amizade e poesia

Alguém que faz você rir…Alguém que faz você acreditar em coisas boas…Alguém que convence você …De que existe uma porta destrancada…Só esperando para que você abra. Esta é a Amizade Para Sempre.

Archive for Abril, 2008

Fé do Amor

Posted by amizadepoesia em Abril 30, 2008

Não existe pecado maior
do que um Amar não respeitar
Com este amor, brincar, enganar,
com outra intenção este amor usar

O Amor e energia divina
a ele deveremos reverenciar
Com todas as forcas, a ele preservar
Nunca um coração que ama, machucar

Sempre a verdade revelar
mesmo sem a esse amor satisfazer
Sem se obrigar a corresponder
Pois o amor, espontâneo deve ser

Como uma semente que brota
para dai um jardim nascer
com as flores do bem querer
com as fragrâncias que livre exalam

Com as  cores das flores
com a branduras das pétalas
com a doçura das seivas
Com a Fé do verdadeiro Amor

Joe’A

Anúncios

Posted in poesia | Leave a Comment »

Contigo à distancia

Posted by amizadepoesia em Abril 30, 2008

Não existe um momento do dia
Em que possa separar-me de ti
O mundo parece distinto
Quando não estás junto a mim

Não existe bela canção
Em que não apareça
Nem a quero escuta-la
senão escutar a voce

É porque te converti 
Em parte de minha alma
Ja nada me consola
Senão estar junto a voce também

Mais além dos seus lábios
Do sol e das estrelas
contigo a distancia
Amada minha, estou

Em parte de minha alma
Já nada me consola
Se não estou com voce também

Mais além dos seus lábios
Do sol e das estrelas
contigo a distancia
Amada minha, estou

Luis Miguel

Posted in poesia | Leave a Comment »

SEMPRE TE AMAREI

Posted by amizadepoesia em Abril 30, 2008

Com você sempre sonhei
E meu amor entreguei.
Ao seu lado sempre caminhei…
Seus beijos sempre desejei
Em seu braços me aconcheguei.

Com seus carinhos me encantei.
Em seu colo me aninhei.
Em seu corpo viajei.
Ficar longe de você, não aguentei
Sem o seu amor não viverei
Só ao seu lado feliz serei…

Por dias te procurei
Caminhos torturosos, caminhei.
Algumas lágrimas derramei,
Com o olhar embaçado, avistei
Você …O homem que sempre amei
E por toda vida amarei.

Ao encontra-lo não suportei
Em seus braços me joguei.
Seus beijos eu ganhei.
A Deus sempre agradecerei
Por esse amor que conquistei.
Pela felicidade que alcançei
Tendo seu amor. Oh! meu rei!
 
 
Catarina

Posted in poesia | Leave a Comment »

Dor da alma

Posted by amizadepoesia em Abril 30, 2008

 Quando abro os olhos, na esperança de ver o dourado do sol,

      quando meus ouvidos esperam ouvir os pássaros a cotejar ,

      quando meu coração espera um novo dia nascer

      trazendo a esperança de um novo amanhecer

      Encontro escandalizado, em escabroso amanhecer, meu paÍs, tocado pela dor profunda.

       O mundo a assistir meu povo, em sua revolta, sem entender,

      aquele frágil corpinho agora, jogado em mesa de mármore fria

      Apenas 5 aninhos.

      Um olhar cheio de vida, uma alma tocada

       pela esperança de poder ver muitos dias de alegria,

      sentindo-se protegida, ao lado do genitor, afinal, quem poderia dar-lhe melhor proteção?

      Transforma-se o protetor em carrasco frio,

      E, ela, sem entender, recebe dos adultos que a cercam ,cuja missão seria protegê-la,

       a sua sentença de morte fria, sórdida e monstruosa.

      Afinal, o que esta acontecendo com os homens?

      Em que planeta estou?

      Como posso, agora, explicar aos pequenos que me cercam ,

      que podem confiar nos adultos?

       Até aonde continuaremos a esperar que os culpados, agora reconhecidamente, paguem pelo que foi feito?

      (se é que existe como pagar a uma vida de uma inocente de apenas 5 anos)

      Que pai é este?

       Que avo é este a encobrir tamanha monstruosidade contra uma criança?

      Contra sua própria neta?

      Elevo meus pensamentos aos céus e ,com a lagrima da vergonha na face,

      Peço a Deus o conforto a esta mãe que perde sua filha,

      Pelas mãos daquele, que um dia, em meio a lençóis e juras de amor,

      Participou desta vida ,agora ,abaixo da terra mãe absoluta!

      Meus olhos são tomados pela imprensa, a transformar a dor em espetáculo,

      A cada dia menos entendo o porquê da demora

      em fazer os culpados receberem as mãos da justiça.

      O poeta que existe em mim perde a inspiração

      ao deparar-me com tamanha frigidez,

      o homem sente-se pequeno demais ao ter que assistir a tudo

      sem nada poder fazer, entrego-me por fim a oração

      e busco o entendimento, a dor que sinto para que nunca, minha alma,

       seja tomada pela revolta

      Senhor tende piedade deles,  eles não sabem o que fazem!

      

      Paulo Nunes Junior

Posted in AMIGOS | Leave a Comment »

Meus sonhos

Posted by amizadepoesia em Abril 30, 2008

O homem não sabe o que vai ser da vida,
necessita de sonhos, ainda que negue,
de amor, mesmo que solitário,
da mulher ainda que morra mil vezes.

Os olhos são perfeitos quando dormem,
o tempo pára no meio do sonho bom,
não contamos os dias antes do beijo,
os abraços quando estamos agasalhados.

Quando o escuro vem, a tempestade cai,
o corpo rola do sonho bonito
como se caísse da beira de uma nuvem,
do céu que eu mesmo criei um dia.

É mal fazer plano, montá-los como criança,
a dor de amor não tem remédio, dói,
somente dói como nada, invisível como nada,
assim vai outro amor, como nada, outra verdade.

Às vezes tem festa dentro de mim,
mudo os sonhos, acho que os realizei todos,
então distribuo brindes, abraços,
devoro cada gosto como se fossem doces de vida.

Acordo de manhã, depois de um pesadelo ou dois,
inflo o peito, o ar acabou, não me vejo no espelho,
fui outra vez irresponsável pelo amor que dei,
troquei minha vida por um nada de felicidade.
Caio Lucas

Posted in poesia | Leave a Comment »

RESGATANDO O AMOR

Posted by amizadepoesia em Abril 30, 2008

                  Doce amor
                  
                  Doce martírio é o amor…
                  
                  Faz sofrer… faz suspirar…
                  
                  Chega a causar dor…
                  
                  Mas também faz sonhar…
                  
                  E como é bom sonhar…
                  
                  Feliz de quem sabe amar…
                  
                  Amar não é o TER… o possuir…
                  
                  Amar é o sentir…
                  
                  Sentir o coração pulsar…
                  
                  sentir a alma reviver…
                  
                  o corpo todo vibrar,
                  
                  quando estamos a ver
                  
                  a pessoa amada…
                  
                  Amor é um sentimento nobre,
                  
                  e quem não o sente… tem a alma pobre.
                  
                  Quem não ama, tem frio o coração…
                  
                  Só vive pela razão…
                  
                  Não consegue sentir a doce emoção
                  
                  de um apaixonado coração…
                  
                  Aquele suave toque de mão na mão…
                  
                  Aquele beijo quente…
                  
                  Aquela coisa demente,
                  
                  que é a explosão do amor…
                    
Marcial Salaverry
                  

Posted in poesia | Leave a Comment »

NATURALMENTE AMANTE

Posted by amizadepoesia em Abril 30, 2008

Deflagro em grosso calibre,

 os projeteis da poesia para estas atinjam

os corações dos amantes da arte

do dizer e do falar.

Assim sou,

 um estradeiro carregador de palavras

 transformadas em versos e em cantigas,

cantorias, ou o que comumente chamam-na

de musica popular Brasileira.

Um chero trovado em rimas

embelezado por versos e ditos

através da  arte cantada.
CARLOS SILVA

Posted in poesia | Leave a Comment »

MONTANHA RUSSA

Posted by amizadepoesia em Abril 30, 2008

Somos mesmo eternas crianças a brincar de viver?
Ou somente a vida que não nos deixa crescer?
Sinto a vida uma eterna montanha russa…
Altos e baixos… Subida…  Marasmo… Movimento… Caída!
Em intensidade ora calma, ora vibrante!

Quando nasci, embarquei nesse trenzinho
E até hoje sinto-me a platéia nesse espetáculo!
Pois nunca sei como será seu próximo ato!

Nas horas que esse trenzinho está em linha reta…
Marasmo…  Falta brilho nessa viagem, dá cansaço!
E relaxamos a tensão, vibrando no mesmo acorde…
Como que dando um tempo para retomar a respiração!

De repente, um tranco! E esse trenzinho nos faz o céu avistar
Estamos subindo…  Subindo… Viajando nessa visão!
Coração acelera…  Vida rápida…  Felicidade constante!
E amamos… A tudo e a todos… O mundo é só perfeição!

Até as menores flores não passam despercebidas!
Tudo no nosso caminho é uma linda criação…
Distribuímos amor, alegria, sorriso e doce canção!

Mas a viagem não pára… O trenzinho segue em frente!
De novo vem a mudança… Nada mais é constante…
E nos vemos caindo num abismo, numa velocidade estonteante!

E mesmo gritando, lutando, nos contorcendo…
Essa montanha russa nos leva adiante!

Neste momento nos sentimos acuados, pequenos…
Não conseguimos esboçar reação!
Caímos numa tristeza imensa… Uma grande depressão!

Por isso me pergunto: ainda somos crianças?
Porque então não aproveitamos essa brusca caída
E abrimos os braços para o mundo…
Como que alçando vôo?
Quem sabe não é essa a saída para mudarmos o jogo?

Afinal, nascemos livres para voar…
E assim agindo, quem sabe, a felicidade alcançar!

Podemos até nos machucar feio nesse vôo…
Mas com certeza, sairemos felizes desse trenzinho
Que nos colocaram sem nos perguntar
Se era mesmo com esse brinquedo que queríamos brincar!

Simone Enloucrescida

Posted in poesia | Leave a Comment »

Felicidade

Posted by amizadepoesia em Abril 30, 2008

A vida não é um jogo onde só quem testa seus limites é que leva o prêmio.
 
Não sejamos vítimas ingênuas desta tal competitividade.
 
Se a meta está alta demais, reduza-a.

Se você não está de acordo com as regras, demita-se.
 
Invente seu próprio jogo.

Faça o que for necessário para ser feliz.

Mas não se esqueça que a felicidade é um sentimento simples,
você pode encontrá-la e deixá-la ir embora por não
perceber sua simplicidade.
 

 Mário Quintana

Posted in poesia | Leave a Comment »

SILENCIOSO AMOR

Posted by amizadepoesia em Abril 30, 2008

Com o entardecer este silêncio aumenta…
            As estrelas surgem…
            Os pensamentos viajam,
            procurando por você.

            A noite é longa…
            Sonho acordada com este amor
            que se alojou no coração
            deixando fortes emoções…

            Chega a madrugada,
            os pensamentos vagueiam…
            Num rolar constante na cama,
            estou pensando em você.

            Amanhece…
            Mais um dia de silêncio,
            esperando por você,
            para viver
            um grande amor…

 Adelia Mateus

Posted in poesia | Leave a Comment »

O PERFUME

Posted by amizadepoesia em Abril 30, 2008

 Mágica fragrância que permanece no ar

            quando, em pensamentos,

            exalamos a essência do bem querer.

            Essa química pessoal é intransferível,

            ninguém pode alterar no frasco da vida;

            ela já nasce marcada pela pureza

            e sensibilidade dos anjos,

            que, em segredo,

            embalam todos os sonhos do infinito amor,

            cumprindo a promessa imortal

            que só a delicadeza das flores

            pode reproduzir no espaço,

            atraindo da atmosfera o calor da paixão,

            o beijo amado, o néctar do prazer,

            para, na terra fértil,

            deixar as suas sementes germinarem,

            transportadas pelo vento,

            multiplicando o seu perfume.

SCHYRLEI PINHEIRO

Posted in poesia | Leave a Comment »

SEMPRE TE AMAREI

Posted by amizadepoesia em Abril 30, 2008

 Sempre te amei…
            Sempre te amarei,
            teus beijos sempre desejarei…
            Em teus carinhos me perderei…
            Esquecer-te? jamais poderei…
            Amar-te? sempre almejarei…
            Ao teu lado… feliz serei…
            Novos caminhos, contigo percorrerei…
            Nova vida, contigo levarei…
            Teu suco amoroso, sempre beberei…
            Teu corpo macio, sempre acariciarei…
            Tua boca sensual, sempre beijarei…
            Contigo, as pernas sempre entrelaçarei…
            Meu amor, a ti destinarei…

 Marcial Salaverry

Posted in poesia | Leave a Comment »

Trilogogia da Poesia

Posted by amizadepoesia em Abril 30, 2008

Escrever

É criar, pensar ,recordar.
Deixar seu íntimo divagar.
Transportar as barreiras e poetar.

Saber

Conhecimento do nosso ego.
Entrada  no  mundo de sonhos.
Reino da palavra e descoberta .

Poetar

Conhecer o mundo exterior e interior.
Trabalhar com signos conotativos.
Deixar a imaginação fluir.

José Ernesto Ferraresso

Posted in poesia | Leave a Comment »

Felicidade

Posted by amizadepoesia em Abril 30, 2008

A felicidade está em cada
                  curva do caminho que
                  percorreremos para a encontrar.

                  Adelia Mateus

Posted in poesia | 1 Comment »

Carência

Posted by amizadepoesia em Abril 30, 2008

       MALDITO SEJA ENTRE TODOS
      OS SENTIMENTOS!
      CRUEL IMPIEDOSO, CEGA
        NÃO DEIXA QUE SE ENXERGUE
           O QUE É REAL, O QUE É NORMAL
          NOS MANTÉM CATIVOS ,
       VULNERÁVEIS ÀS INÍQUAS
         ARMADILHAS DO CORAÇÃO. 
      PRISIONEIROS DA BUSCA,
          BUSCA CONSTANTE DE MIGALHAS
           DE AFETO, DE CARINHO,
             ESMOLAS SOFRIDAS, RASGADAS…
            MALDITO SENTIMENTO!
       QUE NOS TIRA A VAIDADE
           NOS ROUBA O AMOR PRÓPRIO.
             E TEM COMO MELHOR AMIGA
            A SOLIDÃO,ESTÃO SEMPRE JUNTOS
               DE MÃOS DADAS TAL QUAL UMA
        ASSOMBRAÇÃO!
        A RONDAR OS VAZIOS CASTELOS
         DA ALMA.
           UM DIA ENLOUQUEÇO DE VEZ
       E NUM ATO INSANO TE ARRANCO
            DE UMA SÓ VEZ DE DENTRO DE MIM
                E AÍ QUERO VER QUEM OUSARÁ
               SE APROVEITAR DESTE MALDITO, POBRE E
            VAZIO SENTIMENTO.
                                                       Silvana Cervantes

Posted in poesia | Leave a Comment »