amizade e poesia

Alguém que faz você rir…Alguém que faz você acreditar em coisas boas…Alguém que convence você …De que existe uma porta destrancada…Só esperando para que você abra. Esta é a Amizade Para Sempre.

Archive for 4 de Maio, 2010

Se Sou…Serei…

Posted by vidapura2 em Maio 4, 2010

      Se outros vos mostram a lua,

      Então, vos mostram a mim mesmo!

      Se, ainda assim, te mostrarem o sol,

      Serei eu novamente!…

      Se, te mostram o oceano…

      Mais um vez serei eu!…

      Como poderá procurar outros braços

      Se, a tudo estou em para ti!?…

      Entrego-te o ser em minha alma,

      Entrego-me a todos os teus desejos,

      Em todas as formas sem pudores,

      Sem pensamentos.

      

      Você é minha força

      Meu maior poema

      Você é minha escrita mais doce!…

      A força para as palavras severas,

      Meu acalento quando sou magoado.

      Que mais frágil ou gigante

      quando escondido eu reapareço

      Movo-me por encantos teus

      Como se tu fosses a própria terra…

      

      Ah, e se fosses a terra?!…

      Seria eu a borboleta em teu aroma…

      Seria o pássaro a cantar-te a vida,

      Seria o riacho a levar-te as águas e,

      Ainda, que os ventos soprassem…

      De teu íntimo viesse o calor, teu manto interior…

      Eu seria o mar a banhar-te às margens…

      Para acalmar-te após a erupção!…

      

      Mas se olhares para o céu e, além de mim,

      outros vos saúdam e contemplam…

       São demais movidos por teu esplendor de amor…

      Mas o meu olhar se faz diferente,

      Nosso amor foi escrito em outros tempos,

      outras vidas…prometido entre anjos

      que hoje nos saúdam…

      Nossas vidas tomadas neste sentimento

      Superando e dando forças necessárias…

      vencendo a tudo e os opositores deste sentimento.

      

       Hora sinto-me criança em teus braços,

      Hora homem,

      em nossos momentos mais íntimos…

      Sinto estar contigo em meio às estrelas…

      Êxtase que me provoca tua pele!….

      Fiz-me te amar pelas mãos…

      Mãos que sempre estiverem  a disposição na dor,

      Mãos que me ajudaram a suportar

      Dores inaceitáveis a muitos

      

      Hoje quando penso que posso perder-te…

      Lanço-me ao vale da tristeza e, lá fico,

      esperando meu fim, nada, fará sentido,

      Haverá em mim a força de antes?…

      Você é meu alimento,

      Se sou anjo (como dizes)…

      És as minhas asas!…

      Se sou tua noite, serei então estrelas

      para iluminar-te sempre

      Se sou teu amanhecer serei sempre

       o Sol a te aquecer,

      Te amo…Te amo…Te amo!…

      

      Paulo Nunes Junior

Anúncios

Posted in poesia | Leave a Comment »

POR SOBRE AS FALÉSIAS DE MÁRMORE

Posted by vidapura2 em Maio 4, 2010

           Nas falésias de mármore o
            mar recua no seu ímpeto inicial
            e em grandes vagas torna ao
            mar aberto, quais cavalos de espuma.

            Nascem redemoinhos e o mar
            altera-se, passando dum azul claro
            para um azul-escuro, que das
            profundezas vem a ira da revolta.

            No cimo das falésias de mármore
            rasos arvoredos crescem juntamente
            com algumas árvores anãs,
            e a todo o comprimento vêem-se planícies.

            Cavalos selvagens percorrem-nas
            de uma a outra ponta
            crinas soltas ao vento lembram a
            liberdade de seu trote.

            Nas falésias de mármore o vento faz casa
            e uiva à noite, quando as estrelas estão
            escondidas e a lua é um infante
            navegando oceanos intemporais.

            Os animais dispersam-se por sobre
            as falésias e dão um ar sobrenatural
            à paisagem marmórea
            que esconde velhos ritos antepassados.

            Podem-se observar milenares gravuras
            inscritas no mármore destas falésias
            que o mar não corrói
            e o tempo faz perdurar no tempo.

            Nas falésias de mármore o mar
            detém-se e recua, voltando ao oceano
            em ondas crescentes de ira
            por não poderem nada contra as falésias.

            No cimo das falésias de mármore de
            tudo sou leigo observador,
            efusivamente vejo as forças em confronto
            donde saem vitoriosas as rochas escarpadas.

            Jorge Humberto

Posted in poesia | Leave a Comment »

PLANTANDO UMA ÁRVORE

Posted by vidapura2 em Maio 4, 2010

            Passeio meus dedos por entre
            a terra molhada,
            planto uma árvore como não só
            e vêm os primeiros pássaros
            curiosos com os meus passos.

            Pousam levemente numa árvore
            ali por perto
            e observam a menina árvore
            e seu condão
            singrando ao sol da primavera.

            Descanso meus olhos enquanto
            o sol doira no céu
            prata e ouro se confundem
            meu sonho tem mil cores
            que estas árvores me dispensam.

            Árvores bêbedas de calor
            anseiam por um pouco de água
            levanto-me e dou de beber
            a todas elas, principalmente
            à mais pequena

            Que se refugia na sombra das mais
            velhas e sábias árvores do condado
            onde eu durmo meu sonho à beira-rio
            com forte influência
            para com as árvores circundantes.

            Agora tenho uma floresta só minha
            que a árvore que plantei já cresceu
            e guarda nos seus ramos os
            primeiros ninhos
            que ali fizeram casa.

            Deixo cair o livro de minhas mãos
            e observo como é rica a natureza
            ainda há dias um bolbo agora uma árvore
            adulta. raso meus olhos na água
            e saro a ferida.

            Jorge Humberto

Posted in poesia | Leave a Comment »

AVIÃO DE PAPEL

Posted by vidapura2 em Maio 4, 2010

            Enfeito os teus dias de gardénias
            e de malmequeres
            teus olhos de bem despertar
            trazem a luz primeira da manhã
            sou como o arco-íris
            experimentado todas as cores.

            Uma leve brisa diz-me de tua
            presença aqui, o sol doira no céu
            com suas andorinhas e pardais
            cantando à alvura matinal,
            ponho-te à janela mais a
            bambinela, com bolinhas a enfeitar.

            Faço-te um avião de papel
            para te oferecer, larga-o ao mundo o que
            ao mundo vai buscar
            pois só ele sabe das asas que lá pintei
            mãos finas
            que eu vou querer beijar.

            Jorge Humberto

Posted in poesia | Leave a Comment »

OLHOS DE GATO

Posted by vidapura2 em Maio 4, 2010

Teu olhar lânguido me enche de
volúpias
e meu coração bate forte enquanto
caminhas
na minha direcção.

Quebra-se o silêncio lá fora
apenas nós existimos
olhos rasos de água e de bom
despertar
fazem com que a palavra se solte.

Dá-se inicio ao monólogo
e cada um tem de si para oferecer
com parcas palavras se desenha
o sonho de enfim
persistentemente sós.

Suspiros ecoam pela sala
(choro de criança que tem olhos
de gato)
e vão-se instalar nas fímbrias da
madeira dos objectos curiosos.

Por fim dá-se a explosão
e só o eco nos indicia
a um canto da casa grande
aninhados
como se fora um casal de namorados.

Jorge Humberto

Posted in poesia | Leave a Comment »

CONSTERNAÇÃO

Posted by vidapura2 em Maio 4, 2010

            E é tão forte a consternação
            quando vejo alguém sofrer
            que o meu pobre coração
            logo se aflige no padecer.

            Fica aflito e em desunião
            o meu coração a arder
            cá dentro do peito ancião
            de muitas vidas a perder.

            Vidas de jovens e seus vícios
            que doam corpos a cilícios
            e outras arbitrariedades.

            Eis são as cruas realidades
            de uma civilização amestrada
            que quer tudo e tem nada.

            Jorge Humberto

Posted in poesia | Leave a Comment »

UM NOVO AMANHECER

Posted by vidapura2 em Maio 4, 2010

Amanhece…

A madrugada faz sua despedida

Os olhos se abrem para a vida

Que se renova, que acontece

 

Em cada lar, em cada olhar

Em cada gesto de carinho

Em cada sorriso dado pelo caminho

Em cada coração que se deixa amar

 

Tudo é esperança, em tudo há beleza!

Por vontade do Criador, novos de novo

O ânimo, o tempo, a natureza

 

E a alegria no sorriso do povo

São bênçãos em mais um amanhecer

Um novo tempo para amar e renascer!

 Walter Pereira Pimentel

Posted in poesia | Leave a Comment »

DIA DAS MÃES

Posted by vidapura2 em Maio 4, 2010

      Na Índia gostamos de falar de Deus como
      Mãe Divina, porque uma verdadeira
      mãe é mais meiga e clemente do que um pai.
      A mãe é uma expressão do amor
      incondicional de Deus.
      As mães foram criadas por Deus para
      nos mostrar que
      Ele nos ama com ou sem motivo.
      Toda mulher é para mim uma representante
      da Mãe. Vejo a Mãe Cósmica em todas.
       O que eu acho mais admirável na mulher é o
      seu amor materno.

      Paramahansa Yogananda

Posted in poesia | Leave a Comment »

Amor é o Sol…

Posted by vidapura2 em Maio 4, 2010

       Amor é o sol que não cobra por seus raios…
      É o ar que preenche todos os recepientes por dentro e os envolve por fora…
      É o oceano que aceita toda sorte de rio, sem se importar com a procedência…
      É a árvore que não se gaba ao dar a sombra e abrigo e se curva para oferecer seus frutos…
      É a água do mar que derrete as pedras inflexíveis da arrogância…
      É a água do rio que sacia a sede de todos os seres que vêm à sua margem…
      É o convite do sábio que ama o que sabe, e sabe o que ama…
      É um coração grande que acomoda o universo inteiro, e no qual ainda sobra espaço…

      Ken ODonnell

Posted in poesia | Leave a Comment »

La Bendición De Ser Madre

Posted by vidapura2 em Maio 4, 2010

Dios bendice las madres, 
las mas hermosas mujeres 
porque en sus vidas nos alientan 
los mas puros quereres.  
 
Las que sienten el peso 
de los deberes del día 
y se entregan en martirios, 
con su amor y simpatía.  
 
Las que cantaron al oído 
tantas canciones de cuna 
y como hijo enseñaron 
su viviente gran fortuna. 
 
Dios bendice las madres 
que se entregan a diario 
por el dolor de los hijos  
en el cotidiano Calvario.  
 
Las que hicieron otras vidas, 
en sus benditas entrañas 
y nos entregaron sus almas 
con un amor que no engaña…  
 
Las que dieron al hijo, 
como flor, sus consejos 
y a sus hijos aun miman  
hasta cuando llegan a viejos.  
 
Dios bendice las madres, 
en su santo derroche 
de cariño sin tacha, 
de pasión sin reproche.  
 
Las que tienden la mano 
de bondad para el acto 
y renueva esperanzas con 
su amor el contacto.  
 
Las que impregnan el alma 
de una fe tan intensa 
que se hicieron muy dignas 
con su eterna recompensa.  
 
Dios bendice las madres, 
las que santas y tiernas, 
por su amor se merecen  
ser queridas… madres eternas…  
 
 Rafael Caraballo

Posted in poesia | 1 Comment »

O Haiti Existe !

Posted by vidapura2 em Maio 4, 2010

      Tanto tempo, só agora o mundo acordou.
      Ele existe mesmo com tantos mortos !
      Longos caminhos,o povo pobre sonhou,
      Só depois dos escombros, terremotos …
      
      O universo abriu os olhos da humanidade.
      Asas aos céus, navios atendem ao grito
      De um povo que chora, pede igualdade!
      Ricos jogam orgulho de lado,sangra o peito.
      
      Povo guerreiro ,escravo lutando por liberdade
      País despedaçado, brigando por água ,comida,
      Jamais esquecendo suas preces , a eternidade.
      
      Caminham sem destino ,com a alma ferida
      Elos perdidos, destroçados,filhos sem colo,
      Na cidade dos vivos, mortos, soterrados.
       
 Maria Thereza Neves

Posted in poesia | Leave a Comment »

Pólen da Poesia

Posted by vidapura2 em Maio 4, 2010

       Enquanto houver vida,
      existirão poetas,
      sonhando com o eterno viver,
      fertilizando a poesia,
      ouvindo seu coração pulsar,
      falando com as estrelas,
      navegando no ar,
      retirando das pedras, a magia,
       que ninguém sabe explicar,
       mas, que o poeta sente,
       e vê, na luz, brilhar,
      fantasiando a incerta realidade,
      feliz em poder imaginar
      a verdade infinita,
       existente na  beleza
      que jamais vai terminar,
       protegida pela certeza
      de sua própria natureza,
       que a tudo e todos,
      no tempo pode
      em ilusão transformar.
      Enquanto houver versos,
      e a luz no céu brilhar,
       haverá  esperança
      da criança  encontrar a saída,
       na solução, no calor do sol,
      no brilho das estrelas,
      no segredo da inspiração,
      que vem do desejo,
      sentido em cada criação

Schyrlei Pinheiro

Posted in poesia | Leave a Comment »

ALGO SOBRE MÃES E FILHOS

Posted by vidapura2 em Maio 4, 2010

Como o Dia das Mães está chegando, todos se lembram de falar sobre as mães, que desfiam fibra por fibra seu coração, que dão tudo de si pelos filhos, algo que ninguém pode discutir, embora hajam algumas exceções de mães que não tem o mesmo desvelo por seus filhos, e que, felizmente são bem poucas e raras as criaturas desse tipo. A verdade é que elas  tornaram-se mães, porque tiveram filhos. Falemos um pouco deles.

      

      Sempre é oportuno falar sobre educação infantil, maneira de se criar filhos, pois estão surgindo divergências sobre diferenças entre repressão e educação.  O que antes se considerava educação, hoje é tido como repressão, e o resultado é o que está se vendo. Não podemos confundir liberdade de opinião com liberalidade de costumes.

      

      Li um artigo muito interessante sobre maternidade, que termina com a seguinte, e muito linda frase:

      “A integração plena entre duas pessoas que se amam é a fusão de suas essências em um novo ser: O FILHO”.

      

      Muito linda a frase, só que é preciso acrescentar que, para se ter um filho, é muito importante que o casal esteja muito bem preparado para o evento. Preparado moral, material, e espiritualmente, pois é um passo muito importante. Afinal, vamos por no mundo uma criatura que vai precisar de todo apoio possível e imaginário.

      

      Portanto, se os pais não estiveram com todos os requisitos em dia, sai besteira, sendo essa uma das razões porque temos tantas crianças abandonadas, mal educadas e otras cositas más… Produto híbrido de pais inadequados, e como tem disso, infelizmente…

      Na hora de fazer, tudo é lindo e maravilhoso.  Quando se cai na real do dia a dia, é que vemos onde a porca torce o rabo, é onde calculou-se a sagrada emoção de ter um filho, como sendo apenas o fato de po-lo no mundo, sem atinar para o tudo que acompanha o pacote.

      

      A falta de um bom planejamento impede que se dê aos filhos a criação adequada, e muitas vezes isso acarreta tantas consequencias danosas para o futuro das crianças, que por vezes chego a pensar se não seria lógico e necessário o tal “controle de natalidade”, tão apregoado em certos países.

      

      Muitas vezes acontece a chamada “gravidez acidental”, ou seja, em um momento de, digamos emoção excessiva, houve a perda de controle, resultando daí os chamados “filhos indesejados”.  Muitas vezes tais crianças tem a sorte de encontrar boa acolhida, apesar de “acidental” (será acidental mesmo?), mas geralmente são considerados como um fardo por quem os cria, gerando assim traumas incríveis para essa criança.

      

       Muitos casais podem dizer que tiveram seus filhos planejados, pensados e executados conscientemente.  Depois, com os filhos crescidos e bem criados, pode-se dizer que eles tiveram toda a atenção e apoio moral e material que poderiam ter.  Enfim, esses casais podem dizer: MISSÃO CUMPRIDA, ou quase, pois sempre os filhos vão precisar de apoio dos pais e se houve esse planejamento, sempre haverá o bom relacionamento entre pais e filhos, o que dificilmente ocorre nos lares mal formados, pois a falta de condições, sempre provoca a revolta dos filhos contra os pais.

      

      Enfim, essa questão deve ser encarada com muita atenção e carinho.

      

      Muitas vezes casais que não querem ter filhos são questionados por esse motivo.  Não vejo porque esse questionamento. Afinal, é uma questão que só diz respeito a eles.

      

       Essa é uma das sábias maneiras de fazer o “controle da natalidade”, os chamados filhos conscientes. Ou seja, gerados quando os pais reúnem condições para tanto, e realmente desejam aumentar a família.  Convenhamos que atualmente, isto se torna cada vez mais problemático.

      

      Sempre resta o famoso argumento: Se seus pais tivessem pensado assim, você não estaria aí…” É bem verdade… acontece, porém que eles não pensaram assim…

      

      Assim sendo, só nos resta respeitar quem pensa dessa maneira…

      Bem meus amigos… TENHAM UM LINDO DIA…

Marcial Salaverry

Posted in poesia | Leave a Comment »

Faltou

Posted by vidapura2 em Maio 4, 2010

Ah… Meus olhos se fecham e entrego-me as lembranças, das noites de sabor de mel,

 das manhas picantes, das tardes recheadas de paixão

Os dias que pertinho de teu corpo estive as surpresas,

 como a de chegar logo se despir e entre salas e escadas nosso amor entregue sem pudor sem limites

A coragem de gritar ao mundo de frente, que éramos a representação do amor que a tudo vence.

Ah… Doces lembranças de teu jeitinho de menino, dos beijos na mesa,

 da tua satisfação a se deliciar de cada prato servido a ti como meu rei

Que dias estes, podem certamente vir tempestades, furacões,

maremotos, mas nada apagam de minha alma estes instantes

Tão forte esta em meu pensar que nem mesmo a toda poderosa senhora morte apagará!

Que delicia foi te amar, que sabor de quero mais a cada dia por vir,

nesta entrega maravilhosa em sintonia perfeita de nossas almas

Tudo levado por um instante aonde nos faltou algo tão simples,

 perto de tudo que éramos faltou o diálogo agora fico com meus pensamentos…

Cristal Solitário

Posted in poesia | Leave a Comment »

A entrega foi feita

Posted by vidapura2 em Maio 4, 2010

quando palavras
não se suportam
desabam
das nuvens brancas para o chão
o arco-íris desanuvia
papeis molhados
depois da chuva
colados na calçada
folhetos perdidos
vivo intensamente pois amo
amo quem eu quero
e basta isto
demonstro o que sinto
deito na cama e sonho
cores espalhadas no céu
frutos dependurados nas árvores
chamando mãos famintas
crianças jogando bola na rua
cheias de barro e sorrisos
pés descalços
passarinhos brincando na água
quando palavras
não se suportam
desabam
das nuvens para o chão
agarradas as asas cinzentas dos anjos

Carlos Assis

Posted in poesia | Leave a Comment »