amizade e poesia

Alguém que faz você rir…Alguém que faz você acreditar em coisas boas…Alguém que convence você …De que existe uma porta destrancada…Só esperando para que você abra. Esta é a Amizade Para Sempre.

Archive for 10 de Maio, 2007

Há Palavras

Posted by amizadepoesia em Maio 10, 2007

Palavras ditas no vento,
escritas no tempo, sem sentido,
brotando no meio do nada,
ferindo a verdade,
rolando no chão, como pedras
indissolúveis, gestando a dor
sangrenta, coberta por lágrimas sofridas,
jamais esquecidas na alma.
São mágoas, que a vida vê padecer,
sem apagar uma letra do dizer,
que o pensamento gravou
no berço da infinita tortura.
“In memorian”,
a palavra não falece,
fica estagnada, sem a despedida,
até depois do adeus.

Schyrlei Pinheiro

Anúncios

Posted in poesia | 2 Comments »

Há palavras

Posted by amizadepoesia em Maio 10, 2007

Há palavras que se perdem
como estrelas cintilantes
no imenso Universo
silenciosas magoadas

Há palavras
de sangue de desânimo
atroz e degradante
neste pequeno mundo

Palavras memoráveis
porque não
através da delicadeza
da harmonia da paz.

Há palavras
de saudade imensa
de meu pai ou mãe
ausentes deste mundo

Palavras palavras
que sorriem
e soltam-se de felicidade
de surpresa em surpresa

Pedro Valdoy

Posted in poesia | Leave a Comment »

Há Palavras …

Posted by amizadepoesia em Maio 10, 2007

há um chão de palavras pisadas
paradas, esquecidas
poros que ainda transpiram
significados sufocados

há palavras nas sombras
no silêncio que medita
leves como uma pena
na respiração dos remos engasgados

há palavras que sonham
talvez um modo de navegar
de chegar a algum lugar
libertar poemas ao mar

há palavras que moram em mim
maiores que eu
maiores que os medos
maiores que as sombras
entre você e eu.

Maria Thereza Neves

Posted in poesia | Leave a Comment »

PENSAS?

Posted by amizadepoesia em Maio 10, 2007

Pensas que me assustas com tua cara feia?
Com teu biquinho amuado?
Não adianta fazer terrorismo
não me enredo mais em teus pêlos,
não me pegas mais em tua teia.
Pensas que te quero sempre por perto?
que fico insone ,
que me reviro a noite toda na cama
e que grito por ti?
Pensas que me acordo feito zumbi?
oh, meu Deus!
como tu pensas certo!

odeteronchibaltazar

Posted in poesia | Leave a Comment »

Ainda

Posted by amizadepoesia em Maio 10, 2007

Ainda me dou
O trabalho de pensar
Nas bobagens
Que você fala

Às vezes engraçadas
Outras sem sentido
Ou só tem sentido
Se explicadas

Mas, você
Não explica nada
Ajusta a culpa
Ao seu bel prazer

Depois vem dizer
-Perdoa amor
Eu errei
Mas, foi sem querer

ABittar

Posted in poesia | Leave a Comment »

A luz

Posted by amizadepoesia em Maio 10, 2007

A luz que vem dele
Mata, fere, faz nascer
Faz germinar
Faz morrer
E ele nem sabe
Que tudo isso
Vem dele

O sol com sua luz
Faz tudo girar
Em volta dele
E é só
Mais uma estrela
ABittar

Posted in poesia | 1 Comment »

O poema

Posted by amizadepoesia em Maio 10, 2007

É claro
Que o poema
É feito
Com palavras
Já que o poema
É escrito

As palavras
Que formam
O poema
São necessárias
Já que
Compõem o poema

São também
Insubstituíveis
Pois o poema
É único em sua forma
E inalterável

Caso o alterem
Será um outro poema
E não mais o mesmo

Mas, entendo o poeta
Que apenas quis dizer
Que só se faz um poema
Com palavras
E não com idéias
Como disse Mallarmé
Á Degas

ABittar

Posted in poesia | Leave a Comment »

Espírito acrônico.

Posted by amizadepoesia em Maio 10, 2007

Quando adenso com os subterfúgios da alma
Finjo a morte no mimetismo da sombra plena
Sob o fino escarlate que escorre nesta cena
O destino morto transpassado pela fina arma

No último suspiro das letras que foram atacadas
O uivo da maldade que se esvai a duras penas
Depurada na ressonância da pancada do martelo
Este sim vendo o vigor nas entranhas dilaceradas

Puro e tacanho engano de almas sempre tão pequenas
O suicídio ao tentar matar o que sempre vale a pena
Sob a luz do covil catam e devoram raízes de açucena

Pois na boca do castiçal o veneno puro já deslizou
O amor já digeriu e o decantado perigo já passou
E o bem que sempre faz bem como sempre triunfou.

 
(Gerson F. Filho.)

Posted in poesia | Leave a Comment »

Sentidos

Posted by amizadepoesia em Maio 10, 2007

Não ousaria
De ti
O proveito tirar
E amar
Um amor louco
Convite expresso
Neste teu rosto
Pois ai de mim!
Que em servo torno-me
Ao primeiro beijo
Bem no ensejo
No doce dos lábios
Aprofundados na maciez
Do teu corpo
E como não sei
Conviver com a dor
Da pessoa amada
Só te digo não é por nada
Mas para viver
Na iminência desesperada
Prefiro o olhar e o sonho
Ao sofrimento
De ter que dizer
Que foi só o momento
Deixando ao seu julgamento
Descartar meu coração.

(Gerson F. Filho)

Posted in poesia | Leave a Comment »

Distancia…

Posted by amizadepoesia em Maio 10, 2007

Gemeu no seu doce amor,
ao sentir que ele era seu…
Gritou felicidade e dor,
em tudo… que ele lhe deu.

Que foi muito de ternura…
Era tão bom ser amada;
Aquele homem, a figura
que sempre fora sonhada…

Cabelos brancos ao vento,
com sorriso de criança…
Poeta no pensamento,
o seu amor ela alcança.

Fez do amor o prazer,
seu sorriso o encantou…
Ah! ser mulher e viver,
dele se enamorou.

Poeta por natureza,
ele sabe dar o amor…
Juntos criam a beleza
e à sua vida dão cor.

Triste sina a separar…
As lágrimas a cair…
Sem destino para juntar,
triste vida… e porvir.

Mas no céu eles escreveram,
ditosa história de amor;
Porque a distancia venceram
e suplantaram a dor…

No simples, belo… irmanados
no seu canteiro de flores;
E nos seus sonhos sonhados,
deram vida aos seus amores…

António Zumaia

Posted in poesia | 1 Comment »

Te amo”

Posted by amizadepoesia em Maio 10, 2007

Quando a gente ama
o amor a gente proclama
Como é bom ter alguém que se ama
Gostoso falar, te amo, para quem se ama

Quem não declara o amor é porque não ama
Quem responde “eu também” a um “eu te amo”
é porque não ama esse alguém, porque quem ama,
ao ouvir te amo, declara, te amo mais ainda meu bem

Ou te amo tanto que nem sei quanto
O amor precisa ser amado e declarado
Correspondido, compartilhado e dividido
O amor precisa ser interativo, falado e ouvido

O amor que não é amado
murcha como flor
que não é regada
morre sem viço abandonada

Primeiro perde o perfume,
depois perde a cor
definha com o desamor
morrem suas pétalas

O “Te amo” é caricia para alma
que amada, dá brilho aos olhos
dá viço a face, aflora os lábios
Perpetua a chama da paixão

Fale te amo para quem ama
fale com os lábios, com os olhos
com as mãos, fale que ama
também com a voz do coração

Joe’A

Posted in poesia | Leave a Comment »

ESTOU AQUI !!!

Posted by amizadepoesia em Maio 10, 2007

PELOS CAMINHOS QUE PERCORRI

ONDE
POUCOS ESCOLHI
ESTOU AQUI
SONHOS, FANTASIAIS IDEAIS?
TIVE
SEM PODER
A TODOS PERSEGUIR
OS POUCOS QUE CONSEGUI,
QUE REALIZEI
CUSTO ALTO PAGUEI
ESTOU AQUI
SEM SABER POR ONDE SEGUIR
CREIO QUE NA VIDA
ME PERDI
MAS NA ALMA ME ENCONTREI
NO MEU INTERIOR ME ACHEI
O AUTOCONHECIMENTO CULTIVEI
O CAMINHO DA PAZ E DA FELICIDADE ENCONTREI!!!
MAS NO MUNDO ME PERDI
AGORA, AQUI
MEU IDEAL QUERO PERSEGUIR
DIVULGAR AO MUNDO COMO ME CONHECI
ENSINAR QUE O IDEAL NAO É SO MATERIAL
QUE O HOMEM É DUAL
QUE A MATERIA DEVE CULTIVAR
SEM NUNCA A ALMA RELEGAR
E ASSIM
ESPERO
A PAZ E A FELICIDADE
DISSEMINAR
EU ESTOU AQUI
DE NOVO A SONHAR
EM UM MUNDO MUDAR
SONHAR
FANTASIAR
IDEALIZAR
QUE A REALIDADE VAI ACEITAR
QUE ALGUEM PRETENDA
OS INTERESSES DESVIRTUAR
QUEM VAI SE IMPORTAR
COM ALGUEM QUE SOMENTE O CAMINHO
DA FELICIDADE QUER ENSINAR
SE PERTUBAR
A SOCIEDADE DEVE ELIMINAR
MAS AGORA, NAO SÓ

NÓS ESTAMOS AQUI!!!

( Joe’A )

Posted in poesia | Leave a Comment »

Recuerdos…

Posted by amizadepoesia em Maio 10, 2007

Las ventanas de mi pensamiento
se abren en todo momento
para los recuerdos que guardo con calor
de todas las formas y caras de nuestros caros momentos

Vislumbro tu imágen en mi nostalgia
Percibo tus sentimientos en mis sentidos
Siento tus cariños en mis sentimientos
Bailo al compás de las melodias de tus caricias

Recuerdos que me reconfortan, me excitan
en una ventana oigo nuestra conversación
en la otra ,escucho tus pasos
En otras me deleito con tus pequeños trayectos

Y aún siento tu calor aqui en mi pecho
de nuestros íntimos momentos
en todos los sentidos
de nuestros fuertes e intangibles sentimientos

Recuerdos poblados de instantes
de dias, de horas, de momentos
de toda nuestra magica relación
a veces dificil , pero tambien deslumbrante

Y todos mis recuerdos , a cada instante
apuntan en tu dirección ,
orientadas por mi corazón,
que te pide, que implora,
que te materialices en cuerpo presente …

(C)Joe’A

 

Posted in poesia | Leave a Comment »

FELIZ DIA DAS MÃES: MULHERES!

Posted by amizadepoesia em Maio 10, 2007

Escravos do orgulho, na fogueira das vaidades, acordei com o bom senso tem a fala camponesa: não sei se fora espanhola, africana, oriental ou ditou palavras de Liberdade junto a bandeira francesa. Às vezes portas vão se abrindo fase por fase… arranco e engulo algumas lágrimas perdidas entre os SOS dos solitários na sociedade, batendo palmas para os solidários na Babel, nas estradas do astral. Os apelos ao consumismo são muito fortes em determinados dias do ano, quem não tiver dinheiro para comprar nem uma flor sequer experimente oferecer
algo feito por você mesmo como os desenhos de uma criança, abra os braços para um abraço de coração para coração, envie um sorriso ou beijo, em agradecimento a quem lhe colocou no mundo (por pior que este aparente ser existem o Belo sempre compensará, basta calibrar a balança do coração), caso não tenha conhecido sua mãe acolha a representação de mãe colocada em seu caminho, valorizada-a neste e em outros instantes; caso seu ente querido tenha partido: Replante! Passe para a frente o melhor tenha restado dentro de você.

Para outras mulheres: Não se é necessário conceber filhos diretamente do bendito ventre – Mães adotivas.
Este com certeza também será seu dia como muitos outros…

A Natureza é sábia, ao imprimir marcas que movimentem novos sentidos à Maternidade, neste mundo de privações, provas e desigualdades: nem todo pobre fora sempre pobre e sempre será tão… tão pobrezinho. Bem-aventurados os pobres de espíritos, os puros de coração e os humildes que enxergam além das aparências. Bem-aventuradas as provas vivas que saem dos becos e da imundície, há muitas mãos que estendem o pão e outras que sentem preguiça para colocar a mão na massa. A curiosidade científica ainda é tão frágil que vira as costas para a aura da glândula pineal: “A Ciência sem a religião é aleijada. E a religião sem a Ciência é cega” (A. EINSTEIN. Escritos da maturidade. Rio de Janeiro, Nova Fronteira, 1994, p. 30).

Desconcentrados são todos aqueles que andam intensamente no presente sem se preocupar com os passos que estão construindo para o futuro. Os relógios não são estacionários na caça de imagens… são moles registrando tudo o que lhes chama a atenção, tal como um diapasão no meio de algum “flasheback” retomando ao ponto exato em que fora considerado mais agradável, o desagradável para alguns poderá ser uma das lições.

…Enquanto um homem estava com uma britadeira nas mãos na rua, muitos passam despercebidamente com relação ao barulho ocasionado (em torno de 130 dB), nem todos suportam o pico de ruído em música de rock que chega a 150 decibéis enquanto as turbinas de um avião ao decolar podem alcançar 120 dB (sons acima de 80 dB são potencialmente perigosos tendo a capacidade de prejudicar a audição), toda mulher quando quer poderá dar sentido ao seu instinto maternal, se souber (e quiser, reforço) …o trabalhador não fazia uso do protetor auricular… interessante como alguns nervos auditivos podem ser extremamente sensíveis acionando determinados estímulos ocasoionando um “Boom” de sinapses “estranhas…” não sei porque de uma hora aparecem sem terem ao menos sido provocadas como num curto no circuito, encontrando velhos flashes de dia ou na noite.

Calibrando os sons das cordas do violino na beira de um algum possível caos, como a visão de um camaleão se ajusta? Ao ressoar do britar da britadeira “a deixa” na beirada do asfalto, a forma de projeções aparentemente insólitas parecem que afinam alguns instrumentos, companheiros de estrada: “aborte ou dilacere o ritmo que conduz a seiva da Vida, depois pergunte por que um útero poderá nascer aparentemente seco? Seja um dos rebentos arrebentados e depois pergunte por que o cheiro da morte pode andar cravado na memória clamando por novos porquês da vida aos quatro ventos?” Não sei de onde surgiram ecos como estes, no entanto, afirmo a noção do passado pode ser bem aproveitada sem sentimentos de culpa, sem entrar em ondas que gerem desespero ou melancolia: Livre-se do Medo… passou. Aprenda a conversar com suas células, maus momentos não são eternos e de um minuto para outro passarão, as respostas estão bem diante de nossos olhos, todo aquele que planta um dia colherá más ou boas sementes, conforme a Lei da Ação e Reação.

À todas as Mulheres, um Feliz Dia das Mães.

Rosangela_Aliberti

Posted in AMIGOS | Leave a Comment »

LIBERDADE

Posted by amizadepoesia em Maio 10, 2007

Liberdade é correr como o vento,
Minuano a percorrer os pagos
é um cavalo selvagem no tempo.
o grito preso na boca de escravos

Liberdade é sentimento de alma
inerente a cada um ser humano
é a paz de uma manhã calma
ou o furor do ciclone soprando

É paradoxo entre ser ou não ser
é um escrutínio do sentimento
algo que queremos e podemos ter

A capacidade de encontrar alento
quando o corpo preso pode ser
mas não fica cativo o pensamento

Jorge Linhaça

Posted in poesia | Leave a Comment »