amizade e poesia

Alguém que faz você rir…Alguém que faz você acreditar em coisas boas…Alguém que convence você …De que existe uma porta destrancada…Só esperando para que você abra. Esta é a Amizade Para Sempre.

Archive for Dezembro, 2007

Reinauguração

Posted by amizadepoesia em Dezembro 31, 2007

Entre o gasto dezembro e o florido janeiro,
Entre a desmistificação e a expectativa,
Tornamos a acreditar, a ser bons meninos,
E como bons meninos reclamamos
A graça dos presentes coloridos.
Nossa idade – velho ou moço – pouco importa.
Importa é nos sentirmos vivos
E alvoroçados mais uma vez, e revestidos de beleza,
A exata beleza que vem dos gestos espontâneos
E do profundo instinto de subsistir
Enquanto as coisas em redor se derretem e somem
Como nuvens errantes no universo estável.
Prosseguimos. Reinauguramos. Abrimos os olhos gulosos
A um sol diferente que nos acorda para os
Descobrimentos.
Esta é a magia do tempo.
Esta é a colheita particular
Que se exprime no cálido abraço e no beijo comungante,
No acreditar da vida e na doação de vivê-la
Em perpétua procura e perpétua criação.
E já não somos apenas finitos e sós.
Somos uma fraternidade, um território, um país
Que começa outra vez no canto do galo de 1º de janeiro

Carlos Drummond de Andrade

Anúncios

Posted in poesia | Leave a Comment »

Receita de Ano Novo

Posted by amizadepoesia em Dezembro 31, 2007

Para você ganhar belíssimo Ano Novo
  cor de arco-íris, ou da cor da sua paz,
  Ano Novo sem comparação como todo o tempo já vivido
  (mal vivido ou talvez sem sentido)
  para você ganhar um ano
  não apenas pintado de novo, remendado às carreiras,
  mas novo nas sementinhas do vir-a-ser,
  novo  até no coração das coisas menos percebidas
  (a começar pelo seu interior)
  novo espontâneo, que de tão perfeito nem se nota,
  mas com ele se come, se passeia,
  se ama, se compreende, se trabalha,
  você não precisa beber champanha ou qualquer outra birita,
  não precisa expedir nem receber mensagens
  (planta recebe mensagens? passa telegramas?).
  Não precisa fazer lista de boas intenções
  para arquivá-las na gaveta.
  Não precisa chorar de arrependido
  pelas besteiras consumadas
  nem parvamente acreditar
  que por decreto da esperança
  a partir de janeiro as coisas mudem
  e seja tudo claridade, recompensa,
  justiça entre os homens e as nações,
  liberdade com cheiro e gosto de pão matinal,
  direitos respeitados, começando
  pelo direito augusto de viver.
  Para ganhar um ano-novo
  que mereça este nome,
  você, meu caro, tem de merecê-lo,
  tem de fazê-lo de novo, eu sei que não é fácil,
  mas tente, experimente, consciente.
  É dentro de você que o Ano Novo
  cochila e espera desde sempre.

Posted in AMIGOS, amizade | Leave a Comment »

Pode ser o amor

Posted by amizadepoesia em Dezembro 31, 2007

O sentimento que confunde
Que desarruma a vida
Ou coisa nenhuma

Pode ser o amor
Que engana a razão
Trocando certo pelo errado
Deixando a televisão ligada

Pode ser o amor
Que nos faz partir
E nos traz de volta
Para esquecer

Pode ser o amor
O que nos afunda
Ou nos levanta
No meio do deserto

Pode ser o amor
Aquilo que doe no coração
E nos faça um poço de lágrimas
Espírito dos espíritos

Pode ser o amor
O que nunca será achado
Se não for aceito
De olhos fechados

Carlos Assis

Posted in poesia | 1 Comment »

Letras

Posted by amizadepoesia em Dezembro 31, 2007

Descobrir o belo sob o céu estendido

na noite da vida, que muitas vezes fria,

abraça o pensamento em silêncio altruísta

fazendo-se muda no grito do corpo abatido.

Ouvir a voz do tempo pelo canto da brisa,

sarar as dores que criaram minhas feridas,

ser andarilha e apenas sonhar o caminho

por onde possa minha alma encontrar guarida.

Ser o belo das mãos que estendidas levam a paz,

abraçar o amor que pede por mais a cada partida,

agarrar-me ao destino que chega sem aviso

no olhar terno que reflete a própria vida.

Gravar minhas letras no universo que tudo registra,

contar as estrelas que apontam minhas vitórias

e nas derrotas, aprender que haverá outro dia

que convida a recomeçar uma nova história.

Aisha

Posted in poesia | 1 Comment »

ESTE ESTAR SEM TI

Posted by amizadepoesia em Dezembro 31, 2007

Este estar sozinho, este estar sem ti,
      Deixa-me tão absorto como nunca vi
      Em ninguém; e, se minha poesia flúi, 
      É porque, a si própria, ela se conclui.

      E age tão naturalmente de si para si,
      Que eu, sou um mero espectro, aqui.
      Espectador atento de tudo que influi,
      E em letras e conspicuidade, se dilui. 

      Sim porque aqui a riqueza já tendeu,
      Por sua iniciativa, ocupar, em mãos,
      Estes versos, que, se comprometeu,

      Serão seus, jamais meus. Disforme,
      Insano compadecer, cheio de nãos,
      Assim, pois então, que se conforme.

      Jorge Humberto

Posted in poesia | Leave a Comment »

EL BUEN PARLANTE Y EL TÍMIDO

Posted by amizadepoesia em Dezembro 31, 2007

Hay una cierta afinidad, com los buenos parlantes,
De la timidez todos huyen lerdos, cual embarazo,
Pero antes tímido, sólo, que personas petulantes,
Que viven por la arrogancia y por la fuerza del brazo.

En fin no son mas, que unos bellos farsantes,
Viviendo entre fronteiras brutalizados por el trazo,
Que los necios rasgan en el suelo, vil ignorantes,
No compartiendo con ninguno, cualquier pedazo.

Y los que así consideran, hablando por los cotovelos,
En nada acrescientan a la vida de quien escucha
Perdiendo su tiempo precioso, sólo para verlos.

Ya el tímido sabe cual es el lugar suyo en el mundo,
Sale a la calle enfrentando todo y todos su laburo,
En nada pareciéndose con un ser infecundo.

Jorge Humberto

Posted in poesia | Leave a Comment »

DAS PEDRAS

Posted by amizadepoesia em Dezembro 31, 2007

Ajuntei todas as pedras

que vieram sobre mim.

Levantei uma escada muito alta

e no alto subi.

Teci um tapete floreado

e no sonho me perdi.

 

Uma estrada,

um leito,

uma casa,

um companheiro.

Tudo de pedra.

 

Entre pedras

cresceu a minha poesia.

Minha vida…

Quebrando pedras

e plantando flores.

 

Entre pedras que me esmagavam

levantei a pedra rude

dos meus versos.

 

Cora Coralina

Posted in poesia | Leave a Comment »

COMO VAI VOCÊ, MEU AMOR????

Posted by amizadepoesia em Dezembro 31, 2007

Olá meu amor querido
                  Como vai você???
                  Como você se sente no seu profundo???
                  Como está este seu grande mundo?
                  Como está administrando os seus sonhos?
                  Como está o seu coração
                  cheinho de grandes emoções?
                  Como está o nosso amor???
                  Tem um lugar especial para mim
                  no seu coração?
                  Você tem nutrido nosso amor em sua emoção?

                  Olá meu amado
                  Como você tem passado?
                  Ainda nutre o nosso amor?
                  Ainda sonha com um novo despertar?
                  Ainda me inclui no seu carinho?
                  Ainda sonha em me ter no seu ninho?
                  Ainda sente o arroubo da juventude
                  nesta fase de plenitude?
                  Ainda sente o desejo percorrendo suas veias?
                  Ainda fecha os olhos e sente arrepio de prazer?
                  A minha imagem ainda inunda seu ser?

                  Ah! Como eu queria ouví-lo cantar
                  todos os versos lindos que esta sempre a me ofertar!
                  Ah! Como eu gostaria de ouvir seus elogios
                  sentindo-me a deusa da sua vida…
                  Ah! Como eu gostaria de abraçar ,
                  beijar, fazer amor com paixão,
                  loucamente , mas ternamente…
                  No presente e eternamente!
                  Ah! Como eu gostaria de brindar a sua coragem
                  nos dias da minha ousadia
                  quando todo o meu corpo saberia
                  vibrar de carinho na sua sintonia…

Penhah Castro

Posted in poesia | 1 Comment »

A você…Um brinde especial!!

Posted by amizadepoesia em Dezembro 31, 2007

Desejo a você um ano novo repleto de
      paz, saúde e muita alegria …
      Com muitos sonhos e emoções.

      Que seja pleno de luz, esperança e harmonia.
      Cheio de amor e alegria.

      Que este Novo Ano seja o das realizações.
      Que só encontre amor nos corações.

      Que você nunca deixe de sonhar…
      e que todos os seus sonhos se tornem realidade.

      Pelo muito que você tem representado ,
      queremos dedicar a você os melhores votos
      de um natal cheio de paz.

      Que nós possamos continuar na emoção
      de tê-lo ao nosso lado, de desejar felicidades, de reconciliar sentimentos, de encurtar distâncias através das palavras que juntas formam mensagens que agora dedicamos a você.

      Desejamos que neste Natal a luz que guia o mundo possa também clarear os seus sonhos.
       Feliz Natal, que os anjos acampem ao seu redor para sempre te proteger e amparar nessa longa caminhada da vida.

      Enfim…
      Que 2008 venha carregado
      de
      amor e felicidade!!
      FELIZ NATAL E UM ANO NOVO REPLETO DE
       REALIZAÇÕES

       Abraços cheios
      de energias positivas ,

Posted in poesia | Leave a Comment »

ÀS VEZES

Posted by amizadepoesia em Dezembro 31, 2007

Às vezes, doridamente
      Sentindo tua falta
      Desenho em meus pensamentos
      Teu nítido sorriso
      Forte homem dos meus sonhos
      Teu peito no meu, a nossa vontade
      Sobre o meio do meu corpo
      Tudo desenhado
      Em vias escondidas
      Por quem não afundou
      Como que por ti só a aguardar
      Meu homem dos tempos
      Nessas linhas em mim traçadas
      Desenhando vidas
      Tem segredos resguardados
      Avivados por sabor de beijos
      Aromas livres ao sopro das carícias
      Dos nossos desejos
      Envergados na fome
      Do amor em versos
      Tão falados

Aurea Abensur

Posted in poesia | Leave a Comment »

ACCIÓN Y REACCIÓN

Posted by amizadepoesia em Dezembro 31, 2007

 Todo  camino tiene dos bifurcaciones,
      La correcta y la errada, a nosotros las condiciones
      De escoger, la relatividad, previendo,
      Allí, cual  fruta, que estamos recogiendo.

      Tal como la fruta, la que tiene restricciones,
      Debemos tornear y escoger soluciones,
      Se nace dulce la debemos ir comiendo,
      Cual sol, que fuésemos allí sorbiendo.

      Por lo tanto tenemos siempre dos opciones,
      Nos cabe a nosotros saber cual el camino
      O cual la calle, de nuestras acciones.

      Y cada gesto, es medido por fracciones,
      Si la fruta está podrida, acabarás solitario,
      Si la fruta es fructífera son tuyas las ilusiones.

      Jorge Humberto

Posted in poesia | Leave a Comment »

A FRUSTRAÇÃO DO PINTOR

Posted by amizadepoesia em Dezembro 31, 2007

No passar de meus dedos, pelos teus cabelos,
      Perde-los aí; como que emaranhados novelos,
      Que te cobrissem o rosto e eu lhes desse vida,
      Que é toda aquela que, incólume, te é devida;

      E olhando os traços, de teu rosto, enfim, vê-los,
      Como suaves rios, em grandes barcos trazê-los;
      Sentir tua pele na minha e sabe-la já perdida,
      Era tudo que eu mais queria, da flor aí nascida.

      Ah, mas nem o pintor, mais destacado, ali daria,
      Por terminada, sua obra! e se fulgor houvesse,
      Por acabar ficaria sua arte, que nele não caberia,

      Destreza tamanha, para te pintar completamente.
      E mesmo que o artista tentasse e até soubesse,
      Nem por tentativa, erro, eras tu verdadeiramente.

      Jorge Humberto

Posted in poesia | Leave a Comment »

Sementes de Esperança

Posted by amizadepoesia em Dezembro 31, 2007

Mais um ano de esperança,
movendo a alma da gente,
que nunca pára e nem cansa
de plantar uma nova semente.

Semente de paz a mais bela,
dentre todas as virtudes,
luminosa sentinela,
guardiã das atitudes.

Semente de amor familial
alicerçada na compreensão,
livrando a todos do mal,
em fortes elos de união.

Semente de amor sincero,
com cuidado cultivado,
não sendo apenas mero
passatempo descuidado.

Semente da pura amizade,
cultivada com carinho,
trazendo a felicidade,
p`ra ninguém ficar sózinho.

Semente de união bendita,
que junta todas as raças,
em cujo coração crepita
o fogo eterno das graças.

 Guida Linhares

Posted in poesia | Leave a Comment »

Esperança

Posted by amizadepoesia em Dezembro 31, 2007

    Lá bem no alto do décimo segundo andar do Ano
    Vive uma louca chamada Esperança
    E ela pensa que quando todas as sirenas;
    Todas as buzinas;
    Todos os reco-recos tocarem;
    Atira-se;
    E…..
   — Ó delicioso vôo!
    Ela será encontrada miraculosamente incólume na calçada,
    Outra vez criança…
    E em torno dela indagará o povo:
    — Como é teu nome, meninazinha de olhos verdes?
    E ela lhes dirá
    (É preciso dizer-lhes tudo de novo!)
    Ela lhes dirá bem devagarinho, para que não esqueçam:
    — O meu nome é ES-PE-RAN-ÇA…

Mário Quintana.

Posted in amizade | Leave a Comment »

DÁ-NOS A TUA PAZ.

Posted by amizadepoesia em Dezembro 31, 2007

SENHOR, O MUNDO PRECISA DE PAZ.

EM TODA PARTE SE VÊ A ANGÚSTIA E O MEDO.

ONDE NÃO EXISTE A GUERRA EXISTE A AMEÇA DELA.

OS HOMENS VIVEM SE ARMANDO,

EMBORA TODO MUNDO FALE DE PAZ.

ESTÁ AÍ A VIOLÊNCIA EM TODA AS SUAS FORMAS, AÍ ESTÃO

AS RESTRIÇÕES, AÍ ESTÁ A FALTA DE DIÁLOGO,

AÍ ESTÁ A AMBIÇÃO INCONTROLAVEL,

AÍ ESTÁ A INCRÍVEL SEDE DE DOMÍNIO ECONÔMICO E POLÍTICO.

SENHOR, VOLVE PARA NÓS TEU OLHAR DE MISERICÓRDIA.

FAZ-NOS MAIS JUSTOS E MAIS HUMANOS.

É PRECISO QUE NOS INSPIRES, E NOS MOSTRES OS CAMINHOS DA VERDADEIRA PAZ.

DÁ-NOS A TUA PAZ, QUE NÃO É A PAZ QUE O MUNDO DÁ, O QUE OS HOMENS ENTENDEM POR PAZ? QUAL É A PAZ QUE ELES PROCURAM?

TU PORÉM, NOS DIZES:

A PAZ E COMO A CHAMA, QUE EMBORA SILENCIOSA É ATIVA.

A PAZ TAMBÉM SE APRESSA, PRINCIPALMENTE QUANDO HÁ UMA LÁGRIMA A ENXUGAR.

A PAZ TAMBÉM FALA, PRINCIPALMENTE QUANDO O SILÊNCIO É UM PECADO.

A PAZ TAMBÉM INSISTE , PRINCIPALMENTE  QUANDO SE TRATA DE MUDAR CERTAS COISAS.

PAZ NÃO SIGNIFICA NÃO FAZER NADA CONTRA, MAS FAZER TUDO PARA O BEM DE TODOS,

NÃO É TER TUDO QUE DA A PAZ, É SATISFAZER-SE COM O QUE BASTA.

NÃO É TER TUDO QUE DA A PAZ, MAS NÃO TER COMPROMETE.

A CERTEZA DA PAZ É A JUSTIÇA E O AMOR.

É HUMANO QUEM FALA DE PAZ.

É BENDITO QUEM A FAZ.

A PAZ TEM MAIORES OU MENORES PROPORÇÕES, ELA SÓ É TODA

QUANDO DEUS  É TUDO!

CID MOREIRA

Posted in AMIGOS, amizade | 3 Comments »