amizade e poesia

Alguém que faz você rir…Alguém que faz você acreditar em coisas boas…Alguém que convence você …De que existe uma porta destrancada…Só esperando para que você abra. Esta é a Amizade Para Sempre.

Archive for 18 de Abril, 2009

A Mais Bela Flor

Posted by vidapura2 em Abril 18, 2009

O bosque estava quase deserto quando o homem sentou-se para ler embaixo dos longos ramos de um velho carvalho.

 

Estava desiludido da vida, com boas razões para chorar, pois o mundo estava tentando afundá-lo.

 

E como se já não tivesse razões suficientes para arruinar o seu dia, um garoto chegou, ofegante, cansado de brincar.

 

Parou na sua frente, de cabeça baixa e disse, cheio de alegria:

 

– Veja o que encontrei!

 

O homem olhou desanimado e percebeu que na sua mão havia uma flor.

 

Que visão lamentável! Pensou consigo mesmo. A flor tinha as pétalas caídas, folhas murchas, e certamente nenhum perfume.

 

Querendo ver-se livre do garoto e de sua flor, o homem desiludido fingiu pálido sorriso e se virou para o outro lado.

 

Mas ao invés de recuar, o garoto sentou-se ao seu lado, levou a flor ao nariz e declarou com estranha surpresa:

 

– O cheiro é ótimo, e é bonita também…

 

– Por isso a peguei. Tome! É sua.

 

A flor estava morta ou morrendo, nada de cores vibrantes como laranja, amarelo ou vermelho, mas ele sabia que tinha que pegá-la, ou o menino jamais sairia dali.

 

Então estendeu a mão para pegá-la e disse, um tanto contrafeito:

 

– Era o que eu precisava.

 

Mas, ao invés de colocá-la na mão do homem, ele a segurou no ar, sem qualquer razão.

 

E naquela hora o homem notou, pela primeira vez, que o garoto era cego e que não podia ver o que tinha nas mãos.

 

A voz lhe sumiu na garganta por alguns instantes…

 

Lágrimas quentes rolaram do seu rosto enquanto ele agradecia, emocionado, por receber a melhor flor daquele jardim.

 

O garoto saiu saltitando, feliz, cheirando outra flor que tinha na mão, e sumiu no amplo jardim, em meio ao arvoredo.

 

Certamente iria consolar outros corações, que embora tenham a visão física, estão cegos para os verdadeiros valores da vida.

 

Agora o homem já não se sentia mais desanimado e os pensamentos lhe passavam na mente com serenidade. Perguntava-se a si mesmo como é que aquele garoto cego poderia ter percebido sua tristeza a ponto de aproximar-se com uma flor para lhe oferecer.

 

Concluiu que talvez a sua auto-piedade o tivesse impedido de ver a natureza que cantava ao seu redor, dando notícias de esperança e paz, alegria e perfume…

 

E como as Leis da Vida são misericordiosas, permitiram que um garoto privado da visão física o despertasse daquele estado depressivo.

 

E o homem, finalmente, conseguira ver, através dos olhos de uma criança cega, que o problema não era o mundo, mas ele mesmo.

 

E ainda mergulhado em profundas reflexões, levou aquela feia flor ao nariz e sentiu a fragrância de uma rosa…

 

………………………………….

 

Verdadeiramente cego é todo aquele que não quer ver a realidade que o cerca.

 

Tantas vezes, pessoas que não percebem o mundo com os olhos físicos, penetram as maravilhas que os rodeiam e se extasiam com tanta beleza.

 

Talvez tenha sido por essa razão que um pensador afirmou que “o essencial é invisível aos olhos.”

 Momento Espírita

Anúncios

Posted in AMIGOS | Leave a Comment »

NEM SEMPRE…

Posted by vidapura2 em Abril 18, 2009

Nem sempre poesia, muitas vezes heresia,

enredo que não pode ser desfeito,

tramas, teias, dramas, grito espremido no peito,

histórias que o tempo fez questão de preservar.

 

Nem sempre são rosas, muitas vezes espinhos,

outras vezes são cortes, fraturas, entorses,

sangue coagulado, cicatrizes que ainda doem,

feridas que o tempo não foi capaz de curar.

 

Nem sempre fragrâncias, muitas vezes odores,

coisas cheirando a mofo, amareladas, apodrecidas,

resto de comida esquecida no forno,

coisas que o tempo não deu conta de dissipar.

 

Nem sempre vitórias, muitas vezes derrotas,

descaminhos, estranhos, sem volta,

andar desequilibrado pela beira do abismo,

escolhas que o tempo deixou você tomar.

 

Nem sempre o poeta que existe em mim agüenta,

muitas vezes ele se ausenta, viaja nas funduras,

macera dores, nostalgias, amarguras

e depois de algum tempo voltar a sonhar.

NALDOVELHO

Posted in poesia | Leave a Comment »

La historia de nuestro amor

Posted by vidapura2 em Abril 18, 2009

            Nuestro amor un día
            de esta tierra desaparecerá
            nuestros cuerpos morirán
            pero hasta ese momento siempre vamos a amarnos

            Si yo muero primero te pido
            Que sobre mi tumba, con las lágrimas de tu dolor
            hagas el más lindo jardín, me gustan las flores
            Y hasta tu final,conservalo con mucho amor

            Que él muestre toda la belleza
            toda la vida, toda la pasión
            que sentimos en nuestros corazones
            que refleje todo nuestro amor

            Si tú mueres primero te prometo
            con la pena de mis incosolables sentimientos
            con las tintas de sangre de mi corazón
            nuestra história voy a escribir en todas las formas

            En novela, en cuentos o e poesías
            con todos los rimados versos
            que fué nuestra vida, nuestros momentos
            Y todos conocerán nuestra linda historia…

            La historia de nuestro amor.

            Joe’A

Posted in poesia | Leave a Comment »

Jamais Nunca mais

Posted by vidapura2 em Abril 18, 2009

      Nunca mais, é mais que para sempre
      para sempre está fora do nosso tempo
      nosso tempo é apenas o presente
      lembra, que o amanha nao lhe pertence
      amanha amanhece com um novo dia, um novo presente
      um presente, que pode vir a ser um novo sempre
      nunca mais, não é nem mesmo jamais
      pois em nossas vidas vao ter muitos mais
      mais presentes, mais amanhãs, mais vida
      mais momentos mais sentimentos, e muitos instantes
      instantes que podem ser verdadeiros presentes
      nunca diga nunca mais
      voce mesma pode ter muito mais
      quem sabe o quanto de vida voce pode ter a mais
      quem sabe voce venha a amar como nunca amou jamais
      e ser feliz como voce sempre quis
      E viver seu presente muito mais

      Joe’A

Posted in poesia | Leave a Comment »

Jamás Nunca más

Posted by vidapura2 em Abril 18, 2009

      Nunca más, es más que para siempre
      para siempre está fuera de nuestro tiempo
      nuestro tiempo es apenas el presente
      recuerda que el mañana no te pertenece
      mañana amanece un nuevo día, un nuevo presente
      un presente, que puede ser un nuevo siempre
      nunca más, no es siquiera jamás
      pués en nuestras vidas va a haber muchos más
      más presentes, más mañanas, más vida
      más momentos más sentimientos, y muchos instantes
      instantes que pueden ser verdaderos presentes
      nunca digas nunca más
      tú misma puedes tener mucho más
      quién sabe cuanto de vida puedes tener más
      quién sabe ames como nunca amaste jamás
      y ser feliz contigo siempre quise
      Y vivir tu presente mucho más

      Joe’A

Posted in poesia | Leave a Comment »

Sonhos a sonhar

Posted by vidapura2 em Abril 18, 2009

      Quero, todos seus desejos
      todas suas vontades
      todos seus sonhos
      todos seus devaneios

      Completamente lhe saciar
      somente a voce me dedicar.
      È o meu desejo
      É o meu sonho

      Sonho dourado
      por voce povoado
      desse sonho cativo
      recorrente, desejado

      Um dia a dois sonharemos
      todos esses sonhos realizaremos
      tanto os sonhados
      quanto os nos sonhos… 
      a sonhar…
      Joe’A

Posted in poesia | Leave a Comment »

Sueños para soñar

Posted by vidapura2 em Abril 18, 2009

      Quiero, todos tus deseos
      todos tus quereres
      todos tus sonhos
      todos tus devanéos
      Completamente saciandote
      solamente a tí dedicarme.
      Es mi deseo
      Es mi sueño
      Sueño dorado
      por tí poblado
      de este sueño cautivo
      recorrente, deseado
      Un día a dos soñaremos
      todos esos sueños realizaremos
      tanto los soñados
      quanto los en los sueños… 
      soñaremos…
      Joe’A

Posted in poesia | Leave a Comment »

TOQUE DE CLASSE

Posted by vidapura2 em Abril 18, 2009

Con mi ilusión castillos levanté
Los vi caer, perdí la fe
Me desengañé porque en el mundo
Nunca tanta farsa imaginé
Yo que en el creí
Y que siempre fui
Con mi corazón en bandolera
 Crecí después, veinte años yo cumplí
Y a un hombre cruel, decirle oí
Lucha contra el mundo en esta vida
Porque el mundo lucha contra ti
Después ocurrió
Que ya no iba yo
 Con mi corazón en bandolera
 Vi que de cierta canalla me debo apartar
Que una sombría muralla tendré que salvar
Y la salvaré
Con tu inmenso amor
 Que me reconcilia con el mundo
Siempre soñé tu rostro juvenil
 Y tu reír casi infantil
En los que forjaba el universo
Donde mis castillos levanté
Porqué te encontré
Volver a vivir

Con mi ilusión castillos levanté
Los vi caer, perdí la fe
Me desengañé porque en el mundo
Nunca tanta farsa imaginé
Yo que en el creí
Y que siempre fui
Con mi corazón en bandolera
Crecí después, veinte años yo cumplí
Y a un hombre cruel, decirle oí
Lucha contra el mundo en esta vida
Porque el mundo lucha contra ti
Después ocurrió
Que ya no iba yo
Con mi corazón en bandolera
Vi que de cierta canalla me debo apartar
Que una sombría muralla tendré que salvar
Y la salvaré
Con tu inmenso amor
Que me reconcilia con el mundo
Siempre soñé tu rostro juvenil
Y tu reír casi infantil
En los que forjaba el universo
Donde mis castillos levanté
Porqué te encontré
Volver a vivir

ADAMO

Posted in poesia | Leave a Comment »

VERSOS DE UM INSTANTE

Posted by vidapura2 em Abril 18, 2009

      Sentado no cimo de uma montanha sagrada,
      rodeado de árvores e de muitas outras flores
      silvestres; e tendo por baixo o mar e as águas,
      no seu vai e vem constante, de ondas e sargaços;

      joelho de encontro ao queixo, e, pousados,
      os cotovelos, nas pernas; braços estendidos,
      a horizonte; sustenho um livro, que eu leio,
      com imenso prazer, sentindo o vento no rosto.

      Porém, por cima de minha cabeça, pássaros,
      parecem curiosos, e, descendo, até mim,
      põe-se a verificar, com seus bicos, que espécie
      de animal, serei eu, ali parado, por inteiro.

      Completamente desconcentrado, de minha
      leitura, resolvo-me a guardar o livro, no bolço
      de meu casaco. E já tarde feita, com as ondas,
      batendo forte, na pedra, sem rumo caminho.

      Jorge Humberto

Posted in poesia | Leave a Comment »

AMIGOS

Posted by vidapura2 em Abril 18, 2009

      Ah quantos se diziam amigos, parecia história em quadrinhos
      quantos vaguearam pelos meus caminhos.
      Infinidade de pessoas, até bondosas,
      quase me conquistaram com ramalhetes de rosas.
      
       Não demonstravam má fé
      abraços; beijos; convites e parabéns,
      tudo numa  perfeita demonstração de carinho
               Sentia como presente –  uma missa celestial regada à sagrado vinho
      
      
      Ah. mas se conhece o verdadeiro amigo
      são nos momentos difíceis, ele aparece, sem cobranças
                                                          dando-lhe esperanças,
      às vezes, até lhe chama a atenção para as espertezas
       que em seu interior, por machucado, enxerga mal
      Quem de fora está percebe com maior clareza!

                                                
      “Amigos” têm-se muitos, principalmente neste mundo sideral,
      mas  sincera Amizade?
      –   Ah isto é raro,
      por isto os guardo, em meu livro de ouro , pela eternidade
       E a Solidariedade?
       – É para quem tem experiência de vida,
      pois sabe que,  se hoje sou eu que padeço
      amanhã,  quem sabe, este acontecimento
       mudará de endereço!

olga kapatti

Posted in AMIGOS, poesia | Leave a Comment »

MEU JARDIM SECRETO

Posted by vidapura2 em Abril 18, 2009

AH! Amor!!!!!
Quando me despes totalmente…
Deixa-me tão desfalecida
que só percebo quando já estando nua
completamente…
Quando sinto seu calor sobre minha pele…
Sua respiração intensa sobre minha boca…
Seu corpo forte me protegendo
Como uma muralha intransponível
Sinto-me pura…
Muito pura!
Sinto-me segura!
E, ai eu o convido para meu jardim secreto…
Lá estou confiante,
que posso me mostrar radiante,
com tudo o que já vivi
e, o muito que aprendi…
Posso mostrar a minha maturidade
Onde muito pouco ficou na saudade…
Posso mostrar meu encanto de viver
Porque sei que entro em comunhão com você…
Posso me despojar de conceitos e preconceitos…
Posso ser apenas e somente EU…
Liberto-me dos meus mistérios
Aumentando meu prazer de viver…
E me entrego a você totalmente nua
Declarando-me exclusivamente sua…
Penhah Castro

Posted in poesia | Leave a Comment »

Eu já parti…

Posted by vidapura2 em Abril 18, 2009

    Sabe… Amor meu… Eu já parti…
    É só a minha sombra que está aqui!
    Minha essência jamais sairá daqui…
    Atada aos sonhos que ao seu lado vivi!

    Foi… Amor meu… Foi lindo de fato!
    Cada beijo, cada frase, cada abraço!
    Sua cabeça repousando em meu regaço,
    Nós dois presos por tão delicado laço!

    Hoje… Apenas balbucio o seu nome,
    E digo… Adeus… Adeus amor meu!
    A saudade cruel, inteira me consome,
    Sei o que significa esse nosso adeus!

    Vou sem sonhos, sem vida, sem coração…
    Mas… Com uma linda história para contar,
    De dois seres que viveram de adoração!
    Que amaram tudo que alguém pode amar!
    
    E um dia… Quem sabe… Nesse torvelinho,
    Haveremos de nos encontrar pelo caminho,
    E trôpega, sem memória, dorso curvadinho,
    Hei de exclamar… Que lindo aquele velhinho!
    Mary Trujillo

Posted in poesia | Leave a Comment »

A FÉ DE UMA CRIANÇA

Posted by vidapura2 em Abril 18, 2009

Foi na áfrica central. No abrigo improvisado das missionárias, uma mulher entrou em trabalho de parto.

Apesar de todos os esforços da equipe, ela não resistiu e morreu, logo após dar à luz um bebê prematuro.

Sua filhinha de dois anos começou a chorar e não havia o que a pudesse consolar.

Não havia eletricidade e, portanto, era complicado manter o bebê vivo sem uma incubadora.

Ele foi colocado em uma caixa e envolto em panos de algodão.

Bem depressa alguém foi alimentar o fogo para aquecer uma chaleira de água para a bolsa de água quente.

Mesmo morando na linha do equador, as noites eram, por vezes, frias e sopravam aragens traiçoeiras.

Logo descobriram que a única bolsa para água quente estava rompida.

“Que fazer?” – pensou a responsável.

Providenciou para que o bebê ficasse em segurança tão próximo quanto possível do fogo. À noite, para protegê-lo das lufadas de vento frio, as moças deveriam dormir entre a porta e o bebê.

Na tarde seguinte, a missionária foi orar com as crianças do orfanato. Para as incentivar à oração, ela fez uma série de sugestões e lhes contou a respeito do bebê.

Explicou a dificuldade em mantê-lo aquecido, sem a bolsa de água quente. Também disse que o bebê poderia morrer de frio.

Mencionou ainda a irmãzinha de 2 anos que não parava de chorar a ausência da mãe.

Então, uma menina de 10 anos se ergueu e orou em voz alta:
 
“Por favor, Deus, manda-nos uma bolsa de água quente. Amanhã talvez já seja tarde, porque o bebê pode não agüentar. Por isso, manda a bolsa ainda hoje. E…  Deus, já que estás cuidando disso mesmo, por favor, manda junto uma boneca para a irmãzinha dele, para que saiba que também a amas de verdade.”
 
A missionária nem conseguiu dizer assim seja. Poderia Deus fazer aquilo?

O único jeito de Deus atender o pedido da menina seria por encomenda de sua terra natal, via correio. Ela lembrou que estava na áfrica central há 4 anos.

Nunca havia recebido uma encomenda postal de sua casa. E mesmo que alguém tivesse a idéia de mandar um pacote, quem pensaria em mandar uma bolsa de água quente, para um local na linha do Equador?

Naquela tarde, um carro estacionou no portão da casa e deixou um pacote de 11 kg.  na varanda.

As crianças do orfanato rodearam o pacote. Quarenta olhos arregalados acompanharam a abertura. Eram roupas coloridas e cintilantes. Havia também ataduras, caixinhas de passas de uva e farinha. E, bem no fundo, uma bolsa de água quente, novinha em folha.

Rute, a garota que pedira a bolsa, na prece, gritou:
 
 “Se Deus mandou a bolsa, mandou também a boneca.”
 
Será? E lá estava ela. Linda e maravilhosamente vestida.

Olhando para a missionária, Rute perguntou:
 
“Posso ir junto levar a boneca para aquela menina, para que ela saiba que Deus a ama muito?”
 
O pacote fora enviado há 5 meses, por iniciativa de uma ex-professora da missionária, que resolveu enviar uma bolsa de água quente, sem mesmo saber porquê.

Uma das suas auxiliares, ao fechar o pacote, decidiu mandar uma boneca.

Tudo isso, cinco meses antes, em resposta a uma oração de uma menina de 10 anos que acreditou, fielmente, que Deus atenderia a sua oração, ainda naquela tarde.

E há quem duvide que Deus é onipresente e onisciente!
 
 Momento Espírita

Posted in AMIGOS | Leave a Comment »

LUGAR CERTO

Posted by vidapura2 em Abril 18, 2009

O dia havia apenas amanhecido e o agricultor solitário já estava capinando a lavoura. Aquele seria, como outros tantos, um dia de trabalhos árduos de sol a sol. Ele sulcava o solo e ao mesmo tempo pensava na vida. Como era difícil a sua luta diária para sustentar a família. Algumas vezes se surpreendeu questionando a justiça divina, que o escolhera para o trabalho duro enquanto privilegiava outros com tarefas leves e agradáveis.
 
O sol já ia alto quando ele, cansado, tirou o chapéu e limpou o suor que escorria pelo rosto. Apoiou o braço sobre o cabo da enxada e se deteve a olhar ao redor por alguns instantes.
 
Ao longe podia-se ver a rodovia que cruzava as plantações e ele avistou um ônibus que transitava pelas cercanias. Imediatamente pensou consigo mesmo:
 
– Vida boa deve ser a daquele motorista de ônibus. Trabalha sentado, e sem muito esforço conduz muita gente a vários destinos. Não toma chuva nem sol e ainda de quebra deve ouvir uma musiquinha para se distrair.
 
De fato o motorista trabalha sentado e não está sujeito às intempéries. Todavia, o motorista pensava ao ser ultrapassado por um automóvel de passeio, começou a pensar de si para consigo:
 
– Vida boa mesmo deve ser a desse executivo, dirigindo um carrão de luxo! Não tem patrão para lhe cobrar horários nem tem que passar dias na estrada como eu, longe de casa e da família.
 
No entanto, logo à frente o executivo pensava em como era difícil a sua correria diária. As preocupações com os negócios, as viagens longas, as reuniões intermináveis, o salário dos empregados no final do mês, os impostos, aplicações, investimentos e outras tantas coisas para resolver.
 
Mergulhado em seus pensamentos, olhou para o céu e avistou um avião que cruzava os ares, e disse como quem tinha certeza:
 
– Vida boa é a de piloto de avião. Conhece o mundo inteiro de graça, não precisa enfrentar esse trânsito infernal e o salário é compensador.
 
Dentro da cabina da aeronave estava um homem a pensar nos seus próprios problemas:
 
– Como é dura a vida que eu levo. Semanas longe da esposa, dos filhos, dos amigos. Vivo mais tempo no ar do que no solo e, para agravar, estou sempre preocupado com as centenas de pessoas que viajam sob minha responsabilidade.
 
Nesse instante, um ponto escuro no solo lhe chamou atenção.
 
Observou atentamente e percebeu que era um homem trabalhando na lavoura. Exclamou para si mesmo com certa melancolia:
 
– Ah como eu gostaria de estar no lugar daquele homem, trabalhando tranqüilamente em meio à vegetação e ouvindo o canto dos pássaros, sem maiores preocupações! E ao final do dia voltar para casa, abraçar a esposa e os filhos, jantar e repousar serenamente ao lado daqueles que tanto amo. Isso sim é que é vida boa!
 
Deus sabe qual é o melhor lugar para cada um de seus filhos, do que necessitamos para evoluir e que lições devemos aprender.
 
Por essa razão todos estamos no lugar correto, com as pessoas certas, e na profissão adequada.
 
Viver é um grande desafio à inteligência humana e à capacidade do homem de florescer no lugar exato em que foi plantado.

Posted in AMIGOS | Leave a Comment »

APENAS ALGO EFÊMERO O SEXO SEM AMOR…

Posted by vidapura2 em Abril 18, 2009

Pode parecer estranho falar em sexo sem amor, pois quando se fala em sexo, o primeiro em que se pensa, é no amor, que é a principal fonte de estímulo para o sexo, embora possamos praticar o sexo apenas movidos pela desejo, sem que haja amor, e mesmo assim ser algo muito prazeroso, desde que bem feito, e com a consciencia de sua efemeridade.

 

Quando estamos na companhia da pessoa amada, o desejo sexual surge com naturalidade, e mesmo com o correr do tempo, quando a força da paixão arrefece, e o desejo parece diminuir, se houver amor, embora possa não ser tão intenso, o arrefecimento não é bem assim, pois desde que se saiba levar uma relação, a passagem do tempo pode até mesmo provocar um aumento na intensidade do desejo.Basta que se saiba vivenciar esse amor.

 

Falando-se de sexo sem amor, a primeira coisa que nos vem à cabeça, são as “profissionais do sexo”, autênticas mestres na arte de dar prazer sem envolvimento emotivo.  São capazes de levar os parceiros à loucura, dando-lhes prazer intenso, e no momento seguinte já estão com outro, e com os mesmo resultados.  Contudo, o sexo sem amor não é apenas domínio das profissionais (e dos profissionais também…).

 

Acontece também no dia a dia, envolvendo pessoas que nada tem de profissionais, mas que apenas em determinados momentos não conseguem segurar seus instintos, e cedem a um desejo surgido sem que saiba porque. Apesar de não existir amor entre eles, sabendo dar o devido enfoque, pode ser algo muito gostoso de ser vivido.  Muitas vezes sentimos uma atração muito forte por uma pessoa, e movidos por esse desejo, queremos beijar, transar, gozar, mas não sentimos amor… Perguntamo-nos se poderá ser válido extravazar esse chamado dos instintos, se não deixará sequelas para o futuro.

 

Na realidade, dependendo de circunstâncias, claro, não se deve fugir  de tais aventuras, para não ficar com a imaginação trabalhando sobre se poderia ou não ter sido algo de bom, agradavel e prazerosamente vivido.

 

É apenas uma paixão momentânea, que o sexo satisfaz, e pode até mostrar que existe algo mais além da atração carnal. São coisas da vida, que geralmente acontecem quando menos se espera, pegando-nos desprevenidos. Para que não seja uma coisa mecânica, temos que saber sentir o momento, quando aquela  pessoa que está conosco,  deve ser a pessoa que  mais queremos na vida, apesar de ser simplesmente uma aventura de momento, pois o sexo, mesmo sem amor, tem que ser vivido com intensidade. Assim, o prazer atingido não será apenas produto de algo mecanicamente feito, mas de um desejo imperioso, envolvendo a ambos.

 

Como faz parte da vida, e foi algo que surgiu sem ter sido buscado, talvez o melhor seja viver essa louca aventura. Contudo, não podemos nos envolver emocionalmente, pois é apenas uma aventura de ocasião, e, entrando nela com essa idéia, de apenas ir fundo nessa aventura, mas sem planos para o futuro.  Simplesmente,  viver o momento.

 

O sexo sem amor pode ser perigosamente envolvente.  Ao vive-lo temos que estar bem conscientes que devemos deixar as emoções de lado, e apenas viver o prazer que essa aventura nos poderá proporcionar.  Podemos nos machucar seriamente se nos deixarmos envolver pelo entusiasmo, principalmente se o mesmo não ocorrer com nossa eventual parceria, e aí então, tudo poderá se complicar.  São as aventuras que podem deixar marcas profundas em nosso viver. Se nos resolvermos a encarar a fera de frente, temos que tomar muito cuidado.

 

E com estas recomendações, desejo a todos UM LINDO DIA.

 

Marcial Salaverry

Posted in poesia | 2 Comments »