amizade e poesia

Alguém que faz você rir…Alguém que faz você acreditar em coisas boas…Alguém que convence você …De que existe uma porta destrancada…Só esperando para que você abra. Esta é a Amizade Para Sempre.

Archive for the ‘amizade’ Category

CAVALO EM LIBERDADE

Posted by vidapura2 em Março 29, 2011

Descendo das vastas
planícies,
suas raízes,
espantoso garanhão,
negro
luzidio,
tamanho coração,
veio parar
a uma aldeia,
para pasmo
do povo,
que
nem em novo,
se lembra,
de animal,
assim, tão
maravilhoso.

Crina esbelta,
ao vento
e ao relento,
escoiceou
no ar,
pois nunca ninguém,
o domou,
e assim continuaria,
embora
o tentassem,
com engenho,
cobrir-lhe
o liberto cenho,
mas de patas
erguidas,
maneiras,
não havia.

Só uma menina,
de intentar,
conseguiu montar,
o agora seu,
belo cavalo,
e como o
entendeu,
galoparam,
de novo,
para as planícies,
a perder-se,
entre ervas,
a submeter-se,
à fúria do garanhão,
(a liberdade,
que lhe é
por direito).

Jorge Humberto

Anúncios

Posted in amizade | Leave a Comment »

AMIZADE ETERNA

Posted by vidapura2 em Dezembro 28, 2010

Amizade!

Como é bom ter amigos, como é sublime esse sentimento quando está no coração, como é gratificante quando naqueles momentos que tanto necessitamos de alguém para nos ouvir, e naquele gesto tão parecido com milagre o amigo aparece, e num sincero oferecimento dispensa o tempo sagrado de sua atenção, nos dando aquele caloroso abraço, afagando nosso coração.

Àquele amigo, que como tantos outros

eu pensei que ia me chutar quando cai,

o meu pedido de perdão, por que foi você meu amigo quem me ajudou a levantar oferecendo-me a sua mão, não se importando em quantos pedaços estava fragmentado meu coração.

E por isso eu digo:

A amizade sincera de nada espera a não ser amor, é como a flor que sem esperar gratidão oferece o néctar de sua vida a abelha, que tão sabiamente o usa na criação do mel, no ponto exato do sabor.

Veja:

Observe o trabalho incessante da natureza, quando na oferta gratuita, em gesto desinteressado, por amizade nos dá o chão para plantar e no tempo certo faz acontecer a germinação, que na multiplicação da semente, dá continuidade a plantação e esta recebe por amizade a visita da chuva, regando suas raízes protegidas pelo chão.

Observe:

Veja as aves que voam serenas no céu!

Quando cansadas, pousam no galho da árvore amiga, que por acréscimo lhe dá também a semente espalhada na plantação.

Contemple:

Observe o céu! Sinta que para seu descanso lhe oferece o manto da noite estrelada, sem nada lhe cobrar. Isso é amizade, é o gesto de amor gratuito que faz doação sem nada esperar.

Por isso meu amigo, pense na amizade,

pois esta, também é amor e você a encontrará gratuitamente até na fragrância de cada flor.

Edmen

Posted in AMIGOS, amizade | Leave a Comment »

Inocência e Utopia

Posted by vidapura2 em Abril 26, 2010

Abril é o mês das flores e da primavera no velho continente.

O mês de grandes movimentos pela liberdade, fraternidade.

A minha memória musical presta homenagem aos libertários

Zeca Afonso e aqueles que fizeram a revolução dos cravos.

Não importa seus resultados, o que importa foi o sonho vivido.

Sonho vivido até o limite do realizável, do palpável.

Zeca Afonso, ou com cerimônia, José Afonso,  um homem admirável,

Viveu a utopia do sonho ao seu extremo.

José Afonso e Adriano Correia de Oliveira foram mentores da

Canção de intervenção em Portugal. Poeta, balaieiro, compositor notável.

Conciliou a musica popular portuguesa e os temas tradicionais

 com a palavra de protesto em prol da liberdade e da igualdade.

 Zeca trilhou, desde sempre, um percurso de coerência.

Na recusa permanente do caminho mais fácil,

da acomodação, no combate ao fascismo salazarento.

Injustiçado, por estar contra a corrente,

morreu pobre e abandonado pelas instituições.

No começo do ano passado, estive em Coimbra.

 Andando pela cidade, descobri uma casa

com uma pequena placa “aqui viveu Zeca Afonso”.

 Senti vontade de passar as mãos naquelas paredes,

 como acariciasse o poeta.

Fiquei com um nó na garganta.

Uma emoção diferente.

É doce e ao mesmo tempo doloroso

 ficar frente a frente com a própria acomodação,

 com o desejo contido de viver o sonho,

lutar pela utopia, ao mesmo tempo acomodar-se à rotina da vida.

O 25 de abril, como vivência de uma utopia,

 estará sempre na memória e no sangue de cada um.

 Sempre haverá alguém cantando

 ” terra da fraternidade, o povo é quem mais ordena,

  dentro de ti ó cidade.

 Em cada esquina um amigo,

 em cada rosto a igualdade.

Grandola  Vila Morena, terra da fraternidade.”

No delírio do sonho, da utopia,

 imagino Grandola Vila Morena, como a terra… o mundo.

Cada esquina é um pais,

 onde ” as fronteiras beijam-se e ficam ardentes” ,

 como poetizou  Silvio Rodriguez ,

   poeta/revolucionário cubano,

 que cantou a perda do “unicórnio azul”.

Com esta memória musical homenageio

todos que fizeram da utopia,

do sonho sua forma de poesia e de canto.

Violeta Parra, Mercedes Sosa,  Victor Jará,

que foi assassinado  por ver o utopia,

 por sentir o sonho acontecer na vida,

no rosto molhado de Amanda, que corria

a fábrica onde trabalhava Manoel, com um sorriso

nos lábios, sem importar com nada, porque ia se

encontrar com ele _ o amor.

Que as flores de abril e seus ares de anil

transformem a vida em canção,

que os poetas estejam dizendo:

“vai e canta, meu irmão,

ser feliz é viver morto de paixão.”

             GRANDOLA VILA MORENA           

 

Grândola, vila morena
Terra da fraternidade
O povo é quem mais ordena
Dentro de ti, ó cidade
Dentro de ti, ó cidade
O povo é quem mais ordena
Terra da fraternidade
Grândola, vila morena
Em cada esquina um amigo
Em cada rosto igualdade
Grândola, vila morena
Terra da fraternidade
 
Terra da fraternidade
Grândola, vila morena
Em cada rosto igualdade
O povo é quem mais ordena
À sombra duma azinheira
Que já não sabia a idade
Jurei ter por companheira
Grândola a tua vontade
Grândola a tua vontade
Jurei ter por companheira
À sombra duma azinheira
Que já não sabia a idade

Posted in amizade | 1 Comment »

C A R N A V A L

Posted by vidapura2 em Fevereiro 17, 2010

     Não tem cara de domingo, muito menos de carnaval.

      É um domingo sem cara, um carnaval sem identidade.

      É o carnaval sem baralho e o domingo

      que se apresenta assim,

      somente assim, sem cara…

      Uma chuva indefinida que vai e que volta,

      dúvida de existir ou não.

      Uma manhã linda com chuva.
      
      Terna manhã da chuva que se foi, da chuva que volta…

      Na vida novas esperanças, progressos em si mesmo.

      Bobagem esperar o melhor vindo lá de fora,

      enquanto não houver avanço em mim mesmo.

      Uma nova canção que não posso cantar…

      No silêncio vejo os teus olhos,

      sinto a ternura das tuas mãos…

      Um dia virá em que eu saiba sentir e ver, de verdade.

      Saiba valorizar minha manhã e um vulto no carnaval…

      Identificar e resgatar o meu amor.

      Evaldo da Veiga

Posted in amizade | Leave a Comment »

Só tenho 17 anos

Posted by vidapura2 em Janeiro 31, 2010

O dia em que morri era um dia de ir à escola.
                                Como eu gostaria de ter ido de ônibus!
                                Mas eu estava querendo mais.
                                Eu me lembro como chantageei minha mãe para pegar seu carro:
                                Favor especial eu disse, implorando.
                                Todos os meninos dirigem!
                                Quando eram 2.45 da madrugada, joguei meus livros no armário.
                                Eu estava livre até as 8.40 do dia seguinte!
                                Corri para o estacionamento, excitado com a idéia de dirigir um carro.
                                Ser meu próprio chefe.
                                Livre!

                                Agora não importa como o acidente aconteceu ….
                                Eu estava correndo feito um doido.
                                Correndo riscos estupidamente.
                                Mas eu estava me divertindo e aproveitando minha liberdade.
                                A última coisa de que me lembro é que eu estava ultrapassando
                                o carro de alguém que ia horrivelmente devagar.
                                Escutei um estrondo ensurdecedor e senti um forte solavanco.
                                Vidro e aço voando para todo lado.
                                Meu corpo parecia explodir por dentro.
                                Eu escutei meu próprio grito.

                                De repente eu fiquei imóvel.
                                Um policial estava parado perto de mim.
                                Havia um médico e meu corpo estava mutilado.
                                Eu estava todo coberto de sangue.
                                Cacos de vidro estavam espalhados por toda parte.
                                O estranho é que eu não sentia nada.

                                Não!
                                Não coloquem esse lençol sobre o meu corpo!
                                Eu não posso estar morto.
                                Eu só tenho 17 anos!
                                Eu tenho um encontro hoje à noite.
                                Eu tenho que ficar adulto e ter uma vida maravilhosa.
                                Eu ainda nem vivi …. não posso estar morto!

                                Mais tarde fui colocado numa gaveta.
                                Meus amigos tiveram que me identificar.
                                Por que eles tiveram que me ver desse jeito?
                                Por que minha mãe teve que enfrentar
                                a mais terrível experiência de sua vida?
                                Por que meu pai, de repente, parecia tão velho?
                                Ele disse para o homem de plantão: “Sim, este é meu filho”

                                O funeral foi uma coisa estranha.
                                Todos os parentes e amigos andavam em volta do caixão.
                                Eles passavam, um por um, e olhavam-me tristemente.
                                Alguns dos meninos estavam chorando.
                                Algumas garotas tocaram a minha mão e se afastaram angustiadas.

                                Eu queria que alguém pudesse me acordar e me tirar deste caixão!
                                Meus pais estão tão arrasados!
                                Meus avós tão chocados, que mal conseguem andar!
                                Meus irmãos e irmãs estão com os olhos parados
                                como zumbis e caminham como robôs.
                                Ninguém quer acreditar que isto aconteceu comigo.

                                Por favor, não me enterrem!
                                Eu tenho ainda muito para viver!
                                Eu quero correr e pular outra vez!
                                Eu quero rir e cantar!
                                Por favor, não me coloquem sob a terra.
                                Eu prometo que se eu tiver mais uma única chance,
                                serei o motorista mais cauteloso do mundo.

                                Por favor, Deus, eu só tenho 17 anos! 
                                 Dr. Michael Lee Poling

Posted in AMIGOS, amizade | Leave a Comment »

PACIÊNCIA…

Posted by vidapura2 em Dezembro 3, 2009

Ah! Se vendessem paciência nas farmácias e supermercados…
Muita gente iria gastar boa parte do salário nessa mercadoria tão rara hoje em dia
Por muito pouco a ‘madame’ que parece uma ‘lady’ solta palavrões e berros que lembram as antigas ‘trabalhadoras do cais’…
E o bem comportado executivo? O ‘cavalheiro’ se transforma numa ‘besta selvagem’ no trânsito que ele mesmo ajuda a tumultuar…
Os filhos atrapalham, os idosos incomodam, a voz da vizinha é um tormento, o jeito do chefe é demais para sua cabeça,
a esposa virou uma chata, o marido uma ‘mala sem alça’. Aquela velha amiga uma ‘alça sem mala’, o emprego uma tortura,
a escola uma chatice.
O cinema se arrasta, o teatro nem pensar, até o passeio virou novela.
Outro dia, vi um jovem reclamando que o banco dele pela Internet estava demorando a dar o saldo, eu me
 lembrei da fila dos bancos e balancei a cabeça, inconformado…
Vi uma moça abrindo um e-mail com um texto maravilhoso e ela deletou sem sequer ler o título, dizendo que era longo demais.
Pobres meninos e meninas sem paciência, sem tempo para a vida, sem tempo para reflexões, sem tempo para “Deus”!
A paciência está em falta no mercado, e pelo jeito, a paciência sintética dos calmantes está cada vez mais em alta.
Pergunte para alguém, que você saiba que é ‘ansioso demais’ onde ele quer chegar?
Qual é a finalidade de sua vida?
Surpreenda-se com a falta de metas, com o vago de sua resposta.
E você?
Aonde você quer chegar?
Está correndo tanto para quê?
Por quem?
Seu coração vai agüentar?
Se você morrer hoje de infarto agudo do miocárdio o mundo vai parar?
A empresa que você trabalha vai acabar?
As pessoas que você AMA vão parar?
Será que você conseguiu ler até aqui?
Respire… Acalme-se…
O mundo está apenas na sua primeira volta e, com certeza, no final do
dia vai completar o seu giro ao redor do Sol, com ou sem a sua paciência…

NÃO SOMOS SERES HUMANOS PASSANDO POR UMA EXPERIÊNCIA ESPIRITUAL…

SOMOS SERES ESPIRITUAIS PASSANDO POR UMA EXPERIÊNCIA HUMANA…

 

“Diante da vastidão do tempo e da imensidão do universo, é um imenso prazer para mim, dividir um planeta e uma época com você.”

Carl Sagan

Posted in AMIGOS, amizade | Leave a Comment »

Estrela esperança

Posted by vidapura2 em Agosto 9, 2009

Contam as lendas que, quando foi concluída a criação, as estrelas vieram visitar a Terra.

 

A estrela amarela, simbolizando as riquezas, visitou todos os recantos e voltou ao veludo escuro da noite, tomando seu lugar no firmamento.

 

A estrela azul, simbolizando os rios e os mares, igualmente deu um giro em todas as profundezas e retornou.

 

As demais estrelas simbolizando o restante da natureza, fizeram o mesmo, e todas se engastaram nos lugares definitivos onde deveriam permanecer para sempre.

 

Todas voltaram, menos uma, por discreta determinação do rei do firmamento.

 

E quando perceberam a sua ausência, os demais astros buscaram-na aflitos, de longe. Então perceberam, entre os sofredores e necessitados do mundo, a sua luz faiscando em tom verde.

 

Por isso, é que a esperança nunca abandona a vida.

 

Através de uma lenda, os poetas encontraram uma maneira de falar da esperança.

 

Quando a noite escura do desalento invadir a nossa vida, lembremos a suave luz da esperança que não nos deixa a sós, e recobremos o passo, no compasso da harmonia.

 

Quando sentirmos os ferimentos da cruz de espinhos a vergastar nossos ombros, permitamos que o brilho inapagável da esperança nos console.

 

Se o véu escuro da morte se estender sobre os olhos físicos dos seres amados, lembremos que a imortalidade, mensageira da esperança, vem lhes descortinar horizontes novos, no além túmulo.

 

Ainda que os dias de sofrimento pareçam não ter fim…

 

Ainda que a enfermidade anuncie que veio para ficar…

 

Ainda que os amigos abandonem os nossos passos, deixando-nos caminhar a sós…

 

Ainda que tenhamos a impressão de que o Pai Divino nos esqueceu, lembremos da sublime lâmpada da esperança, e permitamos que ela ilumine a nossa alma, plenificando-a com suave claridade, anunciando um novo alvorecer.

 

Lembremos sempre que, por mais escura e longa que seja a noite, o sol sempre volta a brilhar, e com ele, novas oportunidades de construirmos a nossa felicidade.

 

Para tanto, devemos permitir que a esperança siga conosco como portadora da chave que abre a aurora e vence o crepúsculo.

 

***

 

A esperança se apresenta em nossas vidas de várias maneiras:

 

Pode estar presente num sorriso…

 

Num olhar de ternura…

 

Num aperto de mão…

 

Num afago…

 

Podemos encontrá-la, ainda, na suave brisa de uma manhã de sol…

 

Na serenidade das gotas de chuva, caindo devagar…

 

No cinza escuro da paisagem crestada pela neve a anunciar que, em breves dias, tudo estará reverdecido novamente, sob os diversos matizes de cores e perfumes, mostrando que a esperança está presente, e jamais nos abandona.

Posted in AMIGOS, amizade | Leave a Comment »

MEU PAI MUITO & SEMPRE AMADO!

Posted by vidapura2 em Agosto 9, 2009

Hoje comecei a pensar
      No paizinho que você foi!!
      Um pai adorado
      que de presente  me foi dado …
      Paizinho há tanto o senhor se foi
      mas minhas lágrimas ainda não secaram..
      Meu coração ainda dói…
      Devia somente me lembrar
      quando você dizia docemente
      que ia viver eternamente…
      Mas paizinho você não está ao meu lado
      mas sempre foi meu pai adorado…
      Sabe quando você está presente?
      Quando o Vasco vence!
      Quando tenho sucesso e vejo-o me aplaudindo…
      Na tristeza me dando suporte
      sempre fazendo da vida enxergar a beleza…
      Quando sento ao piano
      e, toco esta valsa que tanto o enternecia
      e, com doces palavras me dizia
      do seu encantamento por eu ser sua filha…

      Pai amado que saudade!
      Para sempre meu pai desejado
      Sempre sorrindo e cantando…
      Trazendo ao mundo dos filhos
      Amor incondicional!
      Como o que sempre dedicou
      áquela que muito o amou
      que disse SIM ao receber
      a sementinha que em seu ventre plantou…
      Pai Amigo, o melhor!
      Que tanto me ensinou
      Que me corrigiu com carinho
      com bondade & humildade
      incentivando somente as qualidades…
      O abraço mais constante cheio de esperança!
      O carinho tão gostoso!
      E quando tocava o piston e,
      eu,  ao piano com emoção
      compomos  uma linda canção
      que hoje soa suave
      preenchendo o meu coração…
      De BONDADE
      A SUA MAIOR EXPRESSÃO!

Posted in AMIGOS, amizade, poesia | Leave a Comment »

OI PAPAIS… ESCUTA O QUE VOU DIZER

Posted by vidapura2 em Agosto 9, 2009

Antes de dormir lembrem
      que vocês são muito amados…
      Que se não fossem vocês
      a vida perderia o valor…
      Se vocês não plantassem
      a sementinha do amor
      não haveria frutos para colher…
      Mas com muito amor
      no ventre amado plantou
      uma sementinha tão linda
      que um lindo bebê se formou…
      Papai escuta mais
       seu filho vai falar
      EU TE AMO PAPAI!
      E, SEMPRE AMAREI…
      NÃO IMPORTA SE VOCÊ JÁ PARTIU
      MAS NO MEU CORAÇÃO VOCÊ EXISTE
      E PARA TODO O MEU SEMPRE
      EXISTIU…
      Muito amor , felicidade, saude e paz
      para todos os papais…
      AMO VOCÊ

Penhah Castro

Posted in AMIGOS, amizade, poesia | Leave a Comment »

O ENCANTO E A MAGIA

Posted by vidapura2 em Julho 8, 2009

Veste-me,  ó alma, d’encanto e magia
      Despe-me as dores ao som dos flautins
      Afasta de mim a vil nostalgia
      Valei-m’ os anjos e os serafins!

      Tu, ó minh’alma, que doida agias,
      Entre as trevas das noites sem fim
      Vem, resplandece! E esta afagia
      Leva pra longe, bem longe, de mim

      Desperta , ó amor, levanta a bandeira
      Sobre a torre mais  forte, além
      Traze-me a dama mais bela e faceira

      Vestida de luz, em finos brocados
      Que os querubins entoem amén
      Quando a virem , enfim , ao meu lado

Jorge Linhaça

Posted in amizade | Leave a Comment »

ELEGÂNCIA…

Posted by vidapura2 em Junho 8, 2009

Uma vez eu aprendi
que o golfinho era muito elegante…
Perguntei “o que é ser elegante”?
A resposta que encontrei:
é fazer muitos movimentos
com um minimo de esforço..
É andar kilometros
sem mostrar cansaço…
É ser gracioso,
distinto,
esbelto,
natural,
delicado…
Para ser elegante
precisamos cuidar da nossa auto estima…
Precisamos nos amar incondicionalmente!
Precisamos nos aceitar para mudar o que precisar…
Precisamos nos aceitar corpo, espirito e mente…
Precisamos dar qualidade a nossa vida
para termos uma saúde plena…
Precisamos exercer esta felicidade
que vem de dentro para fora…
E, alimentá-la sempre para ela crescer!

Penhah Castro

Posted in amizade | Leave a Comment »

Muchas en mí…

Posted by vidapura2 em Junho 7, 2009

Acordei e busquei por mim na casa toda.
      No quarto… Na varanda… No espelho…
      Não encontrei, nada mais achei de mim…
      Só meu cérebro dando seu velho conselho.
      
      Percebi que um pedacinho de mim ficou
      Na primeira lágrima da incompreensão…
      Outro maior foi atirado na noite de espera,
      Outro pela desconfiança grande e sem razão.
      
      Acordei e só encontrei minha sombra…
      Vagando num vale escuro e tenebroso,
      Pedindo aos deuses uma nova chance,
      Poder fugir, sair do castigo impiedoso…
      
      Acordei buscando todas que fui…
      A otimista… A pacifista… A egoísta,
      A mulher fatal, a carente, a passional,
      A que perdeu de vez o tino, a artista…
      
      Hoje acordei e lamentei ter acordado…
      O sol brilhava, era meu pranto verdadeiro,
      As desilusões, montanhas de gelo em mim,
      Desenhando em fogo… o adeus derradeiro…
      
      Quantas de mim amaram até a loucura?
      Todas… Eu bem sei… Todas foram amor…
      Ainda que rebeldes, não aceitando ordens,
      Mas feras dóceis e sensuais até na dor…
      
      Acordei e notei que a minha criança soluçava,
      Pobre… Carente… Isolada… Desamparada…
      Seu riso franco não mais ecoava pela casa…
      Minha criança estava numa tristeza danada…
      
      Mas a vida pedia o retorno de todas em mim…
      Lavei o rosto, enxuguei a lágrima, peguei o baton.
      Era a volta da cigana arretada, sensual, corajosa…
      E a casa escura… Vestiu-se de festa e luz néon…
      
      Finalmente…  Todas voltaram sorrindo…
      Era chegado o tempo… – Tempo de viver
      O amor verdadeiro, ainda que clandestino…
      E amadas… todas se deixaram amanhecer…
      © Mary Trujillo
      16.04.2006

      Muchas en mí…
      © Marilena Trujillo

      ¿Quién me acompaña esta noche?
      ¿Quién está al otro lado, fuera de mí…?
      ¿Quién está dentro de mi pecho?…
      ¿Quién ira a curar esta tristeza sin fin?
      
      Alegrías y emociones tan confusas…
      Añoranza penetrando los huesos…
      Decepciones tan devastadoras…
      Que cargar… ya no puedo…
      
      ¿Quién soy yo…? – Quién soy al final?
      Busco tanto y no me encuentro…
      Tantas hostigan mi memoria,
      Muchas fallecieron en el vil confronto…
      
      ¿Quién es ésta del espejo…? – ¿Quién es?
      No reconozco esta persona, su mirada…
      Ella no se parece conmigo… en nada…
      Ya no sonríe, sólo trae lágrimas bailando…
      
      ¿Cuántas más van a morir aquí dentro?
      ¿Qué comedia o drama voy a representar?
      Basta… basta… de dolores… de soledad…
      De nubes negras, ¡quiero dormir y soñar!
      
      Soñar que puedo, que todo es perfecto,
      Que la ternura existe, que el amor es real,
      Que toda la maldad será de la tierra desterrada,
      ¡Y podré ser feliz como cualquier mortal!…
      © Mary Trujillo

Posted in amizade | Leave a Comment »

Interação

Posted by vidapura2 em Junho 7, 2009

O primeiro olhar a sorver sua imagem
      se impregnando dentro mim
      no primeiro abraço meu corpo aquecido pelo seu,
      acende a chama do desejo

      Ao te respirar, sinto sua alma a me invadir
      com minha se abraçar até completamente se fundir
      Ao te beijar, senti minha razão sumir
      uma onda de carinho tomar conta mim

      Já fora de mim, dentro de você, eu me perdi
      entregando meu todo para você somente
      que me fez sentir, seu colo, seu peito, seu ventre
      acariciando todos meus sentidos num único prazer

      Com o meu prazer de dar prazer a você
      Somando, se multiplicando sensações
      nos sentindo como um único ser
      Uma mesma palpitação, um mesmo coração

      Joe’A

Posted in amizade | Leave a Comment »

Tribunal interior

Posted by vidapura2 em Junho 4, 2009

Inconcientemente cada uno tiene su versión
      para las cosas del corazón
      puedeque no refleje la realidad
      Pero es una forma de auto-protección

      Aún sabiendo en el íntimo la verdad
      Aún dañando la otra parte
      Aún que cause malestar, dolor
      Una forma de preservarse en la sociedad

      Falta de humildad, orgullo, una insanidad
      Caminos para la irreversibilidad
      Distorsiones, mentiras, infamias y hasta calumnias
      Armas, de quién no tiene argumentos… insensatas

      Actitudes que serán cobradas por la verdad
      Pecados que serán juzgados, condenados
      Pena mayor, la propia conciencia
      Sentenciado por nuestro tribunal interior

      Joe’A

Posted in amizade | Leave a Comment »

LÁGRIMAS DE UMA SOLIDÃO

Posted by vidapura2 em Junho 1, 2009

Te-la aos meus braços é tudo aquilo que sempre sonhei
Pois muito breve,  sentado ao teu lado sempre estarei
A distância que nos separa não será mais uma barreira
Ficaremos para sempre unidos….uma vida inteira!
 
Nunca mais sofreremos de tristeza e dor
Entre nós haverá alegria, carinho e muito amor
Lágrimas, se houverem, serão de felicidade e paixão
Nunca mais existirá a saudade ou dor de solidão

Tenha esperança e espere-me com toda a paz merecida
Que na linha do horizonte irei despontar
Teremos um ao outro, para sempre, em toda a vida
 
Ao seu encontro eu irei,  sem demorar
Seremos alma e espírito num só coração
E nada neste mundo poderá nos afastar
 
Caio Amaral

Posted in amizade | Leave a Comment »