amizade e poesia

Alguém que faz você rir…Alguém que faz você acreditar em coisas boas…Alguém que convence você …De que existe uma porta destrancada…Só esperando para que você abra. Esta é a Amizade Para Sempre.

Archive for Junho, 2008

INSONIA…

Posted by amizadepoesia em Junho 30, 2008

Rolo pela cama
na esperança de que consiguir
meus olhos cerrar e a insônia dispensar.
Rolo pela cama,
não quero me atormentar, só quero em seus braços estar
Abraçadinha…Agarradinha ao seu corpo,
aquecida pelo calor que emana de sua pele.
Infatigavel do seu amor,
nessa noite sofrida,
cheia de tristezas e incertezas.
 
Acendo a luz e meu olhar vagueia…
As horas não passam.
Noite longa e interminável…
Neste infortúnio sinto-me invadida pela inquietude
 querendo apossar  dos seus carinhos e do seu amor…
Levanto-me, lentamente dirijo-me a janela
na esperança de poder avista-lo, todo dengoso,
meigo e carinhoso,
ardendo de desejos,
vindo em minha direção, asfixiar-me com seus beijos
tornando a noite mais bela e romantica…
 
O céu salpicado de estrelas!
Lua cheia, cúmplice dos namorados,
ilumina o meu quarto e mexe com a minha imaginação…
Dispara o meu coração, repleto de paixão e de tesão…
Olho com mais vagar
e deixo-me levar pela sedução da noite,
pelo suave perfume das flores,
penso em voce !
 
Penso no que sou e no que voce é !
Concluo que sou a praia e você é o mar!
Que sou branca e suave.
 Você, ora manso, ora feroz, conforme suas vontades.
 Ou será que sou uma pequena estrela
e você, a imensidão do céu.
Sou pequena porém sedutora!
Você porém, é a imensidão, o infinito…
Único!
Muitas vezes tranquilo e calmo,
outras vezes agressivo, aterrorizador como os raios que descarregam
toda a sua energia na terra ou no mar,
fazendo-me ofuscar ou obscurecer perante a sua descarga elétrica.
 
Sei apenas que o amo!
Sei que voce…Bem você…Será que também me ama,
como te amo ?!
Deve amar, sim!!
A verdade é que a praia não existe sem o mar!
O céu não existe sem as estrelas!
A terra não sobrevive sem os raios anunciando a chuva,
que molha a terra, fazendo renascer a vida.
Assim somos voce e eu…
Eu não sei sobreviver sem o seu amor
e você, acredito que não sobreviverá sem o meu amor!! 
 
 
Catarina

Anúncios

Posted in poesia | Leave a Comment »

Separar amor

Posted by amizadepoesia em Junho 30, 2008

Como não dizer que te amo, hoje, agora,

e que me falta no meio da noite,

que me falta no dia,

que me falta faz tê-la somente minha.

 

 

Tento existir sem sua presença,

sem o mal de estar solitário todo dia,

preso a fantasmas que atordoam a mente,

saudade que não me deixa viver um segundo.

 

 

Estou por um fio, sem força de esperar,

sinto-me uma fraude, um pedaço inválido,

na sua vida, um sem caminho próprio,

meu corpo nu em guerra, sem escudo.

 

 

Chama-me de amor, apenas grite meu nome,

quero a certeza que ainda lembra,

que nada se quebrou pela distancia,

eu sei, devo esperar, sempre devo alguma coisa.

 

 

Até quando as sombras, os tempos, as esperas,

meu sem rumo deveria amadurecer um dia,

ser mais forte e tomá-la nos braços,

levá-la onde nada pode separar o amor do amor.
 Caio Lucas

Posted in poesia | Leave a Comment »

LIBERDADE NÃO É SÓ UMA PALAVRA

Posted by amizadepoesia em Junho 30, 2008

Nada mais importa, senão a palavra Liberdade,
fora isso tudo é rotina e exclusividade de alguns.

E por mais caluniado que sejas, não fujas tu à verdade,
que os outros não passam de pessoas comuns.

Enobrecido és tu, mesmo vivendo na pobreza,
pois és honrado e de palavra sempre correcta.

Quem sabe, senão tu, de tua imensa tristeza,
se tudo o que colhes te é pago, de forma incorrecta.

Mal vai o mundo, que se entrega a estas diferenças,
perdeu-se o diálogo entre os povos e as nações.

Então, amigos, pergunto eu, de que valem as crenças,
se dentro de cada um inibem-se corações?

É no não permitir, por parte dos mais protegidos,
pela sorte e pela fértil segurança,

que os que são neste mundo descabidos,
sejam os que por aqui passam sem uma réstia de esperança.

E o amor (essa palavra pequenina) é de suma importância,
para que o caos e a guerra, dêem por findo seu arresto.

Ah, nada melhor, do que ter uma boa vizinhança,
para afastar de vez, tudo mas tudo, que seja funesto.

No fim somos todos iguais; acabe-se com a pobreza;
vivamos em plena Liberdade, todos nós e os demais.

No Mundo só há uma grande certeza:
compartilharmos a vida em conjunto com os animais.

Jorge Humberto

Posted in poesia | Leave a Comment »

Luta selvagem.

Posted by amizadepoesia em Junho 30, 2008

Com a pele de cordeiro me visto
      e avisto meu alvo certeiro.
      Vou te pegar menina e seu coração conquistar.
      Não adianta fugir de minhas garras pois,
      meus olhos penetram os seus e meu sorriso vai te hipnotizar, te trazendo aos meus braços.
      Não adianta tentar correr,
      meus braços te abraçam e neste entrelace,
      meus lábios colam aos seus, roubando seus beijos adocicados.
      E neste magnetismo de corpos,
      lutando contra as razões do coração, sem razão,
      perco os sentidos e te amarro para sempre.
       Te pertenço, me pertences, para que lutar se não existe saída para o nosso sentimento?

Sávio Assad

Posted in poesia | Leave a Comment »

véus…

Posted by amizadepoesia em Junho 30, 2008

enquanto me dispo dos véus
                              dissipam-se as sombras
                              e revelo-te um sonho de amor…

                              enquanto a ilusão persiste
                              desfolho-me inteira
                              no jardim desta paixão…

                              enquanto o silêncio me sufoca
                              a brisa do mar me chama
                              e eclode em furacão…

                               enquanto o tempo urge
                              deixo-te minhas letras
                              em versos inacabados…

                              e se um fio de vida houver
                              e a saudade indomada permanecer
                              estarei te amando ate o tempo fenecer…

                              Millie

Posted in poesia | Leave a Comment »

VIAGEM

Posted by amizadepoesia em Junho 30, 2008

Tenho cá minhas licenças para viajar
          Na minha imaginação
          onde posso tudo
          Viajo… sonho… invento
          Descubro e redescubro
          Infrinjo… transgrido

          Faço concessões…
          Inclusive sensações
          Que não pedem licença para entrar
          Entram e pronto…

          E nas minhas viagens
          È tu que estás comigo
          Lá onde as distancias não existem…
          As direções não contam…
          Sempre contigo por perto
          De uma outra vida…
          Lá onde eu posso ser feliz…

          Lá onde aprendí a amar-te…
          Sem limites ou horizontes
          Que determinem distâncias…
          Distância curtida pela certeza
          de um amor que é teu…só teu…

Mavi  Lamas

Posted in poesia | Leave a Comment »

MINHA FIEL COMPANHEIRA

Posted by amizadepoesia em Junho 30, 2008

Oh, minha fiel companheira e minha ternura,
                  mulher, esposa, musa, amante e doce mãe,
                  para onde eu vá, sempre levo tua candura,
                  terno carinho, como não vi em mais ninguém.

                  E todos os momentos que passamos sozinhos,
                  compenetrados um no outro, lauda atenção,
                  é como se fossemos aqueles bons vizinhos,
                  trocando confidências, coisas vindas do coração.

                  E no vaso que pusemos à janela, viça grata flor,
                  como que agradecendo os mil cuidados tidos;
                  ela, e mais ninguém, sabe bem, de nosso amor.

                  Somo assim como um jardim, repleto de cores;
                  joaninhas e passarinhos, deixam nos ouvidos
                  a natureza, misturando-se com nossos clamores.

                  Jorge Humberto

Posted in poesia | Leave a Comment »

Nuevos horizontes, nuevos dias

Posted by amizadepoesia em Junho 30, 2008

Tu me haces ver ,que  existe
 el otro lado de la vida, para vivirla
un lugar dónde  hay calor, hay ardor
dónde hay  pasión , dónde hay  emoción

Pués mi vida  corría por la monotonía
nada de nuevo  pasaba,
solamente aquella rutina del  día a día
y la  vida de mi, se escapaba…

Contigo  sentí el gusto de la aventura
de conocer el nuevo aire del riezgo,
la adrenalina  aceleró mi pecho,
en el  corazón en cada nueva sensación

Vivir con motivación  y con emoción
con deseos en ebullición
sentir una pasión turbulenta
una vida vivida con satisfacción

Vida envuelta  con fuerzas,
por el placer  de la realización,
con desprendimento, sin  obligación
sin  compromisos, sin  presiones…

Transigiendo, tolerando, aceptando
compartiendo , conviviendo, sufriendo
apreciando, saboreando, alucinando
sin  traumas, sin culpas…sin miedo

Lejos de la monotonía y de la rutina
Distante de los rituales culturales
Demoliendo el  conservadorismo
Abandonando las ruinas sociales

Tropezando, cayendo , lastimándome , pero viviendo
Luchando , recomenzando, sudando, pero renovándome
Perdiendo, ganando, jugando,pero   tentando
arriezgar, sin omitirse, y creer en los sueños 

Valió  y esta valiendo  vivir contigo
será  igual   que  aunque un día nos perdamos
 igual por tí,  tuvo  sentido   la llave de mi renacer
Por ti  iluminádome  en un  nuevo amanecer

(c)Joe’A

Posted in poesia | Leave a Comment »

O melhor de mim

Posted by amizadepoesia em Junho 30, 2008

Sofremos pelo que não temos, e muitas vezes,
      pelo que acreditamos que era nosso,
      e na verdade, nunca foi.

      Sofremos, pela incerteza do amanhã
      que não nos pertence,
      mas que tentamos controlar.

      Sofremos pelas amizades e afinidades
      que tentamos dominar, possuir sem medidas,
      e que se afastam de nós.

      Sofremos pela doença que podemos ter,
      pela gripe que pode virar bronquite,
      e nos abatemos.

      Sofremos pelo medo do imponderável,
      pelo que não podemos medir,
      pelo que não vemos, mas as vezes, podemos ouvir,
      e nos trancamos.

      Sofremos pelas nossas faltas,
      e nos abatemos com as dificuldades que criamos,
      e estagnamos.

      Por isso,
      as notas que não tiramos, as provas que não passamos,
      os amores que não vivemos, o abraço que perdemos,
      os cadernos amarelados, os cheiros da infância,
      a velha chupeta guardada ou perdida,
      são doces lembranças, mas até nelas, sofremos.

      Sofremos, porque não queremos nada simples,
      nem simplesmente viver,
      em simplesmente amar.

      Temos medo de nos entregarmos
      definitivamente ao amor,
      medo de sofrer uma dor maior,
      por isso, sofremos,
      até pelo que não sabemos.

      E, hoje,
      sabendo que o sofrer é uma antecipação da dor que nem sempre viveremos,
      vou procurar conquistar aquilo que realmente me cabe,
      e se a dor me visitar, vai me encontrar mais forte,
      porque tenho a exata medida de tudo o que já passei,
      e sou o fruto maduro dessa árvore chamada, vida.

      Paulo Roberto Gaefke

Posted in poesia | Leave a Comment »

ODE A MEU AMOR

Posted by amizadepoesia em Junho 30, 2008

 Meu amor é tão mais sincero
      quanto mais dela é a sua lucidez.

      E é dela tudo o que eu espero,
      humildade, amizade e muita honradez.

      Não vi até hoje pessoa como ela,
      sempre correcta no expressar-se.

      Se me equivale-se ao que é dela,
      motivo seria para de mim contentar-se.

      E de cada vez que deixa boa impressão,
      é tão natural como em nós o respirar.

      Pois tudo o que fala, fá-lo com o coração,
      meigo, equilibrado, no peito a ponderar.

      Sensível como nunca vi em mais ninguém,
      preocupa-se com todos e toda a gente.

      Entanto é de carne como outro alguém,
      sofre, adoece, se alguém mente.

      Dos filhos seus é toda a dedicação,
      que nada lhes falte por sua conduta.

      Fascínio tão grande não vi nem adoração,
      e com eles enfrenta a vida e vai à luta.

      Mulher trabalhadora como ela não há,
      de casa sempre asseada e acolhedora.

      Quem lá entre bem reparará,
      na mão uma pá, na outra uma vassoura.

      Este, meus amigos, é o meu grande amor,
      a levar pela vida fora – eternamente.

      Não há aqui pensamentos vagos ou supor,
      seremos, como somos, do outro infinitamente.

      Jorge Humberto

Posted in poesia | Leave a Comment »

Poeira de velhos sonhos

Posted by amizadepoesia em Junho 30, 2008

    Iludiu-se
                  com o sonho acalentado
                  em primaveras de esperança.
                  Tudo apostou
                  num jogo de azar, sem pestanejar.
                  Carregou o mundo nas costas,
                  em tempos desiguais,
                  na vala comum dos informais.
                  Colocou as cartas na mesa,
                  destemida e confiante.
                  A resposta chegou,
                  direta e fulminante.

                  Respirou fundo
                  e, de relance,
                  passou-se-lhe pelo olhar
                  as ondas que batiam, teimosas,
                  nos pés descalços, desprotegidos,
                  tentando fazê-la enxergar
                  a tempestade que se avizinhava.
                  Alarme falso, com certeza!
                  Percorreu areias em tempo quente
                  e dormiu a céu aberto
                  acordando com a dança das gaivotas,
                  ousadas aves em seus rasantes.
                  Chegava a saber
                  a hora exata, pelo sol…
                  Era apenas
                  a folha solta da grande árvore
                  buscando alimento
                  em novos horizontes,
                  abrindo caminho no assoviar dos ventos,
                  liberta e liberada
                  pela força de sua vontade.
                  Passou-se-lhe o filme em detalhes…

                  Deixou uma lágrima rolar…
                  Sombras de tristeza
                  tentavam, assustadoras,
                  tomar conta da sua emoção mais pura.
                  Levantou-se,
                  olhou, determinada, a parceria…
                  Sentiu-a imóvel, insensível,
                  empedrecida pela maldade.
                  Esperou apenas segundos
                  para derrubar os castelos erguidos
                  numa implosão
                  que esparramou poeira ao redor de si.

                  Só então se deu conta
                  de que nada mais
                  seria mais forte que sua vontade,
                  nada mais a faria jogar
                  e que sua maior vitória
                  estava no recomeçar.

Cleide Canton

Posted in poesia | Leave a Comment »

Realidade…

Posted by amizadepoesia em Junho 30, 2008

Quando a realidade chega para maltratar
Destruindo todos os sonhos lindos…
Fazendo a lágrima rolar
Dizendo que não podemos querer
Que já não é possível sonhar!
Que seu beijo já não pode
Alcançar o meu,
Que meus lábios ja não podem
Ter o gosto dos seus…
 Que meu corpo já não pode sentir
Seu calor… Seu doce toque…
Tudo fala e ensaia um adeus…
Olhamos em volta… Só resta
A dor da partida… A certeza de que
O amor está partindo para sempre
Com uma passagem só de ida…
Nesse instante o mundo desaba…
O coração grita… Amo você ainda!…
Nesse desespero medonho, descobrimos
Que o mundo irá nos maltratar muito…
Mas que vale a pena estarmos juntos…
Vale a pena a ferida…
Desde que eu possa dizer amo você…
E ouví-lo responder …
Eu também querida!…
Mary Trujillo

Posted in poesia | Leave a Comment »

PAIXÃO E CORAÇÃO…

Posted by amizadepoesia em Junho 30, 2008

Rodopiam as palavras,
bailam os corações!…
Este é um mundo mágico,
em que ser felíz é a condição…

Não importam os tropeços,
não importam a chuva,
nem as tempestades; estamos aqui
e juntos venceremos tudo…

Amar e ser amado é emoção
que diariamente se experimenta,
independente de condições,
somos amigos, somos reais…

Escritores de todos os veios!…
Poetas, Formatadores,
Leitores, unidos num só propósito:
mostrar ao mundo que se pode amar.

Dando se si o melhor, fazendo
com que a vida tenha mais sabor…
Somos o futuro que chegou na Net,
Amantes das letras e, também, do amor…

Carmen Cristal

Posted in poesia | Leave a Comment »

Rosas do Amor Maduro

Posted by amizadepoesia em Junho 30, 2008

Meu namorado tem um jeitinho,
que é só dele, dizendo pra mim:
– Amor, preciso do teu carinho.
Respondo:- também eu, a sós enfim!

E nos abraçamos forte demais,
sentindo as batidas do coração,
compartilhando todos os “ais”,
embalados na loucura da paixão.

Nossos beijos de mel, tem sabor
tão doce, quanto nossos desejos.
Os corpos em chamas, pelo ardor
das cavalgadas despidas de pejos.

E são as horas mais especiais,
de um dia que trouxe o cansaço.
Porém nos sonhos que são reais,
a alegria do encontro faz o laço.

Guida Linhares

Posted in poesia | Leave a Comment »

Sou Seu!…

Posted by amizadepoesia em Junho 30, 2008

Faz tanto tempo que aqui sozinha,
Sonho esperando você…
Você meu, você só pra mim!
Meus versos todos falam
Em um amor só meu…
São versos sonhadores,
Repletos de ternura…
Frases que ninguém escreveu…
Em todos eles, seu rosto se estampa
Espargindo desejos e loucuras!
Regendo todos os meus sentidos!
Entre as odes do meu verso ouço sua
Voz sussurrando cheguei…
Estou aqui…
Sou seu… Só seu!…
Mary Trujillo

Posted in poesia | Leave a Comment »