amizade e poesia

Alguém que faz você rir…Alguém que faz você acreditar em coisas boas…Alguém que convence você …De que existe uma porta destrancada…Só esperando para que você abra. Esta é a Amizade Para Sempre.

POETA, ESSE SER MAIOR QUE OS HOMENS

Posted by vidapura2 em Novembro 25, 2010

Ah, poeta, que sofres as dores, dos outros e de todos,
como se tuas e vês tanta desgraça no mundo, impuro e vil,
preenchem-te as noites de solidariedade, e de preocupação,
para com os que não têm voz nem justiça, na sua estrada.

És um ser solitário, que vai na vida a sonhar, sonhos de encantar,
pura ilusão de belos prados, jardins suspensos, um viver melhor
para todos; e choras a devastação das guerras irracionais e destras,
que tu, no teu amor, não compreendes, tanto o desatino aqui.

Comendador da paz, andas de mãos dadas com os mais pobres,
que nada têm para oferecer, na sua parca e incomensurável
miséria, mas sempre uma côdea de pão é servida à mesa despida,
onde te sentas com os mais desgraçados e perdidos, deste mundo.

Estás na Terra para cantar odes e revolucionar os velhos
valores, que se perderam, com o tempo e a pressa de chegar;
não, tu és maior, que o Homem, e mesmo cansado sorris,
se vês as pessoas felizes, tendo à tua volta os animais da criação.

Quem és tu poeta, que sempre uma dor carpes e que não
sossegas teu coração apertado, pela omissão dos homens e mulheres?
És aquele que leva a palavra verdade, para quem vive com a mentira,
nunca recriminando, apenas ensinando com seu aprendizado.

Eterno sonhador tentas reinventar um novo modo de vida,
onde a justeza prevaleça e faça ninho, nos olhos das pessoas
desgarradas, que mais não sabem o que fazer, de sua pouca sorte,
do que andar neste mundo a pedir carinho, à presença do poeta.

Sempre pronto a entregar-se aos outros, como um pai ou uma mãe,
proteges os filhos da rua, que não sabem o que é amar,
pois o destino os estigmatizou, e carregam a cruz de seu calvário,
habituados a dias sem sol, dando como quem não dá, altivos.

És poeta que se magoa, pela enfermidade, de alguém, que nem
sequer conheces, mas já viste muita dor, e ela, só precisa de um
ombro amigo e compreensivo e que o poeta lhe narre histórias de
encantar, àquele que sofre com coragem sem se queixar.

Agora sei quem és, poeta, és aquele que não dorme, procurando
a salvação dos mais ignóbeis para a Sociedade, madrasta e cruel;
viver as dores dos outros, suas renúncias, é o teu exposto caminho,
com que caminhando, levas as boas novas, aos mais tristes dos tristes.

Jorge Humberto

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: