia,
perpetuando e ornamentando
as alamedas dos sonhos
que desfrutaremos
 todos os dias no teu jardim,
a viver.
Schyrlei   Pinheiro

Posted in poesia | Leave a Comment »

Luz da Minha Vida

Posted by vidapura2 em Abril 7, 2010

A madrugada – prepara a cama
 enquanto a Luz – que é Você
 surge lá longe – no arrebol
com o nome de Sol…

 Com seu sorriso – cheio de amor
 me acorda – suavemente
enquanto minh’alma
 ao corpo volta – inocentemente…

Abro as portas, de minha morada
e sua Luz se faz – inda mais amada
e os meus caminhos, minha estrada
dias e noites – faz iluminadas

No fluir das vidas – há dissabores
mas os transforma – sempre em amores
Pois feita gente – Mulher – Menina
o bem viver – sempre me ensina

Sempre otimista – de alto astral
tens o dominio do bem e do mal
e cura sempre a minha dor
com o remédio que é o seu amor…

Mas afinal – Quem é Você?
Que não me deixa nunca esquecida?
Ah – Você é Mulher_Menina
– Você é a “Luz da Minha Vida” !

Posted in poesia | Leave a Comment »

Jogo Triste

Posted by vidapura2 em Abril 7, 2010

Lembranças, saudades
que o tempo nos fez plantar.
Crianças, esperança,
que fazem a vida mudar,
à cores, sem cores,
querendo ao amor afrontar,
não suportando as cobranças
de quem as ensinou a amar.
Meninos crescidos, rebeldes,
o tempo não custa a passar,
o hoje é tão bonito,
por que a tantos magoar,
se o amanhã  vem chegando,
e no jogo terás que entrar,
ouvindo da dor  da saudade,
um grito, que não poderás calar.
Eu te amo! te perdôo,
por te ver cultivar as sementes,
que em ti consegui deixar.
Schyrlei Pinheiro

Posted in poesia | Leave a Comment »

A UNA LÁGRIMA

Posted by vidapura2 em Abril 7, 2010

              Gota del mar donde en naufragio lento
              se hunde el navío negro de una pena;
              gota que, rebosando, nubla y llena
              los ojos olvidados del contento.

              Grito hecho perla por el desaliento
              de saber que si llega a un alma ajena,
              ésta, sin escucharlo, le condena
              por vergonzoso heraldo del tormento.

              Piedad para esa gota, que es cual llama
              de la que el corazón se desahoga
              cual desahoga espinas una rama.

              Piedad para la lágrima que azoga
              el dolor, pues si así no se derrama,
              el alma, en esa lágrima se ahoga…

                    José Ángel Buesa

Posted in poesia | Leave a Comment »

ASSIM É O DESEJO DE AMOR

Posted by vidapura2 em Abril 7, 2010

    Para bem sentir um amor, é importante que em  nossa vida nunca falte alguém para olhar na mesma direção,
                  e com o mesmo brilho no olhar, mostrando a reciprocidade do sentimento.
                  Assim se sente e se vive
                  um amor de verdade,
                  em plena felicidade…
                  Marcial Salaverry

Posted in poesia | Leave a Comment »

Se Deus Quiser…

Posted by vidapura2 em Abril 7, 2010

      A solidão chegou,
      A tristeza chora, sem voltas;
      Rogamos, ao nos despedirmos
      aos pés da cruz.
      Que a paz volte a nos reunir
      Em instantes alegres.
      A dor já virou pequenas lembranças,
      que pedem passagem no tempo,
      Ensinando-nos a esperar o seguimento.
      Ninguém é capaz de suporta a dor,
      que ouve, e assiste o sofrer
      Todo dia dizer adeus;
      Hoje, brotam lágrimas de saudade
      Na casa do Pai.
      A missão foi cumprida!
      Anjos cantam em teu louvor,
      fortalecendo o amor,
      que a vida nos feria na alma.
      Siga em paz, meu irmão,
      o teu destino,
      nós estamos à caminho.
      E voltaremos a nos encontrar,
      Se Deus quiser.

Schyrlei Pinheiro

Posted in poesia | Leave a Comment »

O DESTINO É O AMOR

Posted by vidapura2 em Abril 7, 2010

      Vendo o destino gozar,
      no sublime e no profano
      cada coisa em seu lugar.
      Levando a mulher
      e por ela sendo levado,
      caminhando na mesma direção.
      É o bem nascendo do amor…
      Nada de mágoas,
      tristeza alguma no lidar,
      caminhando nos bons caminhos,
      desbravando o lugar de chegar.
      A cruz só segue se servir de ponte,
      cada cruz seguir e ficando,
      sempre cada coisa em seu lugar.
      As bênçãos vindas no merecimento,
      das vidas vividas no amor,
      homem e mulher lutando,
      sempre que for preciso lutar.
      Lado a lado, um pelo bem do outro,
      inimigos vencidos por inexistência,
      acabou a luta,
      somente o amor fazendo amor,
      vendo o destino gozar.

      Evaldo da Veiga

Posted in poesia | Leave a Comment »

NÓS DOIS E A VIDA

Posted by vidapura2 em Abril 7, 2010

      Ainda bem que moramos no mesmo mundo,
      dormimos no mesmo sonho
      e vibramos na mesma emoção.
      Teus olhos brilhando em nosso encontro constante,
      e nos teus olhos vejo o reflexo da vida.
      Sonhos, fantasias e realidade,
      misto de emoções que nos conduz…
      Vou aonde você vai, aonde vou, tenho você, sempre.
      Fui triste e fiquei alegre de repente, logo que te encontrei.
      De um lado vi ternura, do outro ventura,
      e nos dois lados vi você.
      A vida faltou, antes, enganou-me muitas vezes.
      Eu andava pobre e bem carente, você chegou…
      Nada mais preciso:
      vida, alegria e fortuna, tenho em você.

     
      Evaldo da Veiga

Posted in poesia | Leave a Comment »

PROSA DEDICADA AO TEU SONO

Posted by vidapura2 em Abril 7, 2010

      Dormes!
      Sinto bem próximo nessa toda distância,
      o teu sono em sintonia com a paz.
      Como és linda, dormindo,
      sorrindo, ou sonhando acordada!
      Quando vejo seres com ouro e outros bens,
      constato o quanto são pobres e miseráveis,
      se não vive o amor
      Sustento-me no teu ânimo de manter-me amante,
      amigo e companheiro dedicado.
      E sinto que a proteção que se deve ter, real,
      manifesta-se no cuidar do amor.
      O triste de se lidar com a vulgaridade que grassa,
      representada no poder canalha e indecente,
      encontra bálsamo de legítimo alivio,
      que me nutre a tua presença, MULHER.

     
      Evaldo da Veiga

Posted in poesia | 1 Comment »