amizade e poesia

Alguém que faz você rir…Alguém que faz você acreditar em coisas boas…Alguém que convence você …De que existe uma porta destrancada…Só esperando para que você abra. Esta é a Amizade Para Sempre.

Archive for 12 de Maio, 2010

O Preço da Luz

Posted by vidapura2 em Maio 12, 2010

               Não recebemos qualquer aquisição sem preço correspondente. Fatos comezinhos da existência material esclarecem-nos vivamante nesse sentido. Por que motivo aguardaríamos vantagens da compreensão sem o trabalho preciso? Não se dependura a virtude no santuário da consciência, como objeto de adorno em tabiques exteriores. 
              Faz-se preciso renovar a mente e purificar o coração. Não adquiriremos patrimônios da imortalidade, guardando acervos de pensamentos do campo mortal.
               Não nos renovaremos em Cristo, perseverando nas velhas fantasias da esfera transitória.
               Para elevar a própria vida é imprescindível gastar muitas emoções, aparar inúmeras arestas da personalidade, reajustar conceitos e combater sistematicamente a ilusão.
       

      Emmanuel / Francisco C. Xavier

Anúncios

Posted in poesia | Leave a Comment »

MUJER!!!

Posted by vidapura2 em Maio 12, 2010

                No veo en la mujer su color,
                   ni  su edad o su nivel cultural…
                   ella supera cualquier calificativo,
                  ella es superior!

                   La mujer, por su misión,
                  es encanto, es inmensurable a su amor,
                  ella tiene la pureza de una bendición,
                  Sus acciones, peculiarmente, son paradójicas
                  es necesaria, es fuerte como los vendavales,
                  y es única y suave como una flor…

                  Es mágico  su poder seductor,
                  ella es, en su vivir, la gran visionaria,
                  delante de la vida, es la superior comisaria
                  por eso es la mayor obra del Creador.

                  Tarcísio Ribeiro Costa

Posted in poesia | Leave a Comment »

O AMOR QUE POSSO

Posted by vidapura2 em Maio 12, 2010

      O amor que posso e não me foge à rima,
      despede a farsa ao projetar um rumo
      do eterno sonho, mesmo que deprima,
      no fim do acaso que se fez sem prumo.
      
      O amor que sinto peca, na verdade,
      no alar sem jeito de um velado canto,
      nos tais momentos de sentir vaidade
      em que me envolve seu dourado manto.
      
      É muito o preço que me cobra a vida
      em festas tantas de um bailar sereno,
      em palcos quantos… Fala indefinida
      
      que pouco dura, no cenário ameno,
      mas que embeleza a dor da despedida
      na tela fria, azul de metileno.
       

        
            Cleide Canton

Posted in poesia | Leave a Comment »

Matemática do Tempo…

Posted by vidapura2 em Maio 12, 2010

       Ontem, um sinal vivido na história,
      um ponto definido e imutável,
      fermento em pó da verdade.
      Hoje, exclamação instantânea,
      fotografada e mutante,
      operando nos espaços vazios;
      as sementes do conhecimento
       acumuladas na soma fracionada,
      das horas divididas,
      deixando, entre  erros e acertos ,
       as dizimas intermináveis.
      Amanhã, interrogações problemáticas,
      repletas de idas e vindas,
      renovando o milagre da vida,
      afermentando os sonhos adormecidos,
      que despertam coloridos,
       multiplicando, no ar,
      as diferenças, e a crença exata
      de um poder, que não pára
      de procurar uma solução, invisível,
       da paz e do amor.

Schyrlei Pinheiro

Posted in poesia | Leave a Comment »

Introspecção

Posted by vidapura2 em Maio 12, 2010

               Olho para dentro de mim…

                Por que está triste o coração?
                Por que este sentimento ruim?
                Por que esta prostração?

                

                Questiono-me. Não há resposta…

                Mas insisto: esta foi a vida

                Que ao renascer me foi imposta?

                Toma-me aflição desmedida…

                

                Mardilê Friedrich Fabre

Posted in poesia | Leave a Comment »

Esperança

Posted by vidapura2 em Maio 12, 2010

              a.. Os seus olhos misericordiosos e lindos,
              Pousaram como uma carícia, nos meus,
              Esperançosa, pousei meus olhos nos seus.
              Eu que andava triste, agora vivo sorrindo,

              Minha vida é uma árvore enfeitada de flor
              E tudo canta e sorri dentro em mim ,
              Você, esperança, foi que mudou-me assim,
              Disponho-me a levá-la para onde eu for …

              Sua magia me transformou, minha amiga,
              Refugiei-me na sombra do seu carinho,
              Que deixou-me alegre como um passarinho,

              Trouxe-me felicidade e de volta á vida.
              Ah! Não me abandone nunca, nunca! Não!
              Deixe a serenidade no meu coração !…
            Hilda Persiani

Posted in poesia | Leave a Comment »

VAMOS REVIVER O ROMANTISMO

Posted by vidapura2 em Maio 12, 2010

O romantismo parece ser mais um desses artigos em extinção, e é preciso fazer algo para dar-lhe uma sobrevida.  É preciso não esquecer de que na teoria, o romantismo é a melhor maneira de se viver um amor, devendo sempre fazer parte da vida de uma parceria, para que sempre o amor seja renovado.

Infelizmente nem sempre é o que acontece, pois, por incrível que pareça, algo que muitas vezes determina o fim do clima romântico entre um casal, é o casamento, mormente quando o casal se deixa levar pela rotina da vida em comum, quando o que poderia e deveria aumentar o clima romântico entre o casal, acaba sendo o responsável pelo seu desaparecimento.  Pode parecer ilógico, mas é o que ocorre.

 

Vamos analisar por partes.

 

Quando os parceiros se conhecem, existe aquele clima de sedução, quando ambos precisam caprichar na arte da conquista, é quando capricham no visual, e sempre procuram saber do que a parceria gosta, e assim, procuram, seduzir-se mutuamente. E haja clima de sedução.

 

Quando a conquista está feita, vem um relaxamento natural, e é quando ela acha que já não precisa mais se enfeitar tanto, caprichar no visual, e muitas  vezes esquece até aquele perfume francês que ele tanto gostava de cheirar no cangote.  Por sua vez, ele já acha que não precisa mais levar flores, e nem  aquele presentinho de surpresa, pois agora nada disso é necessário, acreditando que essas pequenas atenções são inúteis, pois  ela já está conquistada, e   agora é só o vai da valsa.

Não esquece do chopinho com os amigos, e que raiva ela tem disso, mas em compensação, ela não esquece o bingo com as amigas, o que ele detesta, e assim a coisa vai  ficando chata,  pois começam a se ver cada vez menos, e essas “ausências” podem determinar o fim daquela intimidade gostosa que havia no começo.

 

Mais tarde, então, começam a surgir os filhos, o que pode ser um tremendo contratempo, se não estiverem bem preparados para o evento, começando as queixas…  “Não temos tempo nem para aquele sexo tranquilo e descontraído, pois no melhor da festa,  aquela coisinha começa a chorar…”.

 

Ele chega do trabalho, e a encontra toda descabelada,  irritada com os problemas do cotidiano, e ele por sua vez, vem irritado com seu chefe, com problemas de seu serviço, com o trânsito infernal, com as contas a pagar. Quem não sabe quais são os problemas do dia a dia?

 

Existe clima para romantismo? Pode existir romantismo nessas condições?  Se encararmos friamente a questão, realmente será impossível. Mas é preciso que algo seja feito, pois o amor continua latente, apenas encoberto pelo clima que vai se criando.

 

Assim, desse caos sempre poderá se criar alguma coisa, que vai exigir certamente um esforço  mútuo.  Ambos deverão se lembrar de como era gostoso e aconchegante antes, e é importante que se recupere, nem que seja parcialmente, esse clima gostoso.

 

Ela está atarefada e azucrinada, mas, sabendo a que horas o marido vai chegar, sempre poderá dar, quando não, uma ajeitadinha no cabelo, uma maquiagem leve, um sorriso, mesmo que amarelo, procurando enfim, ser um pouco sedutora.  Afinal, o parceiro já foi conquistado,  mas a conquista precisa ser mantida. Principalmente, quando chega em casa, pois qualquer um gosta de encontrar um ambiente melhor do que o do serviço, mais desanuviado,  e não carregado e cheio de reclamações.

 

Por outro lado, ele deverá deixar na porta (do lado de fora), as preocupações e os problemas que encontrou lá fora, jamais permitindo que tais problemas entrem em casa, procurando não levar para dentro de casa o pacote completo.  Por que não levar um vaso de flores, ou ramo de rosas, como fazia antigamente? Ela passou de namorada para esposa, mas ainda gosta dessas coisinhas, e sente falta. Há que se considerar que SEMPRE ela será a namorada. É importante manter esse clima de namoro, mesmo depois alguns anos de vida em comum.

 

Claro que essas atenções não devem ser unilaterais. AMBOS devem encarar a coisa dessa maneira. É muito mais difícil e complicada a manutenção da conquista, do que ela propriamente dita.

 

Quando um dos parceiros notar que o outro está “pisando na bola”, ao invés de agredir, dizendo que antes era assim, e agora é assado, deve chamá-lo para uma boa conversa, bem calma e tranquila, sem brigas e nem agressões, apenas expondo como a coisa está, e como gostaria que fosse.

 

Diálogo, crianças, é a melhor arma para combater o virus da indiferença que infecta grande parte dos casamentos de hoje. E respeito, muito respeito, e deve ser mútuo.

 

Essa é uma das melhores maneiras de fazer com que um relacionamento seja duradouro, e que os parceiros sejam “Eternos Namorados…”

 

E é preciso tão pouco, apenas, carinho, atenção, respeito, ROMANTISMO.

 

Sempre é preciso dizer ao pé do ouvido de seu amor: EU TE AMO, mas dize-lo bem sussurrado, bem gostoso, bem suave, bem sincero.  E sempre, mesmo depois de muitos anos de união, olhar bem nos olhos, e dizer com sinceridade: EU TE AMO HOJE… MAIS DO QUE ONTEM… MENOS DO QUE AMANHÃ…

 

E sejam felizes, tendo, é claro UM LINDO E ROMANTICO DIA…

 Marcial Salaverry

Posted in poesia | Leave a Comment »

Sem Perfídia

Posted by vidapura2 em Maio 12, 2010

      Esqueci teu nome,
      apagando com o vento
      o tempo de dor
      que contigo, sonhando  vivi.
      Meu coração não reclama, 
      nem ouve a saudade chorar,
      Traíste minha confiança.
      E o teu  tempo fingido acabou,
      a infidelidade murchou,
       finalizando a minha tristeza.  
       Enterrado o passado,
       um novo dia nasceu,
      renovando a  esperança,
      sustentando a felicidade, 
      que ainda me chama
      de meu amor.  
    
Schyrlei Pinheiro

Posted in poesia | Leave a Comment »

V E M !

Posted by vidapura2 em Maio 12, 2010

      Você não veio,

      és o que está faltando

      em minha vida.

      Vem para o embelezamento…

      Vem!

      Mostrarei belezas ainda invisíveis,

      destas que só se vê com o olhar do coração.

      Tanta beleza no ar, no mar,

      que só se consegue ver junto,

      olhando com o olhar do amor,

      e na mesma direção.

      Precisa de dois, eu e você,

      a vida exige,

      para ver a beleza no ar,

      beleza indivisível,

      beleza de dois.

      Pássaros, flores,

      à noite e o luar…

      Contemplam juntos, com o nosso olhar…

      Um olhar que olha o outro,

      um olhar que aprende a ver,

      através de o outro olhar.

      VEM!!!

          Evaldo da Veiga

Posted in poesia | Leave a Comment »

T A R D E L I N D A

Posted by vidapura2 em Maio 12, 2010

      Sim, você e a tarde, lindas.
      Além do mar, em frente,
      e  um  céu em esplendor…
      Você!
      Sim, você!
      Pergunto-me também:
      há quem diga que exista beleza igual?
      Você protagoniza o eixo central da vida,
      a âncora que segura e inspira…
      Sou eu quem te espero em sonho
      e em plena lucidez…
      Não sei o que dizer,
      Dizer o quê?
      Espero você, só isso.
      Vem! 

     
      Evaldo da Veiga

Posted in poesia | Leave a Comment »

TUDO BEM

Posted by vidapura2 em Maio 12, 2010

      Tá tudo bem, diga o que quiser,
      que estive a beira do fim…
      E daí?
      Ressuscitei!
      Diz tudo, o que importa é que
      estou mais vivo do que sempre.
      
      E daí, o  mau momento que  vivi,
      se  sobrevivi em outro amor?
      Por melhor, estou sempre pronto
      para o perdão.
      Desimporta como foi,
      se sofri, se chorei…

      Se perdi o jeito de dizer,
      desimporta também,
      pois  permaneço vivo no amor.
      De você lembro bem, se convocado:
      lembro um sorriso lindo e falso.
      vendo somente o material vil,
      nem um pequeno espaço
      para as Flores, a Poesia e o Amor.

      Lembranças um tanto tristes,
      por ter passado por tua vida,
      sem ter visto  uma alma nobre.
      Vai!!!
      Eu fico.
      Imperioso manter à distância.

      Somos de mundo diferentes.
      Vá pra sempre, melhor assim.
      Em outro mundo você vai renascer,
      e quem sabe, expandir amor,
      entendendo que, o mal é dor,
      e jamais vence o bem.

           
      Evaldo da Veiga

Posted in poesia | Leave a Comment »

SINTO QUE SIM

Posted by vidapura2 em Maio 12, 2010

      Se um dia nos encontramos por aí,

      nesses doces acaso da vida,

      garanto que vou te reconhecer,

      como sendo o que sempre busquei.

      Tanta ternura no ar,

      uma expectativa suave de amor,

      é você que está próxima,

      sinto você chegando…

      VEM!

     
      Evaldo da Veiga

Posted in poesia | Leave a Comment »

P A S S E A R

Posted by vidapura2 em Maio 12, 2010

      Uma ida a qualquer lugar,
      um pretexto para amar.
      Ir e vir, oh liberdade,
      se fizermos dela o amor.

      Direito de ser livre no infinito,
      em um mundo de nós dois.
      Mundo de graça, beleza e humor,
      sorrir de tudo, em movimentos de graça.

      Muito além de vida em movimentos,
      é sinfonia de amor.
      Em vida de namoro maneiro,
      não existe mundo cruel.

      Cruel é esperar o que não vem,
      nó na vida…
      Quando o amor chega
      em momento de ser vivido, uma graça.

      Oh liberdade e encanto!
      Que mundo lindo,
      esse mundo o de nós dois,
      Passeio daqui ao criador.

      Retardemos a chegada amor,
       lá é bom, mas aqui está rolando…

           
      Evaldo da Veiga

Posted in poesia | Leave a Comment »

ESTOU ESPERANDO

Posted by vidapura2 em Maio 12, 2010

      Vem, estamos ai…
      Tanto tempo passou,
      mas a vida é a mesma,
      não muda nunca, no jeito de querer…
      Vou contar histórias, aquelas de sempre,
      que eu acredito em você.
      Venha sem interpretação.
      Vem você, somente você.
      Crescemos, mas não tanto,
      ainda somos, o que fomos.
      Não demore, por favor.
      Tenho feito súplicas silenciosas,
      fico sem jeito de pedir alto,
      mas alto com que som?
      Vem que te quero como eras antes,
      no exato ser que existe hoje.
      Quero-te a menina de antes
      na mulher de agora…
      Quero-te como quis sempre,
      quero-te como preciso agora.

     
      Evaldo da Veiga

Posted in poesia | Leave a Comment »

SE EU MORRER AMANHÃ

Posted by vidapura2 em Maio 12, 2010

      Ligues não, estava na hora de morrer.

      Acho até que minha validade já estava vencida,

      há muito, esqueci de dizer.

      Tanto tempo vivi vendo beleza,

      o que poderia desejar mais se vi tudo, vendo você?

      Estou indo ou já fui, importante são os estágios…

      É preciso viver o agora e o depois.

      Estou indo alegre e com tua imagem amiga

      retida no meu viver, no meu melhor de sempre…

      Onde quer que eu vá, amarei você,

      somente isso importa…

      Consegui tudo em vida, em tendo você.

     
      Evaldo da Veiga

Posted in poesia | Leave a Comment »