amizade e poesia

Alguém que faz você rir…Alguém que faz você acreditar em coisas boas…Alguém que convence você …De que existe uma porta destrancada…Só esperando para que você abra. Esta é a Amizade Para Sempre.

Archive for Setembro, 2008

PAZ

Posted by vidapura2 em Setembro 28, 2008

  A busca do equilíbrio
                              diário, nos trás paz.
                              
                              É preciso que acreditemos
                              na força do amor
                              verdadeiro e só assim,
                              teremos paz interior
                              e levaremos paz ao mundo.
                              
                              O homem na luta por sua
                              sobrevivência, se
                              perde na busca constante
                              de seu eu e esquece
                              de plantar a paz.
                              
                              É preciso harmonia,
                              ponderação e bom senso,
                              é preciso a cima de tudo
                              amor.
Elizabeth Assad

Anúncios

Posted in poesia | Leave a Comment »

…Doce Espera…

Posted by vidapura2 em Setembro 28, 2008

Nos momentos em que o sol se esconde,
é quando a saudade sorrateiramente
invade…E a alma responde
com lágrimas ao amigo confidente.
-Ah! Coração, como dói essa espera!
Porque há-de ser tão dorida
a ânsia dessa minha quimera
que guardo dentro do peito,
tão profunda, quase escondida?!-
-Essa espera se faz necessária,
diz-lhe o experiente coração.
Esse amor te foi dado como eleito,
quando mais sentistes-te perdida.-
Silêncio constante…
Vem a lembrança;
doces recordações,
madrugada vazia,
meu amado, meu amante
meu homem, minha criança…
Senhor das canções,
mestre da poesia.
Amo amar-te assim,
dono de meu viver.
Não desejo nada mais na vida…
E quando a saudade, minh’alma
novamente absorver,
direi à ela que é proibida;
que a esperança habita em mim,
e o teu amor, fez-me renascer.
Sob a luz desse luar,
no manto negro do meu leito,
chegam as estrelas a me ninar
debruçando-me em teu peito,
até que chegue mais um despertar.

Anna Müller

Posted in poesia | Leave a Comment »

Bem penso eu

Posted by vidapura2 em Setembro 28, 2008

Bem penso eu ,
essa coisa de pensar me deixou a cismar.
Não sei se meu pensamento é como o teu.
Sei portanto que pensando vou divagando.
Nessa reviravolta de pensamentos fico a pensar.

Penso e se penso, meus pensamentos organizo.
Meu pensar sempre me leva pra outro  lugar,
Oras bolas  gosto de pensar , há mal nisso?
Pensando fico a chorar ou  a gargarlhar

Parece até  coisa de louco  ficar a pensar
Mas louca sou por gostar de pensar
com palavras e rimas brincar…

E louca sou quando pensando giro e giro
 em meus pensamentos me dizendo
” É melhor parar com isso pois
podes ser internada  por ficar a pensar ”

Pensando bem, é melhor parar de pensar.
Mas se pensar faz bem…
Que mal há em pensar?

Ana Maria Brasiliense

Posted in poesia | Leave a Comment »

SE PONHO-ME A PENSAR…

Posted by vidapura2 em Setembro 28, 2008

Se fico a pensar, no que penso eu?
No qu’eu penso, deveria eu pensar ?
Se os pensamentos são, por fim, só meus,
O que eu penso mudaria o lugar?

Se eu penso e, portanto, existo
Por que insisto nesse meu pensar?
Ou o que penso já era previsto
como o balanço das ondas do mar?

Que penso pois eu, se fico a cismar
Nas cismas que o mundo hoje tem
ou nos sismos que nos vem abalar

Não sei se pensar, portanto convém,
Porque se pensar, não sei me calar,
E se pensar mal, que faço eu de bem?
Jorge linhaça

Posted in poesia | Leave a Comment »

Ele

Posted by vidapura2 em Setembro 28, 2008

 Ele… O meu amor… É tão especial,
            Tão lindo… Tão louco… Tão meu!…
            Tão confuso tão lúcido… Tão doce!
            Que faria inveja, a qualquer Romeu!

            Sou tão dele, que pouco sobra de mim.
            Ele tem meus dias… Minhas noites…
            Minha boca, meu corpo, meus sonhos,
            Cura minha alma de todos os açoites!

            Embarca na minha desvairada canoa,
            Tem um sorriso quase infantil, tão alegre!
            Zangado, diz que não é nenhum moleque!
            Na verdade, ele quer é que eu me entregue!

            Ele tem o poder de tudo transformar,
            Chama-me de minha deusa, meu amor.
            Sussurra tantas coisas gostosinhas…
            E seu carinho é único… Avassalador!

            Ele… Tem o perfume da primavera…
            A paixão ardorosa de um adolescente.
            A esperança estampada no lindo olhar,
            É tão bondoso, tão especial, tão gente!

            É tudo que eu sempre quis e idealizei.
            Traz nas mãos um coração grandioso…
            Sou sua menina, sua vida, sua deusa…
            Ele, o meu tesouro, meu bem precioso!
            Mary Trujillo

Posted in poesia | Leave a Comment »

ESPERANÇA…

Posted by vidapura2 em Setembro 28, 2008

                            Esperança, sentimento  muito forte;
                            Que me impulsiona, me leva adiante,
                            Aos meus passos mostra o norte
                            E me põe no caminho, confiante.

                            Esperança, uma palavra mágica,
                            Que aniquila o obstáculo mais duro
                            E que faz da vida, por mais trágica,
                            O despertar de um risonho futuro.

                            Esperança, me faz ser dela um dia,
                            Me põe vivendo um conto de fadas,
                            Transbordando de amor e alegria,
                            Em situações as mais desejadas.

                            Esperança é tê-la em definitivo,
                            É a realidade que mais almejo,
                            Enquanto persigo esse objetivo,
                            Mais sinto aqui um forte desejo.

                            Esperança, sinônimo de conquista,
                            De reviravolta… uma reencarnação;
                            A visão mais cristalina e otimista,
                            Enxergando à frente, com o coração.

                            Esperança é o que me dá alento,
                            Mola propulsora de meu sonhar,
                            Sensação de, a qualquer momento,
                            Definitivamente em seus braços ficar.

                                               Lorenzo Yucatán

Posted in poesia | Leave a Comment »

ESPERANZA…

Posted by vidapura2 em Setembro 28, 2008

Esperanza, sentimiento muy fuerte
                            que me impulsa, adelante me lleva,
                            a mis pasos el norte les muestra
                            y me pone confiado en el camino.

                            Esperanza, una mágica palabra
                            que aniquila el obstáculo más duro
                            y que hace de la vida, por más trágica,
                            el despertar a un risueño futuro.

                            Esperanza, me haces tuyo todo un día
                            haciéndome vivir un cuento de hadas,
                            transbordando de amor y de alegría,
                            en situaciones muy deseadas.

                            Esperanza es ternerte definitivamente,
                            eres la realidad que más deseo,
                            y por perseguir ese objetivo,
                            más siento en mi interior fuerte deseo.

                            Esperanza, sinónimo de conquista,
                            de volver a vivir… una reencarnación;
                            la visión más cristalina y optimista,
                            poniéndose de frente, con el corazón.

                            Esperanza, es lo que me alienta,
                            molino propulsor de mi soñar,
                            sensación de que, en cualquier momento,
                            definitivamente en tus brazos quedaré.

                            Lorenzo Yucatán

Posted in poesia | Leave a Comment »

NO JARDIM DOS VERSOS PERDIDOS

Posted by vidapura2 em Setembro 28, 2008

 Existe um Jardim, de versos perdidos,
            Estrofes soltas nas asas do vento
            Constelação em negro firmamento
            Biblioteca dos livros esquecidos.

            Tomos mofando ao orvalho e relento
            Pelos poetas no amor produzidos
            Abandonados por moucos ouvidos
            Prostrados no cruel esquecimento

            Mas eis que surge uma mão dadivosa
            A folhear o  puído escrito
            Florescem, então, os versos, qual rosa

            Nos olhos ternos do leitor contrito
            Pois não há força tão mais poderosa
            Do que o olhar de um leitor bendito.
Jorge Linhaça

Posted in poesia | Leave a Comment »

EXISTIR

Posted by vidapura2 em Setembro 28, 2008

 Em uma fração de segundos existo.

      Sangue corre em minhas veias,

      É a vida que dada pelo Criador

      Permanece em mim.

      E como um desfecho de tudo

      Cria a morte e pára tudo o que acontecia.

      Mais nada, mais nada segue ou sei.

      Da minha existência tenho lembranças

      Saudades, amores, paixões não resolvidas.

      Segue a luta pela vida, em outras vidas,

      Nada concreto, nada, quem cria diz.

      E passamos anos e anos sem saber o por quê

      Da tão grande chegada e da tão triste despedida.

nanci laurino

Posted in poesia | Leave a Comment »

Amor…en la red del corazón

Posted by vidapura2 em Setembro 28, 2008

 Ven, ven hacia mí
      mi corazón no agüanta más
      de tantas ganas de tí
      Coge la primera nube
      Al sabor de la brisa que pasa
      siguiendo el farol de mi amor
      en la dirección de mi corazón
      saltando de nuestros sueños
      nuestros deseos en realización
      en medio de tantas flores
      coloridas, perfumadas
      llenas de vida,
      deseos incipientes
      Nosotros realizando
      Nuestros corazones em transfusión
      dandonos, circulando
      los fluidos de nuestra pasión
      palpitando en las mismas sensaciones
      en un solo brebaje,… sentimientos y emociones
      una sola corriente de amor
      como lavas hirvientes, delirantes..
      pulsan pasión, circulando amor…
      tuyo, mío,
      de corazón a corazón
      Joe’A

Posted in poesia | Leave a Comment »

As dores que não tive

Posted by vidapura2 em Setembro 28, 2008

Tudo se faz no mundo
Cantando uma canção brega
Planto a terra com o desejo
Faço amor sobre lençóis brancos

Vento a soprar conhecimento
Assovios da intemperancia
Cobice mais um dia do que possa ter
Nuvens no céu cheiram a tentação

Olho o caneta repousando sobre o caderno
Diletante recordo uma mulher
Palavras são muralhas de Jericó
A mão golpeia o ar

Não se deve adiar as ilusões
Nem afiar as facas na escuridão
Tudo o tempo arranca do peito
Fruto que deixa cicatrizes no útero

Parcimonioso grito com os papéis
Futuro de fumaça pardacenta
Reinos de descortesia flutuantes
Chamo a aventurança no vazio

Carlos Assis

Posted in poesia | Leave a Comment »

Dor no silêncio

Posted by vidapura2 em Setembro 28, 2008

 Que silencio existe em minha alma

                                já não escuto nem meu coração bater

                                não me importam as manhãs

                                nem me importa a noite cinza.

                                

                                Que tristeza a que sinto

                                nunca antes havia me sentido assim

                                penso que  o vento

                                passa e burla de mim.

                                

                                Que importa a beleza

                                de uma rosa no jardim

                                nada é certo…nada é bom

                                se não te tenho junto a mim.

                                

                                Eu compreendo que a vida

                                com seus golpes ensina a viver

                                mas, quem esplica ao coração

                                quem o ensina a não sofrer?

                                

                                Quiça seja o momento

                                e equivocado estou no meu pensar

                                mas é duro o sofrimento

                                que eu passo se não estás.

                                

                                Meus olhos já estão cansados

                                de tanto e tanto chorar

                                e a dor que há em meu peito

                                cada vez aumenta mais.

                                

                                Se ao menos eu pudesse

                                a teu lado estar

                                cessaria minha tristeza

                                em ti poderia descansar.

                                

                                Sinto que as forças

                                pouco a pouco se vão

                                quisera compreender

                                que a paciencia e a esperança

                                solução a tudo dão.

                                

                                Ja quero que isso se acabe

                                essa dor que me afoga

                                porque é perpetua e covarde

                                porque meu coração já não mais suporta.

                                

                                Quisera ver de novo luz

                                e deixar isso no esquecimento

                                livrar-me desta  cruz

                                e que se acabe esse silencio.

                                 

                                Denny Llanos Tirado

Posted in poesia | Leave a Comment »

É lobisomem

Posted by vidapura2 em Setembro 28, 2008

A sua pele macia
Tem uma fórmula natural
Sensação prolongada
Movimento suave
Vale o risco
Chegar ao alcance do seu sorriso

Um lepidóptero noturno
Pousou na parede
Meia noite no relógio
As luzes cintilantes da rua
Não ando de pasta nem de gravata
Meu destino meu descanso

Sexta feira
Passei no bar ,duas cervejas
Não estou nem mais nem menos
Cachorro latiu
Assustei
Escorreguei na banana

Pulou o muro
Saiu do escuro
Caiu de cara no asfalto
Entrou no mato
Passou por mim
É lobisomem

Amanhã vou lhe encontrar
Nem que tenha de cruzar a Paulista
Tomar duas conduções
Ir do outro lado da cidade
Sou zona norte
Você zona sul

O que se abre no peito
Não se fecha sem sofrimento
Pode acontecer com qualquer um
Não precisa saber o que se faz
O que se fez
Seu coração não devolvo mais

Certamente
Meu gosto não é o seu
Durmo tarde
Acordo cedo
Trabalho no fim de semana
Pego no puxado

A sua pele macia
Tem uma fórmula natural
Sensação prolongada
Movimento suave
Vale o risco
Chegar ao alcance do seu sorriso

Pulou o muro
Saiu do escuro
Caiu de cara no asfalto
Entrou no mato
Passou por mim
É lobisomem

Carlos Assis

Posted in poesia | Leave a Comment »

Espectros dos sentimentos

Posted by vidapura2 em Setembro 28, 2008

Captamos intenções e sentimentos
somos antenas vivas
Dos espectros de todos pensamentos
Dos passados, dos presentes, dos futuros

Captamos normalmente na mesma frequencia
que pensamos…com atitudes em sintonia
Humildade nos sinais da generosidade
Orgulho e presunção em contato com a arrogancia

Voce é e tem tudo aquilo que pensa
Portanto ajuste sua antena em  sintonia fina
Gire o dial para o lado do essencial
Ajuste a vibração nas ondas do coração

Coração sincronizado com  a Razão
A emoção nas notas da intuição
Capte a vida com uma canção
E dance nos compassos da Paixão

Joe’A

Posted in poesia | Leave a Comment »

SÃO VERSOS QUE TE DEIXO

Posted by vidapura2 em Setembro 28, 2008

  É na alvura das nuvens, que moldo
            teu rosto, no entusiasmo das cores
            primeiras, da manhã acabada de
            surgir, detrás do rio multicor, tão
            sereno no se mostrar, como teus olhos.

            Aos poucos, conforme a manhã, se
            faz rainha, refulgem mais intensamente
            as matizes, e, um lindo arco-íris, logo
            me lembra teu sorriso, liberto de aziagas
            mal quistas, de quem sorrir se esqueceu.

            E, avançando a manhã, as cores dão lugar
            ao livre correr das águas, bem junto às
            margens, possivelmente urdidas por tuas
            mãos, bordando livres pousos de aves,
            buscando aí a predilecção do dúctil peixe.

            Abrindo um pouco mais, a janela de meu
            quarto, não posso deixar de me sentir, mais
            perto de ti, pois tu és essência e fragrância,
            pura natureza, invadindo meus sentidos,
            que rabisco na folha, tão imaculada como tu.

            Jorge Humberto

Posted in poesia | Leave a Comment »