amizade e poesia

Alguém que faz você rir…Alguém que faz você acreditar em coisas boas…Alguém que convence você …De que existe uma porta destrancada…Só esperando para que você abra. Esta é a Amizade Para Sempre.

Archive for the ‘AMIGOS’ Category

Tempos de omissão

Posted by vidapura2 em Abril 5, 2011

Vivemos na Terra tempos muito difíceis. A maldade de alguns indivíduos é audaciosa e intimidadora.

Parece que a humanidade está retrocedendo aos tempos de barbárie e nada se pode fazer para deter esse estado de coisas.

Em quase todos os setores da sociedade vamos encontrar vestígios da violência em suas mais variadas expressões.

E por que isso acontece? Será que a humanidade é formada, em sua maioria, por pessoas más?

Onde estão às pessoas de bem?

Em O Livro dos Espíritos, Allan Kardec propôs a seguinte questão aos Sábios do espaço:

Por que, no mundo, tão amiúde, a influência dos maus sobrepuja a dos bons?

E os benfeitores responderam: “por fraqueza destes. Os maus são intrigantes e audaciosos, os bons são tímidos. Quando estes o quiserem, preponderarão.”

A resposta nos faz perceber claramente porque a humanidade está como está.

Os maus são intrigantes e audaciosos e por isso intimidam os bons.

A timidez dos bons é a grande responsável pelo atual estado de coisas da nossa sociedade terrena.

Impressionante como as pessoas de bem se deixam levar por essa onda de violência intrigante.

O depoimento de algumas pessoas publicado em uma revista de grande abrangência em nosso país, por ocasião do atentado na Rússia, fala-nos dessa realidade.

Uma mãe chegou a desabafar: “diante de tantas atrocidades cometidas contra nossas crianças, só me resta pedir desculpas aos meus filhos. Coloquei-os no mundo e agora não tenho como protegê-los de tanta violência.”

É compreensível o desespero dessas pessoas, pois esse é o efeito esperado e premeditado pelos maus.

E quando falamos dos maus não nos referimos unicamente aos terroristas.

Existem muitos indivíduos maus se aproveitando dessas situações.

O pavor e o desespero gerado na população é o componente perfeito para a ação dos maus.

Um povo intimidado, desesperado e impotente é tudo o de que precisam os que querem tirar proveito disso.

No entanto, os benfeitores espirituais, que percebem a realidade de um ponto de vista abrangente, sabem que a solução depende dos bons, ao afirmarem: “quando estes o quiserem, preponderarão.”

Só que muitos dos que se dizem bons, e alguns religiosos de várias crenças estão ocupados em defender o seu “bem” exclusivo, atirando fora todo bem que não seja praticado pelos de sua religião.

Ou os bons assumem a sua bondade, ou não são bons.

Jesus jamais se omitiu diante de qualquer situação. Sempre se posicionou favorável ao bem, sem se importar com quem o praticava.

Em resposta aos discípulos que haviam proibido um homem que expulsava os demônios em nome de Jesus, mas não o acompanhava, Jesus disse-lhes, com sabedoria: “não o proíbam, porque quem não é contra nós, é por nós”.

Isso é levantar a bandeira do bem acima de tudo. O bem é o bem. Isto apenas.

Quem prega o contrário, não pode estar movido por boas intenções.

São chegados os tempos em que precisamos assumir a nossa posição. Precisamos mostrar de que lado estamos: do lado de Deus ou de Mamom.

Em tempos de tanta violência, corrupção e falta de ética, não temos o direito de permanecer em cima do muro. Precisamos nos decidir.

Se dissermos confiar em Deus, é momento de assumir essa confiança. A confiança de que toda árvore que nosso pai não plantou será arrancada, conforme ensinou Jesus.

E a violência certamente não é árvore plantada pelo Criador.

Portanto, é hora de fazer luz. É hora de somar as boas qualidades e fazer valer o bem que desejamos.

É hora de altear bem alto a bandeira do bem, para que o bem sobrepuje o mal. Para que a luz afugente as trevas.

Pense nisso e considere que basta apenas querer.

Momento Espírita

Anúncios

Posted in AMIGOS | 8 Comments »

Quaresma

Posted by vidapura2 em Abril 5, 2011

Tempo de Oração, Jejum e Caridade
Quaresma, tempo “forte” de oração, jejum e atenção
aos necessitados, oferece a todo cristão a possibilidade de
se preparar para a Páscoa fazendo um sério
discernimento da própria vida, confrontando-se
de maneira especial com a Palavra de Deus,
que ilumina o itinerário cotidiano dos fiéis.

O que é a quaresma?
A quaresma é o tempo litúrgico de conversão, que
a Igreja marca para nos preparar para a grande festa
da Páscoa. É tempo para nos arrepender dos nossos
pecados e de mudar algo de nós para
sermos melhores e poder viver mais próximos de Cristo.
A Quaresma dura 40 dias; começa na
Quarta-feira de Cinzas e termina no Domingo de Ramos.
Ao longo deste tempo, sobretudo na liturgia do domingo,
fazemos um esfoço para recuperar o ritmo e
estilo de verdadeiros fiéis que devemos viver como filhos de Deus.
A cor litúrgica deste tempo é o roxo, que significa
luto e penitência. É um tempo de reflexão, de penitência,
de conversão espiritual; tempo e preparação para o mistério pascal.
Na Quaresma, Cristo nos convida a mudar de vida.
A Igreja nos convida a viver a Quaresma como um
caminho a Jesus Cristo, escutando a Palavra de Deus,
orando, compartilhando com o próximo e praticando
boas obras. Nos convida a viver uma série de
atitudes cristãs que nos ajudam a parecer mais
com Jesus Cristo, já que por ação do pecado,
nos afastamos mais de Deus.
Por isso, a Quaresma é o tempo do perdão e
da reconciliação fraterna. Cada dia, durante a vida,
devemos retirar de nossos corações o ódio, o rancor,
a inveja, os zelos que se opõem a nosso amor
a Deus e aos irmãos. Na Quaresma, aprendemos
a conhecer e apreciar a Cruz de Jesus.
Com isto aprendemos também a tomar
nossa cruz com alegria para alcançar
a glória da ressurreição. 40 dias
A duração da Quaresma está baseada no símbolo
do número quarenta na Bíblia. Nesta, é falada dos
quarenta dias do dilúvio, dos quarenta anos
de peregrinação do povo judeu pelo deserto,
dos quarenta dias de Moisés e de
Elias na montanha, dos quarenta dias que
Jesus passou no deserto antes de começar
sua vida pública, dos 400 anos
que durou o exílio dos judeus no Egito.
Na Bíblia, o número quatro simboliza o universo
material, seguido de zeros significa o tempo
de nossa vida na terra, seguido de provações e dificuldades.
A prática da Quaresma data do século IV, quando
se dá a tendência a constituí-la em tempo
de penitência e de renovação para toda a Igreja,
com a prática do jejum e da abstinência.
Conservada com bastante vigor, ao menos
em um princípio, nas Igrejas do oriente,
a prática penitencial da Quaresma tem sido
cada vez mais abrandada no ocidente,
mas deve-se observar um espírito penitencial e de conversão.

Posted in AMIGOS | 4 Comments »

Eternos dias de outono…

Posted by vidapura2 em Abril 2, 2011

Agora, caminho entre os bosques de minha vida, com o coração dilacerado, a gritar pelo teu nome, em busca de teu carinho e consolo…

Minhas mãos sentem a falta das tuas, que marcadas pelo tempo, me traziam a segurança, o carinho e o afeto de teus lábios, sempre a gotejarem doces palavras…

Saudades de um tempo em que me sentia amado,

que não temia o novo amanhecer, por poder contar contigo ao meu lado.

Tempos estes, que deixaram marcas em minha alma,

lembranças de nosso amor; de uma união que exalava pureza…

Eras tu a minha deusa, senhora, poetisa, estrela maior!…

De meus dias fazia minutos!… De meu nome fez história ao me conceder teus ensinamentos de honra, de moral e religião… A tua maneira meiga, a me ensinar a primeira oração, teu carinho em minhas noites de enfermidade, teu apoio em minhas quedas,

teus ensinamentos em meus erros…

Ah!… Doce Senhora, porque me deixaste? Porque partiste?…

Deixaste meu coração dilacerado pela dor, dor esta, que nunca cicatriza, tira a inspiração do poeta, me torna órfão, perdido em meio ao universo…

Quando ouço o cantar dos pássaros, quando meus olhos são presenteados com a linda visão do oceano, quando caminho entre as areias alvas, a lágrima roça minha face e te quero aqui!… Olho, grito, corro e me vejo só…

Um dia, a morte, te retirou de mim, naquele dia, retirou o brilho da minha maior estrela!… Quero e acredito, que nossa separação é momentânea, e isto, me dá forças para prosseguir em meio a este mundo, que por vezes, me assusta.

Hoje, queria, como fiz por anos, colher as rosas champanhe, colocar em teus braços, te beijar e ver teu sorriso a contemplar o momento…

Recolho-me a meu cantinho, a espera que o sol, um dia, apresente enfim, o dia de nosso reencontro, e possa ai então, te ver e novamente estar em teus braços

mãezinha amada…

Beijos, Estrela da minha vida…

Paulo Nunes Junior

Posted in AMIGOS | 1 Comment »

Mágoa desnecessária

Posted by vidapura2 em Março 31, 2011

As relações humanas serão sempre pautadas pela dificuldade que trazemos na alma. E não poderia ser diferente.

Como somos seres em evolução, muito ainda há que se construir nas conquistas emocionais para que o equilíbrio, a justiça e a retidão sejam as ferramentas no relacionamento humano.

Não é raro indivíduos que, desgastados pelos embates humanos, cansados das dificuldades de relacionamento, alegam preferir viver isolados do mundo, sem a necessidade de suportar a uns e agüentar a outros.

O raciocínio se torna quase que natural, frente a tantos esforços que temos que empreender tanta paciência a exercitar, no trato com o semelhante.

E não são poucos aqueles que se isolam do mundo. Seja buscando uma vida de eremita, fechando-se em seu lar ou isolando-se em essa ou aquela instituição. Esses buscam a paz que não encontravam nas relações sociais e familiares.

Muito embora assim o façam imbuídos, por vezes, das mais nobres intenções, esquecem-se de que, ao isolar-se, ao fugir da sociedade, perdem a grande chance do aprendizado da convivência.

Somente nos atritos que vivemos é que vamos encontrar a chance do amadurecimento das experiências, de crescer, de superar aos poucos os próprios limites de interação social.

Somos todos indivíduos criados para viver em conjunto e a vida solitária somente nos causaria graves seqüelas à vida emocional e psicológica.

É na experiência de viver com os outros que a alma tem a possibilidade de conhecer diversas formas de aflições e exemplos inesquecíveis.

É natural que nossas relações não sejam sempre pautadas pela harmonia. São nossos valores íntimos que determinam os entrechoques que, não raro, vivenciamos, ou os envolvimentos afetivos de qualidade, que usufruímos.

Como ainda não nos acostumamos a viver em estabilidade íntima por longos períodos de tempo, vez ou outra surgem dificuldades, problemas, indisposições variadas em nossos relacionamentos.

Pensando assim, pode-se concluir o quanto é desnecessário e improdutivo viver-se carregando no íntimo mágoas e malquerenças.

Ninguém há no planeta que não se aborreça quando recebe do outro o que não gostaria de receber. No entanto, não podemos esquecer que ninguém também pode afirmar que, com seu modo de falar, de ser e de agir, não cause aborrecimentos e mágoas a outras pessoas, ainda que involuntariamente.

Desta forma, cabem a cada um de nós procurarmos resolver mal-entendidos, chateações e mágoas com os recursos disponíveis do diálogo, do entendimento, da desculpa e do perdão. Afinal, se outros nos magoam de nossa parte também acabamos magoando a um e outro, algumas vezes.

Assim pensando, podemos concluir ser uma grande perda de tempo e um sofrimento dispensável o armazenamento de sentimentos como a mágoa ou a raiva no coração.

Há tanto a se realizar de bom e de útil a cada dia, e o tempo está tão apressado, que perde totalmente o sentido alimentarmos mágoa na alma, qualquer que seja a intensidade.

Redação do Momento Espírita

Posted in AMIGOS | Leave a Comment »

As duas faces

Posted by vidapura2 em Março 29, 2011

Afirma-se que um famoso pintor do Renascimento, quando pintava um quadro sobre o Menino Jesus, após conceber e fazer os primeiros estudos procurou uma criança que lhe servisse de modelo para a face do Mestre, na infância.

Procurou em muitos lugares até encontrar um pequenino sujo, que brincava nas ruas. O menino retratava no olhar e na face toda a pureza, bondade, beleza e ternura que se podia conceber.

Explicou-lhe o que desejava e, ante a autorização da família, levou-o para posar no seu atelier, retribuindo-lhe o trabalho com expressiva soma em moedas de ouro.

Anos depois, o artista desejou pintar outro quadro. Dessa vez iria retratar Judas. E saiu em busca de alguém que pudesse lhe oferecer o rosto do traidor.

Em mercados e praças públicas, tavernas e antros de costumes perniciosos por onde esteve à procura, não encontrou ninguém que se assemelhasse, em aparência, ao discípulo equivocado.

Já havia desanimado de procurar e pensava em desistir, quando, visitando uma taberna de má qualidade, se deparou com um delinqüente embriagado, em cujo olhar e semblante se encontravam os conflitos do traidor, conforme a concepção que dele fazia.

A barba endurecida, a cabeleira mal cuidada era a moldura para o olhar inquieto, desconfiado, num rosto contorcido pelo desconforto íntimo, formando um conjunto de dor e revolta, insegurança e arrependimento ímpares.

Comovido com o fato, o artista convidou aquele homem para posar, ao que ele respondeu que só faria sob a condição de boa recompensa financeira.

O pintor começou a obra e percebeu, após algumas sessões, que a face congestionada daquele homem se modificava a cada dia, perdendo a agressividade e a perturbação.

Um dia resolveu perguntar ao modelo o porquê de tal transformação, ao que ele, um tanto melancólico, respondeu:

Posando nesta sala, recordo-me que há alguns anos, eu servi ao senhor de modelo para a face do Menino Jesus…

Eu sou aquele garoto em cujo rosto o senhor encontrou a paz e a beleza do justo traído…

O dinheiro que ganhei, em face da minha imaturidade, mais tarde pôs-me a perder e, de queda em queda, numa noite em que me embriaguei, por uma disputa insignificante matei outro homem.

Condenado num julgamento arbitrário envenenou-me de ódio…

Agora, pisando neste lugar outra vez, recordo daquele tempo e retorno, emocionalmente, a ele, e me acalmo…

* * *

Paradoxalmente, o mesmo indivíduo ficou retratado na face de Jesus Menino e de Judas, em duas fases diferentes da mesma vida.

* * *

Muitos de nós, simbolicamente, temos os nossos dias de traído e de traidor.

Dias em que trazemos na face a expressão da bondade e da ternura. E dias em que somos o retrato vivo do desespero.

É nesses dias difíceis que devemos buscar, emocionalmente, a serenidade dos dias de luz e seguir em frente, com vontade de imprimir, de vez por todas, a face justa e bela do nosso modelo maior, que é Jesus Cristo.

Redação do Momento Espírita

Posted in AMIGOS | Leave a Comment »

A palavra da inocência

Posted by vidapura2 em Fevereiro 27, 2011

Quase sempre acreditamos que as crianças não entendem o que acontece ao seu redor. Tomamos decisões, inclusive a respeito de suas próprias vidas, sem nos importar com seus sentimentos.

Assim acontece nas separações conjugais, em que se decide com quem ficarão os filhos. Assim é quando se decide mudar de residência e até mesmo quando se opta por transferi-los de uma para outra escola.

No entanto, as crianças estão atentas e percebem os acontecimentos muito mais do que possamos imaginar.

A jornalista Xiran que, apesar do regime de opressão e abandono que viveu na China, manteve um programa de rádio, em nanquim, conta uma história singular, em seu livro: As boas mulheres da China.

Havia uma jovem que se casou com um rapaz muito culto e de projeção política na china. Durante três anos, pelo seu status, ele foi estudar em Moscou.

Ela viveu anos de felicidade ao seu lado. Um casamento que foi abençoado com dois filhos. “era uma mulher de sorte”, comentava-se.

Então, exatamente no momento em que o casal se alegrava com o nascimento do segundo filho, o marido teve um ataque cardíaco e morreu, repentinamente.

No final do ano seguinte, o filho mais novo morreu de escarlatina.

Com o sofrimento causado pela morte do marido e do filho, ela perdeu a coragem de viver.

Um dia, pegou o filho que restava e seguiu para a margem do rio Yangtsé. Seu intuito era se unir ao marido e ao bebê na outra vida.

Parada à beira do rio, ela se preparava para se despedir da vida, quando o filho perguntou, inocentemente: “nós vamos ver o papai?”

Ela levou um choque. Como é que uma criança de 5 anos podia saber o que ela pretendia fazer?

E perguntou: “o que é que você acha?”

Ele respondeu: “é claro que vamos ver o papai! Mas eu não trouxe o meu carrinho de brinquedo para mostrar para ele!”

Ela começou a chorar. Nada mais perguntou. Deu-se conta de que ele sabia muito bem o que ela pretendia.

Compreendia que o pai não estava no mesmo mundo que eles, embora não fizesse uma distinção muito clara entre a vida e a morte.

As lágrimas reavivaram nela o instinto materno e o senso de dever.

Tomou o filho no colo e, deixando a correnteza do rio levar a sua fraqueza, retornou para sua casa.

A mensagem de suicida que tinha escrito foi destruída.

Enquanto fazia o caminho de volta ao lar, o menino tornou a perguntar: “e então, não vamos ver o papai?”

Procurando engolir o pranto, ela respondeu: “o papai está muito longe. Você é pequeno demais para ir até lá. A mamãe vai ajudá-lo a crescer, para que você possa levar para ele mais coisas. E coisas muito melhores.”

Depois disso, ela fez tudo o que uma mãe sozinha pode fazer para dar ao filho o melhor.

***

As crianças não são tolas. E muito mais do que possamos imaginar permanecem atentas, em especial a tudo que lhes diga respeito.

Percebem os desentendimentos conjugais, as dificuldades domésticas, a ponto de ficar enfermas.

Por tudo isso, preste mais atenção ao seu filho. E, sobretudo, fale com ele sobre dificuldades e sobre as soluções possíveis.

Não o deixe crescer ansioso e triste. Ajude-o a viver no mundo, seguro e firme.

Momento Espírita

Posted in AMIGOS | 1 Comment »

Cavalgando…

Posted by vidapura2 em Fevereiro 21, 2011

Entre o vale das paixões encontro-te…

Olhares trocados, beijos, sussurros, juras de amor eterno,

começamos a cavalgar pelos dias como se fossemos donos do planeta

pouco importando se dias se colocariam com o sol, ou nublados…

Éramos donos do tempo…

Passamos pelos dias com a certeza que nossos corações

jamais teriam dúvidas de nosso amor,

e, ao cavalgar entre borboletas

que saudava-nos em nossa historia de magia,

conhecemos a cor e o encanto…

O bater de asas ensejava liberdade de voar…

Encontrávamos pelos bosques, vivenciando a beleza de arbustos e flores

entre o forte e delicado éramos exemplos de corações apaixonados

que não sentiam o cavalgar do tempo…

Entre flores, fizemos aconchego de nossas emoções,

entre as águas banhamos nossos corpos

entregue aos segredos da lua dos amantes,

e, entre as nuvens sentíamos a renovação desta força…

Passamos a cavalgar entre pedras e caminhos que antes pareciam fáceis, transformaram-se em percursos de exaustão…

Entre eles postar-se-iam a tentação, por momentos a tropeçar,

pudemos logo ver sermos únicos, e sobre nossos corcéis

demos costas das tristes lembranças…

De mãos entrelaçadas…

Partimos novamente pelos territórios que se apresentavam a cavalgar, enfrentando nossas dificuldades, agora com nossos corações…

Que se fez renovado pela dor, e de nossos dias fizemos dias de sublime relação entregando-se de vez a este amor que serve como nosso alimento

Nossos corcéis passam a ser alados, encantados…

Levando-nos, enfim, a uma vida

onde nossa cavalgada não encontrará mais obstáculos…

Paulo Nunes Junior

Posted in AMIGOS | Leave a Comment »

AINDA TEMOS UMA CHANCE!…

Posted by vidapura2 em Fevereiro 4, 2011

Enquanto…

Adultos entre si não se entendem,

Disputam-se em espaços, promovem guerras,

Buscam através da violência resolver suas questões…

Enquanto…

Há jovens que se entregam às drogas,

à escuridão do prazer sem conseqüências…

Enquanto…

Assistimos famílias sendo destruídas,

Lares despedaçados pela traição,

pela falta de união…

Enquanto…

Vimos amigos traindo-nos de forma mesquinha…

Em nossos olhos bater o desânimo

frente a tudo isto que somos obrigados a conviver…

Enquanto…

O nosso planeta é atacado pelos poluentes das grandes nações,

Nossas matas são devastadas,

Crianças com fome e sem estudo…

Enquanto…

nos bate esta descrença neste estado de todas as coisas!…

Vem mais uma vez a criança!…

Simbologia máxima da pureza,

e nos passa uma grande lição de vida,

Ela, e seu fiel amigo, juntos a orar…

Quem sabe se não é por nós mesmos adultos!?…

Que por fezes fugimos de nossa fé.

(Fé, base para vencermos e acreditarmos)…

Que o mundo haverá de ter uma nova chance!

Que devemos lutar pelo amor!

Aproximarmos de nosso semelhante!

Que frente às nossas vidas a palavra entendimento…

Perdão, reconhecimento, respeito!

Que devemos edificar um mundo melhor para nossas crianças!

Esta imagem lembra-me de minha infância…

A primeira oração…(ensinamento de mãe)

Ah! Gesto soberano desta criança!…

Ó gesto a ser pensado…

Quanto temos que mudar por eles?!…

Por nossos pequenos!…

Que, mais uma vez, nos trazem esta lição de amor,

de fé e de esperança,

Um horizonte sem tanta intriga,

Sem tantas desigualdades sociais, sem guerras,

Voltados todos a Deus…

Exercendo o seu maior ensinamento, O Amor!…

Neste instante…

Que tomado pela emoção as lágrimas presentes à face,

Quero agradecer a todas vocês, crianças do Planeta!…

Com esta imagem…

Fizeram-me acreditar novamente…

Que a terra ainda tem uma chance!

Daí o porquê…

Dizem os sábios!…

Os melhores professores…

são as Crianças!…

Paulo Nunes Junior

Posted in AMIGOS | 1 Comment »

Razão de viver

Posted by vidapura2 em Fevereiro 3, 2011

Muitas pessoas erguem-se pela manhã acreditando não existir qualquer sentido para despertarem.

Dormem sem nenhum objetivo e acordam do mesmo modo, transformando o dia-a-dia, em uma experiência insossa ou vazia.

Vagam pelas ruas, sem destino certo, à mercê do que lhes aconteça no curso do dia.

Levam uma vida sem direção, desvalorizando o tempo e a oportunidade de estarem reencarnados.

Deixam-se levar pelos “ventos do acaso”.

Não vêem significado em família, em amigos, nem em trabalho.

Quando se estabelece este estado d’alma, a pessoa corre o risco de ser tragada pelo aguaceiro das circunstâncias, sem quaisquer resistências morais para enfrentar as dificuldades.

Com certeza, não é o melhor modo de se viver.

É urgente que nos possamos sentir como peças importantes nas engrenagens da vida.

É necessário que tomemos gradual consciência quanto ao nosso exato papel frente às leis de Deus.

Seria muito belo se cada pessoa – principalmente as que não vêem sentido para a própria vida – resolvesse perguntar-se: “O que posso fazer em prol do mundo onde estou?

Para que, afinal, é que eu vivo?

Para quem é que eu vivo?”

Dificilmente não achará respostas valiosas, caso esteja, de fato, imbuída da vontade de conferir um sentido para sua existência.

Cada um de nós, quando se encontra nas pelejas do mundo terreno, pode viver para atender, para cuidar de alguém ou de alguma coisa, dando valor às suas horas.

É importante dar sentido à vida.

É importante viver por algo ou por alguém.

Dedique-se a um ser que lhe seja querido, que lhe sensibilize a alma, e passe a viver em homenagem a ele, ou a eles, se forem vários.

Dedique-se a uma causa que lhe pareça significativa para o bem geral, e passe a viver em cooperação com ela.

Dedique-se a cuidar de plantas, de animais, do ambiente.

Apóie-se em algum projeto justo, desde que voltado para as fontes do bem, pois isso alimentará o seu íntimo.

Assim seus passos na terra não serão a esmo, ao azar.

Quando se encontram razões para viver, passa-se a respeitar e a honrar as bênçãos da existência terrestre.

Cada momento se converte em oportunidade valiosa para crescer e progredir.

A vida na terra não precisa ser um “campo de concentração” a impor-lhe tormentos a cada hora.

Se você quiser, ela será um jardim de flores ou um pomar de saborosos frutos, após a sementeira responsável e cuidadosa que você fizer.

Dedique-se a isso.

Empreste sentido e beleza a cada um dos seus dias terrenos.

Liberte-se desse amortecimento da alma que produz indiferença.

Sinta que, apesar de todos os problemas e dificuldades que se abatem sobre a humanidade, a chuva continua a beijar a face do mundo e um sol magnífico segue iluminando e garantindo a vida em todo lugar.

Isso porque, todos nós somos alvos da dedicação de Deus.

***

O tempo é uma dádiva que Deus nos oferece sem que o possamos reter.

Utilizá-lo de forma responsável e útil é dever que nos cabe a todos.

Dê sentido às suas horas, aos seus dias, e assim, por conseqüência, a toda a sua vida.

Momento Espírita

Posted in AMIGOS | 2 Comments »

Um Homem Também Chora

Posted by vidapura2 em Fevereiro 1, 2011

Quando o pai voltava do trabalho, o garotinho corria com os braços abertos

em busca de um abraço aconchegante.

Mas, o pai, acostumado à educação rígida e equivocada do início do século vinte,

ia logo dizendo: “homem não abraça homem”.

O menino ficava sem saber o que fazer com a vontade de demonstrar

seu afeto e carinho àquele a quem amava e admirava.

Isso lhe causava extremo desconforto, mas foi se acostumando a não abraçar o pai,

e nem chorar, pois “homens não choram”, segundo a mesma educação que recebia.

Sempre que algo o infelicitava, prendia o choro na garganta e corria para os braços

da mãezinha dedicada, a quem podia abraçar sem medo de ser menos homem.

Esse conceito ancestral, infelizmente, ainda é muito comum nos dias de hoje.

Muitos filhos homens não se sentem à vontade para abraçar seus pais e,

menos ainda, para beijá-los.

Aquele garoto, que agora já está com mais de 75 anos de idade,

conta que foi muito difícil conviver com a dificuldade de extravasar seus sentimentos com quem quer que fosse.

Não conseguia abraçar os amigos, não conseguia chorar graças às orientações que recebera na infância.

Diz ele, que só conseguiu vencer essa barreira, com muito esforço, há pouco tempo.

Hoje ele consegue se entregar num abraço sem medo de ser feliz.

Mas chorar em público é algo que procura evitar,

pois a frase ouvida muitas vezes na infância, ainda o persegue:

“homens não choram”.

Mas a lógica nos diz que os homens também podem e devem chorar,

sem que isso os diminua como homens.

Homens que se privam de extravasar suas dores e tristezas pelas lágrimas, geralmente arrebentam o coração em enfartes fulminantes.

O que faz um ser humano ser digno não é o fato de deixar de chorar,

ou de evitar se envolver num abraço.

O que dá dignidade a um homem é a sua capacidade de amar, de se entregar,

de se deixar levar pela emoção sadia.

O cancioneiro popular, Gonzaguinha, retratou, através da música guerreiro menino, essa realidade:

Um homem também chora…

Também deseja colo… Palavras amenas

Precisa de carinho, precisa de ternura

Precisa de um abraço da própria candura

Guerreiros são pessoas, são fortes, são frágeis

Guerreiros são meninos no fundo do peito

Precisam de um descanso

Precisam de um remanso

Precisam de um sonho que os torne refeitos

É triste ver este homem guerreiro menino, com a barra de seu tempo por sobre seus ombros

Eu vejo que ele berra, eu vejo que ele sangra a dor que traz no peito, pois ama e ama

Um homem se humilha, se castram seu sonho

Seu sonho é sua vida, e a vida é o trabalho

E sem o seu trabalho um homem não tem honra

E sem a sua honra, se morre, se mata.

Pense nisso!

Hombridade não é sinônimo de dureza.

O homem é um espírito temporariamente mergulhado num corpo masculino,

mas é um filho de Deus como outro qualquer.

Um homem também chora…

Um homem também sente saudade…

Um homem também se entristece quando parte um ser querido..

Um homem também se equivoca, também de arrepende,

também se sente só muitas vezes.

E, às vezes, a única maneira de aliviar um pouco o peito oprimido

é deixar que as lágrimas jorrem com vontade.

Paulo de tarso, o incomparável apóstolo, na luta para vencer-se a si mesmo, encontrava nas lágrimas uma forma de desabafo.

Aquele gigante do cristianismo deixava, nas horas difíceis,

as lágrimas aliviarem seu coração oprimido.

“A cada gota de pranto era um pouco de fel que expungia da alma,

renovando-lhe as sensações de tranqüilidade e de alívio.”

Jesus, o maior Homem de que se tem notícia, também chorou.

Pense nisso, e se sentir vontade ou necessidade, abra as comportas do peito

e deixe que as lágrimas lavem e aliviem seu coração,

sem medo de ser feliz.

Momento Espírita

Posted in AMIGOS | Leave a Comment »

Menos e Mais

Posted by vidapura2 em Janeiro 4, 2011

Quanto menos trabalho, mais preguiça.

Quanto menos esforço, mais estagnação.

Quanto menos direito, mais insegurança.

Quanto menos serviço, mais penúria.

Quanto menos fé, mais desconfiança.

Quanto menos caridade, mais aspereza.

Quanto menos entendimento, mais perturbação.

Quanto menos bondade, mais intolerância.

Quanto menos diligência, mais necessidade.

Quanto menos simpatia, mais obstáculos.

Quanto mais fizeres pelos outros, mais receberás do próximo em teu beneficio.

Quanto mais auxiliares, mais serás auxiliado.

Quanto mais aprenderem, mais saberás.

Quanto mais te aplicares ao bem, mais o bem te glorificará o caminho.

Quanto mais te consagrares ao próprio dever, mais respeito e mais nobreza te coroarão.

Quanto mais te dedicares ao plantio da fé pela compreensão de nossa insignificância, à frente do Senhor, mais a fé brilhará em tua fronte.

Quanto mais sacrifício puderes suportar, mais alta ser-te-á a própria sublimação.

Quanto mais te humilhares, buscando a posição do fiel servidor da Divina Bondade, mais engrandecido te farás diante da Lei.

Quanto mais suportares as falhas alheias, usando a paciência e a afabilidade, mais amor conquistarás naqueles que te observam e seguem.

Quanto mais souberes perder nas ilusões da Terra, rendendo culto diário à reta consciência, mais lucrarás na Imortalidade Vitoriosa.

Recordemos o ensinamento do Cristo “ao que mais tiver mais lhe será acrescentado”.

E, aumentando a nossa boa vontade no trabalho que o senhor nos concede para as horas de cada dia, estejamos convictos de que mais seguramente avançaremos no rumo de nossa própria libertação.

Francisco Candido Xavier

Emanuel

Posted in AMIGOS | Leave a Comment »

A MÃO DE DEUS

Posted by vidapura2 em Janeiro 4, 2011

A mão de Deus está onde posso alcançar,
Sem ao menos poder ver, sei que Nele posso crer!
Sua mão sempre me socorre.
Nele confio, meus passos Ele guia!
Pai Maior que tudo vê,
Vem logo em nosso auxílio nos socorrer…
E nesse amor de Pai, Criador,
Sempre nos lança o bem, e nos tira da dor!
Pai amado, divindade infinda!!
Nos deu a Terra que acolhe…
Pai suplico, não esqueça dos que passam fome!
Não esqueça os leitos onde muitos passam dores!
Não esqueça Pai, dos que sentem dores na alma
Depressão que afunda, inativa fica ao mundo,
Pai, escuta sua filha que agora clama!
Amor que arde em chamas,
Espírito Santo nos conforte!
Sejamos fortes, confiantes
Justiça na Terra, Pai!

Nanci Laurino

Posted in AMIGOS | Leave a Comment »

BÁLSAMO!…

Posted by vidapura2 em Janeiro 2, 2011

Você tem várias irmãs,
Você é parte de nosso “eu”, de nossa história…
Você é irmã da dor…Irmã da morte…Irmã da fome…
Irmã do descaso…Irmã da traição…Irmã do fracasso…
Irmã oculta de nossos sentimentos mais profundos…

Ah você, nós faz de grandes homens,
seres sem proteção.
Parados no infinito de seu mistério.
Você que por muitas vezes denuncia
nossos sentimentos, nossas fraquezas…

Outras, nos faz ver o quanto ainda podemos ser gente…
Pois, você, também tem uma meio-irmã,
Ainda, que distante, chamada emoção!…
Que assume em seguida como felicidade…

Está então, ah…Como é linda!…
Surge nos momentos únicos!…
No carinho ao próximo,
em nossas conquistas
que por menores que sejam
nos faz grandes perante o mundo…

Ah…Esta tua irmã…Senhora maior…
Um sentimento que bate no peito, forte!…
Parecendo que o coração nos sai pela boca,
é a compensação de todas as outras irmãs
que nos machucam tanto…

Mas sabe senhora Lágrima,
passei a te aceitar quando vi
que nos dias mais tristes de minha existência,
um anjo surgia a minha frente
e tratava-me com folhas,
retiradas da pureza do Olímpo…
Enxugando-te logo de meu rosto
e levando ao Senhor esquecimento.

Sinto em cada um destes momentos,
que um ser, o maior de todos!…
E dono de nossos sentidos,
lembra-se sempre de socorrer-me…
Então, logo vejo que a senhora,
mais uma vez,
Passou em meu rosto,
e deixou uma semente
para meu aperfeiçoamento!…

Posted in AMIGOS | Leave a Comment »

Não espere

Posted by vidapura2 em Janeiro 1, 2011

Não espere um sorriso para ser gentil.

Não espere ser amado para amar.

Não espere ficar sozinho para reconhecer o valor de um amigo.

Não espere o melhor emprego para começar a trabalhar.

Não espere ter muito para compartilhar um pouco.

Não espere a queda para se lembrar do conselho.

Não espere a morte para dizer o quanto ama alguém.

Não espere a chuva para valorizar o dia de sol.

Não espere ser abraçado para dar um abraço.

Não espere a dor para acreditar na oração.

Não espere ter tempo para poder servir.

Não espere a mágoa do outro para pedir perdão.

Nem espere a separação para se reconciliar.

Não espere… Pois você não sabe o tempo que ainda tem.

Pois ninguém precisa esperar para amar, e buscar a felicidade.

A vida é uma oportunidade ímpar.

Estar neste planeta é uma imensa chance que temos de aprender, de levar daqui valores verdadeiros, levar amores maduros e duradouros, e deixar as memórias e vivências tristes do passado que tivemos.

Estar neste planeta é poder ajudá-lo a crescer, a deixar para as próximas gerações uma casa em ordem, reformada e melhor.

É deixar para nós mesmos, quem sabe, mais esperança.

Para isso, não podemos nos deixar acomodar, desanimar, deixar que a vida nos leve, ao invés de nós conduzirmos a vida.

Cada dia é único. Cada manhã é diferente. Cada noite tem sua beleza especial.

Por isso, despertemos para a vida realmente, deixando em cada instante a nossa contribuição, a marca de nossos corações por onde passarmos.

Ao final desta etapa – mais uma das muitas que ainda teremos – poderemos reconhecer satisfeitos, que cumprimos nossa missão, que nosso viver não foi em branco, e que agora somos mais felizes do que éramos antes.

Por isto tudo, não espere.

Não espere ser amado para amar.

Nem a chuva para valorizar o sol.

Não espere a dor para acreditar na oração.

Nem o afastamento para dar valor à presença.

Não espere ser chamado para se oferecer à tarefa.

Nem ter mais tempo para doar-se.

Não espere ouvir “eu te amo” para dizer “eu te amo”.

Nem receber para então doar.

***

Somos seres repletos de experiências, de vivências em outras realidades, quando vestimos outros nomes e outros corpos.

Mas em cada nova vida, a bênção do esquecimento do passado nos faz novos, nos dá a lida como um livro em branco, no qual contaremos nossa história, como se fosse a primeira que estivéssemos vivendo.

Trazemos na consciência e nas intuições as orientações necessárias para trilhar o novo caminho, fazendo com que os planos previamente traçados na pátria espiritual, possam ser devidamente cumpridos.

Dessa forma, nosso tempo aqui precisa ser bem aproveitado, ser bem utilizado, e para isso não podemos esperar para agir no bem, não podemos esperar para construir nossa felicidade futura.

Momento Espírita

Posted in AMIGOS | Leave a Comment »

EM 2011…

Posted by vidapura2 em Janeiro 1, 2011

Em caso de dor, ponha gelo
Mude o corte do cabelo
Mude como modelo
Vá ao cinema, dê um sorriso
Ainda que amarelo
Esqueça seu cotovelo
Se amargo já ter sido
Troque o padrão do tecido
Saia do sério, deixe os critérios
Siga todos os sentidos
Faça fazer sentido
A cada milágrimas sai um milagre
Em caso de tristeza, vire a mesa
Coma só a sobremesa
Coma somente a cereja
Jogue para cima, faça cena
Conte as rimas de um poema
Sofra apenas, viva apenas
Sendo só fisdura, ou loucura
Quem sabe casando cura
Ninguém sabe o que procura
Faça uma novena, reze um terço, faça uma oração
Caia fora do contexto, invente seu endereço
A cada milágrima dai um milagre
Mas se apesar de banal
Chorar for inevitável
Sinta o gosto do sal

ALICE RUIZ

Posted in AMIGOS | Leave a Comment »