amizade e poesia

Alguém que faz você rir…Alguém que faz você acreditar em coisas boas…Alguém que convence você …De que existe uma porta destrancada…Só esperando para que você abra. Esta é a Amizade Para Sempre.

Archive for 15 de Junho, 2010

A Falta de Fé

Posted by vidapura2 em Junho 15, 2010

Entre tantas virtudes que o homem precisa desenvolver em si, está a fé, combustível que movimenta o Espírito Imortal em direção aos cimos da criação; tão necessária em nossa vida, quanto o ar que respiramos e nos renova, a luz do sol que nos aquece e ilumina, ou mesmo quanto a água que nos dessedenta refrescando-nos e nos sustenta a vida.

Não há, nestas simples comparações, qualquer conotação de exagero, é exatamente dessa forma que nosso espírito necessita da bênção que só a fé nos pode fornecer, para não se perder no oceano de dúvidas, temores, medos e desesperanças, que comumente identifica o Ser que não traz em si as dádivas que a fé propicia, dando a seu possuidor a calma, a serenidade, e a confiança que eleva e ilumina.

O homem sem fé, é alguém que traz n’alma sérias seqüelas das más experiências vivenciadas no passado, e, por isso mesmo, não crendo na justiça de forma alguma, vive numa angústia inquietante que não lhe permite um só instante de paz; dessa forma, recusa-se a aceitar que exista algo ou alguém Superior à humanidade, acreditando exclusivamente no que consegue vê e vivenciar em sua vida diária, e por só acreditar naquilo que pode perceber à sua volta, e, porque ao seu redor só vê desgraças, misérias, dores, guerras, crimes etc., não concebe que tudo o que lhe parece caos, está sob rigoroso controle de um comando absolutamente justo e bom.

Muitos, desses descrentes irmãos, foram levados ao encontro da fé por correntes religiosas que lhes falaram: de milagres que nunca presenciaram, de que faziam parte de uma pequena assembléia da qual todos seriam salvos por serem os únicos que seguiam as verdadeiras palavras de Deus trazidas até eles pelo próprio Senhor do Universo, e que por isso mesmo, acreditavam que ao desencarnarem estariam junto ao Mestre de Nazaré no paraíso exclusivamente reservados para eles, entre outras tantas promessas sem nenhum fundamento.

Mas, ao se verem sem a vestimenta física, depararam-se com uma realidade muito diferente da que esperavam e desiludidos, contrariados, irados e até mesmo revoltados contra tudo e contra todos, voltam à esfera física trazendo sem sequer perceberem as marcas das desilusões que esses ensinamentos equivocados e sem fundamento, muito contribuíram para que acontecesse, pois se perceberam tão vivos quanto antes, sem no entanto desfrutarem das vantagens que aprenderam e acreditaram que encontrariam.

Dessa forma, renascem com essas decepções impressas em seus registros psíquicos, e se mantêm céticos por muito tempo, contestando e combatendo os princípios religiosos de quem os professe, e assim permanecerão até que a Soberana Sabedoria do Universo, os matriculem em novas e abençoadas escolas de fé, através de fatos e acontecimentos que lhes mostrarão a realidade do espírito Imortal, a caminho da felicidade eterna e verdadeira.

É, portanto, necessário que diante de tantas formas infundadas e equivocadas de interpretação das mensagens contidas no Evangelho de Jesus, que se espalham por todos os lados nas correntes religiosas que se multiplicam mundo afora, gerando descrença e revolta em muitos corações desiludidos, é que devemos estar sempre alerta para identificar os pseudo-sábios, ou como nos informa o Evangelho os falsos profetas, que em nome do Mestre de Nazaré transmitem suas idéias mesquinhas e mal intencionadas, arrebatando uma multidão de incautos.

É, preciso que analisemos a tudo e a todos quantos se referirem aos conceitos religiosos, procurando analisar com profundidade as teses e concepções que nos forem apresentadas, usando para tanto o crivo da razão e o equilíbrio do bom-senso, para não cairmos também por nossa vez nos despinhadeiros das desilusões e da loucura.

E, neste particular, salve a Doutrina Espírita que abraçamos em boa hora, pois, seus conceitos nos fazem refletir por nós mesmos, não nos obrigando a crer naquilo que a nossa inteligência desaprova e nos faz rejeitar, como seres humanos que somos capazes de pensar, analisar, pesquisar, observar e discernir, quando nos afirma: “Fé inabalável só o é a que pode encarar frente a frente a razão, em todas as épocas da humanidade. (E.S.E.).

Francisco Rebouças

Anúncios

Posted in AMIGOS | Leave a Comment »

SENTIR..

Posted by vidapura2 em Junho 15, 2010

      Sentir teu corpo junto ao meu
      nesta noite fria que rola calma
      é tudo que desejo agora…
      Tangível e receptiva minha boca
      aguarda sentir a tua…
      Tomá-la com loucura e sentir teu gosto
      se espalhando dentro de mim…
      Sentir teu corpo trêmulo,
      agitado, descontrolado.
      Sentir você me dedilhando…
      Detalhando…
      Molhando….
       
  Naidaterra

Posted in poesia | Leave a Comment »

Ah! O amor…

Posted by vidapura2 em Junho 15, 2010

      Ah! O amor! Este menino levado que acontece
      inesperado e nos invade sem pudor… Deixe-o ficar!

      Ah! O amor! Dor dilacerante, corta a alma num
      instante, no fulgor de um olhar… Basta mirar!

      Ah! O amor! Sentimento inexplicável, um quase
      nada que é tudo e se aninha no coração…Que forte emoção!

      Ah! O amor! Vontade de se dar, afagar, beijar
      enlouquecer de desejo, gozo, prazer… Um bem-querer!

      Ah! O amor! Caminhos desencontrados, mãos
      se separando, desilusões, saudade dolorida, com o
      adeus da despedida … Fazer o quê?

      Ah! O amor! Invisível emoção, puro encantamento,
      cantado em prosa e versos, conta suas
      próprias histórias: vivê-lo ou não curti-lo intensamente…
      Decidir como?

      Ah! O amor! Coração acelerado, sem rumo, sem
      norte, batendo forte, a procura de emoção, excitação,
      a procura de viver… Vibra Coração!

      Ah! O amor! Viagem compartilhada, onde não se
      quer mais nada, a não ser acalentar “o outro”…
      Se doe e ame!

      Ah! O amor! Delírio, sonhos, tesão, paixão… Creia!

      Ah! O amor! Me lambuzo e quero mais!
      Queremos sempre mais…Você, não?

 Nídia Vargas Potsch

Posted in poesia | Leave a Comment »

Momentos

Posted by vidapura2 em Junho 15, 2010

      Que a vida não seja apenas sentida
      no momento daquela partida

      Que a fala muda deste tempo
      revele mais que aquele momento

      Que teus olhos tragam o pouso
      de um beijo não dado ao relento

      E que a vida em momentos continuada
      um dia me traga você e mais nada…

     Maria Inês Simões

Posted in poesia | Leave a Comment »

Poema Pobre

Posted by vidapura2 em Junho 15, 2010

     Não sentiu falta de mim
      quando caia a chuva
      quando ardia o sol
      quando surgia a lua
      Neste mundo só

      Não sentiu falta de mim
      quando sorria a criança
      quando partia a lembrança
      quando passava a esperança
      Nesta saudade sem fim

      Não sentiu falta de mim
      Naquele beijo diferente
      que trazia só em minha mente
      para te dar tão de repente
      quando chegasse aqui

      Não sentiu falta de mim
      Naquele sonho só meu
      de te ver no azul do céu
      assim como num papel
      sorrindo só pra mim

Maria Inês Simões

Posted in poesia | Leave a Comment »

Se algum dia…

Posted by vidapura2 em Junho 15, 2010

      mais e mais em mim a poesia
      passagem abstrata de mais um dia
      trazendo à luz que brilha em energia

      e na imensidão do tempo arredia
      busca do clássico – atual cotovia
      época em épocas senzala doentia

      no virtual o saber que encanta e cria
      mentes, sentidos… mão maestria
      em teclado constrói a melodia
      quer seja de alegria ou melancolia

      importa o formato e a tecnologia
      tempo-seres em real travessia
      passado-futuro perfeita sincronia
      presente “se algum dia..” hoje, se inicia

      Poeta… seja bem vindo a esta utopia

Maria Inês Simões

Posted in poesia | Leave a Comment »

LÁ ONDE TUDO SE PERDE

Posted by vidapura2 em Junho 15, 2010

      Lá onde tudo se perde e tudo se constrói
      novas cidades são erigidas em nome
      do progresso e da mais-valia social.

      Lá onde impera o verde e as florestas
      não há quem se negue a desbravar
      árvores sem respeito pelo futuro dos filhos.

      Lá onde a rocha se esbate contra o mar
      é tudo o que nos resta da natureza
      fortemente resplandecente e natural.

      Lá onde o homem poisa mãos e algoz
      o futuro é tristonho e falecido
      e as casas proliferam sem organização.

      Lá onde somos nós a sós a destruição
      toma tamanhos desproporcionais
      sem ter porque haver ou querer.

      Lá onde antes existiam árvores e flores
      agora temos casas com luzes de néon
      com a vaidade a passear-se pela passarela.

      Lá onde os animais reinavam impunes
      e verdadeiros agora é só cimento armado
      e jardins de pedra com candeeiros a adormecer.

      Lá onde fomos um dia homens e mulheres
      já nada resta desse passado glorioso
      sobram os carros e as auto estradas.
      
      Lá já nada existe que nos prenda a não
      ser aparências e mal educação sem tempo
      para o tempo que nos resta orgulhosos e sós.

      Jorge Humberto

Posted in poesia | Leave a Comment »

NAS MÃOS AÇUCENAS

Posted by vidapura2 em Junho 15, 2010

Nas mãos açucenas, na boca uma rosa,
beijo presumido na distância.
roubaste-me os lírios e a prosa
que eu te quis deixar com elegância.

Nas mãos as tuas mãos a conceder,
o espaço que vai entre mim e ti,
amor é fogo que arde sem se ver
e eu que só te quero ao pé de mim.

Na fonte branca de pedras antigas,
teus pés descalços por sobre a erva,
fazem alusão a mil cantigas,
com o toque acentuado de Minerva.

Meu amor por ti não tem fim,
é um renovar a todo o instante,
e eu puxo-te para junto de mim,
para que de ti não me julgues distante.

Nos meus braços te acolho mulher,
menina e moça de meu coração,
se eu julgar o que ela quer,
intensa será a nossa paixão.

E tu acolhes-me em teu regaço,
no colo sempre protector,
e estes versos que aqui te faço,
falam de nós e de um grande amor.

Nas mãos açucenas, na boca uma planta,
jasmins e nardos a condizer.
que tudo aquilo que nos encanta
é o nosso testemunho: viver.

Jorge Humberto

Posted in poesia | Leave a Comment »

AO MAR

Posted by vidapura2 em Junho 15, 2010

           Entre o marulhar das ondas
            cavalos de espuma
            desaguam à beira mar
            trazendo o canto insólito dos búzios.

            Meus olhos fitam a horizonte
            o azul do oceano a compor
            belas melodias e os portos
            onde vai amainar seu alimento.

            Meu pobre mar reveza-te
            o sonho azul e grandioso e
            ficam-te os corais destruídos pela mão
            do homem que não te respeita.

            Mas quando o sonho é grande
            tudo se consegue
            e galgos vão por cima das ondas
            a todo o galope até à beira praia.

            As dunas estão assoreadas
            é preciso o enfoque da palavra
            aqui para que a areia seja
            reposta como o bem-querer.

            Navegam por ti pontos negros
            de navios e tu vais levá-los
            a bom porto na ida e na volta
            vindos de lá detrás do horizonte.

            As gaivotas alimentam-se de
            teu peixe graúdo ou miúdo
            e é emocionante a cena ao
            entardecer de tudo que tem fim.

            Oh, mar, da minha infância
            quem assim te quer mal
            serão a tua força para continuares
            no teu fluxo e refluxo.

            Jorge Humberto

Posted in poesia | Leave a Comment »

O HOMEM AINDA É CAPAZ

Posted by vidapura2 em Junho 15, 2010

De boa índole quero ver o Homem
magistralmente humilde e flexível
onde nada do que diga seja posto
em causa, por preconceitos pueris.

Que, a personalidade, seja a chave
para a repercussão no mundo aziago
em que vivemos, construindo
alegres cidades onde todos vivam

Irmanados. Que a cobiça seja longe
e a vaidade não tropece a nossos pés,
para sermos melhores seres humanos
onde impere a sabedoria e desponte

o sol detrás do horizonte, para um
novo dia, que todos já merecemos
de há muito. Que a omissão seja
arredada de nosso vocabulário para

sempre e sejamos capazes de doar
sem medo de ficarmos a perder por
coisas banais a que agora infelizmente
ainda damos muita importância.

O importante são as pessoas e o seu
bem-estar, não podemos olvidar-nos
desta premissa, porque o resto é nada
ilusão ou pura demagogia a centrar-se

na nossa vida. Temos de ser fortes e
ultrapassar a mesquinhez própria do
ser humano, doarmos sem medo de
perder seja o que for pois ganhamos

em amizade, que os outros nos hão-de
conceder, como o bem que lhes resta e
foram buscar, ao mais íntimo de suas
pessoas, é preciso acreditar já e sempre.

O Homem só tem a ganhar com isso
em ser altruísta e a pensar nos demais
como um seu semelhante, que vai de
aqui para ali e se fixa doravante em nós.

Jorge Humberto

Posted in poesia | Leave a Comment »

OMNIPRESENÇA

Posted by vidapura2 em Junho 15, 2010

    Quando partes para parte incerta
      meu coração chora demoradamente
      não sabe de si nem de parte certa
      pretende saber de ti avidamente.

      Um adeus sabe nesta terra deserta
      que é pura ilusão lutar paulatinamente
      pela então certeza mais incerta
      que é ter-te aqui à minha corrente.

      De lágrimas rasos os meus olhos
      chuvas mil caem aqui por perto.
      não há rosas nem nardos aos molhos.

      Vem. vem que aqui te espero
      se vieres para os meus braços é certo
      és tu tudo o que eu mais quero.
      
      Jorge Humberto

Posted in poesia | Leave a Comment »

MEU SER CONSCIENTE

Posted by vidapura2 em Junho 15, 2010

     Meu ser consciente diz-me das guerras
      da pobreza que grassa cada vez mais
      dos meninos que pegam em armas
      das mães que não têm leite para os seus filhos.

      Meu ser consciente e atento sabe que
      há muita contra informação para alimentar
      fundamentalistas cobertos de sangue
      inocente, a custo zero pois somos meros peões.

      Meu ser consciente sabe dos diamantes
      em África e dos que neles trabalham como
      escravos e sabe ainda das mãos decepadas
      por um carrasco que viu um diamante escondido

      na bolsinha esfarrapada de um trabalhador.
      Meu ser consciente sabe que o todo poder
      é pura ilusão e que se comentem os crimes mais
      atrozes em nome dos senhores da guerra.

      Meu ser consciente sabe de muitos soldados
      afectados mentalmente pelas sucessivas guerras
      e que esses homens não voltam mais ao mundo
      da realidade, pobres cotos que se viram ultrapassados.

      Meu ser consciente sabe da pobreza envergonhada
      por esse mundo afora, quando preferem esconder
      a enfrentar a dura mas exequível batalha
      por um sítio melhor para todos, sem excepção.

      Meu ser consciente sabe do passeio das bonecas
      crianças que se prostituem a troco de dinheiro
      para a droga, até ser tarde demais para se fazer
      alguma coisa que as tire das garras da morte.

      Meu ser inconsciente acredita que somos capazes
      de mudar tudo isto, mas é pura ilusão fazer o
      Homem crer em si e no seu potencial, pois há muito
      está enraizado em todos nós que tudo isto é banal.

      Meu ser consciente vive com a razão e a sabedoria
      e sabe que só a auto consciência pode levar-nos
      pelo caminho certo, em prol de um mundo melhor
      onde cada um possa usufruir de seus direitos.

      Meu ser consciente é uma criança grande
      passeando de mão dada com a lealdade e a
      amizade, na pura humildade de quem nasceu
      para ser livre e escorreito, sem maldade.

      Jorge Humberto

Posted in poesia | Leave a Comment »

SENTINDO VOCÊ

Posted by vidapura2 em Junho 15, 2010

      Sinto vontade de dançar na madrugada
      Beber algo que ornamente o momento
      “Vin de Champagne”, se afina com ternura
      Sentiremos o gostinho do bom delírio
      Viveremos uma realidade de dois juntos
      Carinhos, toques, gentileza
      Tudo inerente ao amor
      Amor que só convive bem com o carinho
      O afago, a nobreza em sentir
      Fora disso não é amor
      É tesão primitivo que alimenta momento tênue
      E quando se vai deixa um vazio
      Gosto de nada, sabor inquietante
      Só existe verdadeiro bem no conforto do encontro
      Estripulias de dor e agressão, não
      Amor é Amor, ternura e carinho em tempo integral
      Dá-me tua mão amor, vamos por ai
      Mas se ficarmos aqui, estaremos plenos
      Lá, ou aqui, em qualquer espaço e tempo
      Você e eu, eu e você, nossa unidade
      Nosso amor caminhando no tempo

     
      Evaldo da Veiga

Posted in poesia | Leave a Comment »

PASTOREJO

Posted by vidapura2 em Junho 15, 2010

 Benfajezo se faz o novo dia que nos traz
      O despertar da passarada em  alegres gorjeios
      Mostrando da vida, a alegria da presença.

      Dádiva celeste, na aurora se anuncia
      Inicia a lida no campo, boiada, carro de boi
      Ao som do berrante, pés na estrada,  nova jornada!!

Posted in poesia | Leave a Comment »

PASTOREJO

Posted by vidapura2 em Junho 15, 2010

      Benção pro meu rincão, Deus e Pai!
      O dia é menino novo nessa hora festejada…
      Movimento… o canto… o revoar da passarada…

      Desabar da cachoeira…carro de boi e boiada.
      Irrompe o som do berrante sobre a mata molhada…
      A caneca de café, o pão, a paz e o nosso pé na estrada!

    Eme Paiva

Posted in poesia | Leave a Comment »