amizade e poesia

Alguém que faz você rir…Alguém que faz você acreditar em coisas boas…Alguém que convence você …De que existe uma porta destrancada…Só esperando para que você abra. Esta é a Amizade Para Sempre.

Archive for 2 de Dezembro, 2010

ÉS TU MÃE GENTIL

Posted by vidapura2 em Dezembro 2, 2010

Na tua imensidão de beleza

vejo-te oferecendo a teus filhos

o Solo em que brota o alimento,

as Águas em que nos mata a sede e da a vida,

o Sol que brilha em beleza e harmonia…

(parecendo ter sido colocado ali só para ti).

Teu Oceano…

recebe em suas águas azuis,

teus filhos também na distração,

e oferece alimento rico tal como a terra…

Vejo-te como senhora absoluta,

acima até mesmo das outras, e vejo muitos falarem:

“Tu és o lugar escolhido pelo rei e criador do universo!”…

Aí paro!…diante de teus Riachos

que me ofereces com relutante beleza

e penso…O quanto nós teus filhos tiramos de ti…

Destruímos as Florestas em busca da madeira rara,

e com isso lá assustamos teus Pássaros

invadimos o habitat de nossos animais…

e eles perdidos, por vezes morrem,

a procura de outro lugar semelhante,

engraçado…(se nossa casa invadem temos até leis

que nos protegem e nos sentimos ofendidos,

porém, quando somos nós os invasores

este mesmo peso e medida não te serve)…

Continuo a pensar…

Vejo tuas estradas cheio de pessoas que correm atrás de ares diferente…(Porque onde estão tudo se faz pesado)…

e vejo as grandes enchentes

percebo o descaso dos governantes

escolhidos por um povo de coração doce

que se deixa levar por falsas promessas…

Mas, logo em seguida,

este bravo povo volta a ter confiança no futuro próximo,

logo após as grandes perdas…

vejo todos de mão entrelaçadas trabalhando por seu próximo…

Tu és! A mãe gentil que recebe em teu seio

o branco o negro o amarelo o mestiço povos de outros continentes, acolhe a todos em teu imenso peito…

Falta nos a consciência de que agora precisamos voltar a ti

adorável mãe…

e tratá-la com delicadeza e carinho,

afim de vir a ser o grande celeiro do planeta terra,

para isto, basta que cada um de nossos gestos,

sejam praticados com muito amor,

Vê-la como mãe e observarmos enfim que somos teus filhos,

PAULO NUNES JUNIOR

Posted in AMIGOS | Leave a Comment »

ALMAS SONHADORAS

Posted by vidapura2 em Dezembro 2, 2010

As almas sonhadoras
sempre serão românticas.
Elas viajam livremente,
deixando seus sonhos fluírem.
Não procuram nada que traga infelicidade,
e sempre sabem onde se encontrar,
estando longe ou perto.
Elas não precisam de artimanhas,
e sabem bem o que querem.
Seus desejos encontram-se numa palavra
AMAR

Beki Bassan

Posted in poesia | Leave a Comment »

DUAS ALMAS SONHADORAS

Posted by vidapura2 em Dezembro 2, 2010

Duas almas sonhadoras,
que seguiram seu destino…
Almas sonhadoras, romanticas,
sempre sabem se encontrar,
e certamente saberão se amar…
Não deixam que algum ódio
as faça separar…
Seja poetal ou animicamente,
sempre sabem se achar…
Mesmo que estejam distantes,
saberão sentir-se juntas…
Como as cartas,
as almas não mentem jamais,
e amar, sempre querem mais…

Marcial Salaverry

Posted in poesia | Leave a Comment »

Fragrancias dispersas

Posted by vidapura2 em Dezembro 2, 2010

No dia a dia da vida
Os carinhos são perdidos
Na monotonia instintiva fica a caricia
Que na rotina perde o encanto e a magia

Naquelas paixões que os incendios apagaram
Nos corações de cinzas adubados
Dos amores semeados, alguns deles brotaram
Dos botões formados, pouco amor floresceu

Das flores desabrochadas, o bouquet que sobreviveu
Muito pouco foi regado, pouca fragancia exalada
A maioria murchou, morreu
Flores de paixão, de amor…somente e da amizade sobreviveu

Mas das petalas deslumbradas
das fragancias exaladas
das exuberancias viçosas, apaixonadas
Meu coração nunca esqueceu

Joe’A

Posted in poesia | Leave a Comment »

EXTRAÑA RELACIÓN

Posted by vidapura2 em Dezembro 2, 2010

¡Qué compleja relación la nuestra!
Estando separados por miles de kilómetros
un lazo incorpóreo nos atrae como imanes
y fusiona nuestros cuerpos a distancia.

Por más que procuramos olvidarnos
siempre es vano nuestro intento.
La distancia cada día nos acerca
siendo inútil entender aquel misterio
que acontece en nuestras vidas.

Nuestros cuerpos se desean con pasión
y anhelantes sueñan un encuentro.
Cada noche nos sentimos tan cercanos,
tiernamente abrazados con amor.

Quizá el destino decida nuestras vidas
y no existiendo para él las líneas paralelas,
nos junta como el vértice de un ángulo
que unidos de por vida siempre irán.

Extraña relación la nuestra
que ignora por completo la razón,
dejando en libertad dos locos corazones
que felices por el mundo juntos van.

©SKORPIONA

Posted in poesia | Leave a Comment »

O AMOR DE SEMPRE

Posted by vidapura2 em Dezembro 2, 2010

Tudo consumado, morreu o amor?
Talvez não, talvez sim…
Dê uma chance ao amor.
Chance, mais uma, sempre…
Não, necessariamente,
os mesmos amantes.
O amor renova-se em outras imagens,
e também nas mesmas…
Dê chance ao amor que se eterniza
na entrega, na recepção,
no ato de ver, sentir,
flutuar em indo em si mesmo,
ao encontro do par.
O amor é dois, às vezes mil…
Amor homem/mulher ecessário dois, para perpetuar o amor.
Uma vez o sinal de admissibilidade refletido,
o amor vem.
Só ama quem quer amar
quem sabe esperar o amor.
Tudo consumado está,
se na união viveu o amor.
E separação, somente um em si;
se não caminhar em destino de dois,
é espectro de vida sem vida,
vida que morreu.

Evaldo da Veiga

Posted in poesia | Leave a Comment »

TER UMA VELA À MÃO

Posted by vidapura2 em Dezembro 2, 2010

Em dias de trovões,
é bom ter por perto uma vela, ao alcance da mão.
Uma vela ilumina tênue, mas livra da escuridão.
É quando o simples alcança valor.
Uma lâmpada comum, sessenta velas,
uma casa com várias lâmpadas,
centenas de velas.

Chuva, vento, trovão e a luz moderna se vai…
A vela de minguada luz, insignificante,
agora tão necessária e importante.
É a vida, donde procede a emoção alegre
e a comoção de dor.
Valorizar o farol que ilumina forte,
valorizar também uma vela de filete de luz.
Tênue, mas que pode te livrar da escuridão.

Evaldo da Veiga

Posted in poesia | Leave a Comment »

SÓ MULHER, NADA ALÉM

Posted by vidapura2 em Dezembro 2, 2010

Tu és humana, bem humana…
Se fosse divina, não seria tudo o que és,
no estágio em que se encontra.
És mulher, somente mulher,
ninguém consegue ser além,
neste planeta de água, somente água,
e um pouquinho além.
No amor és divina,
em linguagem poética,
és obra do criador, mas sem censura,
foste feita para o amor.

És de Deus a preferida, porque és mulher
és o amor em si, és continuação,
és mulher amor, devoção…
Elo de aliança sublime, certeza de encontro,
és a mais linda planta em flor,
és maior ainda…. em sendo semente.
Multiplicidade, em de ti, show de vida,
encontro pleno, marca de um processo interminável.
Nesse augusto dia és o símbolo do amor,
o amanhã virá, outros dias, sempre teus dias,
MULHER.

Evaldo da Veiga

Posted in poesia | Leave a Comment »

DOIS LADOS E UM SER

Posted by vidapura2 em Dezembro 2, 2010

Vou vivendo os dois lados meus:
um bom e o outro mal. Lados que tento harmonizar
em uma busca sem fim.
Queria ser melhor, criar uma pátria do bem.
Não bastar querer, é algo mais do que isso,
complementado por normas rígidas a seguir.
Mas um lado meu não gosta de rigidez,
gosta de viver solto, bem solto, curtindo vida e amor.
Esse é o meu lado bom do meu lado ruim.
Valendo esclarecer, que os dois lados, o bom e o ruim,
subdivide-se em vários lados.
Não existe um comportamento estanque em mim.

O lado ruim quem diria, logo nele é que existe o lado
do amor, mas também existe o rigor, cobranças, sente nojo e enjôo
dos políticos, canalhas de todos os gêneros.
É um lado de paz e guerra. Um lado que também, para o meu
alívio,cobra muito de mim mesmo; ainda bem,
embora eu não consiga satisfazer os rigores
do meu lado dócil muitas vezes, e algoz outras tantas.

É um lado que fala do perdão enaltecendo-o, mas é implacável
com os erros repetidos, dolosamente.
São dois lados que no âmago, ama o amor…
Não agride, mas revida. Busca ser manso, sabendo que
tem que evoluir muito nesse sentido, mas sem perder
a indignação e jamais caminhaR na trilha dos bandidos oficiais,
dos malditos malfeitores com imunidade,
porque não existe na terra algo tão desprezível como eles,
INTEGRANTES DA MAIORIA DOS POLITICOS CANALHAS.

Evaldo da Veiga

Posted in poesia | Leave a Comment »

MEU QUERER

Posted by vidapura2 em Dezembro 2, 2010

Vem ver a noite que quase chega
antes que seja cadente
a estrela primeira.

Vem que já entardece
e é majestosa a vida
e é triste a saudade
e é deserta a praia
na quietude da espera.

Vem colher as cores do poente
antes que a noite chegue
antes que o dia passe
antes que a vida adormeça.

Sonia R.

Posted in poesia | Leave a Comment »

NÃO DIGA NÃO AO AMOR

Posted by vidapura2 em Dezembro 2, 2010

Não diga não, a despedida deixe pra depois…
Tanto tempo temos para esperar a tristeza,
antecipar pra que? Deixe a tristeza pra depois.
Deixe que a ida se faça nós dois no mesmo caminho…
Mas por derradeiro se fores, jamais irás sozinha,
contigo irão todas as intenções de paz e alegria.
Deixe o sonho existir, sempre.
Até quando não sabemos,
mas pra que saber origem e fim?

Enlevo lindo ouve a voz Deus dizendo:-
“se viveres no amor, sempre encontrará solução…
Quem ama não fica sozinho!”
Viver verdadeira vida é sonhar.
Vida ruim fora dos caminhos,
conserta-se com amor de sonhar e acordar…

Quando se busca em verdade o amor,
é Ele o sonho que se materializa,
formando o par, de ver, sentir e gozar…
Diga sim ao amor. O amor pode até esperar,
mas sonhe com o amor que vem pra ficar.
Não necessariamente no mesmo par,
o amor fica sempre mesmo em personagens diferentes..
Em amor não existe espera sem fim, solidão,
perdido em desilusão…

Dê chance ao amor: ame uma vez, duas, ame sempre.
Só o amor salva, eis que em sendo abençoada solução.
No mundo uma pequena luz, é o amor chegando,
transformando-se em energia maior…
Só isso, o amor é tudo, profano e sagrado.

Evaldo da Veiga

Posted in poesia | Leave a Comment »

TRAGA O MEU AMOR

Posted by vidapura2 em Dezembro 2, 2010

Vejo o vento que se vê
nos movimentos das folhas dos coqueiros.
Ouço o vento no ruído do telhado
e no ranger da porteira,
onde passará o meu bem querer.

Vento, onde está quem espero?
Diga-me, por favor.
Da janela vejo o chão que eu pisei quando menino,
terra poeirenta tão distante,
mas sempre presente em mim.

Por quem esperei e espero sempre,
diga-me algo, vento do amor.
Se eu ainda fosse um menino
teria as visões das minhas noites insones
onde seu vulto amado surgia…

Guardo uma rosa sempre rosa,
onde ela não seca e nem murcha,
bem guardadinho em meu coração.
Ofertarei ao meu amor,
esse meu único bem.

É muito pouco, quase nada,
mas é tudo o que tenho,
em minha capacidade de dispor.
Vai vento, vai depressa,
traga o meu amor.

Evaldo da Veiga

Posted in poesia | Leave a Comment »

Pareço louco!

Posted by vidapura2 em Dezembro 2, 2010

Pode dizer, pareço um pouco, digamos, louco?

Falta-me um sorriso ou me falta algum tempo,

preciso saber de onde vem minhas vidas,

não vou a parte alguma, estou sempre só.

Tento ser minha prioridade, só por agora,

ainda que não me reconheça depois,

estou convencido a dizer mais um não

para esta tal voz que sopra pecados no ouvido.

Se quiserem, matem-me de amor, matem logo,

sou um velho jovem que parece muito confuso,

quero ser breve em tudo que não se refere a vida,

nunca ao amor e aos outros gozos bons de sentir.

Estou a fugir de uma morte, sinto-a por perto,

não sempre, às vezes choro, outras sorrio e durmo,

não quero dar importância aos desmandos,

continuo a sonhar cada noite, cada riso e beijo.

Minhas palavras têm a profundidade do mar,

a extensão do universo, a sabedoria de um deus,

sou a humilde imagem do meu grande criador,

longe do alcance da minha compreensão comum.

Caio Lucas

Posted in poesia | Leave a Comment »

Felicidade

Posted by vidapura2 em Dezembro 2, 2010

Por que ages assim?

Enquanto
a tristeza tem todas
suas portas abertas,

tu só te mostras
por uma fresta
e isso
quando não te escondes de mim!

Que preço tão caro
pois sempre me preparo
e não consigo te ter?

Onde estás, raridade?!

Já conheci todas as maldades,
mas a ti não pude nem ver!

Vem de onde te escondes
ou és uma lenda
dita aos homens
para que não quisessem morrer?

Felicidade, responde!

Será que alguma vez
existirá
eu e você?!
rivkahcohen

Posted in poesia | Leave a Comment »

Fingindo estar inteira

Posted by vidapura2 em Dezembro 2, 2010

Não sei se indo
ou se quando já estava vindo,
me perdi pelo caminho..

Vai ver
que esbarrando em alguém
pensei que vinha

e nesse vai e vem
ficou assim a minha vida!

Já refiz
o mesmo trajeto,
mas algo não dá certo,
não me encontro comigo!

Quantas vezes
a gente vai e nem se acha?
caminha-se de qualquer jeito
ou talvez
segue-se de cabeça baixa..
rivkahcohen

Posted in poesia | Leave a Comment »