amizade e poesia

Alguém que faz você rir…Alguém que faz você acreditar em coisas boas…Alguém que convence você …De que existe uma porta destrancada…Só esperando para que você abra. Esta é a Amizade Para Sempre.

Archive for Outubro, 2009

O amor que fica

Posted by vidapura2 em Outubro 26, 2009

Foi num hospital do câncer que a lição foi dada. A menina tinha 11 anos e lutava, desde os 9, contra a insidiosa doença.

 

Nunca fraquejou. Chorava, sim, mas não fraquejava. Tinha medo em seus olhos, mas entregava o braço à enfermeira e com uma lágrima, dizia:

 

Faça, tia, é preciso! E havia confiança e determinação no gesto e na fala.

 

Um dia, quando o médico a foi visitar no quarto do hospital, ela estava sozinha. Perguntou pela mãe. E ouviu a resposta que, diz ele, até hoje guarda, com profunda emoção:

 

Tio, às vezes minha mãe sai do quarto para chorar escondido nos corredores.

 

Quando eu morrer, acho que ela vai ficar com muita saudade de mim. Mas eu não tenho medo de morrer.

 

Eu não nasci para esta vida!

 

Pensando no que a morte representa para crianças que assistem seus heróis morrerem e ressuscitarem nos seriados e filmes, indagou o médico:

 

E o que a morte representa para você, minha querida?

 

Olha, tio, quando a gente é pequena, às vezes, vamos dormir na cama do nosso pai e, no outro dia, acordamos no nosso quarto, em nossa própria cama, não é?

 

É isso mesmo, concordou ele, lembrando o que fazia com suas filhas de 2 e 6 anos.

 

Vou explicar o que acontece, continuou ela. Quando dormimos, nosso pai vem e nos leva nos braços para o nosso quarto.

 

Eu não nasci para esta vida! Um dia eu vou dormir e o Meu Pai vem me buscar. Vou acordar na casa dEle, na minha vida verdadeira.

 

Que bela imagem! Que extraordinária lição desse Espírito encerrado num corpo tão jovem e sofrido.

 

O médico estava boquiaberto, não sabia o que dizer, ante tanta sabedoria.

 

Mas a menina não terminara ainda.

 

Minha mãe vai ficar com muitas saudades minhas, emendou ela.

 

Com um travo na garganta, contendo uma lágrima e um soluço, o médico perguntou:

 

E o que saudade significa para você, minha querida?

 

Não sabe não, tio? Saudade é o amor que fica.

 

* * *

 

A menina já se foi, há longos anos. Ainda hoje, quando o médico experimentado olha o céu e vê uma linda estrela, imagina ser ela, a sua pequena paciente, na sua nova e fulgurante casa. A casa do Pai.

 

* * *

 

Toda vez que a morte vier com seus braços frios e levar um dos nossos amores, pensemos que é o Pai que o envolve com ternura e o está levando para Sua casa.

 

O Pai que, com carinho, o vem buscar para estar com Ele, pois o ama muito.

 

E pensemos que logo mais poderemos ir também, pois todos os que nos encontramos na Terra seremos levados pelo Pai ao mundo espiritual.

 

Enquanto isso, cultivemos a doçura da saudade, em nosso coração.

 

A saudade… O amor dos nossos amores que ficou…
Momento Espírita

Anúncios

Posted in AMIGOS | 1 Comment »

UM AMOR INCONDICIONAL

Posted by vidapura2 em Outubro 26, 2009

Quando amantes se encontram,
      naquele êxtase divino,
      naquele desejo supremo,
      só se espera aquela explosão
      sem qualquer explicação,
      que só o amor provoca…
      Aquela união de bocas,
      os corpos colados,
      completamente apaixonados…
      Esses momentos de amor,
      essa cumplicidade,
      que só os amantes

      que sentem esse amor total,
      esse amor incondicional,
      que todas as barreiras superam,
      porque sem restrições se amam,
      e que tão bem se conhecem podem dispor…
      Momentos de ternura,
      momentos de loucura,
      tendo do amor, aquela doçura,
      e que fazem da distancia uma tortura…
      É muito doce tê-los,
      uma delicia vivê-los…
      por que perdê-los?
      São esses momentos,
      que fazem o amor incondicional…

      Marcial Salaverry

Posted in poesia | 1 Comment »

UM LINDO DIA PRIMAVERIL

Posted by vidapura2 em Outubro 26, 2009

Um lindo dia primaveril,
             Lindo dia de primavera
            Pedindo ao Amigão,
            Pensando na criação, falando ao Pai Celeste
            Que sempre habite no seu coração,
            Que fortaleça os corações,
            Nele fazendo renascer
            Aumentando  a fraternidade.
            A fé, o amor, a caridade…
            Multiplicando o amor.
            É tempo de renascimento…
            Tudo se renova…
            A Primavera está no ar,
            O ar na primavera fica adocicado
            Sempre nos estimulando a amar,
            Perfumes despertam o romantismo
            Aflorando nossos melhores sentimentos,
            Viajamos nos olores , cores e pensamentos…
            A todos desejando felicidade,
            Partilhando alegrias…cumplicidade
            Assim como nosso melhor bem querer,
             Sentindo a evolução…aumentando a felicidade
            Neste lindo dia primaveril…
            Neste dia de renovação.

            
            Marcial Salaverry

Posted in poesia | Leave a Comment »

EXCITAÇÕES

Posted by vidapura2 em Outubro 26, 2009

Olha, amor, o jasmim em minha mão!

Os rios do meu agosto, aqui deixaram.

É tão alva a flor da nova estação

Dos meus olhos de mágoas. Já secaram!

 

 

 

 

De encantos, o perfume jasmineiro,

Excita a primavera de passagem:

Ora em beijos com o vento jardineiro,

Ora é ave sedenta d’outra margem.

 

 

 

 

Bem lá no alto, o sol, astro indolente

Exibe-se em calores sedutores

Mas chega e vai… É tão independente!

 

 

 

Fenece o dia…Ai,os meus amores!

Que a noite furta as cores, descontente,

Num céu de estrelas, mar de velhas dores!

 
Eliane Couto Triska

Posted in poesia | Leave a Comment »

Ataque de Amor

Posted by vidapura2 em Outubro 26, 2009

Vou chegar de surpresa
rasgar tuas roupas
te carregar em meus braços
fazer sorrir com motivos
beijar fundo tua boca
violentar os teus gostos
arranhar delicadamente tuas costas
te apertar em muitos abraços.

Quero que tente fugir
te pego de volta,sem quebrar
prendo e amarro com meus carinhos.

Não deixo nenhum desejo,
completo teu corpo sem medo
satisfaço nossas carências
teu rosto mostra outro pedido
mergulho de novo em teu sexo,
me guie por todas entradas,
quero derramar paixões,
para fazer nossos corpos sorrirem.

Não tem fim,
vamos recomeçar,
nos dar-mos sem culpas,
satisfeito alguns desejos
quero mais quero outros,
deite aqui juntinho,relaxe,
prometo não ficar quieto.

Caio Lucas

Posted in poesia | Leave a Comment »

RESGATE

Posted by vidapura2 em Outubro 26, 2009

Neste coração há pesares e alegrias,
      E, apesar de querer a tristeza ignorar,
      Voltas tu, com tuas tolices e magias,
      Imaginas minha tristeza minorar.
       
      Vivo de momentos diversificados,
      desajustados, inadvertidamente vagos.
      Onde encontrar os verdadeiros lados,
      Que fazem parte de todos os exilados.

      Onde a terra prometida, num ocaso,
      Que me faz voar em linhas divergentes,
      Para tentar descobrir mil nascentes.

      E com elas encontrar imagens latentes,
      Resgatar numa esperança sem prazo,
      Um brilho etéreo previsto neste acaso.

Ângela Maria Crespo

Posted in poesia | Leave a Comment »

DAS UTOPIAS

Posted by vidapura2 em Outubro 26, 2009

“Se as coisas são inatingíveis… ora!
Não é motivo para não querê-las…
Que tristes os caminhos, se não fora
A presença distante das estrelas!”

Mário Quintana

Posted in poesia | Leave a Comment »

POR UM INSTANTE ESCUTA-ME-

Posted by vidapura2 em Outubro 26, 2009

Fique, não se vá
            enquanto a música encher o ar
            o coração palpitará e o amor se espalhará

            Respire, encha os pulmões
            a melodia sussurra o refrão da poesia:
            libertação, asas em lúdica sinfonia.

            Silencie, escuta o que diz
            a canção, que não fala de abandono,
            desse caminho, que faz doer.

            Fique, me abrace forte
            viveremos o contrário de uma lágrima
            a alegria numa eterna folia.

            Esqueça tudo, o que  te faz lamentar
            o frio que esvazia o teu querer
            o desânimo, que te envolve e te faz chorar.

            Fique, faça ninho no meu abraço
            tenho o mais quente cobertor
            o mais puro amor e bem feliz te faço.

            Silencie (o que diz meu coração) escute
            ele canta a vida que podemos ter
            e do muito que podemos juntos compor.

            Eu solfejo infinito amor por ti,
            em todas as notas, em todas as línguas
            meu coração quer viver contigo a felicidade.

            Infinitamente te amo.

Marlene Constantino

Posted in poesia | Leave a Comment »

Se alguém procura

Posted by vidapura2 em Outubro 26, 2009

Se alguém procura sua casa com frio,
       é porque você tem o cobertor.

       Se alguém procura sua casa com alegria,
       é porque você tem o sorriso.

       Se alguém procura sua casa com lágrimas,
       é porque você tem o lenço.

       Se alguém procura sua casa com versos,
       é porque você tem a música.

       Se alguém procura a sua casa com dor,
       é porque você tem o curativo.

       Se alguém procura sua casa com palavras,
       é porque você tem a audição.

       Se alguém procura sua casa com fome,
       é porque você tem o alimento.

       Se alguém procura sua casa com beijos,
       é porque você tem o mel.

       Se alguém procura sua casa com dúvidas,
       é porque você tem o caminho.

       Se alguém procura sua casa com orquestras,
       é porque você tem a festa.

       Se alguém procura sua casa com desânimo,
       é porque você tem o estímulo.

       Se alguém procura sua casa com fantasias,
       é porque você tem a realidade.

       Se alguém procura sua casa com desespero,
       é porque você tem a serenidade.

       Se alguém procura sua casa com entusiasmo,
       é porque você tem o brilho.

       Se alguém procura sua casa com segredos,
       é porque você tem a cumplicidade.

       Se alguém procura sua casa com tumultos,
       é porque você tem a meditação.

       Se alguém procura sua casa com medo,
       é porque você tem o amor.

       Ninguém chega por acaso à sua casa.
       Por isto jamais feche as portas
       a quem levemente nelas bate.

       Jamais vire as costas
       a quem chega de olhos límpidos
       de coração inteiro, de alma exposta.

       Não dê desculpas.

       Não se agarre a mil argumentos irracionais.

       Não invente motivos para justificar gestos bruscos.

       Destranque os portões das suas defesas forjadas.

       Destrua as muralhas construídas
       com os tijolos dos empurrões.

       Todos que batem à sua porta merecem pão e vinho.
       Merecem seu abraço, seu aconchego.

       Todos que viajam em direção à sua casa
       e batem de leve à porta, em busca da sua mão
       merecem entrar…

       Ninguém chega até VOCÊ por acaso,
       Em “TUDO” há o propósito de Deus!
       “O mundo está nas mãos daqueles que têm
       coragem de sonhar, e correr o risco
       de viver seus sonhos”.
       Cada qual com seu Talento!
       “Você pode até não ser ninguém para este mundo,
       mas é o mundo para alguém…

Posted in poesia | Leave a Comment »

Fórceps

Posted by vidapura2 em Outubro 26, 2009

Esvairam-se os mistérios
levados como pó, voaram
não deixaram sequer pegadas

Com eles, devaneios e ilusões
acalentadas secretamente
rasgadas a frio, sem emoções

Uma nesga de tristeza
me abate e joga ao solo
o refinado gosto da sutileza

Angélica T. Almstadter

Posted in poesia | Leave a Comment »

Partilha

Posted by vidapura2 em Outubro 26, 2009

E escolhi seguir, a despeito de tudo
                                
                                Tu permaneces com tuas dúvidas
                                
                                Consumindo-te em dores tardias
                                
                                Ainda que saibas que é vã a esperança
                                
                                Não me peças que te fite mais uma vez
                                
                                Em meus olhos, já não te encontrarias
                                
                                Não penses que parto, sem olhar em volta
                                
                                A tristeza também caminha na ponta dos pés
                                
                                Embora tu a chames de indiferença
                                
                                Não me peças mais palavras, nem motivos
                                
                                Liberto-te de mim, do meu eterno vazio
                                
                                Da solidão do viver ao meu lado
                                
                                Minhas mãos já não te cabem
                                
                                E teu carinho me fustiga a pele
                                
                                Não mais condenes o teu coração
                                
                                A te amar por mim, como sempre fizeste
                                
                                Saio também com passos desalinhados
                                
                                Mas não quero mais acalmar os vendavais
                                
                                Encolhendo-me no conforto da aparência
                                
                                Cansei de esconder lágrimas em sótãos
                                
                                E de ocultar a insatisfação em sorrisos frios
                                
                                Há no meu coração marcas indeléveis
                                
                                Lábios torturados pelo silêncio
                                
                                E um incômodo exílio de verdades
                                
                                Deixo-te a possibilidade do recomeço
                                
                                De te perceberes, além de mim.
                                
                                Em meu peito, levo os dias de sol
                                
                                Os sussurros da descoberta inocente
                                
                                O tatear de mãos em meio ao desamparo
                                
                                A inquietude dos dias distantes
                                
                                Quando apartados um do outro
                                
                                Era a saudade a nos esperar
                                
                                Levo os bilhetes rascunhados de amor
                                
                                Quando o desejo nos roubava o sono da noite
                                
                                Também ficará tatuado em mim
                                
                                O carinho atrevido em horas insuspeitas
                                
                                O “eu te amo” murmurado em madrugadas
                                
                                Quando teu coração encostado ao meu
                                
                                Despertava-me de qualquer sonho
                                
                                Deixo-te enfim, para que um dia
                                
                                Possas novamente ouvir estrelas…

Fernanda Guimarães

Posted in poesia | Leave a Comment »

FUI GOSTAR DE VOCÊ

Posted by vidapura2 em Outubro 26, 2009

Fui gostar de você, – isso foi quando
                        julguei que ainda podia ser feliz. . .
                        Ilusão!… Hoje as pedras vou tirando
                        do castelo de amor que eu mesmo fiz…

                        Conformo-me no entanto, – mesmo estando
                        como estou, da loucura, por um triz…
                        E procuro do peito ir apagando
                        a cor de um vulto de mulher que eu quis…

                        Quanto sonho fatal! Quanta cegueira
                        fez com que eu me iludisse com as safiras
                        de uns olhos lindos de mulher brejeira…

                        Fui gostar. . . e gostei … Sofri portanto
                        ao descobrir as múltiplas mentiras
                        que eram do amor o seu supremo encanto.

                        J. G. de Araújo Jorge

Posted in poesia | Leave a Comment »

Não, meu senhor!

Posted by vidapura2 em Outubro 26, 2009

Mais uma grande incompreensão…
  Já são tantas… Tão banais e cruéis.
  Mas agora… Não choro mais… Não…
  Cansei de melodramas e ridículos papéis
  
  Sei que jamais serei entendida…
  Amada assim…  Do jeitinho que sou…
  Serei sempre o lado oposto da vida,
  Aquela dama que só pecou e errou.
  
  Para que sirvo? – Diz pra mim, por favor!
  Seu silêncio é um discurso perverso…
  Perdão, meu senhor, isso não é amor!
  Em que se resume o meu universo?
  
  Em dias vazios, em noites de solidão.
  Em sonhos tolos atirados ao vento.
  Uma vítima imolada sem explicação…
  Atirada ao calabouço do sofrimento!
  
  Não, meu senhor! Desta vez, não!
  Desta vez… O arranco do meu peito!
  Estraçalho o relicário e o meu coração!
  Para o desamor… Não há argumento!
  Mary Trujillo

Posted in poesia | Leave a Comment »

Nefasta Madrugada

Posted by vidapura2 em Outubro 26, 2009

Nefasta, longa e cruel madrugada,
Que de mim se apossa impiedosa…
Tendo-me aos seus pés desesperada.
Gritando a realidade tão maldosa…

Rindo e zombando dos meus sonhos
Transloucados de amor e felicidade…
Tornando todos cinzentos e medonhos.
Sem um pingo de misericórdia ou piedade.

Já estou sem forças para lutar, teimar…
Tenho que aceitar a verdade insofismável.
Não poderei mais conjugar o verbo amar…
Aceito a sanha do destino implacável!

A última lágrima de amor deixo correr,
Outras tantas ainda irão cair e secar…
Fazendo o peito contrair e gemer…
Até matar o amor que sinto, até o abortar!
Mary Trujillo

Posted in poesia | Leave a Comment »

Prece Ao Vento

Posted by vidapura2 em Outubro 26, 2009

Vento que balança as palhas do coqueiro
      Vento que encrespa as ondas do mar
      Vento que assanha os cabelos da morena
      Me trás notícia de lá

      Vento que assovia no telhado
      Chamando para a lua espiar
      Vento que na beira lá da praia
      Escutava o meu amor a cantar

      Hoje estou sozinho e tu também
      Triste, mas lembrando do meu bem

      Vento diga, por favor,
      Aonde se escondeu o meu amor
      Vento diga, por favor,
      Aonde se escondeu o meu amor

      Vento que balança as palhas do coqueiro
      Vento que encrespa as ondas do mar
      Vento que assanha os cabelos da morena
      Me trás notícia de lá

      Vento que assovia no telhado
      Chamando para a lua espiar
      Vento que na beira lá da praia
      Escutava o meu amor a cantar

      Hoje estou sozinho e tu também
      Triste mas lembrando do meu bem

      Vento diga, por favor,
      Aonde se escondeu o meu amor
      Vento diga, por favor,
      Aonde se escondeu o meu amor

      Vento diga, por favor,
      Aonde se escondeu o meu amor
      Vento diga, por favor,
      Aonde se escondeu o meu amor

Gilvan Chaves / Alcyr Pires Vermelho / Fernando Luiz Câmara

Posted in poesia | Leave a Comment »